Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Construtores navais russos recebem contrato para mais dois submarinos nucleares Yasen-M

Tradução e adaptação-E.M.Pinto
 
 

Um contrato para a construção de dois submarinos Yasen-M foi assinado no fórum militar e técnico internacional  Army 2019, que aconteceu nos arredores de Moscou em 25 e 30 de junho.

Quando perguntado pela TASS sobre o possível prazo de entrega, o executivo-chefe disse que “o ciclo de construção desses submarinos é de sete anos”. Portanto, esses cruzadores submarinos podem entrar em serviço na Marinha Russa em 2027-2028.

Até agora, o Sevmash Shipyard (parte da United Shipbuilding Corporation) construiu e entregou à Marinha o submarino Severodvinsk da classe Yasen , Project 885. O navio entrou em serviço na frota do norte. A versão aprimorada do submarino, a  Project 885M Yasen-M, Kazan, está atualmente passando por testes. Mais cinco submarinos do Projeto 885M encontram-se em diferentes estágios de construção.

Os submarinos do Projeto 885 e do Projeto 885M foram desenvolvidos pelo Malakhit Marine Engineering Bureau, sediado em São Petersburgo. Os submarinos deste projeto carregam mísseis de cruzeiro Oniks e Kalibr como armamento principal e no futuro serão integrados ao sistema de mísseis  hipersônicos “ZIrcon”. Em comparação com seus antecessores, esses submarinos têm seus tubos de torpedos afastados (a parte dianteira abriga uma matriz de sonar esférica, que permite detectar um inimigo a grandes distâncias).

 

Fonte: TASS

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais

Apresentado em São Petersburgo mais um conceito do futuro porta-aviões russo

 

E.M.Pinto

Como haviamos apresentado em artigos anteriores, o Ministério da Defesa da Rússia está atualmente avaliando dentre os os agora três conceitos de futuro porta Aviões para a sua Marinha,  qual será adotado, entretanto é muito cedo  para afirmar, qual e quando a escolha será feita. Isto porque o programa do Porta Aviões Russo ainda não foi declarado prioridade, apesar de se saber que ele deverá constar no orçamento militar 2018-2027, por hora há apenas os três conceitos os quais são plenamente díspares como veremos.

Tempestade 
 
Em 2013, foi apresentado ao público o conceito do porta aviões múlti propósitos “Storm” (Tempestade) que, segundo os projetistas, poderia transportar até 90 aeronaves. Seu principal destaque era a sua capacidade de operar em gelo o que permitiria operações no Ártico.
Apesar de que esta capacidade é contestada uma vez que as intepéries dificultama s operações das aeronaves em grande parte do tempo ao longo dos períodos mais rígidos do inverno.
Pigmeu
 
Já em 2019, o Krylov State Scientific Center apresentou no fórum Army-2019 um porta-aviões leve com um deslocamento de 44 mil toneladas para até 46 aeronaves.
Embora o Kirlov apresente este conceito como o ideal para as operações russa, acredita-se que o projeto deste navio tenha outro endereço, provavelmente uma ou duas nações estrangeiras, sendo a Índia o cliente mais elegível para o navio.
especialistas militares como o atual comandante da Marinha Russa no entanto já declararam em situações anteriores que um navio de deslocamento inferior a 75 mil toneladas de deslocamento poderiam não ser o ideal para a Marinha Russa dado ao fator logístico de deslocamento em longo raio e períodos, o que leva a crer que esta possibilidade embora  não seja descartada, pode não ser elegível caso a rússia venha adquirir um novo navio.
 
Peixe Boi
O terceiro conceito difere substancialmente do “Storm” por considerar um navio para operações próximas a costa, bem como, para operações oceânicas de longo raio. O modelo é apresentado no Salão Naval Internacional em São Petersburgo.
O desenvolvedor do projeto 11430E “Lamantin” (Manatee ou simplesmente peixe boi) é o Neva Design Bureau (PKB)que apresentou no seu estande as principais características  técnicas do seu conceitos.
A Neva informou que o seu projeto é de um navio nuclear e que se assemelha aos grandes porta aviões americanos, entretanto, considera o uso do Sky jump além de duas catapultas eletromagnéticas e quatro sistemas de recuperaão de aeronaves.

