Defesa & Geopolítica

Rússia vai modernizar o lançador múltiplo de foguetes ‘TOS-1’

Posted by

A ‘revista alemã Stern ‘ comunica que a Rússia terá em breve uma nova modificação de uma das suas armas mais potentes, o lançador múltiplo de foguetes TOS-1.

A Rússia vai desenvolver a modificação TOS-2, que será construída com base na plataforma Armata e instalada em um tanque de rodas para aumentar a mobilidade, possivelmente na plataforma unificada Bumerang. O primeiro protótipo já está sendo produzido.

Além disso, a mídia diz que o lançador múltiplo de foguetes não tem análogos no exterior, com exceção da Síria, onde as tropas governamentais usam o sistema TOS-1.

As particularidades de ação desta arma consistem no fato de possuir 30 tubos de lançamento, a partir dos quais são disparados os foguetes com ogivas termobáricas. Ao atingir o alvo, estas ogivas provocam o efeito de “bomba spray”, de colossal poder explosivo. É de assinalar que, após a primeira onda de choque, é criado um efeito de vácuo. A Stern nota que este efeito faz com que seja impossível o adversário se salvar mesmo em fortificações subterrâneas: abrigos e bunkers.

Para além disso, estas armas são capazes de proteger os campos de minas. De acordo com a mídia alemã, esse novo sistema será fornecido já em 2018-2025.

Fonte: Sputnik

 

Edição: Plano Brasil

 

4 Comments

  1. Pingback: Rússia vai modernizar o lançador múltiplo de foguetes ‘TOS-1’ | DFNS.net em Português

  2. Claudio Moreno says:

    Bom dia Senhores!

    Colegas sou da cavalaria mecanizada, porém taí um vídeos que me deixou de boca aberta e com medo de topar de frente!
    Infelizmente nossos Astros II e os mais recentemente incorporados Astros 2020 não possuem foguetes com cabeça termobáricas (quem sabe no futuro, pois pelo menos já temos e em fase e implantação foguetes orientados), isto daria ao EB uma capacidade ofensiva fantástica, nossa artilharia amaciaria, depois esquentava e por fim viria a tropa blindada pro “choque” final.

    CM

  3. César A. Ferreira says:

    Realmente… Cabeças de guerra termobáricas fariam uma diferença brutal nos foguetes que compõem o sistema ASTROS 2020…

  4. Poderíamos desenvolver sob o chassis de algum tanque desativado é ou desenvolvido ( M41C , OSÓRIO, TAMÓIO etc.) Uma versão nacional semelhante a essa Russa.
    Agora, depoimento interessante do senhor Cláudio Moreno (caso o mesmo seja da cavalaria mesmo).
    Segundo o mesmo, já está em implantação foguetes guiados, ou seja; já foi desenvolvido e testado os foguetes guiados SS40-G.
    Aí surge um grande problema das empresas de defesa nacionais.
    A falta de transparência e visão de publicidade, pois em toda parte do mundo se mostra e notifica testes de novos sistemas de armas, só no Brasil é que pomos sigilo onde não precisa e divulgamos o que precisa de sigilo ( vide exemplo da base de submarinos etc,).
    Muito provavelmente já estão em fase de aceitação do MT-300 Matador da Avibras e Vant Falcão, completando assim todo o sistema de armas Astros 2020.
    Quanto a ogiva termobárica, havia estudos no IME (se não me engano) para desenvolvimento nacional de tal artefato.
    Para dotar dentre outros meios, a ALAC !

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com