Defesa & Geopolítica

Nova ponte militar para enchentes foi exibida no Desfile de 7 de setembro

Posted by

Brasília, 07/09/2010 – A mais moderna ponte do mundo para uso em campanhas militares, ou em catástrofes, foi montada e exposta no gramado da Esplanada dos Ministérios, durante o desfile Cívico-Militar de 7 de Setembro. O equipamento, inglês, denominado “Logistic Support Bridge” (LSB), do tipo painel, é o primeiro de oito adquiridos pelo Exército, e ficarão espalhados em pontos estratégicos do Brasil, para atender rapidamente emergências em qualquer estrada brasileira importante.

Os caminhões que auxiliam no transporte das pontes e os tratores que realizam os trabalhos prévios de engenharia que precedem sua instalação também fizeram parte do desfile, com a 23ª Companhia de Engenharia de Combate. “Estamos comemorando aqui no desfile a aquisição dessas pontes pelo Exército”, vibrou o Assessor do Departamento de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro, Júlio César de Arruda.

As outras sete pontes chegarão ao Brasil até novembro deste ano. “Esse tipo de ponte é de última geração, a mais moderna, já foi utilizada pelo Exército dos Estados Unidos, no Iraque, e pelas Forças da OTAN. É uma ponte de linha”, explicou o Coronel Arruda.

Com um comprimento de 60 metros e capacidade para suportar 80 toneladas, a aquisição faz parte do esforço nacional para o reequipamento e a modernização do Exército Brasileiro. A finalidade é promover uma ajuda mais rápida à população atingida pelas fortes chuvas e, assim, restabelecer o tráfego nas rodovias em casos de calamidades, a exemplo do ocorrido na região Nordeste, no mês de junho deste ano.

Foram pagas pelo Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), num claro exemplo de parceria civil-militar, pois atende aos dois objetivos. “Por incrível que pareça essa ponte é como um brinquedo de armar. Ela vai sendo montada e empurrada. Imagine agora um rio, você monta e vai empurrando até ela chegar a outra margem”, explica o Coronel.

De acordo o Coronel Arruda, as pontes serão estrategicamente posicionadas no território nacional. Os locais serão: Cachoeira do Sul (RS), Porto União (SC) Rio de Janeiro (RJ), Ipameri (GO), Porto Velho (RO), Natal (RN), Teresina (PI), Aquidauana (MS). “Elas foram espalhadas estrategicamente nessas oito localidades do Brasil, no norte, sul, centro oeste e no leste. Posicionadas dessa forma exatamente para diminuir o tempo de montagem. O tempo que leva é apenas de carregar, chegar ao local e montar”. Cada ponte pesa 170 toneladas e é montada em dois a três dias. O transporte é feito em cerca de quatro carretas tipo bi-trens.

Hoje, o Exército Brasileiro tem estrutura para montar as oito pontes simultaneamente. Anteriormente a essa, o Exército utilizava a ponte Compact 200, adquirida em 1997. Uma equipagem similar a LSB, no entanto, com metade da capacidade. A compact 200 foi usada em 2009, quando as fortes chuvas atingiram o Maranhão. O Exército levou 10 dias para chegar com a ponte no Maranhão, que estava no Sul do país. “A decisão foi comprar as oito pontes justamente para espalhá-las estrategicamente e diminuir o tempo de montagem, para rapidamente o tráfego ser restabelecido”, afirmou.

O investimento do DNIT foi de R$ 60,4 milhões, incluindo as oito pontes, os equipamentos necessários para a montagem (guindaste, trator e carregadeira), os galpões para guardá-las e o treinamento do pessoal para a montagem. Segundo o Coronel Arruda, é necessário um pelotão completo, formado por cerca de 40 homens, para a montagem de uma ponte.

A expectativa do Exército Brasileiro, agora, segundo o Coronel Arruda, é adquirir um equipamento que alcance além dos 60 metros de cumprimento. “A solução são as pontes flutuantes. O que o Exército quer agora é adquirir esse tipo de ponte”, afirmou.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que prestigiaram o desfile, já haviam conhecido a ponte, durante a comemoração do Dia do Soldado, no Quartel-General do Exército, em agosto deste ano. Na ocasião, um segmento foi montado pela primeira vez no Brasil. No desfile, no entanto, a montagem foi completa.

Texto: Roberta Belyse
Fotos: Élio Sales e Tereza Sobreira
Assessoria de Comunicação Social
Ministério da Defesa

Fonte: Ministério da Defesa


13 Comments

shared on wplocker.com