Defesa & Geopolítica

Rapidinhas: Estados Unidos e a crise

Posted by
Foto: Plano Brasil gentileza e autoria Novobrazuk

Foto: Plano Brasil gentileza e autoria Novobrazuk

S&P rebaixa nota de crédito dos EUA para “AA+”

Os Estados Unidos perderam nesta sexta-feira sua nota máxima de crédito “AAA” concedida pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s, em um dramático revés sem precedentes para a maior economia do mundo.

A S&P rebaixou a nota de crédito dos EUA de longo prazo em um ponto, para “AA+”, devido às preocupações com o déficit orçamentário e o crescente endividamento do país. A medida pode elevar os custos de empréstimos, eventualmente, para o governo norte-americano, as empresas e os consumidores.

A perspectiva da nova classificação é negativa, afirmou a S&P em comunicado, um sinal de que outro rebaixamento da nota é possível nos próximos 12 a 18 meses.

Mais cedo nesta semana, a agência de classificação de risco Moody’s confirmou, por enquanto, a nota “Aaa” para os Estados Unidos. A Fitch Ratings, outra agência, afirmou que ainda está revendo sua nota e que divulgará uma decisão até o fim do mês.

Fonte: Reuters

China pede nova moeda de reserva mundial, condena dívida dos EUA

A China condenou neste sábado as “míopes” disputas políticas nos Estados unidos quanto aos problemas de dívida norte-americana e afirmou que o mundo precisa de uma nova moeda de reserva mundial estável.

“China, o maior credor da única superpotência do mundo, tem todo direito de exigir agora que os EUA discutam seus problemas de dívida e garantam a segurança dos ativos chineses em dólares”, informou a agência de notícias oficial da China.

“Supervisão internacional quanto à questão de dólares dos EUA deve ser introduzida e uma nova moeda de reserva mundial, estável e segura, pode também ser uma opção para evitar uma catástrofe causada por um único país”, acrescentou.

Fonte: Reuters

China enviou um sério aviso aos Estados Unidos

O Governo de Pequim diz que os Estados Unidos devem resolver de uma vez o problema da sua dívida estrutural.

Uma chamada de atenção importante, por vir de um dos principais tomadores da dívida norte-americana.

Numa nota governamental distribuida pela agência oficial, a China propôe a criação de uma moeda alternativa ao dolar, para o comércio internacional. Isto, para que o mundo não fique exposto a uma tragédia económica, provocada por um só país.

Pequim exige ainda da Reserva Federal uma garantia, para os ativos chineses em dólares.

Um analista chinês explica o que está em causa:

“O preço das obrigações norte-americanas entrou em queda. A China detém aproximadamente 1,1 triliões de dolares da dívida norte-americana e se perder um por cento no preço de cada uma, a China perderá onze bilhões dólares imediatamente”.

Foi a reação ao corte de notação da dívida norte-americana, pela Agência Standard & Poor’s.

Trata-se de uma atitude inédita. Os Estados Unidos, a maior economia do mundo, a receberem chamadas de atenção da potência emergente.

Resta agora saber se a China se fica pelo aviso, ou se tomará medidas concretas.

Fonte: EuroNews

EUA acusam agência de erro em cálculo que rebaixou nota

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos acusou nesta sexta-feira a agência de classificação de risco Standard and Poor’s de ter cometido um erro de US$ 2 trilhões em seus cálculos para rebaixar pela primeira vez na história a nota da dívida americana de AAA a AA+.

Em declarações publicadas na edição digital do jornal “The Wall Street Journal”, um porta-voz do Departamento do Tesouro assegura que “um julgamento errado por um erro de US$ 2 trilhões fala por si só“.

Em seu comunicado, a Standard and Poor’s indicou que “o rebaixamento foi decidido porque a consolidação fiscal estipulada pelo Congresso e a Administração fica aquém da necessária para estabilizar a dinâmica da dívida do governo a médio prazo“.

Desta forma, a agência cumpriu as advertências de rebaixamento da dívida dos EUA que emitira nas últimas semanas, durante as negociações no Congresso americano para elevar o teto da dívida e evitar a temida moratória.

