“ O Lado Negro”

Por: Luíz Pinelli

O Velho Patriota

A Brigada Haiti está com sua conclusão de seu treinamento totalmente prejudicado. Não pode ser dado o “pronto” à nova tropa para partir do Brasil para a substituição do contingente que já se encontra no Haiti , agora, vejam porque: “falta munição para a tropa dar uma certa quantidade necessária de tiros, no transcorrer no seu treinamento no Brasil”.Isto só pode ser uma brincadeira de muito mau gosto.Diante de intenso “falatório” sobre o Plano Estratégico Militar para o Brasil e o renascimento da Indústria Bélica Nacional, isto tudo que o governo, aparentemente propõe, em verdade, só significa um “chorrilho” de mentiras sindicalistas. Criou-se uma fabulosa expectativa de fortalecimento militar das nossas FAs, e agora, vemos a realidade !!! Por questões de conhecimentos técnico (mínimos) aplicados na gestão pública, baseados em exatas ações de planejamento, quando inseridos, de fato, numa administração por estratégia, nunca teríamos o desprazer de vivenciar estas situações mentirosas que deveriam causar sério desconforto e contrariedade às FAs.

Até, gostaria de saber os “por quês” do silêncio ( é fruto de algum juramento místico feito num passado recente) e de não vermos a opinião manifestada por aqueles que têm responsabilidade armada de manter a soberania nacional do País e desta Sociedade “Tacanha”.Todos conhecem, o tamanho territorial do Brasil ( incluindo terras e mar ), sabem, também que temos FAs fisicamente numerosa, e, belicamente fracas, com material e equipamentos defasados de 40 anos. O Brasil tem natureza rica, farta e abundante e que há anos vem despertando a cobiça internacional dos corsários internacionais, paralelo à insidiosa convivência da sociedade com governos e políticos de alta corrupção. Existem trechos da região amazônica que o governo social não conhece, mas, o EB sabe bem onde se encontram .A sociedade brasileira finge que não sabe e não vê, e nem se importa com os efeitos deletérios que sentem; parece, que a sociedade vive anestesiada por doses maciças de futebol, carnaval, festas, cervejas, e programações imbecis, colocados de forma maquiavélica o ano todo para o povo brasileiros não ter o que pensar.( se é que pensa em alguma coisa útil para o coletivo).A nossa sociedade desatenta não sabe de duas coisas: 1ª)-a má escolha política tem um alto preço a ser pago por todos nós, 2ª)-e, a liberdade que todos nós brasileiros gozamos, também, tem um custo significativo.

O programa do URUTU III do EB atrasou por falta de recursos e está, seriamente, ameaçado de estancar, como aconteceu num passado recente quando a Itália fabricava no Brasil em conjunto com a EMBRAER os jatos F 5. Estava previsto a produção de um nº de aviões que atenderia, num prazo razoável a demanda da FAB( naquela época), mas o governo do Fernando Henrique, suspendeu o projeto entre muitos risos (testemunhei na TV).Por desgraça o que transparecia como uma grande vitória, transformou-se em fragorosa derrota e enfrentamos, agora, O LADO NEGRO do Plano Estratégico Militar, que o Brasil aprendeu a ansiar por ELE.No Rio de janeiro, vi um vídeo, logo após, que a parada militar de 7 de setembro acabava um tanque M-60A3TTS, sendo rebocado por outro blindado, para entrar na sua garagem. É lógico que esta visão pode acontecer em qualquer exército do mundo, mas duvido que após, um desfile comemorativo da independência nacional do País.

