Defesa & Geopolítica

Primeira Jornada de Trabalho de Defesa Cibernética

Posted by
Sugestão: Gérsio Mutti

O espaço cibernético está se tornando essencial para a Defesa e Segurança Nacionais. Ele abrange um grande número de áreas (capacitação, inteligência, pesquisa científica, arcabouço doutrinário, preparo e emprego operacional, proteção de seus próprios ativos, gestão de pessoal, capacidade de atuação em rede, interação com os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário e com instituições civis empresariais e acadêmicas), contendo elementos intra e inter-organizacionais, multidisciplinaridade, produtos e serviços tecnológicos diversos, métodos e processos gerenciais em todos os níveis, além de outros aspectos. Tal complexidade requer a criação de estruturas e processos flexíveis e com visão estratégica capazes de realizar, de forma eficaz, o que prescreve a Estratégia Nacional de Defesa (END).
A estruturação do Setor Cibernético no âmbito da Defesa situará a Instituição no roll das organizações, nacionais e internacionais, que tratam a segurança da informação e a capacidade de atuar em rede como recursos capazes de minimizar despesas, aumentar a produtividade e otimizar as: comunicações, conferindo confidencialidade, disponibilidade, integridade e autenticidade aos dados que trafegam em suas redes, que são processados e armazenados em seus ativos de infor mação.
Assim, as ações estratégicas de estruturação    do  Setor Cibernético,  no  âmbito  da Defesa ,  enquadram- se  na concepção geral da END, possuindo “visão de futuro”, o que se traduz por um esforço de longo prazo, com forte potencial para impactar, positivamente, as áreas científico-tecnológica e operacional.


PREMISSAS BÁSICAS PARA A COOPERAÇÃO

• Alinhar-se com a Estratégia Nacional de Defesa.
• Atender às necessidades presentes e futuras da Defesa Nacional.
• Visualizar as necessidades do Setor Cibernético no âmbito da Defesa.
• Adequar-se aos Programas em desenvolvimento pela SEPIN.
• Buscar a compatibilidade com os produtos dos Projetos de implantação do Setor Cibernético na
Defesa.
• Focar na capacitação de recursos humanos.
• Contemplar a multidisciplinaridade e a dualidade das aplicações.
• Contribuir para fomentar a indústria nacional de Defesa com duplo viés: aquisição de
conhecimento e geração de empregos.
• Contribuir para induzir a indústria nacional a produzir sistemas inovadores.
• Produzir componentes críticos nacionalmente.
• Contribuir para a defesa das infraestruturas críticas da Nação.
• Incrementar a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico no Setor Cibernético nacional.

O espaço cibernético está se tornando essencial para a Defesa e Segurança Nacionais. Ele abrange um grande número de áreas (capacitação, inteligência, pesquisa científica, arcabouço doutrinário, preparo e emprego operacional, proteção de seus próprios ativos, gestão de pessoal, capacidade de atuação em rede, interação com os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário e com instituições civis empresariais e acadêmicas), contendo elementos intra e inter-organizacionais, multidisciplinaridade, produtos e serviços tecnológicos diversos, métodos e processos gerenciais em todos os níveis, além de outros aspectos. Tal complexidade requer a criação de estruturas e processos flexíveis e com visão estratégica capazes de realizar, de forma eficaz, o que prescreve a Estratégia Nacional de Defesa (END).

Áreas de Aderência

  • Fomento à pesquisa científica nas seguintes áreas: desenvolvimento de software seguro, sistema de correlação de Log`s, processamento de alto desempenho e desenvolvimento de ferramentas de criptoanálise. Programa da Secretaria de Política de Informática (SEPIN). Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico das Indústrias de Eletrônica e de Semicondutores

Programa da Secretaria de Política de Informática (SEPIN) Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico das Indústrias de Eletrônica e de Semicondutores.

