Defesa & Geopolítica

TECNOLOGIA/PREÇO: Russos entregam o MBT de exportação T-90S (com proteção eletro-óptica que interfere nos designadores de alvo do inimigo) por USD 3,9 milhões a unidade

Posted by

O MBT russo T-90S

Por Roberto Lopes

 

 

O governo de Moscou sabe ser competitivo no preço. Ao menos para os seus melhores clientes/aliados.

Um despacho desta terça-feira (07.11) da agência estatal de notícias da Rússia Interfax, informou que a Administração Vladimir Putin começou a entregar ao Exército Popular do Vietnã 64 carros de combate pesados T-90S/SK pelo montante de 250 milhões de dólares – o que dá um valor de 3,9 milhões de dólares por carro.

Esse custo representa cerca de 44% do valor médio unitário de um tanque alemão Leopard 2 A7 – o mais moderno em uso pelo Exército germânico –, no mercado a 8,9 milhões de dólares.

Mas o preço do T-90S pode ficar ainda mais vantajoso de acordo com equipamentos opcionais instalados no Leopard, cujo custo, na versão 2 A7, pode atingir os 10 milhões de dólares.

“Como resultado de uma série de negociações entre especialistas russos e vietnamitas, foi assinado um contrato para a entrega dos tanques T-90S e T-90SK”, explicou Mikhail Petukhov, vice-diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Rússia, “e as partes já começaram a implementá-lo”, concluiu.

O T-90S é um modelo de exportação básico, e o indicativo “K” identifica a versão de comando da viatura (diferenciada, sobretudo, no aparato de comunicações).

“Cortina” – O preço do T-90S fica ainda mais atraente quando se leva em consideração que os veículos vietnamitas estão sendo entregues com a suíte de proteção eletro-óptica ativa Shtora (“Cortina”), projetada para interferir nos designadores de alvo a laser do inimigo, e na transmissão de dados que eles fazem para a cabeça buscadora de mísseis antitanque (ATGMs).

O sistema não é novo – foi mostrado pela primeira vez há 22 anos, instalado em um MBT russo durante a Exposição Internacional de Defesa, em Abu Dhabi – mas vem sendo constantemente aperfeiçoado.

O equipamento, de 400 kg (foto), orienta o disparo de granadas montadas em ambos os lados da torre do blindado. Esses petardos criam, a uma distância entre 50 m e 70 m do tanque, uma tela de fumaça de aerossol opaca à luz infravermelha do sensor inimigo. A proteção dura cerca de 20 segundos, tempo suficiente para perturbar e, finalmente, deturpar a trajetória do míssil atacante.

Além disso, o sistema Shtora também é capaz de localizar a área onde a emissão laser se originou, ajudando a tripulação do tanque russo a eliminar o inimigo.

Parceria – Em julho último, o grupo industrial  russo UralVagonZavod, anunciou em seu relatório anual que havia garantiu um pedido do Vietnã para tanques.

Petukhov também confirmou para a Interfax que Moscou examina com Hanoi um potencial fornecimento de sistemas de mísseis antiaéreos fabricados na Rússia: “o lado vietnamita está envolvido em um diálogo sobre o fornecimento, reparo e modernização de sistemas de mísseis antiaéreos”, admitiu o executivo russo.

 

O conteúdo deste artigo é de total responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do site.

54 Comments

  1. Rafa_positron says:

    Essa versão possui o Arena?
    Se possui, é um tanque de MUITO RESPEITO

  2. Pingback: TECNOLOGIA/PREÇO: Russos entregam o T-90S, seu melhor MBT de exportação (com proteção eletro-óptica que interfere nos designadores de alvo do inimigo) por USD 3,9 milhões a unidade | DFNS.net em Português

  3. Melhor MBT do mercado a um custo benefício acessível … Fosse o EB optar por algo novo a um preço camarada melhor opção seria justamente o T-90 ..

