Categories
Vídeo

Aeromodelos: Para quem é do tempo, o “Águia de fogo” de controle remoto

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=aVagmBvFLig&feature=related]

Sobre o original

http://3.bp.blogspot.com/_ujipR-D4AHY/SlKx0opI7JI/AAAAAAAABU0/agnRdD4UO-k/s400/aguia_de_fogo1.jpeg

Águia de Fogo (em inglês: Airwolf; em espanhol: Lobo del aire) é uma série televisiva estado-unidense que foi exibida de 1984 até 1987. O programa contava com um helicóptero militar supersônico, conhecido por Águia de Fogo, e sua tripulação participava de várias missões, muitas delas envolvendo espionagem, como o tema relacionado à Guerra Fria.

A série foi criada por Donald Bellisario em 1984, com um total de 80 episódios, para o canal CBS e foi transmitida no Brasil pelas emissoras Rede Globo e Rede Record.

Baseado no filme homônimo, que deu origem à série, contava a história de Michael Coldsmith-Briggs III, vivido por Alex Cord, codinome “Arcanjo”, que é o comandante de uma divisão especial da aeronáutica, que construiu o Águia de Fogo, chamada de “A Firma”. Sua principal característica é usar um tapa olho e sempre se vestir de branco. Ele convoca o piloto Stringfellow Hawke, vivido pelo ator Jan-Michael Vincent, para recuperar a aeronave desaparecida na Líbia. Hawke vive em uma cabana no topo de uma montanha, isolado. Seu único companheiro é seu cão, Tet.http://lh6.ggpht.com/_XibsBbZTGuE/Sc-aa4IDEqI/AAAAAAAAAi4/Qsj5kDbQvqw/AguiaDeFogo1_thumb4.jpg

Hawke é um veterano da guerra do Vietnã, onde perdeu seu irmão, desaparecido em combate, desde então vive recluso. Ele tem como único amigo e companheiro de aventuras no Águia de Fogo, o veterano Dominic Santini, vivido pelo ator Ernest Borgnine, uma espécie de mentor.

Ao retornar da Líbia, após derrotar o criador do Águia de Fogo, Hawke e Dominic passam a usar o helicóptero como uma espécie de “supermáquina alada” para combater o crime e fazer justiça. Ao longo da série o Águia de Fogo passaria a ser chamada também de “Águia Vingadora” ou “Águia Justiceira”. O clímax dos episódios da série eram as batalhas áereas envolvendo o sofisticado helicóptero.

Fonte: Wikipedia

Categories
Conflitos Geopolítica

Vice- presidente da Venezuela renuncia ao cargo

http://www.eltiempo.com/mundo/latinoamerica/IMAGEN/IMAGEN-6494527-1.jpg

O vice-presidente e ministro da Defesa da Venezuela, Ramón Carrizález, renunciou ao cargo, segundo informações da imprensa local nesta segunda-feira.

Carrizález teria afirmado que a decisão foi tomada por razões “estritamente pessoais”.

De acordo com o jornal venezuelano El Universal, de Caracas, o general Carlos Mata Figueroa seria o substituto de Carrizález no Ministério. O nome do novo vice-presidente, no entanto, ainda não foi anunciado.

O jornal afirma ainda que a renúncia de Carrizález e também de sua esposa, a ministra do Meio Ambiente, Yubirí Ortega, teriam sido apresentadas ao governo de Hugo Chávez no último sábado.

O jornal El Tiempo, da Colômbia, diz que o vice-presidente teria afirmado que sua saída não está relacionada com as recentes decisões do governo venezuelano e que qualquer outra versão diferente sobre sua renúncia seria “falsa e tendenciosa”.

Explicações

De acordo com fontes próximas ao Palácio de Miraflores, duas hipóteses estão sendo consideradas para explicar a saída de Carrizález.

Uma delas é que ele teria discutido com um ministro durante reunião de gabinete, e o presidente venezuelano, Hugo Chávez, teria dado razão ao ministro, desautorizando o vice-presidente.

Outro rumor é de que Yubirí Ortega teria tido uma dura discussão com Chávez, o que teria motivado a renuncia do casal.

