Defesa Tecnologia Geopolítica Inteligência

O Brasil no Programa T-X americano? Parceira americana da Embraer na produção do Super Tucano se alia aos turcos para oferecer à USAF o ‘Treinador da Liberdade’

Posted by
sierraomodelocomamarcadaaviationweek

Concepção artística do “Freedom Trainer” segundo a conceituada publicação americana “Aviation Week”

Por Roberto Lopes

A companhia americana Sierra Nevada Corp. (SNC), parceira da brasileira Embraer na produção dos turboélices de ataque EMB-314 Super Tucano, firmou associação com a Turkish Aerospace Industries (TAI) para oferecer ao Programa T-X da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) um avião de treinamento designado, por enquanto, apenas como Freedom Trainer (“Treinador da Liberdade”).

Para atender a esse desafio as duas companhias criaram a Freedom Aircraft Ventures LLC, joint venture sediada na cidade de Centennial, estado americano do Colorado.

Como se sabe, o programa T-X visa selecionar a aeronave que irá substituir os treinadores a jato Northrop T-38 Talon, usados, na Aviação estadunidense, pelos aviadores candidatos à qualificação como piloto de caça.

Até agora a previsão é de que a USAF adquira 350 exemplares do modelo vencedor da competição, que envolve ainda quatro gigantes da indústria aeronáutica americana: Lockheed Martin, Boeing, Raytheon e Northrop Grumman.

A Lockheed Martin apresentou-se para a disputa associada à Korea Aerospace Industries (KAI) – fabricante do conhecido (e bem conceituado) jato KAI T-50; a Boeing fechou parceria com a sueca SAAB – para fornecer um modelo impulsionado pelo motor General Electric F404 –, e a Raytheon com a italiana Leonardo – fabricante do Leonardo M-345 (veja imagens abaixo).

sierramodelodaboeingnopalco sierramodelodaraytheon

Mercado global – Mas a sociedade SNC-TAI já anunciou que seu novo modelo visa objetivos no “mercado global” que vão muito além do Programa T-X. Entre esses potenciais clientes estariam as forças aéreas da Austrália e da própria Turquia.

Analistas da empresa Sierra Nevada concluíram que, nos próximos anos, devido à entrada em operação dos caças de 5ª geração (eletrônica), o segmento de treinadores de nova geração vá absorver, no longo prazo, um número não inferior a 1.200 aparelhos.

Isso é música para os ouvidos da TAI, que sonha em poder oferecer seu monomotor Hürkus para o treinamento básico de voo, e o novíssimo lead-in fighter-trainer (LIFT) – também chamado no jargão da Aviação Militar de fighter-conversion unit (FCU) – Freedom Trainer para a conversão de pilotos de jato.

Embraer – Nem a Sierra Nevada, nem a TAI, revelaram, ainda, o grupo de empresas fornecedoras de componentes para o seu novo modelo, mas não é despropositado pensar que a Embraer possa ser uma dessas fornecedoras – especialmente em itens desenhados no Brasil de qualidade reconhecida internacionalmente, como o sistema de trem de pouso.

sierratucanonogalpaoabreabre

Super Tucano produzido pela Sierra Nevada em parceria com a EDS

A 27 de fevereiro de 2013, o EMB-314 oferecido pela Embraer Defesa & Segurança em parceria com a Sierra Nevada venceu o contrato Light Air Support (LAS) da Força Aérea americana.

Um ano e sete meses mais tarde a SNC anunciou a entrega do primeiro dos 20 Super Tucanos que teriam como destino a Aviação Militar do Afeganistão. A 15 de janeiro deste ano quatro Super Tucanos pousaram no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul (foto).

sierraaeroportohamidkarzai

Em outubro de 2015, Sierra Nevada e Embraer divulgaram a produção de seis Super Tucanos para a Força Aérea do Líbano.

Baixo custo – O SNC-TAI Freedom Trainer será um bimotor leve, de estrutura produzida com fibra de carbono e outros materiais compostos. Sua propulsão estará a cargo de dois turbofans Williams International FJ44-4M, equipamento selecionado pelos fabricantes de dois dos mais reputados jatos de treinamento avançado e apoio aéreo aproximado (close air support) do mercado aeronáutico na atualidade: o Leonardo M-345 italiano e o checo Aero L-39NG.

Com um sistema de controle de voo completamente digital, tipo fly-by-wire (FBW), o Freedom Trainer precisará atender aos exigentes requisitos do Programa T-X, como o da capacidade de manobra que permita ângulo de ataque – angle-of-attack (AoA) – sustentado (contrário à força da gravidade) de 6.5 a 7.6G.

A parceria SNC-TAI vem deixando vazar nos círculos aeronáuticos americanos que sua grande preocupação é oferecer um modelo que seja reconhecido por seu baixo custo, especialmente no item consumo de combustível.

Nota do Editor: Por um lapso do colunista, o binômio Freedom Trainer foi, a princípio, traduzido como “Treinador da Amizade”. Mas já corrigi. Graças a um alerta do editor-chefe do Plano Brasil, Edilson Pinto (é por isso que ele ganha mais do que eu).

One Comment

  1. Quantas unidades foram produzidas com este acordo?

    Perguntar ofende?

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WordPress spam blocked by CleanTalk.
shared on wplocker.com