Fonte: Voz da Rússia

Queda mundial das bolsas leva a especulação sobre razões da instabilidade

As bolsas de valores acabam de passar por uma semana de horror, com quedas alucinantes e perdas enormes. A razão está nas dívidas públicas e no medo da recessão, suscitando temores de que se anuncia uma nova crise.

Não importa se na Europa, nos EUA ou na Ásia, as bolsas de valores registraram no decorrer desta semana apenas uma tendência: a de queda. Muitas delas caíram a ponto de atingir seus valores mais baixos desde o início do ano.

Fonte: DW.WORLD.DE

Durão Barroso diz que não só “periferia da zona do euro” está ameaçada

O nervosismo dos mercados financeiros e a instabilidade cambial estão deixando as autoridades europeias nervosas.

Depois que a Irlanda, a Grécia e Portugal já receberam ajuda europeia, a situação da Itália e da Espanha vem sendo observada com muita cautela. Os dois países estão sendo pressionados pelo nervosismo dos mercados e precisam pagar juros recordes por seus títulos públicos. A razão é simples: cada vez mais investidores vendem os títulos destes dois países, o que leva os rendimentos dos mesmos às alturas. Isso dificulta futuros créditos para esses países.

Fonte: DW.WORLD.DE

Sinal dos tempos: banco americano cobra por depósitos

BNY Mellon começará a cobrar por alguns depósitos

Por LIZ RAPPAPORT

O Bank of New York Mellon Corp. se prepara para cobrar uma taxa para guardar o dinheiro de alguns grandes depositantes, o sinal mais recente das preocupações que assolam os mercados.

O maior banco de custódia dos Estados Unidos informou esta semana em nota aos clientes que a partir da próxima semana começará a cobrar uma taxa dos clientes que aumentaram muito seu saldo no mês passado.

O banco citou os vultosos depósitos em dólares que recebeu nas últimas semanas, agora que os investidores e as empresas fogem dos mercados financeiros, em meio à crise da dívida na Europa e ao recente debate sobre o endividamento do governo americano.

Fonte: WallStreetJournal

América do Sul busca medidas contra turbulência global


Por Marco Aquino e Caroline Stauffer

O Brasil e seus vizinhos buscavam na sexta-feira mecanismos conjuntos que lhes imunizassem contra as turbulências financeiras, enquanto crescem as preocupações de que piore a crise nos Estados Unidos e na Europa.

Embora suas perspectivas econômicas sejam bastante otimistas, a América Latina enfrenta volatilidade nos seus mercados financeiros, refletindo os problemas dos países desenvolvidos, e tem de lidar com uma onda de capitais financeiros sedentos por rendimentos, o que fez suas moedas se valorizarem além do que é considerado saudável.

“Os países (da região) têm de estar preparados para as consequências que podem ocorrer, temos de estar unidos para criar mecanismos de resposta a esta situação”, disse o ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, num encontro de ministros da Fazenda da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), em Lima.

Os ministros disseram que a região está bem preparada para resistir a uma eventual crise global. “A crise de confiança está no norte, não no sul”, disse o representante peruano, Luis Miguel Castilla.

Mesmo assim, a região busca medidas conjuntas, como a redução de barreiras comerciais entre os países e reformas financeiras de âmbito regional, segundo Castilla.

A maioria dos países sul-americanos está com suas reservas de dólares em níveis recordes, mas os ministros disseram que não descartam recorrer ao Fundo Latino-Americano de Reservas (Flar) e à Corporação Andina de Fomento (CAF) para financiar eventuais déficits na balança de pagamento.

Os ministros disseram que não anunciarão passos concretos antes da sexta-feira que vem, quando haverá uma reunião de presidentes de bancos centrais e ministros da Fazenda na Argentina.

“Estamos em mares muito agitados”, disse o ministro colombiano da Fazenda, Juan Carlos Echeverry, durante o encontro. “Esse é o momento para a América do Sul atuar em grupo, é necessário que tenhamos uma reflexão conjunta, para solidificar nossas economias frente a eventos difíceis.”

Vários países latino-americanos já aplicaram medidas para frear a valorização das suas moedas — desde compra de divisas até impostos sobre investimentos –, mas sem o resultado esperado.

De todos os países, o Brasil foi o que adotou as medidas mais agressivas.

