Defesa & Geopolítica

Navios Asiáticos! Sem nenhuma tradição na construção naval militar, Filipinas se propõe a fabricar 2 fragatas porta-mísseis (investindo nelas menos do que a MB prevê gastar na 1ª ‘Tamandaré’…)

Posted by

Por Roberto Lopes

 

 

O Comandante da Marinha das Filipinas, vice-almirante Ronald Joseph Mercado, enviou, na última sexta-feira (01.09), à agência de notícias PNA (Philippine News Agency), uma mensagem de texto em que afirma que sua Força estuda, nesse momento, os “sistemas principais” que serão embarcados em sua nova classe de fragatas porta-mísseis a ser construída localmente, com a assistência da empresa sul-coreana Hyundai Heavy Industries (HHI).

O Secretário da Defesa Nacional filipino, Delfin Lorenzana, assinou, a 24 de outubro de 2016, a encomenda de dois navios – os primeiros jamais construídos pela indústria naval nacional com a capacidade de disparar mísseis.

O ato teve lugar no Quartel-General da Marinha, na Estação Naval Andrada, em Manila.

Semanas antes – a 13 de setembro – especialistas da HHI já haviam anunciado que o programa consumiria 15,74 bilhões de pesos filipinos – equivalentes, na época, a 336,91 milhões de dólares.

Armamentos e munições exigirão, contudo, um valor à parte, estimado em 42,8 milhões de dólares.

Tamandaré – Apenas como comparação: na tarde de 1º de agosto último, o Comandante da Marinha do Brasil (MB), almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, disse ao editor da coluna INSIDER que a primeira corveta classe Tamandaré prevista para ser construída no país exigirá um investimento de 350 milhões de dólares (100 milhões de dólares a menos que o calculado inicialmente pela própria MB).

Os dois projetos parecem, contudo, bem diferentes.

Enquanto a corveta brasileira tem o porte de uma fragata leve (2.750 toneladas de deslocamento), e foi projetada para transportar dois sistemas missilísticos, a fragata filipina – de linhas reproduzidas, até agora, somente em concepções artísticas – aparenta ser um navio pequeno, em torno das 2.000 toneladas.

O projeto filipino: notar os contêineres para mísseis à meia-nau

Fase – “O projeto da fragata se encontra agora no estágio de planejamento”, escreveu o almirante Mercado (visto na foto abaixo), “Discussões estão em curso para definir os equipamentos e sistemas principais a serem instalados [nos navios]. Depois disso a construção terá início”, concluiu.

Perguntado se a fase atual de estudos se referia à seleção das armas, do tipo de propulsão e dos sistemas de sensores das embarcações, Mercado – que antes de assumir o comando da Marinha, em novembro passado, chefiou o grupo de trabalho incumbido de redigir as especificações da nova classe – foi evasivo: “Este estágio envolve tudo sobre o navio”. Ele também nada detalhou acerca de prazos.

Outro que falou recentemente sobre as fragatas filipinas foi o porta-voz do Departamento de Defesa Nacional, Arsenio Andolong.

Ele confirmou que o programa de fabricação dos navios já começou e que se desenvolve conforme o programado. “A construção terá início de acordo com o cronograma”, pontuou.

49 Comments

  1. Depois ainda tem gente que reclama quando se fala em fazer uma investigação na marinha

  2. Pingback: Navios Asiáticos! Sem nenhuma tradição na construção naval militar, Filipinas se propõe a fabricar 2 fragatas porta-mísseis (investindo nelas menos do que a MB prevê gastar na 1ª ‘Tamandaré’…) | DFNS.net em Português

  3. A MB devia aprender com o EB.
    A MB e seus sonhos enormes.
    Espero que as Tamandaré não passe, por ter um custo surreal.
    Esse medo de comprar navios de prateleira.
    Devia pegar o valor e investir nos subs.

    • Tb acho .. e numa marinha seria .. garantir tecnologia dos subs é o mais importante
      Só lembrar do exemplo russo pós união soviética

    • Desculpe me intrometer,mas concordo plenamente contigo.Se esse país fosse realmente sério sem corrupção e etc,seria interessante e otimo as Tamandarés.O problema é que não somos um País sério e não sabemos qtos anos isso vai demorar para se concretizar.Tudo que se faz nesse país em questão de Forças Armadas,é uma enrolação terrivel e temos um Ministro Cagão e incompetente que não da pra confiar.Olha a questão do Ocean..seria para o Brasil uma ótima aquisição visto que ele ainda tem muitos anos para ser operado e utilizado em qualquer Força…mas infelizmente não temos um ministro que lute pelas Forças ..esse ministro é uma aberração .