    • Meu sonho de consumo ver este mbt no EB mas, ao dolar de hoje, seria 12,6 milhões de reais a unidade (100 un daria por volta de 1,26 bi de reais), daria pra comprar mos Leo 2A4 e modernizar na moral e ainda sobraria um troco pro Guarani 8×8.

      • “daria pra comprar mos Leo 2A4 e modernizar na moral e ainda sobraria um troco pro Guarani 8×8.”
        .
        Se for comprar e passar 2A4 para 2A4M ou 2A5, é coisa de 3 à 3,5 milhões… Se não mais.
        .
        Aí…
        Tem que pagar pela mudança de logística e manutenção.
        Tem que pagar por novos Semi-Reboque e Cavalinhos.
        Tem que pagar por treinamentos.
        Tem que pagar pela renovação do estoque de munição.
        E por aí vai…

        • Material novo e isso ae … Mais cedo ou mais tarde o EB vai ter q sair dessa zona de conforto .. principalmente em relação a calibre … 105 pros 120/125 mm… O peso dos 2A4 em relação ao M60-“plus” são praticamente equivalentes …

          • Roberto Lopes says:

            Isso mesmo, Bruno FN: especialmente para buscar o calibre de 120 mm para o canhão.
            Concordo plenamente.

      • Mas aí seria um MBT novo .. relativamente moderno e pra durar uns 30anos no EB ..um Leo 2A4+ relativamente moderno nos custaria 1.5 mi de doletas cada um …. Se o elevar pro 2A6 deve ficar perto dos 3mi a unidade e estamos falando de material usado .. o T-90MS 4 mi +- ( depender do pacote) a vantagem de se negociar com russos e q ,além do preço atrativo, nem sempre envolve valor em dólar ou mesmo dinheiro vivo ,EB hj infelizmente nem cogita tal MBT por ser russo,a qualidade do equipamento e mero detalhe por aqui … Em relação ao Guarani 8×8 .. se está falando da versão de reconhecimento armado ,mais fácil pra EB e IVECO e pegar o projeto já pronto do Centauro 2 e nacionalizar o máximo q der por aki …

  4. A Russia escolheu acertadamente em postergar o Armata pra 2020 e aproveitar os atuais MBTs atualizando-os para versões mais modernas, isso tem trazido muito lucro no mercado externo e ajudado o próprio exercito russo a se modernizar.

    • Não foi postergado para aproveita os atuais MBTs e sim por causa da falta de recursos, a Russia sofre uma das piores crise fiscal da sua historia, e deve piorar apos a Copa…Sem dinheiro não tem milagre…

      • Seu argumento não é válido, até porque com a queda do rublo a produção interna (que depende de insumos exclusivamente do próprio país) fica extremamente barata.
        A Rússia diferente do que vc está pregando SAIU da crise, e quem diz isso é o próprio Banco Central deles, em comparação com o ano passado que tinha um cenário de recessão econômica, com decrescimento do PIB, este ano os percentuais voltaram pra valores positivos, então não divulgue desinformação.
        Sim, ao contrário do que aponta, o Armata foi repassado para o programa 2018-25 por questões estratégicas, pois as atuais atualizações dos MBTs soviéticos tem atraído clientes de todo o mundo, que além de buscar atualização de seus meios aos parâmetros mais modernos ainda compram mais unidades, isso se chama política estratégica, valorizar o que está trazendo lucro.
        Outra coisa, o Armata diferente do que se prega, NÃO SERÁ VENDIDO a nenhum outro país inicialmente até que o governo russo tenha adquirido as quantidades necessárias para suas forças, isso palavra do próprio senhor Shoigu.

        • Gostei do teu comentário. A Rússia Não precisa ter pressa para adquirir a linha Armata e nem o caça de 5 geração já que tanto O T-90 e o Caça Su-35 já são modernos do ponto vista que existem hoje no mercado. Ambos já usam tecnologia de 4/5º geração.