O que nunca deveria acontecer, em qualquer condição, é a falta permanente de manutenção, notadamente, para tanques blindados pesados como estes M-60 A3 TTS, que agora são alvos de críticas, mas, como ocorrerá a qualquer momento, com os Leopards 1 A1, e os 1 A5, pois, ambos são de 2ª mão. O M-60 segundo o locutor oficial do EB, tem condições técnicas de enfrentar com vantagens, ambientes de guerra química, de guerra biológica e de guerra atômica, assim, deveria acontecer, uma vigorosa repontencialização com mudança de alguns itens importantes, como a sua torre para um canhão de 120mm, o acréscimo de blindagens laterais e de um motor diesel mais potente. Embora o tornando mais pesado, talvez ficasse impedido de atuar em quaisquer terrenos, sem a devida cobertura aérea e terrestre, seria muito bom para formar no EB uma linha de defesa estratégica. As críticas que vemos sobre este blindado, é de quem não conhece de capacidade industrial militar instalada, pois, a alegação de que “ não estão mais construindo este modelo de blindado” não é motivo para não reforma-lo, ou joga-lo no lixo. Temos o exemplo prático da Turquia, que com ajuda da própria empresa que os construíram, realizou nos seus M-60, também, vendidos pelos EEUU, uma excelente reforma operacional.A avaliação dos M-60 A3 TTS deve seguir outros critérios militares, desenvolvidos, de fato, por analistas do setor de estratégia e logística do EB.

Recentemente, vimos o tão mal falado M-113 do EB sendo usado, e bem usado, em vários exércitos do mundo, após, uma razoável reforma técnica. No Brasil, faltam sim, dinheiro e disposição de incluir a modernização das FAs como um dos muitos objetivos importantes do governo brasileiro, mas, entendo também, que, carecemos de outras coisas. Seria muito bom que nossas Faz se utilizassem de equipamentos bélicos modernos, mas a realidade, que enfrentamos é a restrição violenta de recursos financeiros, sendo assim, temos de aprender a conservar aqueles que conseguimos. Outro exemplo para todos nós brasileiros na área conservação militar. O Estado de Israel a partir dos velhos tanques blindados norte americanos da 2ª guerra SHERMANN, de seu arsenal, reformou-os totalmente, com mudança de motor diesel, lagartas e da torre para um canhão de 105mm.A Alemanha vem de propor à Argentina a venda de 160 Leopards 2 A 4 e a instalação em seu território de um centro de manutenção. Excelente para quem tem dinheiro, mas para o Brasil, FERRO !!!!!!

O exército aeromóvel que pensávamos, seria uma grata oportunidade, por ser integrado por contingente menor que o efetivo convencional, e por isso, de o vermos com rápidas possibilidades do uso de moderníssimos equipamentos bélicos de última geração, muito ao contrário, temos uma outra realidade decepcionante: “ a falta crônica e humilhante de recursos financeiros (que ainda prevalecem ) para os investimentos previstos no Plano Estratégico Militar, que concluímos, ser um PLANO só político demagógico, que tem vida operacional apenas no papel, que lhe serviu como veículo de divulgação. Quaisquer Planos de Defesa no mundo, não são apenas das FAs, mas, também, são integrados ao povo, à nação, ao território nacional, ao país e à sociedade. Que revoltante e triste humilhação !!!!!

Quanto aos caças para a FAB, já viraram, há muito tempo, uma novela imoral. Não há uma disciplina e ordenação técnicas nas propostas comerciais e estratégicas que são apresentadas(???), não diretamente ao governo como, legalmente, é necessário, mas, politicamente, através de informações pela mídia, das embaixadas e consulados da Suécia e EEUU, com convém as manobras de dispersão nas FAs do Brasil.O Brasil é um país pacífico, mas, como disse o próprio Presidente Lula ( da boca para fora, sem coração ), “ não mediremos esforços para recuperar nosso poder de defesa. A gente não tem como contar só com as eventuais promessas de outros países de que nunca atacariam o Brasil.”

Tem muita gente neste governo do Sr. Lula que precisa urgentemente, estudar história das civilizações antigas e, modernas. E mais, ainda o Presidente Lula, lembrou que “ nos anos 70 o Brasil fabricava tanques e blindados e agora, temos dificuldades para fazer manutenção de equipamentos militares”.Pode até explicar, mas em hipótese alguma justifica, OK !!!. Se a ENGESAER já estivesse sido criada ,como prometido pelo o próprio Governo, para produção de nossos modelos de veículos blindados, e também para o apoio operacional de manutenções mais profundas, como exigidas pelas necessidades do EB, com toda certeza não ouviríamos este comentário do Sr. Presidente.