Enquanto o novo vice-presidente não for nomeado, no caso de ausência do presidente venezuelano, a presidente do Congresso, Cília Flores, assume o cargo interinamente.

Colaborou Claudia Jardim, de Caracas para a BBC Brasil

Fonte: BBC Brasil

Categories
Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas

Peru avalia novos sistemas para a artilharia de seu Exército

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/a/a2/Nora_B52_1.JPG/800px-Nora_B52_1.JPG
obuses autopropulsados sobre rodas Nora B-52-K2 de 155/152 mm

Segundo a imprensa peruana, o governo do país está solicitando informações técnicas, operacionais e financeiras à empresa sérvia Yugoimport SDPR acerca dos sistemas de obuses autopropulsados sobre rodas Nora B-52-K2 de 155/152 mm, e sobre os lançadores múltiplos de foguetes M-87 Orkan de 262 mm e M-99 Orkan 2 de 400 mm.

A consulta faz parte dos planos de modernização da artilharia do Exército do Peru, originalmente formulados em 2005 sob a designação de Proyetos Arias y Muniz. O primeiro, Proyeto Arias, prevê a repotencialização e aquisição de novas peças de artilharia de campanha para substituir os M56 Oto Melara de 105 mm e os M-101A1 atualmente em serviço, ambos rebocados por veículos. O Proyeto Muniz tem como meta a revitalização dos sistemas de obuses autopropulsados sobre lagartas M-109 de 155 mm e D-30 de 122 mm rebocados.

http://img232.imageshack.us/img232/9252/orkan5rv4.jpg
lançadores múltiplos de foguetes M-87 Orkan de 262 mm


O obus Nora B-52-K2 de 155/152 mm – montado sobre um veículo 8×8 – tem um alcance de 42 km. O canhão está dotado de carregador automático com capaz de acomodar 32 projéteis, proporcionando uma cadência de seis disparos por minuto. O peso total do conjunto é de 26 toneladas e a velocidade de deslocamento do sistema em terreno plano é de 90 km/h. O compartimento que abriga os operadores do sistema conta com proteção contra armas químicas e biológicas. A blindagem do veículo transportador resiste a impactos de projéteis de 12.7mm e um lançador automático de granadas de 30 mm foi instalado para auto-defesa. A calibragem dos oito pneus é realizada automaticamente.

O lançador múltiplo de foguetes M-87 Orkan de 262 mm dispõe de 12 casulos capazes de disparar foguetes de 4,7 m de comprimento e 390 kg de peso, portando alto-explosivos, e apontados para alvos 50 km distantes. O foguetes do M-87 podem transportar, a essa distância, minas anti-pessoal, anti-tanque e bombas tipo cluster.

O M-99 Orkan 2 foi desenvolvido para atingir alvos situados a distâncias compreendidas entre 75 e 100 km. Não há muitas informações disponíveis sobre esse sistema de lançamento de foguetes terra-terra. Contudo, sabe-se que cada foguete mede 4,88 m de comprimento e pesa 404 kg, sendo que 90 kg correspondem à cabeça de combate.

Fonte: Tecnologia&Defesa

Categories
Acidentes e Catástrofes Defesa

Congresso aprova envio de mais 1.300 militares ao Haiti; governo planeja enviar 900 imediatamente

http://www.agenciabrasil.gov.br/media/imagens/2007/09/07/1352fp225.jpg

BRASÍLIA – O Congresso brasileiro aprovou nesta segunda-feira o envio de até 1.300 militares adicionais ao Haiti, país devastado por um forte terremoto no último dia 12. A ideia do governo é enviar imediatamente 900 militares, dos quais 750 serão de infantaria e 150 do efetivo da polícia do Exército. Os demais 400 militares seriam mobilizados se futuramente o governo achar necessário.

“Diante da crise e do estado de calamidade em que se encontra hoje o Haiti, da solicitação de apoio da ONU, de nossos compromissos internacionais e, sobretudo, o nosso dever de prestar a devida ajuda humanitária a um povo irmão, o Brasil não pode se furtar a cumprir seu papel de líder internacional frente à crise haitiana e a prestar o auxílio devido”, declarou em seu voto o relator da matéria, deputado Mauro Benevides (PMDB-CE).

