Defesa & Geopolítica

12 de junho – Dia da Rússia

Posted by

konner

Plano Brasil


http://www.planobrasil.com/wp-content/uploads/2011/02/Logo-Diario-da-Russia-original-grande-300x55.jpgJunho de 1990

O parlamento da República Russa, por 907 votos contra 13 e 9 abstinências, aprovou a supremacia das leis locais sobre a legislação em vigor na União Soviética. Essa declaração de soberania representou a opção pelo confronto com o governo central, e foi um dos maiores desafios enfrentados pelo então presidente da URSS, Mikahil Gorbachev.

Recém-eleito presidente da República Russa Boris Yeltsin

O apoio esmagador à declaração de soberania foi uma vitória para o então recém-eleito presidente da República Russa Boris Yeltsin, rival de Gorbachev e crítico do programa de reformas políticas e econômicas adotadas pelo dirigente do Kremlin. Em fevereiro do mesmo ano, uma nova legislação partidária permitiu a organização de partidos políticos na Rússia, pondo fim à hegemonia do Partido Comunista que vigorava desde a Revolução de 1917.

“O dia 12 de junho será o dia da independência da Rússia, comentou Yeltsin, que fora eleito presidente do Soviete Supremo três meses antes, e adepto da aceleração das reformas do regime. Yeltsin havia sido prefeito de Moscou e era figura influente do Partido Comunista.
A declaração de soberania acabou por esvaziar a autoridade de Gorbachev.

Esse foi o primeiro passo para a desintegração da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, uma vez que estimulava a autonomia das demais repúblicas, principalmente das repúblicas bálticas da Letônia, Estônia e Lituânia. A partir daí grupos nacionalistas e movimentos separatistas intensificaram a atuação em outras repúblicas da URSS, e as explosões de violência étnica se tornaram cada vez mais frequentes.

A URSS se negou a intervir nos movimentos políticos do Leste Europeu, os quais colocaram fim nos governos comunistas da Polônia, Hungria e Tchecoslováquia, e culminaram com a reunificação da Alemanha. O Comecon e o Pacto de Varsóvia, respectivamente tratado de cooperação e de defesa militar, foram dissolvidos.

Então presidente da URSS – Mikahil Gorbachev

Renúncia de Gorbachev
Em agosto de 1991 a ala ortodoxa comunista ensaiou um golpe de estado e tentou reinstaurar o controle centralizado na União Soviética, mas Boris Yeltsin conseguiu deter o golpe.
Para evitar o caos o Congresso dos Deputados do Povo concordou em estabelecer um governo provisório, liderado por Gorbachev e composto pelos presidentes das repúblicas soviéticas.

Em 21 de dezembro de 1991, a URSS deixou formalmente de existir. Onze das 12 repúblicas ligadas à URSS concordaram em criar a Comunidade dos Estados Independentes (CEI). Gorbachev renunciou em 25 de dezembro e no dia seguinte o Parlamento soviético proclamou a dissolução da URSS.


Artigo escrito pelo Cônsul-Geral da Rússia no Rio de Janeiro, Andrei Budaev, sobre a importância da data que comemora a soberania de seu país.

No dia 12 de junho é comemorado o Dia da Rússia. Nesse dia, 21 anos atrás, no Kremlin, foi aprovada a Declaração sobre a Soberania do Estado, que significou, numa série de acontecimentos políticos turbulentos daqueles anos, um importante passo em direção à formação subsequente em nosso país de uma nova sociedade civil democrática, baseada nos princípios da economia de mercado socialmente orientada.

Este é um dos mais novos feriados nacionais do nosso país. Ele simboliza a soberania da Rússia de mil anos: basta mencionar a Rússia de Kiev, a Rússia de Moscou, o Império Russo e a União Soviética, que se tornaram marcos da época no desenvolvimento da nova Rússia democrática de hoje. Nós respeitamos o nosso glorioso passado e construímos o nosso futuro independente.

