Categories
Defesa

Defesa salva de cortes plano de avião cargueiro

Imagem Jr Lucariny

Novo jato de transporte pesado desenvolvido por FAB e Embraer, o KC-390 é um dos dez programas do ministério preservados de restrições no orçamento

Por Roberto Godoy

O programa KC-390, para desenvolvimento de um jato cargueiro, transporte de tropas, tanque de reabastecimento em voo e remoção médica, está preservado dos cortes de recursos orçamentários reafirmados na semana passada pelo governo. O projeto é uma das dez prioridades na área de Defesa aprovadas, há dois meses, pela presidente Dilma Rousseff.

O Palácio do Planalto recebe relatórios mensais sobre o andamento de cada empreendimento listado pelos comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. O principal investidor no KC-390 é a aviação militar.

Há dois anos foi definida a dotação de R$ 3,028 bilhões, visando à engenharia e à produção de duas unidades preliminares. A fabricação de série envolve 28 aeronaves para a FAB. Tomando como referência o preço médio de modelos da mesma classe, esse pacote de fabricação regular sairá por R$ 3 bilhões. Até o momento, a aplicação feita bate em R$ 300 milhões.

A turbulência dos mercados financeiros também não atingiu o KC-390. Segundo o fabricante, a Embraer Defesa e Segurança, cinco países mantêm a intenção de comprar a aeronave e eventualmente participar do processo industrial: Argentina, Chile, Portugal, Colômbia e República Checa. A França anunciou em 2009 disposição de adquirir entre 10 e 15 unidades.

De acordo com Luiz Carlos Aguiar, presidente da Embraer Defesa, “a carteira de negócios acumula 60 declarações formais, sendo o maior lote o da Força Aérea Brasileira”. No total não estão contabilizadas as eventuais encomendas francesas, de resto, ainda indefinidas.

O grande birreator vai sair da fábrica de Gavião Peixoto, a 300 quilômetros de São Paulo, na região de Araraquara. A terraplenagem da área onde será construído o novo hangar está em andamento. Cerca de 500 pessoas trabalham no programa. Até 2016 serão 1.800. A entrega do primeiro avião está prevista para 2015. A Embraer já completou a seleção de todos os principais fornecedores, como dos motores e de sistemas eletrônicos de bordo.

O KC-390 vai disputar um rico mercado. De acordo com Aguiar, há oportunidades para 700 aviões de transporte médio – na faixa de 25 toneladas e cerca de 2.700 quilômetros de alcance – a serem contratados até 2023. Em 2007, a carga útil era estimada em 19,5 toneladas. Em 2011, passou para 23,6 toneladas. O teste de volume, utilizando uma maquete industrial do compartimento interno, permitiu acesso de dois tipos de blindados, a carreta padrão do sistema Astros, lançador de foguetes da Avibrás, de 15 toneladas, e um veículo de comando sobre rodas, de 14 toneladas. O arranjo eletrônico adota tecnologia Computed Air Release Point (Carp), que permite o lançamento de cargas com precisão. Os pilotos contarão com visores digitais e sistema de visão noturna a partir de recursos óticos integrados aos capacetes. O KC-390 terá recursos específicos de autodefesa, como despistadores de mísseis e dispositivo de interferência eletrônica. O jato vai voar a 850 km/hora, com ganho de seus motores de última geração, 15% mais eficientes. Em missão de reabastecimento no ar – de caças, helicópteros e de outros KC-390 – o jato leva a bordo 37,4 toneladas de combustível.

Argumento. Na exposição que encaminhou para a presidente Dilma Rousseff, em junho, detalhando os projetos prioritários da Defesa, o ex-ministro Nelson Jobim destacou o KC-390 como “fundamental dentr0 da reconfiguração das Forças de forma expedicionária, com capacidade de reação, mobilização e deslocamento rápidos”. Na prática, significa que, depois de acionados, esquadrões de transportes da FAB e tropas do Exército terão de estar atuando, em qualquer ponto do território nacional, no prazo de oito horas. O novo jato pode usar pistas sem pavimentação, com buracos de até 40 centímetros de profundidade.

