Defesa & Geopolítica

TECNOLOGIA: O último quadrimestre de 2017 reserva boas perspectivas para o caça JF-17 (mas há chance dele obter também reconhecimento internacional? E como saberemos disso?)

Posted by

Aeronaves Block I do Esquadrão nº 2 da Aviação de Combate Paquistanesa

Por Roberto Lopes

 

 

Este último quadrimestre de 2017 é particularmente importante para a curta história do caça leve sino-paquistanês JF-17 Thunder (conhecido na China como FC-1 Xiaolong).

Neste setembro a Força Aérea Paquistanesa (FAP) terá 90 aeronaves Block I e Block II distribuídas por quatro esquadrões de 1ª linha. Um 5º esquadrão está sendo alocado à famosa Escola de Comandantes de Combate (CCS na sigla em inglês) da Aviação Militar local, sediada na Base Aérea Mushaf, de Sargodha, na Província de Punjab.

De acordo com um artigo publicado pela Air Forces Monthly – intitulado Pakistan’s Top Gun Base – a Escola tem quatro propósitos principais:

– Pesquisa e desenvolvimento no campo da tática aérea;

– Ensino de táticas de voo;

– Ensino da utilização de sistemas de armas avançados; e

– Padronização e avaliação das diferentes unidades de combate aéreo.

Em dezembro próximo, o primeiro JF-17B, de instrução, estará sendo aceito pela FAP.

O voo inaugural do biposto aconteceu em abril último, e o aparelho incorpora várias mudanças de design em relação às variantes Block I e Block II, entre elas a adoção de um estabilizador na fuselagem.

JF-17B visto na China

Certificação – A entrada em operação do modelo JF-17 Block II permitiu a desativação dos jatos chineses tipo Chengdu -7P que compunham a dotação dos esquadrões aéreos Nºs. 2 e 14.

Dois mil e dezessete também foi o ano em que o caça conquistou, na Força Aérea Paquistanesa, a certificação de aeronave habilitada a operar munições guiadas de alta precisão, como o míssil anti-navio chinês C-802, e o chamado Range Extension Kit (REK), equipamento de assistência ao voo das bombas aéreas.

O JF-17 está apto, igualmente, a voar com o pod eletro-óptico de enquadramento de alvos ASELPOD, fabricado pela empresa turca Aselsan, que aperfeiçoa a capacidade do jato de disparar armas contra alvos fixos e móveis durante missões de reconhecimento aéreo.

A meta mais ambiciosa é usar o Thunder como plataforma de reposição para todos os F-7P e Mirages III/5 paquistaneses que serão desativados, e ainda tê-lo como aparelho qualificado para lançar os principais tipos de munições ar-ar e ar-superfície encontradas em aeronaves contemporâneas, como BVRAAM, WVRAAM, bombas guiadas a laser (LGB), bombas guiadas de precisão (PGB), mísseis anti-navio e, eventualmente, mísseis de cruzeiro disparados do ar – além de vários outros tipos de cargas explosivas e vetores, como as glide bombs e os mísseis anti-radiação.

O problema é que, em termos comerciais, o Thunder ainda não emplacou.

Ele obteve uma encomenda da Aviação Militar de Myanmar (16 unidades), terá 3 unidades voando em testes na Força Aérea da Nigéria, e aguarda uma definição do Ministério da Defesa do Azerbaijão.

O primeiro JF-17 de Myanmar sendo testado na China

As negociações com o Egito e a Argentina se esfumaçaram no ar; os entendimentos com a Força Aérea da Arábia Saudita ainda não podem ser considerados encerrados, mas esfriaram muito depois que o relacionamento Riad-Islamabad passou a enfrentar dificuldades (por causa da recusa dos paquistaneses em isolar o Irã, arqui-inimigo dos sauditas).

O investimento da Aviação Militar Paquistanesa na aeronave pode indicar que o avião é, de fato, aproveitável, mas só a sua aceitação por outras forças aéreas daria a medida exata de o quanto ele impressiona.

Até agora os meios aeronáuticos internacionais mais rigorosos preferem rotulá-lo como um jato multifunção leve de 3ª geração (eletrônica) melhorada.

Block III – No Paquistão, historicamente, os caças importados do Ocidente tem sido vistos como meios de difusão de sistemas e capacidades de ponta para a frota de combate. Entretanto, com o aumento significativo do custo de aquisição de tais armas, a Aviação Paquistanesa vem apostando na próxima geração do JF-17 – tratada de Block III – como plataforma introdutória dessas novidades.