É importante que essa festa reúna pessoas de diferentes gerações, diferentes culturas nacionais e crenças diferentes, todos os cidadãos da Rússia e a nossa diáspora no estrangeiro.

Ao longo de sua História o nosso país tem feito sua contribuição, reconhecida por todo o mundo, para o desenvolvimento da cultura, da ciência e da arte globais. Todos conhecem os tesouros do Hermitage, em São Petersburgo, da Galeria Tretyakov e do Museu Pushkin, em Moscou, as descobertas dos cientistas russos Lomonosov, Mendeleev, Popov, Landau, Kurtchatov, Kapitsa, Korolev e muitos outros. Recentemente, celebramos o 50.º aniversário do primeiro voo em órbita da Terra, realizado pelo cosmonauta soviético Yuri Gagarin.

Os anos passados não foram fáceis. Nosso país e nosso povo em diferentes estágios de desenvolvimento enfrentaram diversas dificuldades e desafios, mas sempre saíram vitoriosos. Nós temos conseguido uma experiência difícil, mas de valor inestimável. No nosso grande país há muitas pessoas trabalhadoras, responsáveis, talentosas. E isso é motivo para otimismo.

O presidente da Federação da Rússia, Dmitri Medvedev, muitas vezes notou que “nos últimos anos foi criada uma base sólida para o avanço firme e confiante. E agora a nossa missão é converter o sucesso econômico em programas sociais, melhorando a qualidade de vida das pessoas, o seu nível de educação, saúde, crescimento intelectual e criativo de cada cidadão da Rússia”.

Nesse caminho, os passos mais importantes, como disse o presidente, devem ser apoiar as pequenas empresas e combater a corrupção e os obstáculos administrativos excessivos. E, claro, o trabalho prioritário continua a ser o desenvolvimento da ciência, da educação e da cultura nacionais.

Para chegar a esse objetivo verdadeiramente gigantesco, um papel importante tem que ser desempenhado pela estratégia de desenvolvimento da Rússia até 2020.

A justeza do rumo escolhido é confirmada pelos sucessos do nosso país em superar a crise financeira e econômica global e pelo progresso no caminho das transformações socioeconômicas. Em 2010, o PIB cresceu 4,7%; as reservas de divisas e ouro alcançaram quase 480 bilhões de dólares; as exportações, mais de 400 bilhões de dólares; as importações, cerca de 249 milhões de dólares. E a inflação foi 8,8%.

A política internacional da Rússia é chamada a fornecer condições externas favoráveis para o desenvolvimento interno do país. Seus princípios básicos foram e continuam a ser: transparência, previsibilidade, pragmatismo, defesa consistente dos interesses nacionais sem deslizar para o confrontação, cooperação construtiva em base bilateral e multilateral com todos os países interessados. Neste aspecto, uma ênfase especial é dada à cooperação com os nossos parceiros estratégicos, incluindo o Brasil, tendo em conta o formato dos BRICS. A maior prioridade de segurança nacional é proteger os interesses do indivíduo, da sociedade e do Estado.

Nos próximos meses, na vida política da Rússia haverá eventos importantes: em dezembro deste ano, as eleições dos deputados do Parlamento russo, a Duma Estatal; em março de 2012, as eleições do presidente da Federação da Rússia. A realização dessas campanhas eleitorais vai garantir a estabilidade, a continuidade e o desenvolvimento progressivo da Federação da Rússia nos próximos anos.

O Dia da Rússia é uma celebração para cada cidadão russo, para os nossos compatriotas no estrangeiro, para todos aqueles que entendem que o sucesso global do país depende também de sua atitude e esforço pessoal.

Mais uma vez quero felicitar a todos pelo Dia da Rússia! Parabéns por motivo dessa festa que simboliza a estreita ligação entre o nosso passado, o presente e o futuro.

[Este artigo é de autoria do Cônsul Geral da Federação da Rússia no Rio de Janeiro, Andrei Budaev]

Fonte:  Diário da Rússia

10 Comments

shared on wplocker.com