O deslocamento do  “Lamantina” é declarado em 80-90 mil toneladas e o navio teria 350 m de comprimento. A autonomia é de cerca de 120 dias (víveres e combustível para o grupo aéreo), a velocidade máxima seria de 30 nós. A tripulação do porta-aviões sé estimada em 3600 tripulantes sendo  2800 da tripulação formal e 800 do grupo aéreo.

No total, o navio operaria cerca de 60 aeronaves de vários tipos que iriam de  caças pesados ​​e leves, helicópteros e aeronaves de detecção de radar de longo alcance (asa fixa), além de 10 UAV, porém o navio teria provisões para acomodar ainda mais aeronaves em situações de emergência. A vida útil de um porta-aviões é superior a 50 anos com ciclos de recarga do combustível de 25 em 25 anos.

A principal característica do navio é que ele é projetado para atuar tanto no oceano quanto no mar e na zona costeira. Há uma grande variedade de aplicações para ele que vão desde garantir a estabilidade de combate dos grupos navais até atacar alvos aéreos, terrestres e marítimos (incluindo submarinos), até mesmo apoiar desembarques anfíbios a partir do uso de suas  aeronaves de ataque.
Não se sabe a data e se a Rússia realmente levará a diante o programa de um Porta Aviões desta envergadura, apesar d emuitas vezes esta ter sido declarada por suas mais altas autoridades, porém em São Petersburgo os rumores apontam para uma decisão de conceito até 2020, partindo para os trabalhos documentais até  2023 quando o navio deve seguir para a fase de construção e finalização entre 2027-2030.

 

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Rússia iniciará a construção do seu primeiro LHD em 2021

Tradução e adaptação-E.M.Pinto
 

“Existem planos para construir um navio de assalto anfíbio universal e entregá-la ao cliente no âmbito do programa de armamento 2018- 2027”

KUBINKA / Região de Moscou, 26 de junho / TASS /.

A Rússia planeja construir dois navios de assalto anfíbio universais capazes de transportar entre 15-20 helicópteros. Foi o que relatou a TASS em sua cobertura ao evento Army 2019. O projeto militar do LHD “Lavina” (avalanche) está amparado nos recursos do programa de rearmamento 2018-2027.

“Até o final do ano, o Ministério da Defesa concluirá o desenvolvimento das especificações técnicas para um navio de assalto anfíbio universal e os enviará à United Shipbuilding Corporation. O programa é amparado nos recursos até 2027 e inclui dois navios de assalto anfíbios universais. Um projeto preliminar foi elaborado. O trabalho de projeto técnico começará em 2020 e a construção do primeiro navio da série começará em 2021 “, disse a fonte, acrescentando que o construtor ainda não  havia sido determinado.

Existem planos para construir o principal navio de assalto anfíbio universal e entregá-lo ao cliente sob o programa estatal de rearmamento até 2027, até lá, o trabalho no primeiro navio produzido em série será concluído antes do início da década de 2030, disse a fonte.

“Embora as especificações técnicas ainda não tenham sido formuladas, já é possível falar agora que os navios de assalto anfíbios universais receberão uma grande doca para abrigar embarcações de assalto e também serão capazes de transportar um grande grupo de helicópteros de várias designações, incluindo 15-20 helicópteros de ataque “,disse a fonte.

LAVINA E PRIBOY

Os navios de assalto anfíbio universais como são chamados pelos militares russos, serão projetados para transportar um grupo de desembarque e grupamento aéreo bem heterogêneo composto por helicópteros pesados além de veículos e embarcações de grande porte.

As características do projeto “Lavina” são:

Comprimento /m: 218,0

Deslocamento / ton:  24.000 

Velocidade máxima / nós:  22,0

Alcance / Milhas: 5.000 à 18 nós

Tripulação: 320 oficiais e praças

Tropas: acima de 500 fuzileiros navais

Grupamento aéreo:

Cerca de 16 helicópteros Kamov Ka-27 (ou Ka-40 (minoga), Lampreia em desenvolvimento) ou Ka-52K

Cerca de 

50 veículos

Projeto  11770 de 6 navios de desembarque 

6 navios projeto 03160 – Raptor (Projeto 03160) barcos de patrulha de alta velocidade

NAVIOS DE ASSALTO UNIVERSAIS

Os navios de assalto anfíbio universal podem transportar  várias centenas de soldados de infantaria da marinha, barcos e outras embarcações infiltração de forças de assaltos e veículos blindados. O navio possuirá um poderoso sistema de controle de combate e poderá atuar como uma embarcação de comando e controle para um agrupamento de forças.
Acredita-se que a base seja o projeto Lavina, porém, modificações serão necessárias para ampliar a capacidade de acomodação de veículos e tropas por expedições de maior tempo de permanência em mar e por isso, apesar d anegativa de que o programa não se esplha nos mistral, ganha força a percepção de que o projeto não seja baseado no “Lavina” . 

