Defesa & Geopolítica

Inpe exporta tecnologia de monitoramento

Posted by

http://ambientalsustentavel.org/wp-content/uploads/2011/07/aperto-de-m%C3%A3os.jpgCom apoio da tecnologia brasileira, Congo avança no monitoramento de florestas para REDD.

A República Democrática do Congo adotou a tecnologia brasileira de monitoramento desenvolvida pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que oferece seu sistema baseado em satélites a países interessados em cuidar de suas florestas. O objetivo é utilizar os resultados do monitoramento na implantação de políticas nacionais para REDD – Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação em Países em Desenvolvimento.

O país africano é o segundo no mundo com maior cobertura de florestas tropicais. Em primeiro está o Brasil, que possui em seu território grande parte da Amazônia, a maior floresta tropical do planeta.

O sistema operacional para monitoramento de florestas do Congo deve ser lançado durante a COP 17, na África do Sul. O sucesso de políticas relacionadas a REDD depende da capacidade dos países em medir e comprovar a veracidade de suas informações sobre florestas, algo que o Brasil, através do Inpe, realiza há vários anos.

O Inpe oferece a capacitação técnica necessária ao monitoramento para REDD por meio de parceria com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Os cursos são realizados em Belém, onde o Inpe instalou um verdadeiro centro internacional de difusão de tecnologia de monitoramento por satélite de florestas tropicais. Lá, técnicos estrangeiros aprendem a utilizar o TerraAmazon, o sistema desenvolvido pelo Instituto para seus programas de monitoramento, como PRODES e DETER.

“A República Democrática do Congo é o primeiro a adotar nosso sistema operacional, entre os países que foram capacitados a utilizar esta tecnologia. Estamos capacitando técnicos de várias partes do mundo e estão previstos mais cursos para a Bacia do Congo, além da América Latina e Ásia, de maneira que todos os principais países com florestas tropicais possam ser capacitados”, conta Cláudio Almeida, chefe do Centro Regional da Amazônia (CRA) do Instituto, o Inpe Amazônia.

Em setembro, uma nova equipe da República Democrática do Congo virá para mais um treinamento em Belém, do qual também devem participar técnicos de Papua Nova Guiné e Vietnã.

Fonte: JornaldaCiência

2 Comments

  1. 1maluquinho says:

    Ver os frutos da tecnologia adiquirida com o SIPAM-SIVAM dando frutos diversificados em nossas industrias e centros tecnicos é excelente.Compra de tecnologia que se faz na integra rende aperfeiçoamento e inovações em quem precisa desenvolver-se pulando etapas para acompanhar o ritimo dos mais a frente.É so abrir o cofre que entregam ate as almas.

  2. Estamos exportando e temos queimadas aos montes , pô mô contradição.Ainda assim parabéns,espero q melhore esse controles em tudo , com o lançamento dos satélites geo-estacionários, e de preferência c o n VLS Brasuca…p ontem.

shared on wplocker.com