Defesa & Geopolítica

General da Força Aérea de Israel que negou a atacar alvos palestinos recebe condecoração do seu país

Posted by

http://media.airspacemag.com/images/Iftach-Spector.jpgO brig. gen. Iftach Spector, piloto da mais alta patente que assinou uma carta senegando a participar de operações contra alvos palestinos em 2003, recebeu na semana passada a distinção de “Asas de Ouro” dada pela Força Aérea de Israel (FAI) em comemoração ao 50º aniversário de graduação na Escola de Pilotagem.
Menos de duas semanas antes da cerimônia feita a Spector, as Forças de Defesa de Israel (FDI) retiraram de serviço um soldado da Brigada Kfir, unidade de elite criada em 2005 e formada por seis batalhões de infantaria completos, pelo fato deste ter se negado a evacuar postos avançados não-autorizados e colonos israelenses na Cisjordânia.
Em 2003, Spector era o comandante das Bases Aéreas de Ramat David e Tel Nof e considerado um dos melhores e mais experientes pilotos que a FAI já teve em sua história.

Piloto de Dassault Mirage III, McDonnell Douglas F-4 Phantom II e também de Lockheed F-16, Spector acumula 12 vitórias ao longo de sua carreira e também foi um dos pilotos que protagonizou o ataque contra o reator nuclear iraquiano Osiris, ataque o qual se tornara a famosa Operação Opera, executada em 7 de junho de 1981 no qual oito caças F-16 percorreram aproximadamente 1.000km até chegarem no alvo, ao anoitecer.
Spector chocou todos os seus colegas em 2003, quando colocou seu nome numa lista com outros 27 pilotos que se recusavam a atacar alvos palestinos por considerarem as ações ilegais e imorais. Todos, exceto Spector, foram forçados a deixarem seus postos que ocupavam na reserva, enquanto Spector foi mandado para a instrução de voo. http://www.map-uk.org/files/240_big_bomb.jpg
O incidente inspirou Spector a escrever a autobiografia “Loud and Clear: The Memoir of an Israeli Fighter Pilot” (Alto e Claro: Memórias de um Piloto de Caça de Israel), onde faz menções ao ex-comandante da FAI Dan Halutz, que lançou uma bomba de uma tonelada numa área residencial. A operação noturna visava apenas matar um dos líderes do Hamas, Salah Shahade, entretanto acabou matando dezenas de pessoas, a maior parte crianças. Quando questionado o que sentiu ao jogar a bomba, Halutz disse: “Nada, somente um luz forte debaixo das minhas asas. Nada mais”. Spector acusa Halutz de encorajar essa cultura, que compromete os princípios da FAI. Segundo alguns oficiais da Força Aérea, Spector nunca deveria ter sido convidado para essa cerimônia, uma vez que Halutz estava presente no local.

http://www.fighterjetz.com/d/3297-2/israeli-f16-fighters.jpg

Em resposta, um porta-voz da FAI declarou que a cerimônia “foi feita para a entrega das medalhas para todos os pilotos que fizeram o treinamento entre 1957 e 1960 na Escola de Pilotagem, incluindo o brig. gen. Spector, seguindo uma tradição da FAI. Assim como todos de sua turma, ele recebeu a distinção pelos 50 anos de serviço à FAI”.

Fonte: Revista Asas

3 Comments

shared on wplocker.com