A proposta aprovada dobra o contingente brasileiro no país caribenho, onde o Brasil lidera a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), conhecida como Minustah, que tem um contingente de aproximadamente 9 mil membros – sendo 7 mil militares.

Na semana passada, o Conselho de Segurança da ONU aprovou, por unanimidade, o aumento temporário no número de tropas e policiais da entidade no Haiti em 1,5 mil policiais e 2 mil soldados para ajudar a manter a segurança e ajudar nos esforços humanitários.

Cerca de 3 mil presos fugiram da cadeia depois do tremor de magnitude 7 que abalou principalmente a capital Porto Príncipe e pode ter matado até 200 mil pessoas. Saques e tumultos também ocorreram na sequencia da tragédia.

Integrante da base aliada, o senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA) criticou a iniciativa do governo. Para ele, o Executivo deveria primeiro dar atenção às vítimas de enchentes e desabamentos em todo o Brasil.

“O Brasil não está em condições de ajudar, mas de ser ajudado”, argumentou.

A oposição, entretanto, apoiou a medida do governo. Para o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), o Brasil tem capacidade para atuar nas duas frentes.

“Não devemos faltar neste momento (no Haiti). O Brasil tem condições financeiras de fazer esse apoio”, destacou Azeredo.

A matéria foi debatida e votada por uma comissão representativa de deputados e senadores, uma vez que o Congresso está em recesso.

Fonte: Último Segundo

Categories
Negócios e serviços Vídeo

Video da chegada dos Super Tucanos Equatorianos

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=3GwlkVPT_1g]

Detalhe no padrão de camuflagem digital

fotos Foro Militar General

Categories
Uncategorized

Sugestão: F/A-18E/F Super Hornet a letal vespa norte-americana

http://2.bp.blogspot.com/_DOqSTiSBP3U/S1zgVg5NxVI/AAAAAAAAAOE/e4LSgOn8UmI/s400/0856377%5B2%5D.jpg

Sugiro aos nossos leitores o artigo do blog Defesas Aéreas, de autoria de Welington Mendes, o qual apresenta uma análise detalhada do Super Zangão que a Boeing está oferecendo para Força Aérea Brasileira,  O artigo bem escrito e ilustrado é masi uam referência do bom trabalho do jovem autor.

E.M.Pinto

Para acessar ao artigo basta  clicar no link que segue.

F/A-18E/F Super Hornet a letal vespa norte-americana

Leia também


SAAB Gripen NG o temível Grifo Sueco


Dassault Rafale a poderosa rajada de vento Francesa

Categories
Negócios e serviços Sistemas de Armas

Ecos da Crise:O Chefe do Exército da Suíça disse que a forças armadas suíças estão efetivamente ‘falidas’

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2008/12/f-5-suico.jpg

Em uma declaração alarmante o comandante em  Chefe do Exército da Suíço, André Blattmann, disse que as forças armadas do seu país estão efetivamente “falidas”,  sem dinheiro para os programas atuais e até mesmo  para os do  futuro. Segundo ele não há dinheiro nem mesmo para manutenção e material de apoio e combustível, a declação teria sido feita ao suíço Tages Anzeiger, e a matéria foi traduzida e divulgada pelo CAVOK (clique aqui para ler).

Segundo a nota a falta de verbas estaria comprometendo até mesmo os programas de modernização dos caças F-18 e a substituição dos caças F-5, sendo que o segundo é mais opreocupante.

Fontes na Suíça sugerem que a decisão do programa TTE planejada para o final desse ano poderá ser postergada para 2015, a qual naquele ponto poderá se tornar uma decisão de substituir os caças F-5 e F-18 ao mesmo tempo, ao invés de apenas os caças Tiger a partir de 2020.