A fonte esclarece que o navio terá capacidade superior ao Lavina podendo transportar até mais de 20 helicópteros de diferentes modelos. Apesar do “Lavina” ser o mais provável navio a ser base para o futuro LHD russo, as suspeitas direcionam para um outro projeto muito semelhante ao Mistral Francês, é o programa que respode pelo nome “Kachalote”. 

Isso porque a Nevsky PKB KGNTSestá projetando vários tipos de Navios de Assalto Anfíbio equipados com  Doca e deck para operações de Helicóptero (DVKD – Desantnyh Vertoletonosnyh Korablei-Dokov), esses projetos são chamados de “Priboy” dos quais dois navios já foram encomendados e iniciarão em breve o seu processo de construção e também conta como outros dois o “Lavina -Avalanche” e “Cachalote”.

O Projeto “Priboy” se baseia no navio de assalto Ivan Gren e possui um decke para operações simultâneas de até 4 helicópteros com capacidade de acomodação de até 6.

 CAHALOTE

Enquanto os dois primeiros projetos são razoavelmente bem amadurecidos,  o Cachalote é pouco conhecido.

O projeto Priboy apresenta um navio de desembarque de doca de cerca de 14.000 toneladas de deslocamento, já o Lavina apresenta um LHD com deslocamento de 24.000 toneladas e quipado com deck  e pista para operações de grupamentos de helicópteros em maior quantidade. Por sua vez o “Cachalote” possui um deslocamento superior, da ordem de 30.000 toneladas.

O projeto acumula a experiência na construção dos dois navios da classe “Mistral” que foram cedidos à indústria russa onde os  especialistas da Nevsky Design Bureau tomaram a iniciativa de criar várias versões do projeto do navio de assalto anfíbio para a Marinha russa.

O Diretor Geral Sergei Vlasov chegou a afirmar que o grupo tomou a iniciativa de desenvolver várias opções para embarcações de desembarque e está pronto para avançar para o projeto de qualquer um deles.

Representação artística da provavel configuação do navio projeto Cachalote”. muito semelhante ao Mistral.

O tempo de construção depende do deslocamento do navio  e a partir da sua criação o projeto, construção e entrega pode levar entre 5 a 6 e 7a8 anos, explicou o diretor do Nevsky Design Bureau.

Construção de navio de assalto anfíbio, superior ao “Mistral”, já havia sido definida para começar em 2020, de acordo com uma fonte do Ministério da Defesa.

“A primeira prioridade é a construção de novos grandes navios anfíbios (Lavina ou Cachalote), a construção de um navio de assalto anfíbio com uma plataforma de voo (Priboy), com os navios iniciando a construção em 2021 a ser concluída dentro de 3-4 anos. Durante este tempo, você deve ver uma nova geração de helicópteros (Ka-40 Lampreia) para aviação naval e embarcações de desembarque “

A construção do navio de assalto anfíbio completará a formação de uma nova imagem das forças expedicionárias da Marinha, baseada na composição de seus navios de doca  alternativos ao BDK-11711 ( “Ivan Gren”) e do Porta helicópteros. 

Fonte: TASS

Categories
Defesa Navios Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Rússia Planeja produzir pelo menos 12 fragatas Project 22350M

Tradução E.M.Pinto

A Rússia planeja fabricar pelo menos 12 fragatas do Project 22350M de deslocamento de 7.000 toneladas e uma capacidade de transportar até 48 mísseis de cruzeiro Kalibr, Oniks e Tsirkon. O projeto será finalizado no final deste ano.

MOSCOU, 9 de maio / TASS /. A Rússia planeja fabricar pelo menos 12 fragatas aprimoradas Project 22350M, capazes de transportar até 48 mísseis de cruzeiro Kalibr, Oniks e Tsirkon, disse uma fonte da indústria naval à TASS nesta quinta-feira.

“O navio principal desta série está previsto para ser incorporado à Marinha em 2027”, disse a fonte.

