Defesa & Geopolítica

Embraer: Defesa e segurança, objetivos ampliados

Posted by

http://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/kc390_planobrasil_juniopinheiro.png

A criação da nova unidade empresarial de defesa e segurança reafirma a vocação da Embraer de atender aos anseios da sociedade brasileira

Luiz Carlos Aguiar

As recentes descobertas de novas riquezas, a necessidade de maior proteção das fronteiras e o atendimento às regras de segurança necessárias à realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos vêm aumentando a importância de se dominar a fabricação de produtos e sistemas de defesa e segurança pela indústria nacional.

Atualmente, os urgentes investimentos em infraestrutura lideram o rol de prioridades na agenda econômica. A defesa e a segurança passam, nesse contexto, a ser vistas como parte integrante da agenda de desenvolvimento do país, em que a estratégia nacional de defesa transformou-se na peça central.

Os pilares dessa estratégia passam pelo desenvolvimento da indústria brasileira de defesa e das capacitações operacionais, tais como: monitoramento e controle, mobilidade e presença.

Alguns produtos e sistemas são cruciais para que se cumpram tais objetivos, como aviões de transporte, que poderão se deslocar rapidamente com tropas e ajuda humanitária; sistemas de monitoramento que envolvem comunicação, equipamentos, radares e sensores; e os veículos aéreos não tripulados (Vant), cujas finalidades variam desde inteligência de defesa militar e vigilância até aplicações civis.

Vimos nos países desenvolvidos o surgimento de empresas globais, que começaram atuando em suas nações de origem para depois exportarem seus produtos, tornando-se grandes provedores globais de soluções de defesa e segurança.

É o caso da Boeing nos EUA, da Eads e da Finmeccanica na Europa.

Todas empresas privadas com ações em Bolsas de Valores e que, portanto, assim como a Embraer, devem seguir rígidos padrões de governança corporativa.

No Brasil, por conta da crise que se abateu sobre as finanças públicas e da pouca relevância dada à defesa nacional, os investimentos foram reduzidos ao patamar de 5,4% do orçamento de defesa.

Somente após a implantação de uma visão de longo prazo, ancorada na estratégia nacional de defesa, os investimentos públicos no setor aumentaram para cerca de 12,7% do orçamento de defesa em 2010.

A despeito disso, a Embraer vem desenvolvendo aeronaves e sistemas de defesa visando atender às necessidades crescentes das nossas Forças; graças à sólida parceria com a Força Aérea Brasileira, foi possível exportar para cerca de 30 países aeronaves de defesa.

A criação da nova unidade empresarial de defesa e segurança reafirma a vocação da Embraer de atender aos anseios e necessidades da sociedade brasileira e de uma política de Estado voltada para defender nossas riquezas e fronteiras.

No lado empresarial, a Embraer poderá utilizar sua experiência em gestão de projetos complexos, que exigem forte capacidade em integração de sistemas e parceiros, para entregar, a custos competitivos, os sistemas demandados pelo país.

Pode-se ainda explorar a expertise da sua equipe financeira para elaborar estruturas que possibilitem a mitigação do impacto orçamentário: como exemplo, a parceria público-privada.

Com a criação da Embraer Defesa e Segurança, a sociedade brasileira contará com plataforma de gestão privada de tecnologia, disposta a apoiar o Estado na montagem de uma infraestrutura a custos competitivos e que garantirá o poder de dissuasão, característico das nossas relações externas e do jeito de ser de todos nós, brasileiros.

Fonte: FSP via NOTIMP

11 Comments

shared on wplocker.com