Defesa & Geopolítica

Amorim defende redução de arsenais

Posted by

http://oglobo.globo.com/fotos/2009/05/15/15_MHG_pais_celso-amorim5568.jpg

Para chanceler, desarmamento é precondição para não-proliferação

Denise Chrispim Marin

Em clara antecipação da posição do Brasil em dois importantes eventos internacionais sobre a área nuclear, o chanceler celso amorim declarou ontem que somente a redução dos arsenais existentes poderá impedir a disseminação de tecnologia atômica para fins militares. “A verdadeira não-proliferação só ocorrerá quando houver desarmamento”, receitou amorim ao deixar um seminário que debateu temas internacionais durante o 4º Congresso do PT.Sobre o caso iraniano, principal tema de proliferação nuclear da agenda internacional, amorim foi taxativo: “Não queremos que o Irã tenha – ou que desperte o temor de que tem – armas nucleares.”

O chanceler deixou claro que o Brasil argumentará em favor de um compromisso mais efetivo sobre a eliminação de armamento na Cúpula Global sobre Segurança Nuclear, que se dará em Washington entre os dias 12 e 13 de abril, e a Conferência de Revisão do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), de 3 a 28 de maio, na ONU.

Para amorim, trata-se de uma “base adequada” para a solução do atual impasse. EUA, França e Grã-Bretanha tentam fazer com que o Conselho de Segurança da ONU aplique novas sanções ao Irã, mas, para o Brasil, essa saída não forçaria Teerã ao diálogo. Ao contrário, aprofundaria seu isolamento e posições radicais. A adesão da Rússia a esse grupo, para amorim, é uma “dedução” e não estaria clara.

“Queremos contribuir para o diálogo porque essa é uma situação que inspira cuidado no mundo. Não desejamos a proliferação nuclear”, afirmou.

Pela terceira vez em menos de uma semana, amorim voltou a sugerir que o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, chame negociadores iranianos para tirar dúvidas sobre o acordo que está sob a mesa de negociações e também sobre a capacidade de enriquecimento de urânio do Irã em teores mais elevados, como 80% ou 90%.

O chanceler terá a oportunidade de apresentar essa sugestão diretamente em breve, durante visita de Amano ao Brasil.

Fonte: NOTIMP

7 Comments

shared on wplocker.com