Brasil caminha para se tornar ‘petropotência’, diz ‘Washington Post’

Uma reportagem publicada nesta segunda-feira no jornal americano Washington Post afirma que o Brasil se encaminha para se tornar uma “petropotência“. Intitulado “Brasil se prepara para extração maciça de petróleo“, o artigo faz, no entanto, a ressalva de que os desafios envolvendo o desenvolvimento do pré-sal são tão gigantescos quanto a tarefa em si.

Tudo neste estaleiro é colossal“, escreve o repórter, durante uma visita a uma das infraestruturas da Petrobras em Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro. “Os 4 mil trabalhadores, os bilhões aplicados em custos de capital, as plataformas com altura de um prédio de dez andares inconclusas.” “Assim também é o desafio que enfrenta a estatal brasileira de energia, a Petrobras: desenvolver um grupo de campos de petróleo recém-descobertos em mar profundo que, segundo analistas de energia, catapultarão o país para o ranking das petropotências”.

A reportagem cita estimativas da Petrobras, de que o país poderia chegar a 2020 com uma produção de 3,9 milhões de barris de petróleo por dia, praticamente o dobro do volume de 2 milhões de barris atualmente. As reservas comprovadas de petróleo podem passar dos atuais 14,4 bilhões de barris para mais de 30 bilhões de barris, diz o texto. “Em uma era de oferta reduzida, as descobertas na costa brasileira e o aumento da envergadura da Petrobras estão mudando o equilíbrio petroleiro do mundo“, diz a matéria.

O artigo lembra que a estatal “permanece firmemente sob o controle do Estado, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tratando-a como um ícone nacional, cujo futuro está entrelaçado com o do Brasil“. “Apesar do otimismo que os dirigentes da Petrobras demonstram para os visitantes, eles listam os desafios: perfurar a camada de sal a 6,5 mil pés e operar campos que estão tão longe da costa que só podem ser alcançados de helicóptero“, diz o texto.

Além disso, a reportagem cita a associação de petroleiras estrangeiras que operam no Brasil. O grupo critica o que considera um excessivo posicionamento da Petrobras nos campos do pré-sal, afirmando que o quinhão estatal nos projetos corre o risco de “limitar o desenvolvimento” deles.

 

Nota do Blog

Parabéns a Petrobras e aos dirigentes do nosso governo que tem conseguido vencer algumas barreiras que limitavam e até mesmo amarravam o desenvolvimento do país.

Deixo mais uma vez o recado as mesmas autoridades para que tenham em mente que o mundo cobiçará esta riqueza e ela está desprotegida.

Onde está o orçamento para reparelhamento das Forças armadas? onde estão os Royalts da Marinha? será que a diplomacia e os tapinhas na costa garantirão o futuro da integridade e soberania do nosso país???

E.M.Pinto

Fonte: BBC Brasil

4 Comentários

  1. Tudo bem,+ q seje tbm uma superpotencia militar; existe um certo país ao norte das amaéricas q ñ se deve confiar, pelo mesmo ñ ser confiável, o planeta sabe disto, até seus aliados são sacaneado p mesmo.Então q seje tbm militar…cadê o VLS?

  2. Bom, se já apareceu por lá nos EUA que poderemos ser uma petropotência, significa, que eles já sabem muito bem, a capacidade de produção das bacias do pré-sal, e como foi publicado em um jornal de destaque nacional americano indica que já esta chamando a atenção deles!!!!
    Cuidado Lula, ou temos como proteger todas essas riquezas, ou teremos que entregá-la de mãos beijadas a alguma potência militar inimiga, o que tentamos ser a anos, uma POTÊNCIA MILITAR.
    Abraço.

  3. o iank de lá saca de portugues…é imperativo o reequipamento de nossas FAs p garantir a balas, nossas riquezas…assaltentes , corsários dos novos tempos, e manter os msm longe do q é nosso. P ontem.

Comentários não permitidos.