Defesa & Geopolítica

O PORTAL do FORTALECIMENTO MILITAR.

http://oglobo.globo.com/fotos/2007/07/25/25_MHG_pais_jobim_09.jpg

Por: Luíz Pinelli

O Velho Patriota

O PORTAL do FORTALECIMENTO MILITAR.


Na Busca de Saída encontramos O Portal do Fortalecimento Militar, na forma como relatado no comentário a Nova Cartada do EB. Além da essência positiva da mensagem contém boa estratégia militar ( O Braço Forte ) empregada pelo Comando das FAs Brasileiras. Previsto no plano militar está o deslocamento geopolítico de Unidades Militares para o interior do país, isto é, do litoral para o Planalto central e para Região Amazônica, com o aumento dos postos de fronteira do EB somando mais 28 aos já existentes 21, cada um deles com 50 soldados.

O efetivo total do EB ganhará mais 59 mil aos 210 mil já incorporados, com mais uma Brigada de Infantaria de Selva baseada em Manaus, passando a região de 25 mil para 49 mil guerreiros da Selva Amazônica. Sob o aspecto tático a medida é extremamente eficaz, mas entendo, ainda como simples reservista, que se fazem necessárias urgentes medidas sob o prisma do Plano Nacional de Defesa Militar para completar o cinturão defensivo da área Amazônica. Com todo respeito às decisões dos especialistas militares do EB,nossa opinião, face as extensões territoriais da Amazônia, é muito aconselhável a criação do 5º EB e do 6º EB para a vigilância e segurança desta área brasileira, apesar da intromissão abusada de algumas nações de propósito corsário.

Em contrapartida, sabemos que os orçamentos militares ineficazes das nossas FAs, constituem no Brasil uma doença crônica terminal, para a qual, infelizmente, não vemos solução a médio prazo, visto que, não há como modificar-se (?) o perfil matricial da política governamental da Nação.

Dentro da atual conjuntura os inimigos do Brasil, ainda que desarmados, são os nossos próprios políticos, mas que, o futuro que não adivinhamos vai, com certeza, nos ensinar, a todos nós, uma bela lição. Agora, imaginemos, dentro da hipótese otimista, que na procura de tanques de última geração citados na “ Nova Cartada do EB”, adicionaremos como um ganho técnico, entre outros, aos futuros Osório II, um novo Sistema de Controle de Disparo que permitirá operar como uma plataforma anti-helicópteros com capacidade de detectar e destruir os famigerados helicópteros de ataque, verdadeiros flagelos das viaturas blindadas, nos campos de batalha ( vide as batalhas recentes do Iraque ).

Aproveitemos pois, com as futuras instalações da ENGESAER no Brasil, fazendo do nosso futuro Osório II ( como citado no Plano Cruzeiro do Sul ), quando produzido, um moderno Tanque Blindado com Defesa contra Helicópteros, além de outros adicionais.Como já analisado é bem mais fácil equipar com itens bélicos modernos, um contingente militar menor, como o nosso Aeromóvel ou Exército Móvel, com os melhores equipamentos bélicos e armas individuais de ponta, do que todo um exército, como o EB, de 269.000 homens. Conforme estudos de Custos por Estimativa, para o Esforço Inicial de Modernização só do EB, serão necessários 4 bilhões por ano por um prazo de 15 anos ( Despesas de Capital conforme classificação da LOA ), depois, é DEVER CONSTITUCIONAL seguir o ritmo de fortalecimento permanente do EB, com um Orçamento Militar, elaborado para este objetivo nacional da estratégia militar.

Como será uma determinação constitucional não ocorrerão cortes ou contingenciamento de dotações. Qualquer leigo em assuntos de estratégia militar compreende que as FAs, entre outras ( equipamentos bélicos coletivos ), apresenta uma grande fragilidade na defesa antiaérea do nosso espaço territorial. Informado pela mídia, vimos o pequeno show de defesa, proporcionado pelas FAs do Iran, País odiado pelo atual Grande Império Romano ( semelhança com a Antiga Roma e Cartago de Aníbal ) com pequenas e velozes lanchas de ataque, armadas com Sistema de Mísseis.

Se a FAB é privada de possuir esquadrilhas de caças de última geração para a proteção de nosso espaço aéreo, por acaso, é errado sonhar com centenas de Sistemas de Defesa de Mísseis Antiaéreo para defender nossa nação? Um batalhão do Sistema de Mísseis de Defesa Anti-aéreo russo S400 Triumf pode funcionar automaticamente, e consiste de 8 lançadores com 32 mísseis, e é um dos mais modernos da Rússia.

Entretanto o EB negocia o Sistema TOR –M 2E o custo será de US$300 milhões. Nas outras versões de mísseis, alguns de manuseio portátil, lembremos do RPG-29 Vampir, AT-5 Konkurs, AT-13 Metis –M, AT-14 Kornet, AS-18, 9K 38 – IGLA, AT-3/ RAAD –t (anti-tanque), C-701 ( míssil anti- navio) de médio alcance para a MG do BR, mas lógico, caberá ao Ministério da Defesa a escolha e as opções bélicas. O Diretor de Material do Exército, o Sr. General Mayer, disse que não há recursos no EB ( ? ) para a compra de modernas peças de Artilharia de Campanha, uma vez que, possuímos hoje, modelos e desenhos de 1950.

O Governo brasileiro estabeleceu propostas para a compra de 2 esquadrões de 24 novos helicópteros, um para ataque e outro transporte. Três empresas entregaram propostas a Eurocopter, a AgustaWestland e a Rosoboronexport. A versão de ataque do Pantera poderá estar armada com uma metralhadora calibre 50 mm e com um lançador de foguetes Avibrás Sbat-60.

