Defesa & Geopolítica

Deu no Cavok: Senador dos EUA pede para o Pentágono não adquirir mais caças Super Hornets

Posted by

http://cavok.com.br/blog/wp-contents/uploads/2011/09/US_Navy_050714-N-0000I-004_F-A-18F_Super_Hornets_prepare_to_launch_from_the_flight_deck_aboard_the_USS_Abraham_Lincoln_CVN_72.jpg

O Pentágono deve cessar as compras adicionais da Boeing de caças F/A-18E/F e concentrar seus limitados dólares na compra de caças Lockheed Martin F-35 Lightning II, de acordo com um apoiador do Senado para os novos jatos.

O senador republicano Saxby Chambliss, da Georgia, delineou ontem o seu caso numa carta enviada ao secretário de Defesa, Leon Panetta, solicitando que ele se “comprometa totalmente a rapidamente colocar em operação” os F-35s e “renunciar a aquisição de aeronaves de quarta geração adicionais, como o F/A-18E/F.”

O caça não-stealth da Boeing é de “limitado a nenhum valor em qualquer cenário futuro de ameaça e só vai drenar os escassos recursos orçamentais a partir de sistemas projetados para nos manter à frente dos nossos adversários”, disse Chambliss, membro do Comitê de Serviços Armados do Senado.

Chambliss foi um defensor de programas da Lockheed Martin, incluindo o caça F-22 e a aeronave de transporte C-130, que são construídas em seu estado.

A carta de Chambliss é a segunda em uma semana, depois que um legislador republicano disse ao Pentágono para defender mais vigorosamente seu programa de armas nº 1 numa época de orçamentos apertados.

O senador John Cornyn, do Texas, escreveu no dia 24 de agosto que a “falta de defesa suficiente” do Pentágono para o programa de US$ 382 bilhões está levando o Congresso a exigir isso.

A opção F-18

O Pentágono tem mantido a opção de comprar mais caças F-18s caso o desenvolvimento do F-35 vacile.

O inventário de caças F/A-18E/F era limitado a 548 unidades na Revisão Quadrienal de Defesa de 1997, quando o desenvolvimento do F-35 ainda era inicial. A RQD disse que a Marinha poderia comprar até 758 Super Hornets “caso houvesse um adiamento no desenvolvimento” do programa F-35.

A produção inicial da versão da Marinha, na época, foi estimada para começar já no ano fiscal de 2008, disse a RQD. A Marinha agora não espera declarar os seus F-35s operacionais, pelo menos até meados de 2015.

A Marinha e o Pentágono em setembro passado assinaram um contrato de US$ 5,3 bilhões para adicionais 124 caças F-18s.

A empresa Boeing, sediada em Chicago, monitora os recentes progresso do F-35, e pode fornecer mais caças F-18 Super Hornets ou F-15E Strike Eagles caso seja necessário, Dennis Muilenburg, chefe da unidade da Boeing Defense, disse numa entrevista em dezembro passado.

“Sabemos que nossos clientes têm grandes desafios neste momento sobre como eles se encaixam e a capacidade de que precisam num orçamento limitado”, disse Muilenburg. ”Se há um desejo de aumentar o tamanho da frota de Super Hornet, estamos bem preparados e equipados para fazer isso.”

Fonte: BloombergTradução: Cavok

21 Comments

shared on wplocker.com