      • jose luiz esposito says:

        CORRUPÇÃO:: Não é a Corrupção o nosso problema , até porque todos os demais as tem , mas sim o Estado Pesadão , de Castas Corporativistas, como o Pior , mais Caro e Corrupto Judiciário do Mundo , Legislativos Desgraçados compostos pela pior parte do Povo brasileiro , entendam a Republiqueta brasileira foi criada por Corporativistas para Corporativistas , sem Moral e Patriotismo, aí esta o Problema

  4. Sim, deveria apreender com o EB….

    Só comprar SUCATA……..

    E sonhar em projetar futuramente, porque ninguém sabe quando.

    • Chora mais que ta pouco.

    • jose luiz esposito says:

      Fernando , Infelizmente estas certo , por várias vezes publiquei e comentei que desde 1889 , países que viviam sobre nossos pés , mais atrasados e até que não existiam ,apareceram nos passaram e outros estão a caminho de nos passar e nós aqui com a mesma conversa desde a criação da Republiqueta , * No futuro , Teremos , no Futuro Faremos* enquanto o barco brasileiro continua uma ** NAU SEM RUMO ** as Corporações do Judiciário , Politica , dos Corporativistas das Castas e Militares se dão bem , e o Povo brasileiro ,somente trabalho , pagamento de Impostos , com direito a um churrasquinho na laje de rachucha , e a noite novelas da Globo , Lema dos Corporativistas das Castas para o BRASIL , O povo para o Avenir , Futuro só Amanhã !!

  5. Mais um exemplo… Se a MB quisesse era só negociar um lote de navios chineses .. q já foram oferecidos … (Type 052 B/D)
    Tb existe a opção das corvetas russas
    Classe Iver …
    Difícil imaginar o q se passa na cabeça do Comando …
    Nem um NT sem resolveu

    • jose luiz esposito says:

      BRUNO FN o que espera de Mentes Colonizadas , penso que foste Naval ,conversando com eles nunca notaste nada ?Tive um Alte Naval na família , não quero citar seu nome no ar , mas Comandou em São Domingos na decada de 60 , era um sujeito muito sério e honesto ,mas com a Mentalidade completamente Colonizada ,a mesma criada pela Republiqueta de 1889 , para ele americanos eram Nossos Amigos , depois viu o Ódio que as populações Latino Americanas mantinham contra eles , começou a mudar um pouquinho de ideia , mas nunca deixou o Vício , ser Colonizado é Doença !

  6. Comprar de russos e chineses ??? E piorar nossa cadeia logística ??? Sinceramente…

    • N precisa ser Full chinesa … Ao menos algo em relação a cascos … O recheio o comprador q escolhe o fornecedor … Um pouco de boa vontade pra pensar
      Se acha ruim uma opção dessas …ao menos tais soluções acho q rolaria um financiamento externo ..tá reclamando de logística…
      Imagina o custo de navios de 50anos sem valor militar algum hj em operação na MB
      Opção de europeia custando o olho da cara .. e agora com a crise cá Coreia .. vai vendo
      Tb citei a opção da Iver … Mais ela é um projeto civil …TB n “podi”… E tantas outros preconceitos por aí … Como se a indústria naval brasuca hj prestasse pra alguma coisa é fosse barata
      Bora sentar e esperar um milagre então .. a MB aguenta mais 15anos de indefinição numa boa … Qualquer coisa é só culpar o gov federal

      • Bruno, você acha mesmo que os caras vão querer vender somente o casco ??? E acha mesmo que eles vão aceitar colocar outros sistemas e equipamentos que não os da mesma nacionalidade deles ???
        Desculpe, mas não é preconceito… e sim uma questão de saber se essa opção vale…
        Quanto à cadeia logística, sim, nosso meios são antigos e isso dá uma dor de cabeça… por isso o CM está determinando a baixa de alguns meios que não valem a pena manter…
        Abraço…

    • jose luiz esposito says:

      BRUNO FN , lestes isso , não te disse , mennte colonizada é Vício, Doença !

  7. mas nesse caso acho que as Tamandarés leva vantagem, pois deslocarão 2.750 ton. custando (350 milhões) enquanto as filipinas 2.000 ton.custando (337 milhões) segundo a matéria, as duas sem armamentos.