Outros países, como Chile, Colômbia e Peru — os mais abertos da região ao mercado global — adotaram medidas mais ortodoxas, como a compra de dólares no mercado cambial, em alguns casos em níveis históricos.

Fonte: Reuters

13 Comments

  1. Gabriel Lima says:

    OS AMERICANOS NÃO GOSTAM DE ESTAR POR BAIXO DE JEITO NENHUM (VIRAM NAS OLIMPÍADAS DE PEQUIM QUE ELES DECIDIRAM COMPUTAR AS MEDALHAS LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO O NUMERO TOTAL DE MEDALHAS E NÃO A QUANTIDADE DE OURO DEPOIS PRATA E BRONZE).
    A VERDADE É ESSA OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO CAINDO PELO MENOS NA QUESTÃO ECONOMICA E A EUROPA TBM SO QUE A EUROPA AINDA TEM CHANCES DE SE SALVAR GRAÇAS A FRANCA ALEMANHA INGLATERRA E RUSSIA. NOVOS PAISES ESTÃO SURGINDO “BRASIL CHINA INDIA AFRICA DO SUL É UM DELES.
    FAÇO DO TROCADILHO DO BEZERRA DA SILVA MINHAS PALAVRAS
    ♪♫♪é COCA da boa não é… é COCA da boa… é COCA da boa não é… é COCA da boa…♪♫♪

  2. Leandro Mendes says:

    Bem feito pra esses chineses, se acham tão espertos f… com outros, agora vão pagar. Se os políticos brasileiros não fossem da pior qualidade possível seríamos a maior potência mundial.

  3. .
    .
    “Supervisão internacional quanto à questão de dólares dos EUA deve ser introduzida e uma nova moeda de reserva mundial, estável e segura, pode também ser uma opção para evitar uma catástrofe causada por um único país”, acrescentou.
    .
    .
    E tem gente que ainda não acredita que os USA começão a ser coisa do passado e os BRICS coisa do futuro!!
    .
    Longa vida aos BRICS e que o Brasil embarque nessa colaboração internacional de vez, e esperamos em tempos razoáveis uma integração maior entre estes países até de cunho militar.
    .
    Uma nova moeda global, estável e segura… Bye-Bye Dollar, e se o poder dessa moeda acaba, vai junto a hegemonia dos USA, e possivel que termina definitivamente, como os antigos impérios da época medieval que ninguém nem recorda o nome direito, pois eram tantos e muitos deles duraram até mais tempo no auge do poder do que os USA!!
    .
    O mundo é esse mesmo, impérios caem e impérios sobem… jamais existirão impérios eternos!!
    .
    Valeu!!

  4. Idolo de pés de barro, espero q saiam desta recessão, afinal, eles precisam comprar tbm dos outros…+ sem remontar seu poderio militar declinante. Mt bom.

  5. Alexandre says:

    Esse puxão da China tá doendo até agora na orelha do Tio Sam, estamos vendo a história acontecendo diante de nossos olhos, a decadência do último imperio e a ascenção do novo,não adianta choradeira pró americana, nem discursos que é ruim com os yanques ,pior com os chinas, a verdade é que já era , o Dragão começou a engulir o Titio Sam, o que virá de agora em diante só Deus sabe.

  6. Blue Eyes, Na Resistência says:

    “Pequim exige ainda da Reserva Federal uma garantia, para os ativos chineses em dólares.”… vão dar um calote de 2 tri em todo o mundo… quero ver agora quem vai lá cobrar o devedor armado até os dentes…rsrsrs… os ching lings tão p… da vida mas não vai adiantar… vão fazer o que? deixar de exportar para os EUA? quem mais vai sofrer são os chinas e nós também… o molusco investiu 300 bi em ativos yankes e agora vai tudo virar farinha… de rosca… pra combinar com o que vamos ganhar… grande politica economica externa o PT fez… se tivesse investido isso tudo em obras e infraestrutura aqui mesmo (o problema seria evitar os desvios da sua turma) estariamos melhor… saudações…

  7. HMS TIRELESS says:

    Como bem definiu um economista, os EUA consumiram em 10 anos o que levaria 30 anos para ser consumido. Uma hora a conta viria. Entretanto, preocupa a ascensão cada vez maior de um país ditatorial e imperialista como a China, que no Brasil possui o beneplácito do partido no poder.