De acordo com a fonte,

“O projeto para esta embarcação prevê um deslocamento de 7.000 toneladas padrão e uma capacidade de transportar 48 mísseis de cruzeiro Kalibr, Oniks e Tsirkon e que será finalizado no final do ano”.

“Ao todo, 12 fragatas desta classe estão planejadas para serem fabricadas, com 11 delas para serem encomendadas ao cliente dentro dos quadros do novo programa estatal de aquisição de armas”, acrescentou a fonte.

A Marinha Russa tem atualmente a seu serviço o principal navio de guerra do Project 22350, a Almirante Gorshkov, enquanto a Almirante Kasatonov passa por testes no mar e mais duas fragatas desta série estão em construção.

Espera-se que as fragatas do Project 22350 se tornem os navios de guerra mais avançados da marinha russa em sua classe. Estas fragatas deslocam 4.500 toneladas e podem desenvolver uma velocidade de 29 nós. Eas estão armadas com mísseis Oniks e Kalibr e com os sistemas de mísseis de defesa aérea Poliment-Redut.

 

Fonte: Tass

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

O desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo será iniciado em 2023

Andrey Luzik

Tradução e adaptação E.M.Pinto

O trabalho de desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo será iniciado em 2023. Os recursos da fase de desenvolvimento já estão incluídos no programa ferderal de armamento.

Grupos de ataque centrados em Porta Aviões continuam sendo a ferramenta mais poderosa da guerra no mar.

“A pesquisa científica e desenvolvimento do novo porta-aviões estão incluídos no atual programa de armamentos que se estende até 2027, e vai ser iniciado já em 2023” – foi o que informou a TASS, uma fonte da indústria de construção naval.

Segundo a fonte, o navio será movido a energia nuclear e terá um deslocamento de cerca de 70 mil toneladas.

A United Shipbuilding Corporation esclareceu à agência que até agora nenhuma especificação técnica e tática específica para o projeto deste navio foi recebida do Ministério da Defesa da Rússia.

“Se tal ordem for recebida do departamento, as empresas da corporação estarão prontas para implementá-la”, disse o porta voz da USC.

No momento, a Marinha russa possui um porta-aviões convencional, o Cruzador Almirante Kuznetsov que está passando por reformas com modernização e deve voltar a operar depois de 2021.

Fonte: Tass 

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

O porta-aviões almirante Kuznetsov será ancorado para mais reparos em 2020

Em abril de 2018, os construtores navais assinaram um contrato com o Ministério da Defesa para fazer reparos no porta-aviões Almirante Kuznetsov.

©  Lev Fedoseev / TASS

MOSCOU, 7 de maio / TASS /. O porta-aviões russo Almirante Kuznetsov, atualmente em manutenção na 35ª fábrica de reparos navais em Murmansk, será docado em 2020, disse uma fonte da indústria naval à TASS.

“A fase de reparos em um dique seco começará em 2020, desde que as instalações necessárias estejam operantes e a capacidade do dique seja aumentada”, disse a fonte.

A United Shipbuilding Corporation informou à Tass que a 35ª usina de reparos de navios estava em processo de modernização de suas instalações portuárias, o que permitiria acomodar o porta-aviões.

“É um pacote complexo de medidas, por isso prevemos um certo adiamento da segunda docagem do navio, mas o eventual prazo para a conclusão dos reparos foi atualizado para 2021 e permanecerá inalterado”, disse a  fonte.

O almirante Kuznetsov foi danificado em um incidente noturno em 30 de outubro de 2018, durante uma operação de lançamento em Murmansk. A doca flutuante PD-50 afundou e a consequente queda de um guindaste danificou o convés de vôo do kuznetsov.

O presidente da corporação naval Alexei Rakhmanov disse à TASS que o porta-aviões sofreu 52 defeitos, o que custariam cerca de  70 milhões de rublos para serem eliminados. Ele disse que o Almirante Kuznetsov teria que ser ancorado pela segunda vez. 

Originalmente, a operação estava programada para o verão de 2019. Após o afundamento do cais PD-50, várias opções de um segundo acoplamento foram consideradas e a escolha foi feita em favor da criação das instalações necessárias na 35ª fábrica de reparos navais.

Atualização do Almirante Kuznetsov

Em abril de 2018, os construtores de navios assinaram um contrato com o Ministério da Defesa para realizar uma atualização no porta-aviões project 11435. O então vice-comandante da Marinha russa, Viktor Bursuk, disse que os reparos no único porta-aviões da Rússia começaram em maio de 2018 e que a Marinha esperava ter o navio atualizado em 2021.