    Se for para produzir aqui e ter o máximo possível de nacionalização, acho que o preço das tamandarés fazendo a comparação com essa “fragata” filipina, ficou dentro do esperado, acho até que pelo tamanho da nossa corveta o nosso preço ficou melhor.

    Tava absurdo nos valores anteriores de 450 milhões de dólares, mas como aqui é Brasil e os valores no final sempre mudam para cima, não dá pra comemorar ainda, mas se ficar mesmo nessa faixa de 350 milhões como diz o comandante Leal Ferreira, creio que o preço tá dentro do que se espera do porte desse tipo de navio.

  8. A verdade é está!! “Navio para a MB, ou é AMERICANO OU INGLÊS!”

    Eles não sabem trabalhar com outras opções, apenas as que tem em mãos!

    Podiam comprar o casco apenas dos chineses, e preencher o resto por aqui!

    Mas, ………….. será que os chineses aceitam?? Ou os coreanos???

    • Roberto Lopes says:

      Boa tarde, Fernando.
      Vou relatar uma pequena parte da minha conversa com o Comandante da Marinha que ainda não revelei.
      Perguntei a ele porque a MB tem prevenção contra os navios asiáticos de segunda mão que poderiam estar reforçando a nossa força de escoltas, por exemplo.
      Leal Ferreira me disse que os navios propostos pela Posco Daewoo (sul-coreana), recentemente, ao então diretor do AMRJ, eram caros.
      E que nada havia contra a indústria chinesa, tanto que o navio hidroceanográfico “Vital de Oliveira” foi construído na China, e foi também na China que contratamos o serviço de recuperação da Base da Marinha na Antártida.
      Mas aí ele (Leal Ferreira) completou:
      “Mas quem nos garante que um escolta sul-coreano, construído há 20 anos, seria, para nós, um bom navio?…”
      Fiquei com a sensação que o preconceito existe sim, e é arraigado…
      Abraço.

      • Caro Roberto Lopes,

        Mas isso não seria dito no sentido de que uma escolta com mais de vinte anos já não estaria por demais desgastada…?

        Afinal de contas, a de se supor que no Oriente, onde todos são inimigos de todos, se navega bastante… E se for assim, não há de se esperar mesmo que uma escolta chinesa ou sul coreana de segunda mão seja realmente algo recomendável…

        • Roberto Lopes says:

          Não sei _RR_…
          Acho que é preconceito mesmo.
          Lembre que o limite de idade para a MB considerar a compra de um escolta por oportunidade é, precisamente, de 20 anos.
          Não entendo bem a prevenção dos nossos almirantes em relação aos navios sul-coreanos, porque é sabido que tanto a Daewoo quanto a HHI praticam técnicas construtivas muito próximas das praticadas pela indústria naval dos EUA.
          Aliás, exatamente por esse motivo (prática de técnicas construtivas próximas às dos americanos) é que o setor do Material da MB monitora os escoltas japoneses que estão perto de entrar em disponibilidade.
          Talvez o XO possa nos ajudar nessa questão…

          • Prezado Roberto, eu, particularmente, sou fã das KDX, acredito que seriam uma ótima opção… mas essa é uma opinião pessoal e totalmente desvinculada de crítica quanto à posição oficial da MB… abraço..

          • jose luiz esposito says:

            Enquanto países sérios começam a descartar navios com esta idade , nós pensamos em comprar !
            Mas nós nunca combatemos isto e até apoiamos ,então continuarão assim desgraçadamente .

  9. Alex Barreto Cypriano says:

    a HHI só pode estimar o custo do que lhe couber, talvez casco, propulsão, HVAC, geração e distribuição elétrica, sistemas hidráulicos/sanitários, mobiliário, acabamentos. armas e sistemas de combate (ainda indefinidos) respondem pelo quarto à metade do custo total.
    pela HHI, a unidade sai por US$85000/t. some as armas e temos US$105-125000/t. parece próximo ao da nossa Tamandaré, US$130000/t, certo?
    abraço.

  10. Renato Barcellos says:

    Até acredito que a MB vá investir nas Tamandaré. Mas mesmo assim a MB não vai mudar o seu patamar pela aquisição destas corvetas. Estive dando uma olhadela naquelas russas Gepard e em outros navios. Me parece preço demais para navio de menos. Mas o que vi até agora são apenas conversas e má vontade de muita gente.
    Continuaremos a minguar sem poder de persuasão nenhum com os navios que temos a disposição ou não.

  11. A verdade eh que nosso ministro da defesa ou se faz de besta ou nao sabe oq eh defesa. Q isso o praga

    • Nenhum político entende coisa alguma de nada, só de promoção pessoal.