  8. Cils Zayit says:

    O EUA, na verdade já estavam quebrados a muito tempo, levaram o tombo mas nunca quiseram perder a pose. Agora a China ta preocupada, azar deles. Quem mandou comprar mais de 1 trilhão em títulos podres, eles não podem reclamar, pois é pra lá que foram muitas das principais empresas estadunidenses, engordando o PIB chines. Os senhores dessas empresas, sujeitos multibilionários, frequentadores de wall street, estão se lixando para a queda do PIB de seu próprio país. E os Estados Unidos, continuaram e continuam gastando com as guerras e material militar. Agora parece que caiu a fixa, que para os EUA recuperarem sua economia e um PIB positivo, eles tem de resgatar suas empresas que estão dando emprego aos chineses e muito lucro aos senhores de wall street, para o território yanque novamente. Acho muito difícil isso acontecer, pois são esses senhores que dão as cartas do jogo.

  9. pe de cao says:

    daqui a pouco os gringos vao inventar mais uma guerrinha para salvar a sua economia é bom o brasil estar alerta ha e parabens ao celso amorim pelo cargo tao almejado,por tantos querreiros da patria e ve se compra logo os caças russos camarada

  10. edson says:

    Países espalhados pelo mundo inclusive os BRINCs
    financiaram durante anos as FORÇAS AMERICANAS que se comportam como PIRATAS a procura de tesouros. Justificam suas invasões baseados em mentiras e montagem de propagandas duvidosas, plantar a todo custo um modelo de democracia em nações com culturas totalmente alheia aos custumes capitalistas próprio das nações industralizdas,
    gastança por conta do divino que agora mandou a conta e irá cobrar tambem daqueles que financiaram, reclamar da sorte pouco tera resultado, na cultura de guerra dos yankes o valor inclui em primeiro lugar seus enteresses.A NOVA DESORDEM GLOBAL.Quem estar preparado para a guerra, o BRASIL? A nação amereicana age e se prepara
    estrategicamente de acordo com seus principios: Estão RICOS e ARMADOS até os dentes,anos a frente de seus adversários, não é a CHINA que irá dizer o que os YANQUES irão fazer.O DOLAR É DELES! Agora é vaselina e…

  11. .
    .
    “vão dar um calote de 2 tri em todo o mundo… quero ver agora quem vai lá cobrar o devedor armado até os dentes…rsrsrs…”
    .
    HAHA, Se vai dar o calote não sei, mas que é Perfeita a parte da cobrança é, é isso ai mesmo, desse jeitinho!! Ser armado até o limite é sempre um fator positivo, mas tem ONG por ai que quer um mundo cor-de-rosa irreal!
    .
    Que eu saiba o Brasil sempre investiu em dollares, até com os governos militares era assim, reserva era 90% em Dollar Yankee… mas ja entendi viu, tem é que malhar o PT né!! Continua, eu não sou filiado em nenhum partido mesmo!
    .
    A China possui o Beneplácito de praticamente todo o ocidente… e os USA são os primeiros a aceitarem e reconhecerem a ditadura chinesa com quem são os maiores parceiros comerciais!
    .
    valeu…???

  12. Blue Eyes, Na Resistência says:

    Não parece, caro Francoorp… vive se doendo pelos Petistas… algum caso de amor mau resolvido? Freud explica… saudações…

  13. Dandolo says:

    Há 4 ou 5 anos, eu sugeri uma proposta para os americanos para zerar a sua Dívida Externa:

    1) Entrar em moratória;
    2) Emitir dólar à vontade para pagar a sua Div Ext;
    3) Criar o Dólar Novo, que seria trocado para empresas americanas e seu povo, na proporção de 5 Dólares para 1 Dólar Novo;
    4) Trocar o Dólar com os outros países, pelo Dólar Novo, na proporção de 10 Dólares para 1 Dólar Novo;
    5) Depois de 1 ano, extinguir o Dólar, ficando apenas com o Dólar Novo.

    Quem manda China, Japão, Reino Unido e Brasil serem idiotas ?

    Os seus dólares irão virar pó.

shared on wplocker.com