Rumores indicam que a Força Aérea da Áustria estaria interessada em arrendar caças F-5 da Suíça mais uma vez, devido a sua frota de aeronaves Saab 105 estar precisando desesperadamente ser subistituída; isso poderia fazer com que a frota de F-5 da Suíça fosse encolhida ainda mais.

Texto Plano Brasil adaptação do original Cavok.

Fonte: Cavok

Categories
Acidentes e Catástrofes

Avião dos EUA não-tripulado cai em área tribal do Paquistão

http://www.air-attack.com/MIL/predator/mq9afghan_3_20071012.jpg

Efe  —   Islamabad  —  Um avião americano não-tripulado caiu nas áreas tribais do noroeste do Paquistão, confirmaram fontes oficiais citadas neste domingo (24) por diferentes canais de televisão, embora os talebans disseram tê-lo derrubado.

O fato aconteceu na noite de sábado na zona de Hamzoni, situada na região tribal do Waziristão do Norte, afirmaram vários aldeões, que disseram ter visto entre cinco e sete aparelhos sobrevoando a região.

Fontes oficiais da demarcação confirmaram ao canal “Geo TV” que um deles caiu em algum ponto da parte paquistanesa da fronteira, mas não puderam dizer a causa do acidente.

Os aviões-espião não tripulados costumam voar a pouca altura antes de atacar com mísseis alvos insurgentes, embora as fontes tenham afirmado que nesta ocasião suas operações podem ter sido dificultadas pelo céu encoberto na região.

Sugestão e colaboração: Konner

Fonte:UOL

Categories
Conflitos Defesa Geopolítica História

Israel estaria a preparar um ataque às instalações nucleares do Irão usando bases na Geórgia

http://www.379aew.afcent.af.mil/shared/media/photodb/web/081029-F-8160C-044.jpgSegundo algumas fontes, os Estados Unidos teriam cancelado uma grande remessa de armamento para a Geórgia, quando souberam que este país do Cáucaso estava a colaborar com Israel na preparação de um ataque aéreo ao Irão. A remessa (cancelada pelo próprio Obama) incluiria uma grande quantidade de armamento ligeiro, helicópteros e algum armamento pesado não identificado. Outra possível fonte deste cancelamento pode ter sido uma pressão russa, agora que o clima entre Putin e Obama é de “degelo”.

Mas a tese mais interessante é de facto aquela segundo a qual Israel estaria a preparar o uso de aeródromos junto a Tbilisi como ponto de apoio para um ataque aéreo às instalações nucleares do Irão. Isso explicaria aliás a presença de três “consultores” israelitas na Geórgia…

A ser verdade, isso implicaria a conivência turca, já que para chegar à Geórgia, os aviões israelitas teriam que atravessar a Anatólia e – o mais importante – implicaria igualmente que este plano israelita está em curso e que não será esta revelação que o irá parar… E de facto, posso admitir que prefiro um mundo em que Israel bombardeira as instalações nucleares do Irão, a um mundo em que o Irão dos Ayatollahs está armado com ogivas nucleares.

Texto e considerações: QUINTUS


Fonte: Defensetech Via Quintus

Categories
Negócios e serviços Segurança Pública

Compra de helicópteros pelo Ministério da Justiça é investigada

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2009/06/ec145.jpg
EC 145 imagem apenas ilustrativa

A negociação de R$ 123,7 milhões para a compra e a venda de helicópteros para ao menos 14 estados está sendo investigada pelo Ministério Público Federal (MPF).

A suspeita é de fraude nos processos licitatórios, incluindo direcionamento para que uma empresa fosse vencedora dos pregões e superfaturamento. Os recursos para a compra das aeronaves são do Ministério da Justiça e foram transferidos para os estados por meio do Fundo Nacional de Segurança Pública (Funsp). Desde 2000, a pasta investiu R$ 274 milhões em aviação.

No centro das investigações está a Helibras, empresa mineira que é a única fabricante de helicópteros na América do Sul. Com mais de três décadas de atuação, o capital da Helibras está dividido entre a francesa Eurocopter Participacions, a Bueinvest Representações Comerciais, do banqueiro Edmond Safdié, e a MGI Minas Gerais Participações, do governo mineiro.

