Defesa & Geopolítica

Plano Brasil/Exército Brasileiro (EB)/Análise: “Artilharia do EB se prepara para incorporar o canhão M198 Howitzer 155 mm”

Posted by

NOTA DO PLANO BRASIL, por Gérsio Mutti: Plano Brasil/Exército Brasileiro (EB)/Análise: “Artilharia do EB se prepara para adquirir o canhão M198 Howitzer 155 mm”.

O Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro (EB), General-de-Exército Juarez Aparecido de Paula Cunha, afirmou que a Artilharia do EB se prepara para incorporar o canhão M198 Howitzer 155 mm.

BRAVO ZULU (BZ) para o EB!

Classificação (*) do canhão M198 Howitzer 155 mm:

Tipo de Arma: Obus

Local de Origem: EUA

Fabricante: Rock Island Arsenal

Período de Produção: 1978 a 1992

Quantidade Produzida: 1.600 +

Em Serviço: 1979 – Presente

Utilizadores: EUA, Austrália, e outros Países

Especificações: Calibre 155 mm; Peso: 7.154 Kg; Comprimento: 11m; Largura: 2,8 m; Altura: 2,9 m;

Tripulação: 9 combatentes; e Alcance efetivo: 22,4 km

O canhão M198 Howitzer 155 mm é um  <https://pt.wikipedia.org/wiki/Obus> obus desenvolvido para o <https://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_dos_Estados_Unidos> Exército dos EUA (US Army) e para o <https://pt.wikipedia.org/wiki/Corpo_de_Fuzileiros_Navais_dos_Estados_Unidos> Corpo de Fuzileiros dos EUA (US Marine Corps).  Projetado para substituir o  <https://pt.wikipedia.org/wiki/M114> M114, foi incorporado no serviço ativo em 1979.

Desde então, 1.600 unidades foram construídos, tendo já sido empregado emvários combates, como a <https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_do_golfo>Guerra do Golfo e do  <https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_do_Iraque>
Iraque. O sucessor do M198 Howitzer 155 mm é o  <https://pt.wikipedia.org/wiki/M777>M777 (  <https://pt.wikipedia.org/wiki/M777>https://pt.wikipedia.org/wiki/M777 ).

(*) Fonte: Wikipedia ( <https://pt.wikipedia.org/wiki/M198>https://pt.wikipedia.org/wiki/M198 +<https://en.wikipedia.org/wiki/M198_howitzer>https://en.wikipedia.org/wiki/M198_howitzer ).

Foto espetacular meramente ilustrativa: Canhão M198 Howitzer 155 mm doExército Tailandês.

Exército dos EUA (US Army): Rodadas de disparos entre canhões M198 Howitzer155 mm

Fogo de cobertura feito por canhão M198 Howitzer 155 mm – Artilharia de contra ataque do Exército dos EUA (US Army) – Guerra do Afeganistão 2008

31 Comments

  1. É tão dificil desenvolver algo parecido com isso que tem a tecnologia da decada de 70?

    • A simplicidade do equipamento neutraliza questões tecnológicas, há bons cálibrádores eletrônicos que podem ser incorporádos , a questão pertinente é saber se estão no OSSO ou não!

    • Quando se fala em ewuipagens russas a turma fica eufórica, quando é equipamento ocidental lá vem eles com a lorota ; ” O Brasil poderia desenvolver aqui ao invés de comprar lá fora “.

      • Verdade, já reparei isso.

      • Pois é Alex , portanto a pecha de colonizados , lacaios e entreguistas , não passa de um discurso hipócrita daqueles marginais que acusam os outros daquilo que eles são!

      • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

        Não passa de ANTIAMERICANISMO PUERIL… essa gente desequilibrada dazisquerdas criaram esse espantalho para encobrir suas reais intenções… NOSSO VERDADEIRO INIMIGO É INTERNO…

  2. Ferreira Junior says:

    O Brasil pode e deve construir esses e outros modelos de canhões.

  3. O custo de desenvolvimento de uma arma de artilharia de 155mm não compensa para poucas unidades, bem diferente de blindados como o Guarani onde a necessidade passa da casa do milhar. Um M198 é tão bom quanto o M777 e outras peças mais novas, ele só tem um peso maior, no restante é praticamente igual a eles.

    • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

      FALOU TUDO, Alex… é que na cabecinha de socialistas a preocupação com custos não interessa… via ser tudo feito mesmo na base da DITADURA e CORRUPÇÃO com dinheiro público… dai pouco importa quanto irá custar e se valerá a pena sob a óptica econômica… é que eles usam o dinheiro dos outros, tomado a força… não sabe quanto de suor custou o mesmo… típico…

    • El Presidente says:

      O M777 pode utilizar bombas guiadas e até onde eu sei o M198 não possui tal capacidade.

