Defesa & Geopolítica

Eurofighter detalha a sua proposta do Typhoon naval para Índia

Posted by
A versão naval do Eurofighter Typhoon foi apresentada oficialmente no Aero India 2011. (Foto: Eurofighter)

Durante o Aero India 2011, o consórcio Eurofighter apresentou uma proposta de versão naval do seu caça Typhoon. Análises e estudos técnicos conduzidos pelo Consórcio Eurofighter indicaram a possibilidade de emprego do caça em uma configuração embarcada. Agora o grupo europeu divulga novas informações, com características e um corte esquemático do novo modelo embarcado. Veja a seguir as novas informações divulgadas pela Eurofighter.


O caça Eurofighter Typhoon naval está sendo oferecido para Marinha da Índia, que deverá adquirir novos caças para seu novo porta-aviões. (Foto: Eurofighter)

Esses estudos incluiram a assessoria para mudanças de projetos do design exigidos para nova versão, simulações pilotadas para definir as qualidades de manejo, e discussões com fornecedores chaves.

Corte esquemático da versão naval do Eurofighter Typhoon. (Clique na imagem para ver em tamanho maior)

O elemento mais importante do Typhoon navalizado é que sua excepcional razão peso-potência permite que a aeronave possa decolar do porta-aviões sem utilização de capapulta, precisando somente uma simples e mais barata adaptação para uma rampa “ski-jump”. Simulações detalhadas mostraram que a aeronave poderia decolar e pousar desse modo com carga completa de armas e combustível – oferecendo uma realmente potente e flexível capacidade de aviação naval.

O projeto básico do Typhoon ajuda a minimizar as modificações necessárias que permitem que as operações navais possam ser conduzidas pelo Typhoon. A estrutura da aeronave é excepcionalmente forte, tendo sido projetada desde o começo para suportar altíssimas cargas dinâmicas associadas com manobras de combates extremas. As modificações exigidas são limitadas e incluem um novo e reforçado trem de pouso, um modificado gancho de parada e um reforço localizado numa parte da seção da fuselagem próxima ao trem de pouso, bem como melhorias nos motores EJ200.

Características técnicas da versão naval do Eurofighter. (clique na imagem para um tamanho maior)

Dentre as modificações dos motores, para reduzir as velocidades de aproximação da aeronave e resultar em cargas de pouso adequadas, o estudo previu a introdução de motores com empuxo vetorado nos exaustores dos motores EJ200. Os motores novos com empuxo vetorado (que já foram testados em fábrica na unidade da Eurojet) poderiam ser totalmente integrados ao Sistema de Controle de Voo (FCS) do Typhoon, permitindo que o piloto possa ficar focado no trajeto de aproximação enquanto o FCS gerencia a posição do escape do motor. A habilidade de mudar o ângulo do empuxo dos motores permitirá adicionais avanços na já excepcional manobrabilidade do Typhoon, melhorando o desempenho em velocidades de supercruzeiro, diminuindo o consumo de combustível e permitindo as cargas de armas assimétricas.

Um dos motivos chaves em desenvolver a versão naval do Typhoon é de sua comunalidade de cerca de 95% com a versão original. As mudanças de projeto foram minimizadas, permitindo que a maior parte das peças sobressalentes e equipamentos de testes possam ser compartilhadas pelas frotas de aeronaves da marinha e força aérea. Os sensores, sistemas e armas disponíveis para ambas versões será comum, permitindo a redução de exigências de treinamento para os pilotos e equipes de terra. E acima de tudo, as duas variantes se beneficiarão de um caminho de modernização comum – novas capacidades estarão disponíveis tanto para a força aérea como para marinha no mesmo momento.

Não é um requisito do programa MMRCA que o avião tenha capacidade naval. Mas como a Marinha Indiana abrirá uma competição para seu futuro porta-aviões a possibilidadede ser o mesmo caça da Força Aérea acabaria gerando frutos postivos na competição, podendo a versão naval entregar comunalidade, sem comprometer a capacidade.

Fonte: Cavok

4 Comments

shared on wplocker.com