Aliás, diante de um Plano Estratégico Militar para o Brasil ( Região Amazônica- mais de 50% do território brasileiro e, o Pré- Sal), cantado em verso e prosa, pelos quatro cantos, é impossível encontrar razões que reduzam os efeitos desastrosos na administração do governo federal, uma vez que, existem, sim, recursos financeiros, o que não há é um planejamento estratégico adequado que contemple, moderadamente, sem excessos políticos demagógicos, todos “os projetos e programas sociais” do próprio governo, e, ainda, atenda, aos princípios básicos da soberania nacional. Será que os portas- vozes das FAs emitem uma mensagem clara para o governo ????

Esta persistente falta de programação técnica de recursos orçamentários/financeiros para as FAs, e, a ausência da compreensão consciente da sociedade brasileira, representam a nossa derrota final, sem necessidade de entrarmos em nenhum conflito bélico.Mas, a bem da verdade, alguns bons resultado econômicos obtidos, pela melhoria de alguns indicadores sociais no governo Lula, com a redução das desigualdades, com a aplicação de algumas metas sócio-econômicas( a continuidade de melhoria de emprego, renda formalização e desigualdade ), como atesta o último PNAD, realizado pelo IBGE, é digno de louvor; como disse um dos ministros deste governo: “ O Brasil cresce em termos sociais nos mesmos níveis que a China em termos econômicos”.

O perigo nos governos do Brasil, com esta natureza de ação, é o assistencialismo desbragado, com cores nítidas de uma demagogia política irresponsável. Diante disto, só teremos dinheiro suficiente para aplicar no Plano Estratégico Militar e, no fortalecimento militar das nossas FAs, quando acontecer uma séria e profunda modificação nos projetos, metas, programas, e objetivos governamentais com uma sábia e equilibrada programação financeira que tornem claras todas as Fontes de Recursos, que alimentarão de forma contínua as despesas necessárias a realização das atividades e funções de segurança nacional, com a modernização das nossas FAs. Para isso é preciso seriedade, aplicação e empenho,por parte dos executivos do governo, ou então, chegará o dia em que teremos de abrir mãos de todas as nossas riquezas naturais, sejam quais forem, fazendo uma DOAÇÃO, para nossos “queridos aliados que juram ser o Brasil seu eterno aliado, e nunca iram invadi-lo, por quaisquer outros motivos”. Eu sou velho, mas não sou idiota !!!!Nós conhecemos um velho ditado popular sobre um inseto doméstico que diz: “ é igual a barata que morde e sopra “ !!! Isto deve ser aplicado ao governo atual.

Tal desinteresse em relação ao Plano Estratégico, aprovado pelo próprio governo, que se irritou diante do relato do ministro da defesa e comandantes das nossas Forças acerca do estado estratégico precário em que se encontram, que disse contrariado: “ os outros governos nada fizeram pela tomada de medidas que evitariam esta situação atual”. O que deve ser entendido é que as medidas de assistência estratégica às FAs dadas pelos governos através dos seus respectivos orçamentos para lhes assegurarem o permanente fortalecimento militar não podem ser interrompidas , por motivos governamentais classificados mais importantes que estanquem as atividades de modernização estratégicas das forças. Uma vez que de nada adianta termos em solo pátrio riquezas para serem distribuídas com o povo e com a sociedade, se fomos impotentes para guarda-las em segurança plena.A voragem desenfreada pelo continuísmo político deste governo, faz com que os governantes percam a cabeça.Os governos, infelizmente, no sistema político vigente no Brasil, só mudam através de eleição direta em que o povo é chamado a pronunciar-se. Então, se o povo e a sociedade brasileiras estão, realmente, preocupadas, de fato e direito com a soberania nacional devem aprender escolher com sabedoria seus candidatos a cargos eletivos, e eleger os que podem se preocupar com os legítimos interesses da Pátria Brasil, e nunca, somente, com seus “bolsos”. Não temos dúvidas, que o Brasil e parte da sua sociedade consciente enfrenta “ O Lado Negro do Plano Estratégico Militar das FAs brasileiras !!! – Que DEUS nos ajude !! Opatriotavelho, Luiz.