O ministro da Defesa, Sergey Shoigu, disse em 9 de abril que a parcela do trabalho de reparo e modernização chegou a 25% e deve ser concluída até o final de 2020.

O Almirante Kuznetsov estará armado com novos sistemas de defesa aérea, incluindo o Pantsir-M. Equipamentos de geração de potencia adicionais, caldeiras, bombas, equipamentos de vôo, sistemas de observação e controle totalmente novos.

Fonte: Tass

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Rússia lança o maior submarino do mundo- Project 09852 KC-139 "Belgorod" a nave mãe dos submarinos "Poseidon"

Tradução e adaptação: E.M.Pinto


SEVERODVINSK, 23 de abril / TASS /.

Em cerimonia oficial, foi lançado o submarino Project 09852 KC-139 “Belgorod” o submarino de propulsão nuclear que será o primeiro transportador dos drones submarinos estratégicos “Poseidon”. O lançamento do navio foi efetuado de sua doca no estaleiro Sevmash, no norte da Rússia.

O presidente russo, Vladimir Putin, assistiu à cerimônia de lançamento do submarino por meio de um link de TV.

Mikhail Budnichenko diretor do estaleiro proferiu um pronunciamento enfatizando o papel dos construtores navais que estão em constante melhoria e produção continuada, com contratos assinados por mais de duas décadas garantidos.

Ele enfatizou:

“Os construtores navais da empresa cumpriram todas as tarefas de construir navios dentro do prazo estabelecido e com alta qualidade”.

Depois disso, o Comandante do Navio Capitão Anton Alyokhin tradicionalmente esmagou uma garrafa de champanhe contra a quilha do navio. A construção do submarino será concluída após o lançamento ao mar.

Uma fonte do setor de defesa disse à TASS que os testes do reator nuclear do submarino e seus testes no porto estão programados para este ano.

O Belgorod realizará testes marítimos em 2020 e após as suas aprovações, será entregue à Marinha até o final desse ano, observou a fonte.

Outra fonte na indústria de defesa disse à TASS que o novo submarino seria capaz de transportar seis drones estratégicos.

O submarino nuclear Belgorod foi inicialmente construído sob o Project  949A ‘Antey’.

O submarino foi colocado no estaleiro Sevmash em 24 de julho de 1992. Em 20 de dezembro de 2012, foi novamente lançado sob o Projeto 09852.

As características operacionais exatas do submarino para fins especiais são secretas e desconhecidas, porém, o Ministério da Defesa da Rússia informou em novembro de 2018 que a tripulação do submarino de Belgorod havia sido formada.

O navio terá no entanto a missão de transportar e comandar o drone submarino Poseidon o qual foi revelado pelo presidente russo Vladimir Putin em seu discurso à nação na Assembléia Federal em 1 de março de 2018.

O líder russo disse que a Rússia já havia desenvolvido drones capazes de se mover em grandes profundidades, em distâncias intercontinentais a uma velocidade superior aos dos subamarinos convencionais.

Como o presidente russo disse, esses drones podem ser armados com munições convencionais ou nucleares, o que lhes permitirá atacar uma ampla gama de alvos. O drone Poseidon terá um alcance operacional ilimitado e uma profundidade operacional de mais de 1 km.


Fonte: TASS

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Marinha russa pode ter que desmantelar seu único porta-aviões

Tradução e adaptação – E.M.Pinto

O único porta-aviões da Rússia, o almirante Kuznetsov, pode ser desativado se o Ministério da Defesa e a indústria não resolverem a questão da substituição da doca seca flutuante PD-50 necessária para concluir a reparação do casco do navio, informou o jornal Izvestia, citando uma fonte na Marinha russa.

A Marinha Russa está considerando a desativação prematura de seu único porta-aviões depois que a doca seca flutuante PD-50, que a abrigava, afundou.

EM 2018 o navio sofreu um sinistro no dique seco flutuante  após uma falha no fornecimento de energia, fazendo com que um dos guindastes do cais caísse no convés do porta aviões, frindo os trabalhadores da estação de reparos. O incidente deixou um buraco de 4 × 5 metros no convés de vôo da embarcação.

