Defesa & Geopolítica

Plano Brasil/MB e USN/Relações Bilaterais (Parte 01)/Navy.mil/Texto Bilíngue/Análise: “CNO visita Parceiros Navais no Brasil e aprofunda Relação Estratégica (CNO Visits Naval Partners in Brazil, Deepens Strategic Relationship)”

Posted by

Autor: Gérsio Mutti

NOTA DO PLANO BRASIL, por Gérsio Mutti: Plano Brasil/MB e USN/Relações Bilaterais (Parte 01)/Texto Bilíngue/Análise: “CNO visita Parceiros Navais no Brasil e aprofunda Relação Estratégica (CNO Visits Naval Partners in Brazil, Deepens Strategic Relationship)”.

 

A presente visita do Comandante de Operações Navais da Marinha dos Estados Unidos da América (CNO da USN), Almirante (*) John Michael Richardson, ao Comandante da MB, Almirante de Esquadra, Eduardo Bacellar Leal Ferreira, trata das Relações Bilaterais existentes entre as duas Marinhas de Guerra.

(*) Na Hierarquia Militar dos EUA ( US Navy Ranks – Officers – Navy.mil – http://www.navy.mil/navydata/ranks/officers/o-rank.html ), Oficial General de Quatro Estrelas é tratado por Admiral = Almirante; Oficial General de Cinco Estrelas (promoção em tempo de guerra) que vem a ser Fleet Admiral = Almirante de Esquadra. No link do Navy.mil há a seguinte observação sobre Fleet Admiral: “The rank of Fleet Admiral has been reserved for war time use only. The last Fleet Admirals were in World War II. Fleet Admirals during that war were Chester W. Nimitz, William D. Leahy, Ernest J. King, and William F. Halsey.” Na MB ocorre o inverso. Oficial General de Quatro Estrelas é Almirante de Esquadra e em tempo de Guerra um Oficial General de Quatro de Estrelas ao ser promovido o será para General de Cinco Estrelas ou simplesmente denominado “Almirante”.

Na data de 25 de Agosto de 2015 ( http://www.planobrazil.com/comandante-da-marinha-do-brasil-mb-e-recebido-pelo-chief-of-naval-operations-cno/ ), foi o então Comandante de Operações Navais (ComOpNav), Almirante Jonathan W. Greenert  (Chief of Naval Operations (CNO) da US Navy (USN), Admiral Jonathan W. Greenert), que vem a ser o equivalente ao Comandante da Marinha do Brasil (MB), quem recepcionou na condição de anfitrião o Comandante da MB, o Almirante de Esquadra, Eduardo Bacellar Leal Ferreira, para uma visita protocolar.

Foto 01: Comandante da MB, AE Leal Ferreira, é recebido com Honras Militares pela Marinha dos EUA

Foto 02: CNO da USN, Almirante Richardson, recepciona e dá as boas-vindas ao Comandante da MB, AE Leal Ferreira

Agora, a retribuição se fez, também na forma de visita protocolar, no mesmo grau hierárquico, onde foi o Comandante da MB quem passou a ser o anfitrião ao receber e dar as boas-vindas a Comitiva americana presidida pelo atual CNO da USN, Almirante John Michael Richardson.

BRAVO ZULU (BZ) PARA AS “PROFÍCUAS RELAÇÕES BILATERAIS ENTRE AS MARINHAS DE GUERRA DO BRASIL (MB) E DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA (USN)”.

CNO visita Parceiros Navais no Brasil e aprofunda Relação Estratégica”

Tradução e Adaptação para o Plano Brasil (PB) do texto em inglês da Navy.mil ( NNS180802-05 – http://www.navy.mil/submit/display.asp?story_id=106581 +https://twitter.com/CNORichardson/status/1025039305968955394 ) publicado abaixo.

