Defesa & Geopolítica

Sistema antiaéreo russo Buk-M3

Posted by

Desenvolvedor principal da empresa Almaz-Antey, Pavel Sozinov: — Buk-M3 é capaz de interceptar praticamente todos os mísseis de cruzeiro e todos os alvos aerodinâmicos.

“O Buk-M3 é uma nova geração de sistemas da defesa antiaérea das tropas terrestres. Já está sendo produzido em série. O Buk-M3 é capaz de interceptar praticamente a totalidade da nomenclatura de mísseis de cruzeiro e alvos aerodinâmicos”, declarou Sozinov em entrevista para a revista Natsionalnaya Oborona (Defesa Nacional).

Ele precisou que 12 mísseis foram instalados numa plataforma de tiro e seis numa rampa móvel.

“É um sistema único que permite, de fato, disparar em movimento e alcançar grande eficácia em contexto de ataques em massa do inimigo”, explicou ele.

Sozinov acrescentou que os primeiros sistemas fabricados em série já foram fornecidos ao exército russo.

“O sistema está à altura dos melhores análogos mundiais. Ele vai confirmar a sua eficácia durante, pelo menos, os próximos 20 anos”, concluiu ele.

O Buk-M3 é um sistema de defesa de médio alcance promissor criado para ser usado contra alvos em movimento e para destruição de alvos em terra e na água.

O míssil tem uma capacidade de alcance até 70 quilômetros e pode atingir até 35 quilômetros de altitude. Além disso, graças a uma diminuição do peso do sistema Buk-M3, os mísseis podem levar uma maior carga ativa, aumentando assim seu poder de fogo.

Fonte: Sputnik

Edição: Plano Brasil

14 Comments

  1. Pingback: Sistema antiaéreo russo Buk-M3 | DFNS.net em Português

  2. Um sistema desse no EB seria formidável!!

  3. Incrível, essa sim seria uma proposta interessante para o nosso país em comparação ao Pantsir, com alcance bem superior inclusive.
    Vale lembrar que diversos países de todo o mundo utilizam o meio em versões anteriores, inclusive a própria Venezuela, possui a versão anterior (M2).
    Aproveitando o ensejo, essa estratégia de atualização de quase todos os meios anti aéreos (além de outros equipamentos também) visa não somente atender a demanda nacional, mas também tem a meta de colocar a disposição do mercado internacional, uma atualização pros atuais usuários, que podem atualizar seus meios como também adquirir mais unidades devido a confiabilidade dos produtos e a parceria criada ao longo dos anos. Essa estratégia tem dado certo em diversos campos, no campo dos blindados, a Rússia já conseguiu contratos não só de atualização no exterior como também de novas aquisições, idem ao caso dos caças, que tanto na familia Sukhoi quanto nos MIGs já receberam atualizações e tiveram aceitação no mercado exterior.

  4. Os sistemas ati aereos russos são os melhores se não paises como a Turquia e Arabia Saudita não estariam interessados.

    No entando mudando de assunto os lasers vão tornar quase todos os sistemas defensivos atuais obsoletos e a industria belica vai deixar de ter o lucro constante pois os lasers não precisam de muita manutenção e não tem prazo de validade como os misseis, e os misseis são como tartarugas diante dos lasers, segundo os desenvolvedores do Athena vai ser como lutar com arco e flecha apos eles estarem operacionais.

    • A Máquina Troll says:

      muito mais melhores que os estadunidenses…

      • Não são melhores que os dos EUA o que ocorre é que provavelmente tem alguma vantagem para o interesse destes países.

        Podemos dizer que são equivalentes !

        Provavelmente mais práticos.

      • A Máquina Troll says:

        “Munhoz
        13 de dezembro de 2017 at 22:19

        Não são melhores que os dos EUA”

        Claro que são…

  5. Profeta_Lunatico says:

    O Buk-M3 no Brasil? Kkk é Russo não pode ..segundo os bois de manada, não pode não é compativel com restantes estruturas e meios..não é compativel pra nossa realidade e TO.
    Seria bom demais o Brasil ter o Buk-M3..mas a republica da mandioca vive no eterno sonho do capacho

  6. Bem que poderiam dar condições a nossa Avibras desenvolver foguetes/misseis de defesa aérea. Ganharia o Brasil em impostos, empregos e geração de riqueza

  7. Claudio Moreno says:

    Knoll, boa noite a ti e demais colegas!
    Rapaz realmente tu falou tudo, encomendas seguida de co-produção ou desenvolvimento de outro produto em parceria com a Avibras ou Mectron. Eu vou mais longe ainda, já que o interesse maior é do EB, então desenvolver um ramo de misseis na IMBEL. Todos sairiam ganhando.

    CM

  8. Renival Oliveira says:

    Por que o Brasil não negocia com os Russos um sistema completo de defesa antiaérea de médio e longo alcance. Como os Buk-m3 e os S400,

    • Para que um sistema caro como S400 para o Brasil, para abater urubu??? Tantas outras prioridades mais importante para as forças armadas, o povo aqui viaja na maionese.

  9. Esse eu “dou valor”!

shared on wplocker.com