Defesa & Geopolítica

Jobim deixa a Defesa e Celso Amorim assume a pasta. “O copo encheu”, diz líder do governo

Posted by

http://williamxavier.zip.net/images/celso_amorim.jpg

Jobim deixa a Defesa e Celso Amorim assume a pasta. “O copo encheu”, diz líder do governo

Jornal do BrasilAna Paula Siqueira

Publicidade

A saída de Nelson Jobim do Ministério da Defesa foi confirmada na noite desta quinta-feira após uma reunião entre ele e a presidente Dilma Rousseff. Jobim é o terceiro ministro a deixar o governo. O Chanceler Celso Amorim passa a ocupar a pasta.

A saída de Jobim é avaliada por aliados ao governo como natural, diante do posicionamento que ele adotou, de desferir comentários considerados, no mínimo, constrangedores para o Planalto durante uma entrevista concedida à revista Piaui. Já a oposição critica a saída do ministro. O senador Alvaro Dias disse hoje ao JB que Jobim foi punido por “dizer o que pensa”.

O líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), disse ao JB que Jobim vinha dando sinais de que queria deixar o governo e, agora, “o copo encheu”. O petista diz ainda que um dos motivos que gerou a divergência entre Jobim e Dilma foi a questão dos documentos sigilosos:

“Vinha nessa direção de descontentamento. Está colocado, ele divergiu do encaminhamento dos documentos sigilosos. Foi ali que se deu o contexto da divergência”, disse Teixeira.

Para o líder do governo, a saída de Jobim não afeta a relação com o PMDB:

“Não. Isso não vai afetar o PMDB. A cota dele (Jobim) era mais pessoal da presidenta”.

Teixeira nega que a presidente Dilma Rousseff tenha perdido o controle sobre aliados. E afirma que mudanças são naturais em qualquer governo.

Oposição

Já a oposição considera contraditória a saída de Jobim. O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), avalia que a entrevista concedida por Jobim à Piaui, ou mesmo a recente declaração de voto em José Serra para a Presidência, não justifica a demissão.

“Acho que a razão da saída é uma contradição para quem se diz democrata”, dispara Alvaro Dias. “A manifestação de opinião deve ser sempre respeitada. Quem diz o que pensa não pode ser punido. Ele se afasta do governo exteriorizando sua opinião”.

O senador se mostra preocupado com o fato de que a saída de Jobim possa mudar o foco da opinião pública, que vinha dando mais atenção a denúncias de irregularidades no governo.

“Isso não pode acontecer. Seria uma inversão de prioridades. A questão ética é fundamental. Não podemos ignorar o que está acontecendo. Os escândalos têm que ser investigados”, avalia Alvaro Dias.

De acordo com o tucano, o incidente com Jobim “passa a ideia de um governo inseguro e nervoso politicamente”.

Fonte: Jornal do Brasil


Eliane Cantanhêde: Jobim foi um bom ministro

“Jobim realmente foi um bom ministro. Ele estruturou o ministério da Defesa, criou a estratégia nacional de defesa e deixou todos os programas de reequipamento da Marinha, da Aeronáutica e do exército prontos”, analisa a colunista.

POLÊMICAS

Após constranger o governo declarando ter votado em José Serra nas eleições de 2010, o peemedebista afirmou à revista “Piauí”, cujos trechos foram antecipados pela colunista Mônica Bergamo na Folha, que Ideli “é muito fraquinha” e que Gleisi “sequer conhece Brasília”.

Jobim também causou constrangimento ao Planalto recentemente, na solenidade de homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Na ocasião, disse ser preciso tolerar a convivência com “idiotas”, que “escrevem para o esquecimento”. Ele explicou ter se referido a jornalistas, mas petistas entenderam como recado ao governo.

Fonte: Folha


shared on wplocker.com