“ O Lado Negro” ( da Coluna O Patriota Velho O Plano Brasil ) A Brigada Haiti está com sua conclusão de seu treinamento totalmente prejudicado. Não pode ser dado o “pronto” à nova tropa para partir do Brasil para a substituição do contingente que já se encontra no Haiti , agora, vejam porque: “falta munição para a tropa dar uma certa quantidade necessária de tiros, no transcorrer no seu treinamento no Brasil”.Isto só pode ser uma brincadeira de muito mau gosto.Diante de intenso “falatório” sobre o Plano Estratégico Militar para o Brasil e o renascimento da Indústria Bélica Nacional, isto tudo que o governo, aparentemente propõe, em verdade, só significa um “chorrilho” de mentiras sindicalistas.

Criou-se uma fabulosa expectativa de fortalecimento militar das nossas FAs, e agora, vemos a realidade !!! Por questões de conhecimentos técnico (mínimos) aplicados na gestão pública, baseados em exatas ações de planejamento, quando inseridos, de fato, numa administração por estratégia, nunca teríamos o desprazer de vivenciar estas situações mentirosas que deveriam causar sério desconforto e contrariedade às FAs. Até, gostaria de saber os “por quês” do silêncio ( é fruto de algum juramento místico feito num passado recente) e de não vermos a opinião manifestada por aqueles que têm responsabilidade armada de manter a soberania nacional do País e desta Sociedade “Tacanha”.Todos conhecem, o tamanho territorial do Brasil ( incluindo terras e mar ), sabem, também que temos FAs fisicamente numerosa, e, belicamente fracas, com material e equipamentos defasados de 40 anos.

O Brasil tem natureza rica, farta e abundante e que há anos vem despertando a cobiça internacional dos corsários internacionais, paralelo à insidiosa convivência da sociedade com governos e políticos de alta corrupção. Existem trechos da região amazônica que o governo social não conhece, mas, o EB sabe bem onde se encontram .A sociedade brasileira finge que não sabe e não vê, e nem se importa com os efeitos deletérios que sentem; parece, que a sociedade vive anestesiada por doses maciças de futebol, carnaval, festas, cervejas, e programações imbecis, colocados de forma maquiavélica o ano todo para o povo brasileiros não ter o que pensar.( se é que pensa em alguma coisa útil para o coletivo).A nossa sociedade desatenta não sabe de duas coisas: 1ª)-a má escolha política tem um alto preço a ser pago por todos nós, 2ª)-e, a liberdade que todos nós brasileiros gozamos, também, tem um custo significativo.

O programa do URUTU III do EB atrasou por falta de recursos e está, seriamente, ameaçado de estancar, como aconteceu num passado recente quando a Itália fabricava no Brasil em conjunto com a EMBRAER os jatos F 5. Estava previsto a produção de um nº de aviões que atenderia, num prazo razoável a demanda da FAB( naquela época), mas o governo do Fernando Henrique, suspendeu o projeto entre muitos risos (testemunhei na TV).Por desgraça o que transparecia como uma grande vitória, transformou-se em fragorosa derrota e enfrentamos, agora, O LADO NEGRO do Plano Estratégico Militar, que o Brasil aprendeu a ansiar por ELE.No Rio de janeiro, vi um vídeo, logo após, que a parada militar de 7 de setembro acabava um tanque M-60A3TTS, sendo rebocado por outro blindado, para entrar na sua garagem. É lógico que esta visão pode acontecer em qualquer exército do mundo, mas duvido que após, um desfile comemorativo da independência nacional do País. O que nunca deveria acontecer, em qualquer condição, é a falta permanente de manutenção, notadamente, para tanques blindados pesados como estes M-60 A3 TTS, que agora são alvos de críticas, mas, como ocorrerá a qualquer momento, com os Leopards 1 A1, e os 1 A5, pois, ambos são de 2ª mão.

O M-60 segundo o locutor oficial do EB, tem condições técnicas de enfrentar com vantagens, ambientes de guerra química, de guerra biológica e de guerra atômica, assim, deveria acontecer, uma vigorosa repontencialização com mudança de alguns itens importantes, como a sua torre para um canhão de 120mm, o acréscimo de blindagens laterais e de um motor diesel mais potente. Embora o tornando mais pesado, talvez ficasse impedido de atuar em quaisquer terrenos, sem a devida cobertura aérea e terrestre, seria muito bom para formar no EB uma linha de defesa estratégica. As críticas que vemos sobre este blindado, é de quem não conhece de capacidade industrial militar instalada, pois, a alegação de que “ não estão mais construindo este modelo de blindado” não é motivo para não reforma-lo, ou joga-lo no lixo. Temos o exemplo prático da Turquia, que com ajuda da própria empresa que os construíram, realizou nos seus M-60, também, vendidos pelos EEUU, uma excelente reforma operacional.