Objetivo: Promover atividades de P,D&I e de formação de recursos humanos associadas à demanda de inovações, especialmente tecnologias portadoras de futuro e aperfeiçoar a gestão dos incentivos fiscais para o setor, objetivando: (i) fomentar a instalação e o desenvolvimento no País de  empresas  que  exer çam  atividades  de  concepção, projeto, prototipagem, desenvolvimento e fabricação de componentes e dispositivos eletrônicos, em especial circuitos integrados, mostradores de informações (displays), sensores, dispositivos opto eletrônicos,  fotônicos,  orgânicos   e micro-eletromecânicos (MEMS), partes e componentes passivos e ativos, em especial, os utilizados na manufatura de equipamentos e sistemas eletrônicos e suas aplicações; (ii) recompor e fortalecer redes produtivas de equipamentos e sistemas de informação e comunicações competitivas nos mercados nacionais e internacionais; (iii) a nucleação e o desenvolvimento dos setores de engenharia de produto e processos nas empresas.

Público Alvo: Instituições de ensino e pesquisa (universidades e centros de pesquisa), Empresas públicas e privadas dos mais diversos setores industriais (tecnologia da informação, eletrônica, automação, entretenimento, energia, transporte, automobilístico.

Programa da Secretaria de Política de Informática (SEPIN)

Estímulo ao Setor de Software e Serviços

Objetivo: Elevar a competitividade e a capacidade produtiva do setor de software e serviços correlatos, para ampliar a participação das empresas nacionais nos mercados interno e externo, tornando o Bras il uma das referências no cenário internacional do setor.

Público Alvo: Instituições de ensino e pesquisa (universidades e centros de pesquisa), Empresas públicas e privadas dos mais diversos setores industriais (tecnologia da informação, eletrônica, automação, entretenimento, energia, transporte, automobilístico, saúde, agro-negócios, segurança, logística, serviços, dentre outros) e Administração pública – aplicações e uso de TI.

Áreas de Aderência

• Computação de alto desempenho.

• Sistema Modular para Defesa

Cibernética:

DEFESA   CIBERNÉTICA

Áreas de Aderência

• Simulador de Guerra Cibernética.

• Sistema Integrado de Proteção de Ameaças   a  Ambientes Computacionais.

• Certificação de soluções de TI.

• Análise de riscos.

• Análise de malware.

• Consciência situacional.

• Gestão do conhecimento e apoio à tomada de decisão.

• Restabelecimento de negócios.

• Defesa ativa.

Programa da Secretaria de Política de Informática (SEPIN)

Tecnologia Digitais de Comunicação, Mídias e Redes

Objetivo: Dar competitividade e autonomia tecnológica à indústria brasileira de comunicação, mídias digitais e redes, incluindo os setores de telecomunicações, de comunicação sem fio e de tecnologias de banda larga, entre outros, possibilitando ampliar sua participação nos mercados interno e externo, contribuindo para reduzir o correspondente  déficitda balança comercial e os custos dos programas de inclusão digital.

Consolidar a capacitação tecnológica do País para a implementação, o desenvolvimento e as inovações de técnicas digitais para os sistemas de comunicação de massa, em particular a TV digital aberta e o rádio digital.

Gerar produtos, serviços e aplicações-piloto para suporte ao acesso e ao uso eficaz  das  facilidades

oferecidas pelas redes de computadores, em particular no trabalho em redes cooperativas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

Público Alvo:Instituições de ensino e pesquisa (universidades e centros de pesquisa), Empresas públicas e privadas do setor de tecnologia da informação e comunicação e Administração pública

CALENDÁRIO   DE   ATIVIDADES


DATA/HORA ATIVIDADE TEMPO RESPONSÁVEL LOCAL

28/1010 Apresentação da SEPIN 50 min SEPIN Auditório DCT

28/1100 Apresentação da Defesa 50 min EB Auditório DCT

28/1200 Almoço 60 min EB QGEx

28/1330 e 29/0900 Grupos Temáticos* 200 min Facilitador A ser definido

29/1000 Apresentação do Relatório 100 min A ser definido Auditório DCT


* Grupos Temáticos:

• Capacitação.

• Soluções em hardware.

• Soluções em software.

• Projetos transversais.

Fonte: Exército Brasileiro

One Comment

  1. 1maluquinho says:

    Ainda existe um vasto oceano e depois um arduo deserto a frente e buscarmos aprendizados com Americanos como estão fazendo é pura perda de tempo e nem tampouco são confiaveis.Os Chineses estão bem na frente neste segmento.Com eles aprenderiamos mais e progrediriamos mais rapido.Ling Ling sabe tudo,sabedoria milenar.Ling Ling come miojo de palito e faz sorvete sem usar geladeira.

shared on wplocker.com