  4. Que geringonça, credo, isso é a modernização da artilharia? Até que pensando bem, Melhor do que os Obuses da II Guerra.
    Não importa se é ocidental ou oriental o que não pode ser é medieval.

    • Há equipagens tão básica que as mudanças são mínimas , se olharmos um Obus da decada de 40 e uma da decada de 90 as mudanças foram detalhes , calibre , cadência e calibragem .

      • Ricardo André says:

        A Elbit System possuí um sistema de recarregar de forma rápida o ATHOS, ele poderia ser empregado nesse Obus?

      • Sim , os Israelenses possuem uma tendência para automatizar tudo , afinal são poucos e os inimigos são muitos . Artilheiros americanos curtem o mano a mano , a vibração da galera é contagiante , há vídeos mostrando verdadeiros Golias operando Obus , vale a pena ver uma seção de disparos, guerra do golfo 1 e 2 .

      • Logico que não passa só de detalhes. Os obuseiros de hoje são fabricados com liga de alumínio e titânio.

    • O C3 da artilharia .

  5. Como é um projeto do fim dos anos 70 usa muitos soldado para operar esse sistema de artilharia que não tem nada automatizado e exige muito esforço físico dos soldados que possivelmente mal aguentariam 1/2 hora de combate contínuo.

    Pergunta: Vamos receber usados?

    Já que parece que não é mais fabricado desde 1992.

  6. mais uma compra de oportunidade bem vinda para tempos de vacas magras, infelizmente a turma dos amantes de cuba, china, russia, vai chiar como sempre.

    • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

      Querem um Brasil rico e próspero perseguindo os empresários e capitalistas… rsrrsrsrsssss… essa gente, como vc já os definiu bem, tem titica na cabeça… eles JAMAIS entenderão que país socialista só dura enquanto durar o dinheiro que os seus ídolos saquearam do povo… depois, até eles passarão fome… rsrsrssrssss… a história é pródiga em demonstrar esse FATO…

      • Custo a entender essa limitação mental.

        Neoliberalismo não é bom, mas socialismo muito menos.

        Um capitalismo sem deixar de ter visão estratégica com seus recursos e interesses é bem diferente de socialismo.

        Capitalismo feito da maneira correta é com pesado investimento em tecnologia e educação leva gradualmente o país a evoluir em todos sentidos.

      • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

        É bom sabermos que ainda há pessoas que praticam a nobre arte de pensar sobre esse nosso solo pátrio… grata satisfação dialogar contigo… saudações…

      • saudações também

  7. Ele vai substituir os M-114, que temos 92 unidades em 6 grupos.

    O M198 ainda é amplamente usado em vários países, inicio de produção em 1978, em comparação com o M-114 que entrou em serviço em 1942, é um salto de 36 anos.

    Além disso o L-119 Light Gun deverá substituir os M-101 de 105mm, que ainda temos uns 200 ativos em 10 grupos.

  8. Os M-109A5 plus e os M-109A5 comuns vão desativar os M-109A3 e os M-108 nos próximos anos, em 5 grupos de artilharia autopropulsada. Outra parte servirá de peças de reserva.

    Teremos 72 M-109A5 no total.

    Em Formosa os 38 Astros 2020.

    Renovação completa da nossa artilharia de campanha.

  9. Creio que passa de uma centena…

  10. Serão 120 peças de M198

  11. Seria muito bom se, estes M198 fossem para os GACs das brigadas de infantaria mecanizada que serão criadas com a implantação do Guarani, como é o caso da 15a Bgda Inf Mec, que utiliza hoje o L118, conferindo assim maior poder de fogo ao apoio destas unidades, assim como maior alcance para suas manobras em profundidade. Estes obuseiros de 105mm poderiam ser transferidos para a Brigada Paraquedista ou para as brigadas leves, pois têm maior alcance que os M56 (21km contra 10km) e estes últimos poderiam seguir para as 2 brigadas de infantaria de selva que ainda não possuem GACs.

  12. Se me permitem a humilde sugestão, acho que o ideal seria:
    M109 A5+ para as brigadas de cavalaria e infantaria blindadas. Por ser o melhor que teremos.
    M109 A5 para as brigadas de cavalaria mecanizada. Por sua grande mobilidade.
    M198 para as brigadas de infantaria mecanizada. Por seu maior alcance em relação ao L118.
    L118 para as brigadas de infantaria leve e para-quedista. Pelo ter maior alcance que o M56.
    M56 para as brigadas de infantaria de selva. Por ser desmontável para transporte.
    Outra grande vantagem dos M198 é o fato do calibre 155mm ter maior poder de destruição e poder utilizar submunições.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com