  5. Só um adendo Roberto o “S” não é o mais avançado e sim o “MS”http://www.planobrazil.com/mbt-brazil-uralvagonzavod-t-90ms-tagil/
    que provavelmente seja o dobro do T-90 S

  6. “Esse custo representa cerca de 44% do valor médio unitário de um tanque alemão Leopard 2 A7 – o mais moderno em uso pelo Exército germânico –, no mercado a 8,9 milhões de dólares.”
    .
    Esse valor está errado. O 2A7 alemão é um upgrade do tanque que já existe naquele exército.
    .
    2A7+ é o mais novo e moderno membro da família Leopard.
    https://www.youtube.com/watch?v=a6XyH5ouP58

  7. Ótimo tanque.
    Mas deixa o EB com os 1A5 mesmo.
    O custo da mudança da doutrina seria muito alta, além da tal pós venda russa.

    • Eu ia falar exatamente isso… ótimo carro, mas não para nós ocidentais, ainda mais caminhando como estamos para uma nova guerra fria total… a estes custos, melhor desenvolvermos um análogo com especificações aproximadas… custa caro ???… custa… mas é o preço da independência…

      • Rafa_positron says:

        concordo
        independencia é o que devemos buscar

        mas em caso de uma nova guerra fria, dessa vez o Brasil deve buscar seus proprios interesses em vez de se prestar a ser cachorro de guarda dos outros

      • Brasileiro nato says:

        Se é pra trocar de MBT e fazermos um upgrade , e procurar um aparato de custo x benefício x tecnologia , seria melhor optarmos por um Merkava IV que estaria em torno dos US$4 mi , na minha opnião muito mais interessante em todos os aspectos.

    • Renato de Mello Machado says:

      Concordo tem muita coisa amarrada,precisa só de mais unidades de 1A5 e pensar num futuro substituto com calma

  8. Rafa_positron says:

    Por falar em pós venda dos russos, eu não escuto reclamações em relação aos Sabres da FAB

    pelo contrario

    escuto falar bem tanto do helicoptero em si quanto do suporte

    mas as informações que chegam são poucas

    se alguem souber de algo mais, faça o favor de compartilhar

    • Correto, os sabres são verdadeiros cavalos de batalha… Penso que o Brasil deveria encomendar pelo menos mais um lote de Mi-35 e posiciona-los na tríplice fronteira, o trafico de armas e drogas iria despencar do dia pra noite…

      • Errado, já teve sim, alguns problemas, segundo alguns relatos, como a falta de peças aos helis.

        • Sobre manutenção e pós venda russo dos Sabres replico este comentário de um forista em outro site a tempos atrás;
          Bille 28 de junho de 2017 at 7:58

          Ah, os bastidores…
          1- o pós venda do MI35 é horrível. Já ouvi falar de vários relatos do pessoal trazendo peça de helicóptero na mala, sem qualquer atestado ou certificação. O pessoal de PV ou colocava aquilo ou parava.
          2- o russo trazia suprimento na bagagem e ficava regulando a entrega do material em troca de “vantagens pessoais” – poder folgar no Brasil pra fazer uma viagem pelo país, pra ficar de boa, sem compromisso algum com a venda ou com o produto. De novo, o pessoal de PV comia na mão do russo.
          3- a aeronave não tem publicações técnicas confiáveis. O especialista abria o esquema elétrico da aeronave e, quando ia verificar o local previsto pra achar qualquer cablagem, descobria que ela passava em outro lugar. E detalhe: em cada aeronave passava em um lugar diferente.
          4- a cadeia logística por si só não presta. O russo não tá nem aí pro produto entregue. Em contrapartida, tudo que foi “reclamado” da versão brasileira foi feito upgrade na versão russa. Bando de fdp…
          5- pra adquirir e manter esses projetos, o parque industrial brasileiro (ou os PAMAs) deveriam abraçar a causa, da mesma forma que o Peru e a Rep Checa – fazer engenharia reversa, fabricar o material e padronizar as aeronaves. Até dava pra modernizar, mas isso não é prioridade.