Os chefes militares paquistaneses esperam que a produção da pré-série dessa versão III possa estar disponível em 2019 ou, no máximo, em 2020. Esse caça empregará um radar ativo de varredura eletrônica (AESA), o que irá qualifica-lo como 1ª linha de defesa contra os bloqueios de guerra eletrônica (EW).

A isso irão se somar outros préstimos, proporcionados por equipamentos como a suíte de contramedidas eletrônicas (ECM) integrada a um sistema EW (guerra eletrônica), e um helmet-mounted display and sight system (HMD/S) para o piloto.

A versão Block III também será configurada para operar um míssil ar-ar tipo high-angle off-boresight (HOBS), como o moderníssimo AIM-120 AMRAAM americano – claro, desde que os paquistaneses sejam autorizados por Washington a comprar tal equipamento (o que, hoje, em plena Era Trump, não parece provável).

46 Comments

  1. Pingback: TECNOLOGIA: O último quadrimestre de 2017 reserva boas perspectivas para o caça JF-17 (mas há chance dele obter também reconhecimento internacional? E como saberemos disso?) | DFNS.net em Português

  2. O mesmo maluco que me acusa de ter 10.000 nicks e de servir a potências estrangeiras diz que o cacinha sino-paquistanês é melhor que o Gripen.

    • Cesar A. Ferreira says:

      Além de falso é mentiroso…
      O quê esperar de um troll?

      • Carapuça serviu não é!?

        Parabéns…..

      • Cesar .. realmente é muito esquisito essas estórias .. rsrrs .. gripen Vs JF-17 Block II … DEZ MIL nicks … realmente é muito esquisito .
        .
        Se “falássemos” sobre um “dogfire” entre um JF-17 Block II Vs Eurofighter Typhoon …. ai eu ficaria com o pé a trás .. para quem já levou um pau de um F-16 e de um Sukhoi Su-30MKI .. rsrrs .. não ficaria surpreso se um cacinha JF-17 ganhasse do tifuzinho …mas uma coisa eu sei … euzinho não ficaria em um Typhoon tendo um Gripen em um dogfire . 🙂
        .
        E por falar em DEZ MIL nics … é um exagero realmente … se tem alguém que sabe a quantidade certa … deve ser o individuo por trás deles … euzinho contei 24 … eu disse …. V I N T E Q U A T R O … aliás … é muito emblemático esse número … eu acho que vou jogar no bicho e quem sabe acerte o viado na cabeça .

    • A Máquina Troll says:

      “S-88
      6 de setembro de 2017 at 16:19

      O mesmo maluco que me acusa de ter 10.000 nicks e de servir a potências estrangeiras diz que o cacinha sino-paquistanês é melhor que o Gripen.”

      eu frequento isto aqui todos os dias e nunca vi ele comentando isso…toma vergonha nesta sua cara e pare de mentir….

      • E ai maquinetazinha trolladorazinha… trazer alguma informação interessante para nosotros que é bom, NEVER… mas ficar entupindo o blog com devaneios, ah, isso sim… bom feriado pra vc… vai descansar essa sua cachola mole… hasta la vista…

    • Brasileiro de Verdade says:

      Gripen NG é superior em tudo. É o caça mais manobrável da atualidade, com a maior taxa de sustentação em curvas e manobras; Passando até mesmo o SU-35 e o lendário Y/F-22

      • A Máquina Troll says:

        “Brasileiro de Verdade
        6 de setembro de 2017 at 21:48

        Gripen NG é superior em tudo. É o caça mais manobrável da atualidade, com a maior taxa de sustentação em curvas e manobras; Passando até mesmo o SU-35 e o lendário Y/F-22”

        vc é um mitomaníaco lunático mesmo…..rs…

    • Tem a mesma capacidade.

  3. Ainda acredito que vai vender bastante.

  4. sou muito mais o Gripen !!

  5. Sobre a Argentina eles nao tem grana pra compra nada. Mas se a fonte de armamento fosse todo liberado acho q seria uma boa pra argentina.

