Defesa & Geopolítica

Dilma suspende escolha de caças da FAB

Posted by

http://pbrasil.files.wordpress.com/2010/07/polvo-paul-plano-brasil23.png

Sugestão: Nick

Leia Também

FX2: Opinião

O País

Depois de o ex-presidente Lula ter manifestado total preferência pelos franceses Rafale, a presidente Dilma suspendeu o processo de escolha dos caças da FAB. Outros fabricantes, como os russos, também poderão participar.

Dilma decide suspender escolha de caças da FAB

Presidente resolve ampliar número de concorrentes; processo já estava em fase final e predileção era por franceses

Jailton de Carvalho e Geralda Doca

BRASÍLIA. A presidente Dilma Rousseff decidiu suspender o processo de escolha dos aviões de combate da Força Aérea Brasileira (FAB), que já estava em fase final, e abrir uma nova disputa. A presidente resolveu também ampliar o leque de concorrentes. Até agora, só três empresas disputavam a preferência da FAB: a francesa Dassault, com os caças Rafale; a americana Boeing, com os F18 Super Hornet; e a sueca Saab, com os Gripen NG. Essas propostas continuam na mesa, mas, agora, outros fabricantes também poderão participar da concorrência, como os russos que haviam sido desclassificados na disputa anterior.

Pressão internacional influenciou revisão

A presidente Dilma decidiu rever o processo de compra dos caças diante da forte pressão internacional. Fabricantes de vários países manifestaram interesse em vender aviões para a FAB, um negócio de bilhões de dólares, que pode ter forte impacto no desenvolvimento tecnológico do setor no Brasil. Há uma semana, o senador norte-americano John Mc- Cain, do Partido Republicano, teve uma reunião com a presidente para pedir que o governo brasileiro acolha a oferta apresentada pela Boeing na primeira etapa do processo de compra.

Até deixar o governo, o expresidente Luiz Inácio Lula da Silva dava sinais de que preferia os caças franceses. Isto porque a Rafale incluiu no pacote de venda a promessa de transferir toda a tecnologia de produção dos aviões. Ao lon-go das análises técnicas dos caças, as empresas que participavam da disputa desde o início decidiram melhorar as ofertas. Em sua passagem pelo Brasil, McCain reafirmou o compromisso da Boeing de transferir tecnologia para o Brasil, da mesma forma que fez a Dassault.

— Isso (novo processo de escolha) já era esperado. Ela (a presidente) quer um estudo minucioso do que cada empresa está oferecendo. São relatórios complexos, uma decisão difícil, e é natural que ela queira mais informações para decidir com mais segurança — disse um oficial da Aeronáutica.

Teria pesado na decisão da presidente também as restrições orçamentárias. Com os cortes no Orçamento sugerido pela equipe econômica, o governo terá que eliminar despesas em quase todas as áreas. Com o adiamento da escolha, o governo ganha fôlego para reorganizar as finanças e, no futuro, bancar as elevadas despesas previstas numa compra dessa natureza. O processo de escolha dos caças vem se arrastando desde o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Em 2009, o ex-presidente Lula recebeu o presidente francês Nicolas Sarkozy e até manifestou simpatia pela proposta francesa. Mas, em dezembro passado, quando o negócio parecia próximo de um desfecho, Lula disse que deixaria a decisão final para sua sucessora. No início deste mês, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou a dizer que os estudos técnicos seriam mantidos e que o governo bateria o martelo em torno da questão ainda neste semestre.

Fonte: Ministériodas Relações Exteriores

Nota do blog


E lá vamos nós…

“outros participantes”?

Estamos falando do consórcio Eurofighter, a Lokheed Martin e da Sukhoi  desclassificados anterioremente?

A proposta da Sukhoi seria aquela que disseram que nunca havia morrido e que estava na gaveta do comandante da FAB?

A Lokheed vai poder então desengavetar o F 35 ?

Novos requisitos, novos estudos, novos relatórios?

Quais prazos? mais 2 anos para avaiação e 2 para escrever um novo relatório?

De qualquer modo isto significa mais tampão e mais uma vez o enrolo e crença de que de fato será feito alguma coisa, mais conversa para inglês ver?

Como Polvo Paul havia previsto a FAB vai mesmo é de F 5 independentemente do tampão que venha ai.

Infelizmente não dá para acreditar que agora, é de verdade, que agora vai, que agora estão mesmo preocupados com o assunto, que agora darão fim a esta lasimável novela do F XATO…

Agora o que mais preocupa é a confirmação desta notícia que segue

E.M.Pinto

Compra de caças deixa de ser prioridade do Planalto

A presidente Dilma Rousseff retirou da lista de prioridades do governo a compra de caças para a renovação da frota da Força Aérea Brasileira (FAB). De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, Dilma já falou com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, a respeito do assunto e o advertiu de que vai analisar melhor todas as propostas e ofertas.

A escolha de novos caças para substituir a frota atual da FAB, que especialistas classificam de obsoleta, vem se arrastando desde o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que, no último ano de seu mandato, em 2002, decidiu deixar a decisão sobre a compra para o ex-presidente Lula, seu sucessor.

Inicialmente, Lula cancelou o projeto, então conhecido como F-X, mas em maio de 2008 foi criado o projeto F-X2 e, em novembro do mesmo ano, selecionados como finalistas o caça francês Rafale, o Gripen NG, da sueca Saab, e o F-18 Super Hornet, fabricado pela americana Boeing.

Ao assumir o cargo, Dilma decidiu adiar a escolha do fornecedor de jatos de combate e reiniciar “do zero” o processo de avaliação das aeronaves. A presidente não teria preferência por nenhum dos fornecedores – ao contrário de seu antecessor, que declarou abertamente preferir os caças franceses. O Rafale é apontado por especialistas como a opção mais cara entre os três concorrentes. A renovação da frota da FAB é um negócio avaliado em 5 bilhões de euros.

“Não vamos começar da estaca zero porque senão seria começar o processo todo de novo e não é isso”, afirmou na segunda-feira o ministro Jobim. Segundo ele, a intenção é tomar uma decisão sobre esse tema em seis meses. Todo o processo elaborado durante o governo Lula considerava o modelo francês Rafale o preferido pelo Brasil.

Segundo o jornal, Dilma já tem em mãos o relatório preparado pelo Ministério da Defesa que aponta o Rafale como o único modelo capaz de seguir efetivamente as regras estabelecidas pela Estratégia Nacional de Defesa. A prioridade é a transferência de tecnologia. A presidente, porém, não teve tempo de se debruçar sobre o assunto porque outros problemas, como a tragédia das chuvas no Rio de Janeiro, atropelaram sua agenda.

Fonte Veja via Defessa@net


shared on wplocker.com