          • Se uma aeronave NOVA não entregar isso nos primeiros anos, pode jogar fora. Veio bichado.

          • rustam bogaudinov says:

            Tomcat3.7 9 de novembro de 2017 at 13:43
            Sobre manutenção e pós venda russo dos Sabres replico este comentário de um forista em outro site a tempos atrás;
            Bille 28 de junho de 2017 at 7:58
            __

            Really? is it from that tale about the Tiger in RIO who could not climb the hill? ))))
            __

            Sério? é a partir desse conto sobre o Tigre na RIO que não conseguiu escalar a colina? ))))

  9. …………….. o melhor seria o EB fabricar seu próprio tanque pois quando necessitasse já teria um tanque padrão com produção em escala….ja tem uma fábrica no Rio Grande do Sul o que seria bastante fácil….porém tornou-se bastante DIFÍCIL porque “entocaram” a grana…….aí cumpade….não tem jeito que dê jeito…..tem que correr pro “caco véio” alemão………………….

    • De fato, o Osorio seria um excelente tanque ainda hoje… más….

      • Renato de Mello Machado says:

        Sim seria um ótimo tanque,Mas o pessoal viaja muito precisamos de muitos tanques 1A5 atualizado, para dissuadir nossos vizinhos,ou a união deles contra a gente.Agora qualquer outra ameaça maior,a ordem mundial talvez não seja mais a mesma.

  10. “Não foi postergado para aproveita os atuais MBTs e sim por causa da falta de recursos, a Russia sofre uma das piores crise fiscal da sua historia, e deve piorar apos a Copa…Sem dinheiro não tem milagre”…

    Se os russos estão ruim economicamente e sem recursos,porque estão comprando muito ouro no mercado?

    Entre janeiro e setembro de 2017 o Banco Central russo comprou 4,2 milhões de onças troy de ouro por um total de mais de cinco bilhões de dólares (R$ 15,7 bilhões), o que significa um aumento de 15% em comparação com o mesmo período do ano passado,fora o ouro que valorizou 10%.

    nos últimos dez anos a Rússia alterou completamente a política de gestão das suas reservas internacionais (ouro e divisas). Ela reduziu de 40% para 26% o peso do dólar nas suas reservas e aumentou quase 10 vezes as suas reservas oficiais de ouro.

    Se não me engano tem mais de 1779 toneladas de ouro.

  11. Tem gente que sonha de mais !
    material Russo nas FAA,s Brasileiras, só no dia que a galinha botar ovos de chocolate, e os mortos andarem sobre a terra kkkkkk.
    Mais fácil ( e já anunciada) é o EB encomendar da KMW local Uma Versão “nacional” do Leopard-2 ( que servirá de alvo móvel para os MBT,s Russos).
    versão essa montada localmente pela empresa fabricante, com a desculpa de Transferência de tecnologias, a preços exorbitantes!
    Escrevam o que estou dizendo !

    • Exatamente .. .. o selo ”made in” e mais importante q o equipamento em si .. tem q ser padrão OTAN e ponto final ….padrão OTAN anos 80 diga-se …
      infelizmente vc esta certo .. sonho de consumo do EB e um Leo brasuka meia bomba .. de 105 MM ”nacional” custando possivelmente o preço de um Leo 3AX (sim ..esse blindado so deve sair pra alem de 2030) novo … Vale ?
      quem quer tudo acaba fincando e sem nada … Vide Guarani
      fico imaginando um russo … lendo e vendo Brasuka desdenhando equipamento deles .. quando nos nem um Blindando 6X6 maduro a ponto de rivalizar com qualquer coisa deles temos .. sendo nosso 6X6 nem ”nacional” é .. .No geral acho q nossas forças armada sofrem de algo parecido com a ” síndrome do pequeno príncipe” … soberba sobra por aki