CNO visita Parceiros Navais no Brasil e aprofunda Relação Estratégica”

RIO DE JANEIRO, Brasil (NNS180802-05) – O Chefe de Operações Navais (CNO), Almirante John Richardson visitou o Brasil de 31 de julho a 1º de agosto, onde se reuniu com o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, para discutir um maior aprofundamento da Parceria Naval EUA-Brasil e também proferiu uma palestra aos alunos da Escola de Guerra Naval.

Foto 03: Comandante da MB, AE Leal Ferreira, recepciona e dá as boas-vindas ao CNO da USN, Almirante Richardson.

No encontro com o Comandante da Marinha do Brasil, AE Leal Ferreira, o CNO da USN, Almirante Richardson, tratou de buscar oportunidades de ampliar a Parceria Naval e aumentar a Interoperabilidade por meio de Programas de Intercâmbio de Oficiais e Operações Combinadas.

“O resultado final dessas trocas e Exercícios Navais é o estabelecimento de colaboração entre nossas Instituições Interamericanas e uma postura que venha nos ajudar a enfrentar os Desafios de Seguranças Compartilhadas e manter esse Hemisfério em Ordem e Segurança”, disse o Almirante Richardson.

Foto 04:  Reunião Bilateral, em que foram tratados diversos assuntos de interesse entre as duas Marinhas de Guerra, MB e USN

O Almirante Richardson destacou o fato de que o AE Leal Ferreira atuou como Instrutor no Departamento de Marinharias e Navegação da Academia Naval dos EUA e que os Oficiais da Marinha do Brasil estudam regularmente Operações e Estratégia na Escola de Guerra Naval dos EUA (Undergraduation/Graduação)  e na Escola Superior Guerra Naval dos EUA (Graduation/Pós-Graduação).

“Estas são Amizades Estratégicas que são formadas em virtude dessas trocas”, disse o Almirante Richardson. “Isso torna as Operações Combinadas rápidas, ágeis e responsivas muito mais fáceis, porque você pode pegar o telefone/celular e ligar/enviar um WhatsApp para o seu amigo. Há um laço de confiança que existe há décadas.”

Após os comentários do Almirante Richardson, ele foi acompanhado no parlatório pelo AE Leal Ferreira, e os dois Chefes de Marinhas conduziram uma sessão de perguntas e respostas com Oficiais da Marinha do Brasil sobre Segurança Global, Estratégia e Questões Atuais.

Fotos 05 e 06: O Almirante John M. Richardson destacou os laços de amizade históricos entre o EUA e o Brasil – O CNO da USN, Almirante Richardson, ciceroneado pelo Comandante da MB, AE Leal Ferreira, esteve no Auditório Tamandaré da Escola de Guerra Naval, localizada na Praia Vermelha no Rio de Janeiro, onde ministrou palestra sobre o tema “Estratégia Nacional de Defesa (END) dos EUA e os esforços marítimos da Marinha dos EUA em apoio à END”. O evento contou com a presença do Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, Almirantes da Área Rio, Oficiais Superiores em Cargos de Comando e Direção, Colaboradores e Conselheiros do Centro de Estudos Político-Estratégicos da Marinha, Professores e Instrutores da EGN e Oficiais-Alunos do Curso de Política e Estratégia Marítimas (C-PEM) e do Curso de Estado-Maior para Oficiais Superiores (C-EMOS).

“Essa é uma das coisas que nos une – somos ambos Nações Globais e ambos temos Marinhas que têm que proteger esses Interesses Globais”, disse o Almirante Richardson.

O CNO também visitou o Comandante do Primeiro Distrito Naval (1º DN) do Rio de Janeiro e esteve a bordo do Navio Anfíbio Multiuso NDM Bahia (G40).

Foto 05: CNO da USN passa em revista a Guarda de Honra ao ser recebido pelo Comandante do Primeiro Distrito Naval

“Os Estados Unidos e o Brasil trabalharam e navegaram juntos para defender a Segurança Marítima por centenas de anos”, disse o Almirante Richardson. “Celebramos uma parceria de longa data entre o Brasil e os Estados Unidos à medida que nos posicionamos ombro a ombro para defender a Segurança Marítima Global. Celebramos os Valores Interamericanos e nosso interesse comum por um Hemisfério Próspero, Ordeiro e Seguro”.