      Não há vontade de haver sequer um meio de dissuasão. Há vontade de entregar o país ao saque estrangeiro e virar um vira-lata da ONU e dos globalistas.

    • jose luiz esposito says:

      Jungmann é entreguista , ENTREGUISTA , não esta aí para o BRASIL , é da Linha FHC ,desgraçadamente .

      • Linha PPS que guarda boas relações com a Dilma, diga-se de passagem.

        • Cesar A. Ferreira says:

          O troll não descansa, inventou outro nick para esculhambar com o espaço dos comentários: “Qualquer”. E como bom troll aparece para desinformar, visto que JUngmann nunca foi próximo a Dilma, pois foi Ministro de FHC, e Presidente da CEMIG na gestão de Aécio como Governador de Minas Gerais, ou seja, sempre na aba do PSDB.

          É um lixo esse troll!

  12. Não acredito que exista esse tão propagado “milagre koraeano” e muito menos “preconceito” a navios asiáticos. O que existe é falta de dinheiro.
    .
    Qual o percentual de diferença entre o preço de construção Koreano, se comparado os outros grandes construtores? Alguém tem um dado concreto?
    .
    A Mitsubishi tem condições de brigar de igual para igual com a Hyundai na construção e integração de sistemas… Ou não? Pq não citam esta alternativa?
    .
    Os sistemas embarcados são equivalentes aos ocidentais ou são ocidentais e essa é a parcela cara do navio, o recheio. O mesmo ocorre com os navios Japoneses.
    .
    Navios japoneses são equivalentes aos navios da indústria Koreana e não vejo ninguém endeusando o preço dos navios japoneses.
    .
    Se a MB tivesse dinheiro a disposição, qualquer um serviria muito bem… Mas a aquisição ficaria X vezes mais cara de qualquer forma e de qualquer fornecedor.
    .
    Pq X vezes mais caro?
    Pq teria que ser fabricado aqui e etc, sob nossas leis trabalhistas, sob nossos impostos, sob nosso orçamento irregular, sob atrasos consecutivos e etc…
    .
    Comprar fora pronto, como opção?
    Boa sorte tentando explicar isso para o seu Zé, soldador, pai de 3 filhos e desempregado durante ano de eleição.
    .
    Qual a solução?
    Tocar fogo na CLT do facistão Vargas, acabar com impostos abusivos e dar ampla liberdade para iniciativa privada investir…
    .
    Brasil primeiro mundo e MB de águas azuis em menos de uma década.

  13. ……………….a questão do preconceito é evidente ….a MB antes da 2a. Guerra imitava a marinha do Reino Unido e agora espelha-se na marinha dos EU,um comportamento vergonhoso e tipicamente subalterno,bajulador e servil ligado tbm ao fato de que o armamento usado pelo MB na grande maioria das vezes era “doado” ou vendido a preço de banana em outras palavras uma subordinação esmoler e ideológica….atualmente com a piora das condições de uso das atuais naves e com o PROSUB ameaçado de extinção à causa da redução drástica da verba da MB por parte do tal ministro de fazenda,empenha-se a MB a não comprar barcos com mais de 20 anos de uso na cômica esperança de gastar dinheiro com Tamandarés…..ora, isso não existe……….só na cabeça dos chefes navais…………….deplorável

    • jose luiz esposito says:

      Dilson Queiroz , muitos aqui conheceram o Curso Magnetron do Cmte Dunhan na Praça Mauá -Rio de Janeiro , lá existia um Radar comprado da USN mais Moderno do que a MB possuía no Barroso , deu para entender? Ele teve condições de comprar um Radar melhor do que o Doado a MB.

  14. Como os filipinos podem ter certeza dos custos se ainda não definiram os sistemas que a classe de navios irá utilizar? Além disto, é um navio menor e, pelo visto, “fininho”, provavelmente será pouco defendido e deverá ser de lançador de misseis fazendo uso de seu baixo RCS e sua velocidade. É um navio muito diferente do que se pretende ter com a classe Tamandaré!

  15. A MB é a força que atualmente está dando maiores problemas visto não ter organização. em atualizar seus meios, pois não há dinheiro(bem lembrado pelo Sr. Bardini). Fez péssimas escolhas: uma delas em não ter dado continuidade ao projeto dos submarinos alemães, manter o São Paulo 15 anos sem definição e muitas outras megalomanias que jamais dariam certo. agora põem em risco o Prosub( que deveria ter sido bem definido e pensa em ter um Porta -helicóptero bom, porém sem escolta para protegê-lo. Isto sem contar que manutenção deve se levar em conta. Ou seja, sem dinheiro não se faz bulhufas, apenas nada.