O Eurocopter Tiger é mais um desses super sistema de armas concebido como um ágil helicóptero de reconhecimento, escolta e de combate antitanque. Em qualquer exército do mundo, as Tropas de Assalto Operações Especiais ( Boinas Verdes) necessitam de poderosos helicópteros de transportes blindados, com Poder de Auto-Defesa, para entrar e sair, rapidamente, dos conflito que sempre são violentos e sangrentos. Exigem, entretanto, a ação paralela de outros helicópteros de ataque para maciça cobertura aérea de suas operações terrestres. Assim entendemos, mas já vimos várias “cifras” orçamentárias escritas só nos papéis do governo, pois, quando chega a hora de sua liberação financeira, sofrem sempre contingenciamentos.

Em 2008, segundo o Ministério da Defesa, foram efetivadas as compras de 20 helicópteros EC725 Caracal para o EB, 19 helicópteros EC725 Caracal e 12 Mi 35 M de ataque para a FAB, e 4 helicópteros anti-submarino SH-60 Seahawk e 12 helicópteros EC725 Caracal para a MG do BR. Por observação, anotamos que as tropas especiais transportam armas individuais de grande poder de fogo contra diversos objetivos.

São armas de pouco peso, e, fácil transporte, pois, a elas se juntam, a carga de munições e outros equipamentos, devendo permitir às equipes militares um desempenho que atenda o fim da missão e cause grande impacto no inimigo. Citemos as metralhadoras, de origem alemã, a MG – 42, com 11,5kg, e cadência de 1.200tpm, em uso em muitos exércitos do mundo, sob a denominação atual de MG-3 ( calibre NATO 7.62, ou então, a MG-45 no final do conflito com cadência ainda maior, mas que a Alemanha de Hitler não conseguiu colocar no seu derrotado exército ) e a norte- americana, M60 tem 10.4kg mas de cadência menor, de 550tpm. As MG-42 ( MG -3 ) são produzidas sob licença, na Grécia, Itália, Turquia, Irã, Mianmar (?), Paquistão e Sudan(?).

Por que a IMBEL do Brasil não pode faze-lo também? Recentemente, vimos as armas de cano longo da Infantaria da Selva equipadas com visor noturno fabricado em Israel, mas todas de carregador curto, diferentes, por exemplo, das Tropas Especiais (Boinas Verdes e Pára-quedistas) dos exércitos de Portugal e da Espanha.
Enquanto o Brasil registra um grande crescimento econômico o mundo parou de crescer. Basta controlar a política fiscal com rígidos cuidados nas despesas de pessoal terceirizado com salários especiais (não são os servidores efetivos civis ou militares, admitidos, consoante a legislação, que causam problemas financeiros ao Tesouro).

Entendo que o País deve e pode fazer o planejamento econômico para seu maior crescimento social que bem desejar, mas em 1º lugar, vamos priorizar o Fortalecimento Bélico da Nação para que a partir de sua execução, o País tenha autoridade de dizer NÃO em todas as vezes que for necessário, e, não seja questionado por ninguém, de dentro do País ou fora dele. Projetos, Programas e Metas que não só estimularão nosso desenvolvimento social permanente, mas nos permitirão ganhar novas fontes de geração direta de recursos e receitas, sejam a instalação de novas Usinas Hidrelétricas, mas, a definitiva eliminação de extensas terras do “Polígono das Secas do Nordeste”, trazendo com a regeneração de áridas áreas, o estancamento do êxodo rural, o melhor aproveitamento destas terras, aumentando a produtividade regional do solo, criando milhares de empregos para a mão-de-obra nordestina.

Assim, o Velho Patriota admite que “ podemos fortificar nossa Pátria com armas/ equipamentos bélicos através das nossas FAs, ou, então, com trabalhos e empregos, isto é, usando o que é nosso por Direito, e tornando a terra produtiva para a grandeza do nosso povo com a circulação de maior renda per-capita”. Mas atentem para o seguinte, segundo registros históricos nos Estudos das Grandes Civilizações do Passado, Grandes Riquezas, sempre atraem Grandes Inimigos !!!!. Entendam que, além da participação contínua do povo nas riquezas naturais do País, a efetiva soberania da Nação se assentará, em especial, no seu Poder Militar e na conquista da condição de Potência Bélica.

Desta feita, organizemos com estruturas modernas, as defesas nacionais da Nação Brasileira, com recursos financeiros suficientes destinados a poderosos Orçamentos Militares para o constante fortalecimento das FAs brasileiras, consoante o nosso Plano Estratégico Militar.

Esperemos que os governos futuros, sejam quais forem, tratem com cuidadosa sabedoria os destinos da Nação, permitindo que, as nossas FAs sejam os Vigilantes Eficazes que guarnecerão os Portais de nossa Soberania Nacional. E as nossas FAs estão, há muito, a merecer isto, mas a partir da assinatura (12/04/2010) do novo Acordo Militar de Brasil / EEUU muito coisa irá mudar, em 1º lugar na mente de quem tem muitas informações para pensar. Uma pergunta que não quer calar: “ –como ficará o Plano Estratégico Militar das FAs do Brasil diante da assinatura deste Acordo Militar com os EEUU ???” Saudações do O Velho Patriota. Luiz.


O VelhoPatriota – O Plano Brasil : Luiz.
luiz pinelli neto

http://opatriotavelho

NOTA DO BLOG: Os artigos publicados na seção O velho Patriota não necessariamente refletem a opinião do Blog PLANO BRASIL, simplesmente por se tratarem de textos de autoria e responsabildades do autor.


shared on wplocker.com