A presidência do Conselho de Administração está nas mãos do ex-governador do Acre, o petista Jorge Viana, que já manifestou disposição de concorrer ao Senado este ano. Recentemente, a Helibras garantiu novos contratos milionários com o governo federal. Incluindo um projeto para a modernização de 34 helicópteros do Exército e a produção de 50 aeronaves para as Forças Armadas.

Segundo informações da própria empresa, no segmento de bombeiros, polícia e entidades públicas, é líder de mercado com mais de 80% de participação. A apuração das irregularidades começou no fim do ano passado, no Acre, terra natal e berço político do petista. Lá, a empresa faturou num pregão contrato de R$ 7,9 milhões para fornecer um helicóptero para o Programa Nacional de Segurança e Cidadania (Pronasci), menina dos olhos do ministro da Justiça, Tarso Genro. O modelo adotado pela administração estadual para a compra do produto foi considerado inadequado.

“(O pregão) é para bens comuns e o helicóptero não é”, defende o autor do inquérito, o procurador Ricardo Gralha Massia (MPF-AC). A investigação questiona o alto valor pago pela aeronave e a constatação de que não houve participação efetiva de outro licitante no processo licitatório. A TAM, representante da montadora norte-americana Bell, desistiu e apenas a Helibras se manifestou, contrariando a legislação. O mesmo ocorreu em outros estados durante a compra de helicópteros.

Em relação aos preços praticados pela empresa, os valores são flutuantes. Análise dos processos licitatórios mostra que a mesma aeronave foi vendida com preços diferentes. O modelo multimissão registrou diferença de R$ 6 milhões até R$ 11 milhões. Já o Esquilo variou de R$ 6 milhões a R$ 7,3 milhões.

Fonte: Jetsite

A negociação de R$ 123,7 milhões para a compra e a venda de helicópteros para ao menos 14 estados está sendo investigada pelo Ministério Público Federal (MPF). A suspeita é de fraude nos processos licitatórios, incluindo direcionamento para que uma empresa fosse vencedora dos pregões e superfaturamento. Os recursos para a compra das aeronaves são do Ministério da Justiça e foram transferidos para os estados por meio do Fundo Nacional de Segurança Pública (Funsp). Desde 2000, a pasta investiu R$ 274 milhões em aviação. No centro das investigações está a Helibras, empresa mineira que é a única fabricante de helicópteros na América do Sul. Com mais de três décadas de atuação, o capital da Helibras está dividido entre a francesa Eurocopter Participacions, a Bueinvest Representações Comerciais, do banqueiro Edmond Safdié, e a MGI Minas Gerais Participações, do governo mineiro. A presidência do Conselho de Administração está nas mãos do ex-governador do Acre, o petista Jorge Viana, que já manifestou disposição de concorrer ao Senado este ano. Recentemente, a Helibras garantiu novos contratos milionários com o governo federal. Incluindo um projeto para a modernização de 34 helicópteros do Exército e a produção de 50 aeronaves para as Forças Armadas. Segundo informações da própria empresa, no segmento de bombeiros, polícia e entidades públicas, é líder de mercado com mais de 80% de participação. A apuração das irregularidades começou no fim do ano passado, no Acre, terra natal e berço político do petista. Lá, a empresa faturou num pregão contrato de R$ 7,9 milhões para fornecer um helicóptero para o Programa Nacional de Segurança e Cidadania (Pronasci), menina dos olhos do ministro da Justiça, Tarso Genro. O modelo adotado pela administração estadual para a compra do produto foi considerado inadequado. “(O pregão) é para bens comuns e o helicóptero não é”, defende o autor do inquérito, o procurador Ricardo Gralha Massia (MPF-AC). A investigação questiona o alto valor pago pela aeronave e a constatação de que não houve participação efetiva de outro licitante no processo licitatório. A TAM, representante da montadora norte-americana Bell, desistiu e apenas a Helibras se manifestou, contrariando a legislação. O mesmo ocorreu em outros estados durante a compra de helicópteros. Em relação aos preços praticados pela empresa, os valores são flutuantes. Análise dos processos licitatórios mostra que a mesma aeronave foi vendida com preços diferentes. O modelo multimissão registrou diferença de R$ 6 milhões até R$ 11 milhões. Já o Esquilo variou de R$ 6 milhões a R$ 7,3 milhões.