  12. cumpade……até a primeira guerra mundial os países adotavam o padrão ouro,tendo uma taxa fixa de moedas em relação a outro país…os negócios eram feitos na base do preço fixo impedindo que qualquer país mexesse em sua taxa de câmbio visando a aumentar suas exportações e reverter deficit fiscal, o que na época garantia a tão decantada “estabilidade econômica” e qualquer desequilíbrio deveria ser revertido com aumento ou queda de juros ou alterações de impostos…era lei do Cão….isso demorou até o final da primeira guerra…..houve um período de interseção e ainda durante a segunda guerra 44 países capachos dos Estados Unidos decidiram ter o dólar como moeda de referencia que ajudaria a restabelecer a “ordem” no capitalismo e uma proposta americana foi aceita de braços abertos como a salvação da lavoura….mantinha-se a vinculação do cambio com o ouro e o dólar seria a UNICA moeda com valor fixo em ouro num valor de US35 por onça de ouro e daí então todos os países tiveram que aceitar um valor fixo entre sua moeda e o dólar…nesse “arrumadinho” quem ganhou foram os Estados Unidos que saíram numa boa da Grande Depressão…esse conluio todo foi feito num hotel em Bretton Woods, New Hampshire ….porém algum tempo depois em 1970 a ideia começou a ter crises com Japão Canadá e Reino Unido querendo saltar fora pela razão de que suas moedas ficaram desvalorizadas para compras aos Estados Unidos devido à escassez do dólar e tbm à dúvida se a economia dos EU seria sempre estável..ora, o que fizeram aqueles países? começaram a gerar superávits com exportações pros EU que por sua vez tinha que imprimir dólar fato que tornou a moeda pouco confiável….aí é que entra a Rússia com seu ouro o qual junto com o ouro chinês querem colocar o yuan ( ou reminbi) como futura moeda de referencia mundial…..por isso a Rússia tá comprando OUROOOOOO……………

    • É disso que eu to falando…

    • Rafa_positron says:

      Em que aspecto esse tanque japones é melhor que o T-90 MS, por exemplo?

      • Está uma geração a frente. Só isso…

      • ‘T-90’ ainda é um desenvolvimento da família ‘T-72’. Não que isso seja ruim, mas o desenho do ‘Type 10’ já nasce dentro da quarta geração de carros de combate, aplicando novos conceitos.

        O carro russo também é consideravelmente mais pesado. Em standard, o carro japonês desloca 44 toneladas contra 53 toneladas do ‘T-90MS’.

        A armadura do carro japonês é de nova geração, dotada de chapas de material composto e novas ligas de aço.

        A suspensão do carro japonês é hidropneumática, o que reduz o estresse da tripulação e torna o carro mais estável em deslocamento.

        • E em relação ao armata?

          • Rafa,

            Pode se dizer que são praticamente do mesmo nível, com sistemas absolutamente similares.

            Há uma ligeira vantagem de concepção para o carro russo, cujo habitáculo blindado para a tripulação é um conceito algo mais avançado. O mesmo também pode ser dito da torre, de operação remota.

    • Rapaz deve de ser empolgante demais assistir uma apresentação como a do segundo vídeo viu.
      Belo tanque.

    • Engraçado num outro tópico quando eu falei que a FAB precisava comprar um caça mais pesado com misseis anti navio russos pesados como o BrahMos para tentar travar a principal área de risco que é o mar territorial, discordaram de mim, agora querem comprar tanque japonês de ultima geração para o EB enfrentar o que ?

      A Argentina ?

      A área de risco é o mar !

      • munhoz,

        Uma coisa não tem nada a ver com outra…

        A questão sobre a troca do carro de combate, no meu entender, tem a ver com tecnologia embarcada e, principalmente, logística.

        Daqui a uma década, manter ‘Leopard 1’ poderá sair caro; e atualiza-lo custará mais caro ainda… Logo, a própria obsolescência exigirá uma nova plataforma.