A visita faz parte de uma série de compromissos na América do Sul, a começar pela Conferência Naval Interamericana (IANC) na Colômbia, onde 18 Chefes de Marinha se reuniram para discutir o fortalecimento de parcerias e o aumento da Cooperação Marítima.

CNO Visits Naval Partners in Brazil, Deepens Strategic Relationship

 

Story Number: NNS180802-05 Release Date: 8/2/2018 10:27:00 AM

From Chief of Naval Operations Public Affairs Communications

180801-N-ES994-025 RIO DE JANEIRO, Brazil (Aug. 1, 2018) Chief of Naval Operations (CNO) Adm. John Richardson visits with leadership in the Brazilian navy while aboard the multipurpose amphibious ship NDM Bahia (G40). CNO is on a trip to deepen the US-Brazil naval relationship. The engagement is part of a multi-day trip to South America to strengthen partnerships and increase maritime cooperation. (U.S. Navy photo by Chief Mass Communication Specialist Elliott Fabrizio/Released)

Foto 06: Photo: (180801-N-ES994-025) – RIO DE JANEIRO, Brazil (Aug. 1, 2018) Chief of Naval Operations (CNO) Adm. John Richardson visits with leadership in the Brazilian navy while aboard the multipurpose amphibious ship NDM Bahia (G40). CNO is on a trip to deepen the US-Brazil naval relationship. The engagement is part of a multi-day trip to South America to strengthen partnerships and increase maritime cooperation. (U.S. Navy photo by Chief Mass Communication Specialist Elliott Fabrizio/Released).

 

RIO DE JANEIRO, Brazil (NNS) — Chief of Naval Operations (CNO) Adm. John Richardson visited Brazil, July 31 – Aug. 1, where he met with Brazilian navy leadership, discussed deepening the US-Brazil naval partnership and gave remarks at the Brazilian Naval War College.

During the visit, CNO also met with his Brazilian counterpart, Adm. Eduardo Bacellar Leal Ferreira, commander of the Brazilian navy, to seek opportunities to expand their naval partnership and increase interoperability through officer exchange programs and combined operations.

“The end result of these naval exchanges and exercises is the establishment of collaboration between our inter-American institutions and a posture that helps us confront shared security challenges and keep this hemisphere prosperous orderly and secure,” said Richardson.

Richardson highlighted the fact that Leal Ferreira served as instructor in the U.S. Naval Academy’s department of seamanship and navigation and that Brazilian naval officers regularly study operations and strategy at the U.S. Naval War College and Naval Postgraduate School.

“These are strategic friendship that are formed by virtue of these exchanges,” said Richardson. “This makes fast, agile and responsive combined operations so much easier, because you can pick up the phone and call your friend. There’s a bond of trust and confidence that has existed for decades.”

Following Richardson’s remarks, he was joined onstage by Leal Ferreira, and the two heads of navy conducted a question-and-answer session with Brazilian navy officers on global security, strategy and current issues.

“This is one of the things that binds us together-we are both global nations, and we both have navies that have to protect those global interests,” said Richardson.

CNO also spent time with leadership in Brazil’s First Naval District Command and aboard the multipurpose amphibious ship NDM Bahia (G40).

“The United States and Brazil have worked and sailed together to defend their maritime security for hundreds of years,” said Richardson. “We celebrate the long-standing partnership between Brazil and the United States as we stand shoulder-to-shoulder to defend global maritime security. We celebrate inter-American values, and our shared interest in a prosperous, orderly, and secure hemisphere.”

The visit is part of a series of engagements in South America, beginning with the Inter-American Naval Conference (IANC) in Colombia, where 18 heads of navy met to discuss strengthening partnerships and increasing maritime cooperation.

Source: Navy.mil ( http://www.navy.mil/submit/display.asp?story_id=106581 )

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com