Tem capacidade, ainda, para levar soldados equipados – 84 deles com material leve; 64 paraquedistas – da mesma forma como feridos removidos de áreas devastadas por catástrofes.

Fonte: Estadão

11 replies on “Defesa salva de cortes plano de avião cargueiro”

Na sua última entrevista no Programa Roda Viva, Nelson Jobim deixou bem claro que não haveria contingenciamento nos Programas de Defesa considerados fundamentais. Existe uma portaria baixada pelo ex-ministro listando esses programas e que os mesmos devem ser alvo de relatórios mensais de andamento, a ser remetido ao Ministério da Defesa. Além do KC 390, estão listados o PROSUB, o EC-725, e outros.

Contigênciar, reter, a grana das parca e fragíl, e sucateadas defesas ?Parabéns por libera a grana do KC 390, se eu falar o q penso , c certeza vou ser preso, então, q fike só nisso. Sds.

1maluquinhosays:

Mas contigenciaram o que nunca deveria ser contigenciado em hipotese alguma MANUTENÇÃO OPERATIVA deixando o pais exposto.

Só faltava essa, reduzir verbas de um projeto fundamental para o Brasil!

Para mim ele devia ser inteiramente brasileiro, com tudo, nenhuma mizera peca de outros paises… mas tendo algumas delas, e bom, pois ai a transferemncia de tec fica muito mais dificil e isso e bom para nos… Nao gosto de saber que outros paises, tem tecnologias nossas… Mas quanto ao projeto para bens ao brasil,e nao devemos parar outros projetos como: Sub nuclear, Guarani, astros 2020, Fx2 que ainda nem comecou, mas… E devemos incentivar outros, como a pesquisa de nosso velho osorio…. Modernizalo e comecar a produzir novamente… E tambem ha varios projetos da engesa que deviam ser restaurados… Inclusive ela por 1 todo. Por exemplo outro projeto, que foi vendido ao iraque, EE T-4 OGUM :
FICHA TÉCNICA
Velocidade máxima: 75 Km/h.
Alcance Maximo: 360 Km.
Motor: BMW modelo M21D24WA-LLK, diesel de seis cilindros
Peso: 4.400 kg.
Comprimento: 3.75 m.
Largura: 2.14 m
Altura: 1.35 m.
Armamento: uma metralhadora 7,62mm ou .50 para o comandante do carro e quatro lançadores de granadas fumígenas, uma torreta com duas metralhadoras de 7,62mm e quatro lançadores de granadas fumígenas (projetado), um morteiro de 120mm, um canhão de 20mm, lançador de mísseis anticarro

modernizando essas maquinas de guerra e as evoluindo…. Com certeza nosso exercito estaria em boas maos…

Menos mal.

Como já tinha dito, o KC-390, o programa de misseis ar-ar/bombas inteligentes, mais o programa de Subs não podem sofrer cortes/contigenciamentos, sob pena de encarecer os projetos.

O FX-2 deveria ser priorizado, mas pelo visto, vão enrolar mais.

[]’s

Antônio Sallessays:

Ótima notícia afinal. Um projeto importante p nossa END.

Al Carvalhosays:

Não há como priorizar o FX – 2, logo de cara já descartaram aquele que todos sabiam que de longe era o melhor caça, em todos os quesitos, inclusive dissuassão a – o SU 35BM. O próprio comandante da FAB, por reiteradas vezes disse que qualquer caça servia. Tanto é verdade que depois de 10 ANOS, escolheram um caça que ainda nem mesmo existe – o Grippen NG. Como a Presidenta poderia considerar como prioridade o FX-2 ????

Mas contigenciaram o que nunca deveria ser contigenciado em hipotese alguma MANUTENÇÃO OPERATIVA deixando o pais exposto. (2)

Darth Sidioussays:

Depois falam mal desses políticos avezes eles até que trabalham mais não vamos nos inludir, por enquanto o programa continua imagine se parece ae iam corta verba até a proxima chamada como no caso do nosso submarino 30 anos parado so agora ressuscitou.

Esse avião vai terminar caindo nas mãos da AVIBRÁS, adeus EMBRAER.

Comments are closed.