        No mais, como deixei claro no outro tópico sobre o M-60, não defendo expressamente um carro novo. Por mim, pega ‘Leo 2A4’, revisa e pronto. Na quantidade certa, é supremacia garantida por uns 30 anos, além de ser CC pra bater mais essas três décadas sem esquentar a cabeça com peças/manutenção, somado a isso o potencial de crescimento maior para futuros upgrades. E mais ainda o fato que um ‘Leo 2A4’ revisado sai praticamente o preço da atualização de um carro de geração anterior.

        Apenas postei o vídeo sobre o ‘Type 10’ como exemplo do que preferiria se optassem por um novo carro, principalmente pelo fato de ser avançado e leve, tal qual seria a preferência por essas bandas…

        • RR

          Quando fiz esta comparação quis exemplificar qual deveria ser a prioridade para a defesa em nosso pais, eu também gostaria de ver nosso exercito com um tanque destes mas infelizmente por variados fatores isso não é possível; apesar que com trocas, compensações comerciais e financiamentos os equipamentos militares muitas vezes acabam saindo quase de graça para o governo.

          Na verdade atualmente não temos inimigos para enfrentar com tanques, que no caso devido as restrições poderia ser um modelo de segunda mão.

          Precisamos de caças, submarinos, misseis anti navios, aviões de patrulha marítima e defesa anti aérea.

          Para um exercito eu particularmente montaria um conjunto regular minimo com tanques, blindados e artilharia; ai eu montaria um grande exercito de guerrilha com misseis e foguetes portáteis e um sistema de artilharia baseado em foguetes (como os palestinos usaram contra Israel) no entanto mais moderno claro, iria deslocar toda esta estrutura utilizando bois, cavalos e búfalos, iria montar uma estrutura capaz de literalmente rastejar até um inimigo (bem mais capaz) e montar uns 400 foguetes espalhados por uma área extensa e depois serem acionados remotamente, poderia atacar bases, minar estradas etc

          Destruiria um inimigo bem mais poderoso e depois faria um churrasco para comemorar !

          Podem até me chamar de louco mas se você é um Davi não queira lutar como um Golias !

  13. Pelo nosso TO, nosso 1a5 é carro de combate por mais 20 anos. Se sofrer mais alguma atualização e um sintema ativo de proteção tipo o Israelense Trophy, pode ser por mais 30 ou 40 anos.

  14. ……………..esse tanque do You Tube é o novo tanque japonês e custa a bagatela de 6,5 milhões de dólares….o tanque russo é metade o prêço….compra tanque alemão usado mesmo……se houver dinheiro…….

  15. OFF TOPIC: Pessoal, eu, como torcedor dos EUA, estou muito triste. Hoje é um dia histórico, pois a Rússia, o Irã e o Hezbolá ajudaram a Síria a derrotar o ISIS definitivamente. Acabou.

    Vamos todos nós, ocidentais, vestir preto em sinal de luto. É uma pena. É um dia triste. Vamos chorar pelos Estados Unidos, França, Arábia Saudita e Israel.

    Que dia triste!!!!!

    • E quem foi que derrotou o ISIS no Iraque senão a coalizão liderada pelos EUA? Tá vendo como vocês da esquerda não dão uma dentro “teacher”? O teatro de vocês é tão patético que não resiste a um traque…

      Ps: Você ainda acha que foi “gópi”?