  6. Por falar em caças, a quantas andam o programa do “nosso” Gripen NG ???…

  7. Trata-se de um caça Sino-Paquistanês projetado para atender uma necessidade paquistanesa. E embora seja um aparelho limitado ele é muito bom para a função para a qual foi projetado. Na PAF pode substituir com sobras os J-7 e os Mirage III/5 permitindo à força padronizar a sua linha de frente com o binômio F-16/JF-17

  8. ………….esse caça é um bom desenvolvimento feito pelos paquistaneses e chineses e com a versão Block mais barata a 25 milhões de dólares pode até vender bem …….muitos Forças Aéreas mostraram-se interessados nele, seria uma boa pra países como Equador, Colombia e Argentina ainda que para um país como a Bolívia o ideal seria o Chengdu F-7( MIG-21 fabricado pelos chineses) o qual sendo supersônico (2.200 km /Mach 2) colocaria os bolivianos de igualdade com os chilenos em caso de um possível conflito fato que pode não ocorrer já que os bolivianos escolheram o Yak-130 russo………

  9. Fora do tópico -> Gostaria de saber a opinião dos foristas quanto a esta reportagem do valor econômico. Particulamente quanto a Embraer.
    http://www.valor.com.br/empresas/5109590/governo-quer-fim-de-golden-share
    Eu tenho uma reserva quanto a este ponto específico, acho Temerário. rs.
    Eventual troca de nome e até uma mudança da sede para exterior exigem aprovação do governo (Hoje). E se não mais? Elas podem simplesmente migrar para algum paraíso fiscal ou para um país de conveniência do mercado. As ações subiram no dia seguinte (muito), então este será um bom momento para pensar em quebrar o confrinho e comprar algumas ações. Más como brasileiro, este séria o tiro de misericórdia de qualquer poder industrial relevante nacional, até mesmo no setor de comodities.

    • Eu espero que o TCU responda negativamente. Lamentavelmente esse tipo de iniciativa vai deixar os arautos do atraso ouriçados, implorando loucamente por estatização

      • “A Embraer e o governo de Portugal iniciaram nesta segunda-feira as negociações para o fornecimento de pelo menos cinco aviões KC-390 à Força Aérea Portuguesa (FAP). A expectativa é a de que as primeiras aeronaves possam entrar em serviço dentro de quatro anos.” … https://br.sputniknews.com/defesa/201709049272759-cooperacao-militar-brasil-portugal/ … apesar da fonte da notícia (rsrsrsrssss), eu arrisco a dizer que, por uma questão mercadológica, dificilmente a EMBRAER deixaria o país porque a área de atuação comercial da mesma é bem diferente de suas concorrentes, pois a EMBRAER optou por trabalhar em nichos de mercado específicos… tirar sua sede do país não modificaria sua situação no mercado e ainda deixaria de ter alguns benefícios como o apoio e encomendas das FAs brasileiras, como foi no caso do KC-390… acaso o governo brasileiro opte por se livrar de sua participação em empresas estratégicas, possivelmente mudará alguma coisa na legislação que permita uma certa soberania sobre esses campos específicos de produção de bens se serviços… como vc disse, os bravateiros de plantão ficarão ouriçados e falaciosos… mas já estamos acostumados com isso… no final, a razão sempre vence o discurso… saudações…

    • Gripen BR … eu tenho uma pwergunta a você sobre essa questão … ” Quem manda realmente na AMERICANAER companny … é a senzala do braZil ou a casa grande EUA ? “ … olha que exemplos que mostra quem manda na AMERICANAER companny é o que não falta . rsrsr … já veremos o mesmo moduns operantes dos golpista entreguistas .. acontecendo na PETROBRAX,ELETROBRAX e quem sabe se bobear a máfia americana assim como a máfia local irá realmente transformar o braZil suruba em uma baita Cuba do tempo que esta era um cassino dos endinheirados yankes ….. logo me diga … realmente a golden share da AMERICANAER companny … está na mão de quem ?

  10. O Thunder é um belo caça. A Argentina poderia adquirir uns 10 JF -17 para não ficar totalmente sem defesa aérea.

  11. Alejandro Perez says:

    Simpático por fora, Tenho dúvidas das suas capacidades.

  12. Esse JF17 ainda vai vender muito.

    offtopic: ISISrael está revoltado com a vitória Síria em Deir-Ezzor. A aliança Irã-Russia-Hiszzballah é a solução pro Oriente Médio.

    • Teu antissemitismo te cega comuna! Os Israel não apenas não apoia o ISIS como ainda tem fornecido muita informação de inteligência à Rússia, como os próprios russos reconhecem. Aliás, apesar de estarem do mesmo lado na realidade os russos desprezam o Irã e o Hezbolah, que no entender deles são covardes altamente dependentes da aviação russa.

    • Hezbollah não é aquele grupo do oriente Médio que defende que mulheres sejam apedrejadas por terem sido estupradas?

  13. Aviãozinho simpático! 🙂

  14. Poderíamos ter pelo menos um esquadrão apenas para avaliar performance até a chegada do Gripen. Ou utilizarmos o L39 Ng como uma solução imediata. Deixo comentários posteriores.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com