Agora, o maior navio de combate da superfície da Marinha Russa está aguardando a decisão de seu destino perto do muro da 35ª Instalação de Reparos em Kola Bay, perto de Murmansk. A Rússia não possui um substituto adequado para o PD-50 que fora adquirido da 1980 na Suécia para a Marinha Soviética. Além disso, o porta-aviões russo já protagonizou  muitas outras controvérsias.

Segundo a Popular Mechanics, nas últimas décadas, o Kuznetsov já havia sido assolado por incêndios, cortes orçamentários e falhas nas caldeiras a vapor. É tão pouco confiável que um rebocador o acompanha em longas viagens.

Mesmo antes do acidente do PD-50, vários observadores questionaram a utilidade e a despesa de reforma do Kuznetsov.

 “Em geral, precisamos revisar criticamente o conceito doméstico do emprego de grupos de ataque de porta-aviões, já que a Rússia se comprometeu a usar o almirante Kuznetsov para realizar tais missões”, sugeriu Oleg Vladykin na Nezavisimaya Gazeta.

O editor do jornal Moscow Defense Brief Mikhail Barabanov rejeitou as atualizações de Kuznetsov.

“Como Kuznetsov não é tanto uma plataforma de combate como uma plataforma de treinamento, a modernização profunda para ela é um excesso óbvio”.

O almirante Kuznetsov (cruzador de aeronaves pesadas na classificação russa) foi comissionado em 1990 e herdado pela Rússia após o desmembramento da URSS. O nome inicial do navio era Riga; foi lançado como Leonid Brezhnev, embarcou em testes no mar como Tbilisi, e finalmente foi nomeado Almirante Flota Sovetskogo Soyuza Kuznetsov após o almirante da frota da União Soviética Nikolay Gerasimovich Kuznetsov.

Nos anos imediatamente posteriores à Guerra Fria, raramente foi para o mar – conduzindo apenas seis patrulhas entre 1991 e 2015. Em 2009, um acidente elétrico matou um tripulante na costa da Turquia. Mas a Rússia repetidamente empurrou o navio para o serviço, e uma missão de 2016 na costa da Síria viu o navio perder dois jatos em apenas três semanas.

No momento, a Rússia não tem as possibilidades técnicas e financeiras para restaurar seu antigo porta-aviões e também para construir uma série de novos.

Fonte: Defence Blog

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

A Rússia está desenvolvendo fragatas capazes de transportar quase 48 mísseis de cruzeiro

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

MOSCOU, 17 de março. / TASS /. O Northern Design Bureau (PKB) iniciou o desenvolvimento de documentação de projeto para as fragatas atualizadas Project 22350M, que transportará até 48 mísseis de cruzeiro Caliber. Isso foi anunciado no domingo pela TASS no complexo militar-industrial.

A fonte acrescentou que mísseis “zircon” hipersônicos também serão incluídos no arsenal destes navios.

O interlocutor disse que as novas fragatas receberão um sistema de controle de fogo universal e automatizado para todos os tipos de armamento – ataque a superfície, artilharia, míssil antiaéreo,  anti-navio e anti-submarino, anti-navio. “Isso aumentará significativamente suas capacidades de combate”, ressaltou a fonte.

Atualmente, a principal fragata do projeto base 22350 “Almirante Gorshkov” faz parte da estrutura de combate da Marinha Russa. A primeira fragata serial 22350 “Almirante Kasaton” está passando por testes no mar. O deslocamento desses navios é muito menor do que o previsto para o projeto 22350M e é de 4,5 mil toneladas, cada fragata pode transportar até 16 mísseis de cruzeiro “Kalibr”.

Fonte: TASS

Categories
Defesa Geopolítica Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Míssil hipersônico "zircon" será lançado pela primeira vez a partir de um navio de guerra ainda este ano

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

Segundo a agência de notícias TASS , citando uma fontedo complexo industrial militar Russo, a fragata Project 22350 Almirante Gorshkov será o primeiro navio da Frota Russa a lançar a mais nova arma do seu arsenal, o Míssil Hypersônico Zircon. Segundo a fonte testes já teriam sido feitos a partir de lançadores costeiros.

O desenvolvimento deste míssil tem sido realizado na Rússia há vários anos e suas características estão melhorando constantemente segundo relatou a matéria. De acordo com os dados mais recentes, expressos pelo presidente do país no final de fevereiro, em uma mensagem para a Assembléia Federal, o Zircon é capaz de atingir velocidades de até 10700 km/h e seu alcance é superior a 1000 km.