  16. Profeta_Lunatico says:

    Com cada especialista no PB rsrsrs. O pós venda tem haver grande parte com contrato firmado. Tem vagabundo que na hora de assinar tal contrato leva bonus para casa lesando o seu País. So ver os subs comprados por Portugal a GSC. O mesmo aconteceu a outros países. Tem o caso dos Helis Merlin comprados tb por Portugal. Em muitos paises sem conhecimento tecnico e economias piores que do Brasil operam MBT T-90S ou MI35 sem esse mimimi made in Brasil. Alias sempre que se fala em made in Russia ha esse choro gratuito. Se o Brasil quer ter o Bom ou Top do mercado tem que gastar e investir. Caso contrario comprara sempre sucata para ser actualizada pra mais 10 ou 20 anos. E depois voltar a comprar sucata sempre com a treta do nosso teatro de operações e compactibilidade com nossas forças. So ha dois caminhos para o Brasil ou compra algo bom e top e muda toda sua estrutura ou obrigatoriamente tem investir na industria de defesa Brasileira porque se não daqui a 20 anos qual MBT vamos comprar? Qual heli? Qual sistema anti tank se tudo que é novo tem custos e exige mudanças ? Algum expert me responde? Obrigado

    • E vero .. e mt comum em paises do leste Europeu .. Africa .. e ate Asia … equipamento novinho primeiro .. suporte pra logística e manutenção a parte , mero detalhe … isso quando n querem ficar na dependência de empresas ”’estranhas” terceirizadas com a promessa de comprar esse material mais barato ….isso mais comum q vc imagina , n so no campo militar
      Pra uma industria militar forte e preciso primeiro q exista demanda interna pra q o projeto ao menos se pague ,,, e um casamento entre desenvolver .. comprar ..usar e manter.. e continuar a desenvolver , tudo isso associado a escala , preço e tempo ate a ”maturação” do projeto pra vale a pena …Brasil hj teria algo haver com isso ?.. ou condições de manter essas ”linhas” sempre em evolução ? . melhor exemplo de industria militar q o Brasil deveria seguir são Suécia(Naval eletrônica e aeroespacial ) e Israel (blindados eletrônica, kits de equipamentos ) … Ilhas de conhecimento ”’blindadas da cobiça estrangeira”’ e sempre em desenvolvimento .. … ninguém ai quer virar EUA ou Russia da vida (ate pelos valores envolvidos e escala de industria ) .. sabem mt bem ate onde o braco alcança …
      Hj pagamos um determinado projeto … ou ate mesmo financiamos .. mas na h de comprar e dar o ”start” no projeto .. fazem doce…um exemplo disso ? olha o Guará”” ..Astros … olha o q aconteceu com a Mectron e todo seu conhecimento .. ou mesmo a Engesa

    • sergio ribamar ferreira says:

      Concordo com o Sr. Profete Lunático.

  17. Penso que o carro de combate que é a espinha dorsal para realidade Brasileira é o Cascavel. O patente é do exército, o tanque sob rodas quase sem logística alguma se degladiou diante do Isis (http://www.defesanet.com.br/guarani/noticia/27104/UMA-EXPERIENCIA-REAL–EE-9-Cascavel-em-combate-Libia-e-Iraque-2015-%E2%80%93-2017–/) e é feroz. O mesmo projeto poderia ser atualizado e sair novinho de fábrica, poderá ser adotado em volume devido ao baixo custo. Nova blindagem com uma liga contemporânea e complementos modulares, o casco já tem característica em V mas refinar o conceito, novo motor, a mesma suspensão boomerang, canhão 90 mm com capacidade de disparar munição ATGM, Torre automatizada da metralhadora auxiliar, sensores e sistemas defensivos no estado da arte e consciência situacional expandida. Com todo esse recheio é páreo para qualquer MBT, ia até ficar mais caro, mas o custo seria imensamente menor que de um MBT. A logística, da até para ir pela estrada se for preciso. Sem trens ou uma infinidade de caminhões e cargueiros aéreos. Parceiros para essa empreitada reduzindo o risco de ingerências de potências que preferem que continuemos na prateleira (Aselsan, Denel é Saab). Quanto ao MTB sobre lagartas, o ideal seria um Tamoyo rústico e moderno, dotado de um canhão 120 mm. Más como não a menor intensão de qualquer solução similar, completam com mais 1A5 se for necessário.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com