    • O grande vilão no sistema é o Governo, que por mais de 3 décadas não repõe as baixas. A MB na organização que existe desde sempre nunca teve condições de comprar navios por conta própria.
      .
      Também não adianta muito ter o melhor dos planejamentos, se o Governo não repassa o dinheiro conforme previsto. Nada sai do papel sem consistência nos repasses.
      O comandante do EB já falou, poderia até ser menor o orçamento, se os repasses fossem pontuais, seria mais efetivo. Se poderia planejar com mais exatidão os próximos passos da Força.
      .
      O planejamento que todo mundo fala que é “megalomâniaco” era embasado em uma lei que destinava 2,5% PIB para defesa. Isso ninguém lembra.
      Ninguém lembra que o Lula deu a ideia, montou um grupo para fazer END, Livro Branco e o escambau e antes da votação para fazer a lei valer, viu o tamanho da conta $$$ e se assustou… quando os planejamentos já estavam todos prontos, ele voltou atrás aos 48 do segundo tempo, a lei não foi aprovada e o planejamento de longo prazo das FFAA foi pro espaço, sem garantia financeira.
      .
      Daí o resto da história é o que se viu, começaram um bocado de projetos e não terminaram porcaria nenhuma até hoje.

    • jose luiz esposito says:

      Não tem Megalomania alguma ,como Megalomania explique , a Nossa Necessidade não existe , ou o Dinheiro é colocado preferencialmente para as CASTAS Corporativistas nos deixando a mercê da Colonização , o teu pensamento acaba se espalhando e chegando aos Políticos e é isso que eles precisam para continuarem a nos Desgraçar !

  16. jose luiz esposito says:

    Somente mais uma coisa , as FILIPINAS é um país paupérrimo , tenho um amigo filipino aqui na cidade onde moro , e amigas no meu Facebook todas filipinas , como meu face é aberto , podem entrar e comprovar ,mesmo passando por uma fase crítica pelo Trafico de Drogas que por sinal tem apoio destes amigos . Este País já esta nos passando também , quanto a outros mais atrasadíssimos ; e o Brasil , Rico e ROTO !
    Uma pergunta os quase 400 Bi de Dolares de Reserva ,servem para enfeite , para financiar apenas ao Tio Satã , estão arrestados ,para que a queremos ?

    • A China tem US$3 trilhões em reservas internacionais… Pq raios eles tem tanto dinheiro em reservas?
      .
      Pq poupança cambial serve para viabilizar transações internacionais, ou seja, serve para fazer comercio.
      O dinheiro onde está tem função definida e quanto maior o montante, melhor para o país.

  17. jose luiz esposito says:

    Daí meu amigo ,eles gastam mas Reserva e as Repõe , nós não gastamos e não repomos , a algum tempo comentei , usamos 10 Bi de Dolares e depois a repomos , agora paralisar e atrasar programas é coisa de País Idiota . As Reservas ficarão ad eternum congeladas na tua concepção , como querem fazer com a Amazônia .

    • jose,

      Nesse dinheiro não se mexe. Tire um centavo e a mera especulação derruba a frequência de negócios; ainda mais no Brasil, com uma dívida externa que já supera 60% do PIB e imerso em um déficit de centenas de bilhões…

  18. jose luiz esposito says:

    Mais uma coisinha , é urgente criamos um EXIMBANK brasileiro , com pelo menos 60 Bi de Dolares Iniciais das Reservas !!

    • O banco para isso existe, é o BNDES. Mas no lulopetismo serviu de cofrinho para os amigos do rei como Joesley Friboi, Eike Batista e Marcelo Odebrecht. E para piorar, quando a EMBRAER se recusou a receber o Vice-Primeiro Ministro russo fanfarrão ainda foi ameaçada pela Estocadora de vento de perder a linha de financiamento existente no banco que financia a venda de seus aviões.

    • esposito

      o negócio é OURO !!

      esse negócio de dólares ou euros é para país pobre, os países ricos estão comprando ouro a rodo, é bom o Brasil abrir os olhos.

  19. “A MB monitora os escoltas japoneses que estão perto de entrar em disponibilidade”
    Quais navios seriam esses? Gostaria de pedir uma matéria a respeito dos navios asiáticos. Com enfase na industria chinesa.
    E sim, há um preconceito por parte da MB!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com