O Míssil foi projetado para destruir alvos marítimos e terrestres, embora tenha sido originalmente criado como sistema um anti-navio as melhorias no projeto garantem o seu uso em uma variada gama de funções, ampliando o seu leque de disponibilidade.

O Zircon foi projetado para ser lançado de navios e submarinos já produzidos e que é compatível com os lançadores dos sistemas de mísseis Caliber. Essa compatibilização racionaliza recursos e tempo de desenvolvimento, além de aumentar a letalidade e versatilidade das plataformas economizando o retrabalho dos dispositivos iniciais.

O surgimento de novas armas no arsenal das forças armadas russas preocupa os países do Ocidente. Em particular, não há defesas existentes no planeta capazes de parar esta arma, o Zircon é problema para os modernos sistemas de defesa contra mísseis, uma vez que são difíceis de detectar. Ainda sim, mesmo que  as estações de radares o detectem, é quase impossível interceptar o míssil devido à sua velocidade.

Fonte: Tass

Categories
Defesa Meios Navais Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Almirante Kasatonov conclui os primeiros testes de mar

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

A mais nova fragata do Project 22350 Almirante Kasatonov, construída para a Marinha da Rússia na empresa “Severnaya Verf”, completou com sucesso a primeira fase de testes de  Mar no Mar Báltico e retornou a São Petersburgo.
Durante a primeira fase de testes, em que participou a equipe de aceitação do fabricante e da tripulação da fragata, vários sistemas de suporte, sobrevivência, energia, operação autônoma de equipamentos de rádio, comunicações, ventilação e ar condicionado, bem como indicadores de velocidade, manobrabilidade e estabilidade do navio foram testados.
Os testes continuarão após a melhoria da situação do gelo no Golfo da Finlândia.
Anteriormente, a tripulação do navio passou por um treinamento abrangente no Centro de Treinamento Conjunto da Marinha e estava pronta para conduzir todas as fases do programa de testes.

Fonte: Seawaves

Categories
Defesa Geopolitica Meios Navais Navios Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Marinha russa pretende lançar mais de 30 drones submarinos Poseidon

De acordo com a fonte da indústria de defesa, espera-se que dois submarinos portadores do Poseidon entrem em serviço com a Frota do Norte e os outros dois  na Frota do Pacífico.

O veículo submarino não tripulado, movido a energia nuclear e armado com motor nuclear Poseidon

O veículo submarino não tripulado, movido a energia nuclear e armado com motor nuclear Poseidon

© Gabinete de Imprensa e Informação do Ministério da Defesa da Federação Russa / TASS

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

MOSCOU, 12 de janeiro / TASS /. A Marinha russa planeja colocar no mar mais de 30 drones submarinos com capacidade nuclear estratégica Poseidon em combate, disse uma fonte da indústria de defesa  à TASS neste sábado.

“Dois submarinos transportadores do Poseidon devem entrar em serviço na Frota do Norte e os outros dois se juntarão à Frota do Pacífico. Cada um dos submarinos terá a capacidade de lançar um máximo de oito drones e, portanto, o número total de Poseidons em combate pode chegar a 32 veículos “, disse a fonte.

O submarino de propulsão nuclear Khabarovsk, atualmente em construção no Estaleiro Sevmash, se tornará um dos transportadores orgânicos do drone submarino Poseidon. Além disso, os submarinos para propósitos especiais e os cruzadores submarinos nucleares do Projeto 949A, operados na Marinha Russa, podem ser usados ​​como transportadores

“após a atualização apropriada”, observou a fonte.

Em seu discurso de Estado às duas casas do Parlamento da Rússia em 1º de março de 2018, o presidente russo Vladimir Putin mencionou pela primeira vez os esforços do país em desenvolver um veículo submarino nuclear não tripulado capaz de transportar ogivas nucleares e convencionais. Segundo alegou o veículo é capaz de destruir infraestruturas inimigas, grupos de porta-aviões e outros alvos.

Os drones Poseidon, junto com seus transportadores – submarinos movidos a energia nuclear – fazem parte do chamado sistema multiuso oceânico. O drone recebeu seu nome após os resultados da votação aberta no site do Ministério da Defesa da Rússia.

Uma fonte da indústria de defesa disse à TASS que o drone Poseidon que está sendo desenvolvido na Rússia seria capaz de transportar uma ogiva nuclear com capacidade de até 2 megaton para destruir as bases navais inimigas.

Fonte: TASS