A avaliação dos M-60 A3 TTS deve seguir outros critérios militares, desenvolvidos, de fato, por analistas do setor de estratégia e logística do EB.Recentemente, vimos o tão mal falado M-113 do EB sendo usado, e bem usado, em vários exércitos do mundo, após, uma razoável reforma técnica. No Brasil, faltam sim, dinheiro e disposição de incluir a modernização das FAs como um dos muitos objetivos importantes do governo brasileiro, mas, entendo também, que, carecemos de outras coisas. Seria muito bom que nossas Faz se utilizassem de equipamentos bélicos modernos, mas a realidade, que enfrentamos é a restrição violenta de recursos financeiros, sendo assim, temos de aprender a conservar aqueles que conseguimos. Outro exemplo para todos nós brasileiros na área conservação militar.

O Estado de Israel a partir dos velhos tanques blindados norte americanos da 2ª guerra SHERMANN, de seu arsenal, reformou-os totalmente, com mudança de motor diesel, lagartas e da torre para um canhão de 105mm.A Alemanha vem de propor à Argentina a venda de 160 Leopards 2 A 4 e a instalação em seu território de um centro de manutenção. Excelente para quem tem dinheiro, mas para o Brasil, FERRO !!!!!!O exército aeromóvel que pensávamos, seria uma grata oportunidade, por ser integrado por contingente menor que o efetivo convencional, e por isso, de o vermos com rápidas possibilidades do uso de moderníssimos equipamentos bélicos de última geração, muito ao contrário, temos uma outra realidade decepcionante: “ a falta crônica e humilhante de recursos financeiros (que ainda prevalecem ) para os investimentos previstos no Plano Estratégico Militar, que concluímos, ser um PLANO só político demagógico, que tem vida operacional apenas no papel, que lhe serviu como veículo de divulgação.

Quaisquer Planos de Defesa no mundo, não são apenas das FAs, mas, também, são integrados ao povo, à nação, ao território nacional, ao país e à sociedade. Que revoltante e triste humilhação !!!!! Quanto aos caças para a FAB, já viraram, há muito tempo, uma novela imoral. Não há uma disciplina e ordenação técnicas nas propostas comerciais e estratégicas que são apresentadas(???), não diretamente ao governo como, legalmente, é necessário, mas, politicamente, através de informações pela mídia, das embaixadas e consulados da Suécia e EEUU, com convém as manobras de dispersão nas FAs do Brasil.O Brasil é um país pacífico, mas, como disse o próprio Presidente Lula ( da boca para fora, sem coração ), “ não mediremos esforços para recuperar nosso poder de defesa.

A gente não tem como contar só com as eventuais promessas de outros países de que nunca atacariam o Brasil.” Tem muita gente neste governo do Sr. Lula que precisa urgentemente, estudar história das civilizações antigas e, modernas. E mais, ainda o Presidente Lula, lembrou que “ nos anos 70 o Brasil fabricava tanques e blindados e agora, temos dificuldades para fazer manutenção de equipamentos militares”.Pode até explicar, mas em hipótese alguma justifica, OK !!!. Se a ENGESAER já estivesse sido criada ,como prometido pelo o próprio Governo, para produção de nossos modelos de veículos blindados, e também para o apoio operacional de manutenções mais profundas, como exigidas pelas necessidades do EB, com toda certeza não ouviríamos este comentário do Sr. Presidente.

Aliás, diante de um Plano Estratégico Militar para o Brasil ( Região Amazônica- mais de 50% do território brasileiro e, o Pré- Sal), cantado em verso e prosa, pelos quatro cantos, é impossível encontrar razões que reduzam os efeitos desastrosos na administração do governo federal, uma vez que, existem, sim, recursos financeiros, o que não há é um planejamento estratégico adequado que contemple, moderadamente, sem excessos políticos demagógicos, todos “os projetos e programas sociais” do próprio governo, e, ainda, atenda, aos princípios básicos da soberania nacional.