Categories
Geopolítica História

Jobim veio ver tudo

http://i2.r7.com/data/files/2C92/94A4/24C9/B7CA/0124/DEA8/0478/6796/BRASILjobimperes-hg-20091110reuters.jpg

Nahum Sirotsky, correspondente iG em Israel

Nelson Jobim, ministro da Defesa, e mais alta autoridade brasileira a visitar Israel em anos, confirmou numa conversa com correspondentes brasileiros em Jerusalém que Lula virá ao país em março.

Num encontro realizado ao chegar ao hotel de Jerusalém onde ficará hospedado, Jobim disse que veio a convite de Shimon Peres, presidente de Israel, que esteve há pouco tempo no Brasil. Destacou que a Elbit, empresa israelense instalada em Porto Alegre, está atualizando os F5 da FAB e realizando trabalhos de atualização do Bandeirantes. “Temos muitos interesses comuns na área da defesa”, declarou.

Jobim enfatizou que o Brasil não compra meios de defesa. Toda e qualquer transação que o País faz implica na transferência de tecnologia. Todo o investimento na defesa implica em investimento no desenvolvimento nacional. E em última instância um reforço ao desempenho do setor privado.

O ministro da Defesa disse que ainda não fechou a compra de aviões não tripulados, os Vans. Mas é questão que será abordada em breve. Os Vans são os veículos apropriados para a vigilância da fronteira amazônica, como para a região do pré-sal.

E novamente frisou que o governo até pode se comprometer, mas só fechará negócios depois de se entender com a indústria nacional. Ele indicou esperar que Israel se interesse pelos Supertucanos, aviões brasileiros de combate, ou se entender com a Embraer. Tudo isto está aberto. A questão é começar.

Jobim qualifica de boas as relações com Israel.Mas que se precisa compreender que o Brasil tem a tradição de conversar com todos. O presidente Peres, de Israel, veio negociar e logo depois vieram os presidentes do Irã e da Autoridade Palestina. “O Brasil pensa que problema só se resolve ao redor de uma mesa”, disse numa observação sobre os protestos pela vinda do presidente iraniano. O ministro brasileiro lembrou que o Brasil tem o compromisso com o uso pacífico da energia nuclear.

Na agenda do ministro, está a visita as mais importantes empresas israelenses empenhadas em tecnologias relacionadas com aviação, mísseis e satélites. Mas não é da orientação do governo ficar na dependência de uma só empresa ou país. A preocupação, segundo Jobim, é com os meios mais adequados para a defesa da zona continental e da riqueza existente em 4,5 milhões de quilômetros quadrados do nosso mar territorial onde estão o pré-sal e outras riquezas. Decisão alguma será adotada sem considerar todas as suas implicações.

Jobim interrompe a entrevista para se referir a presença de secretários de segurança num seminário que está acontecendo em Israel..A Copa de 2014 está nas preocupações dele. Não se pode perder tempo no planejamento da segurança.

Fonte: NOTIMP

Categories
Acidentes e Catástrofes

Irã: Susto em pista de pouso

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2010/01/Tu-154-pega-fogo-no-ira-foto-AP.jpg

Pelo menos 46 pessoas ficaram feridas sem gravidade quando um avião iraniano  pegou fogo ao aterrissar no Aeroporto de Mashhad, no Irã.

De acordo com relatos divulgados pelos meios de comunicação do país, a parte traseira do avião, um Tupolev 154 da companhia Taban, se chocou com violência contra a pista na hora do pouso, efetuado sob uma densa neblina.

O piloto, de nacionalidade russa, conseguiu se manter na pista e imobilizar o aparelho, que começava a pegar fogo, e a rápida intervenção dos serviços de segurança permitiu retirar todos os passageiros antes que as chamas se propagassem pelo avião.

Fonte: NOTIMP