Será que os portas- vozes das FAs emitem uma mensagem clara para o governo ???? Esta persistente falta de programação técnica de recursos orçamentários/financeiros para as FAs, e, a ausência da compreensão consciente da sociedade brasileira, representam a nossa derrota final, sem necessidade de entrarmos em nenhum conflito bélico.Mas, a bem da verdade, alguns bons resultado econômicos obtidos, pela melhoria de alguns indicadores sociais no governo Lula, com a redução das desigualdades, com a aplicação de algumas metas sócio-econômicas( a continuidade de melhoria de emprego, renda formalização e desigualdade ), como atesta o último PNAD, realizado pelo IBGE, é digno de louvor; como disse um dos ministros deste governo: “ O Brasil cresce em termos sociais nos mesmos níveis que a China em termos econômicos”.

O perigo nos governos do Brasil, com esta natureza de ação, é o assistencialismo desbragado, com cores nítidas de uma demagogia política irresponsável. Diante disto, só teremos dinheiro suficiente para aplicar no Plano Estratégico Militar e, no fortalecimento militar das nossas FAs, quando acontecer uma séria e profunda modificação nos projetos, metas, programas, e objetivos governamentais com uma sábia e equilibrada programação financeira que tornem claras todas as Fontes de Recursos, que alimentarão de forma contínua as despesas necessárias a realização das atividades e funções de segurança nacional, com a modernização das nossas FAs.

Para isso é preciso seriedade, aplicação e empenho,por parte dos executivos do governo, ou então, chegará o dia em que teremos de abrir mãos de todas as nossas riquezas naturais, sejam quais forem, fazendo uma DOAÇÃO, para nossos “queridos aliados que juram ser o Brasil seu eterno aliado, e nunca iram invadi-lo, por quaisquer outros motivos”. Eu sou velho, mas não sou idiota !!!!Nós conhecemos um velho ditado popular sobre um inseto doméstico que diz: “ é igual a barata que morde e sopra “ !!! Isto deve ser aplicado ao governo atual. Tal desinteresse em relação ao Plano Estratégico, aprovado pelo próprio governo, que se irritou diante do relato do ministro da defesa e comandantes das nossas Forças acerca do estado estratégico precário em que se encontram, que disse contrariado: “ os outros governos nada fizeram pela tomada de medidas que evitariam esta situação atual”.

O que deve ser entendido é que as medidas de assistência estratégica às FAs dadas pelos governos através dos seus respectivos orçamentos para lhes assegurarem o permanente fortalecimento militar não podem ser interrompidas , por motivos governamentais classificados mais importantes que estanquem as atividades de modernização estratégicas das forças. Uma vez que de nada adianta termos em solo pátrio riquezas para serem distribuídas com o povo e com a sociedade, se fomos impotentes para guarda-las em segurança plena.A voragem desenfreada pelo continuísmo político deste governo, faz com que os governantes percam a cabeça.

Os governos, infelizmente, no sistema político vigente no Brasil, só mudam através de eleição direta em que o povo é chamado a pronunciar-se. Então, se o povo e a sociedade brasileiras estão, realmente, preocupadas, de fato e direito com a soberania nacional devem aprender escolher com sabedoria seus candidatos a cargos eletivos, e eleger os que podem se preocupar com os legítimos interesses da Pátria Brasil, e nunca, somente, com seus “bolsos”. Não temos dúvidas, que o Brasil e parte da sua sociedade consciente enfrenta “ O Lado Negro do Plano Estratégico Militar das FAs brasileiras !!! – Que DEUS nos ajude !! O velho patriota, Luiz.

luiz_pinneto-42@globo.com luiz pinelli neto

NOTA DO BLOG: Os artigos publicados na seção O velho Patriota não necessariamente reflentem a opinão do Blog PLANO BRASIL, simplesmente por se tratarem de textos de autoria e responsabildades do autor.

One reply on ““ O Lado Negro””

Pedro Santos Jrsays:

“Quem não tiver competência, que não se estabeleça”, diz o povão. Se não conseguimos proporcionar aos soldados um treinamento adequado, não deveríamos mandá-los para uma missão que não podem cumprir por falta de meios.
Falando nisso, caso a situação estoure de vez no Haiti, temos como enviar reforços imediatamente?

Leave a Reply

Your email address will not be published.