Defesa & Geopolítica

NAVIOS ASIÁTICOS! Estaleiro sul-coreano pediu 410 milhões de dólares pela fragata de 3.650 toneladas que entregará à Marinha da Tailândia

Posted by

O “Tachine” em foto do primeiro semestre deste ano

Por Roberto Lopes

 

 

O portal de notícias NavyRecognition.com revelou, na quinta-feira da semana passada (09.11), que, em agosto de 2013, o estaleiro sul-coreano Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering (DSME) cobrou 410 milhões de dólares para desenhar e fabricar uma fragata multipropósito Tipo DW3000 F, de 122,5 m de comprimento e 3.650 toneladas de deslocamento, para a Real Marinha Tailandesa.

O projeto do navio se baseou na funcionalidade do destróier Tipo KDX-I Kwanggaeto Daewang (Kwanggaeto o Grande), em serviço na Armada da Coreia do Sul.

O barco tailandês, batizado HTMS Tachine (471), começou a ser construído nas instalações da DSME em Opko (uns 340 km ao sul da capital Seul), a 21 de janeiro de 2014, e, nesse momento, cumpre provas de mar. Sua entrega formal ao cliente foi fixada para agosto de 2018.

Só para lembrar: o projeto da Corveta Classe Tamandaré (CCT) prevê um navio de 103,4 m de comprimento e 2.790 toneladas de deslocamento – com porte de fragata polivalente leve –, ao custo de 350 milhões de dólares (investimento de 612 milhões de Reais/ano, durante oito anos).

Armamento e sensores – A embarcação produzida pela DSME para os tailandeses tem 14,4 m de boca máxima, convoo à ré e hangar para receber um helicóptero de até 10 toneladas e propulsão que lhe permite alcançar 30 nós de velocidade máxima; mas exige tripulação numerosa: 135 militares.

Ela foi equipada com um canhão de proa Oto Melara de 76 mm, oito células para o disparo de mísseis superfície-superfície Harpoon e oito contêineres Mk. 41 para o lançamento vertical de mísseis de Defesa Aérea ESSM (32 unidades), além de seis tubos lança-torpedos (dispostos em dois reparos triplos).

O projeto contemplou ainda um sistema tipo Phalanx CIWS, para Defesa Antiaérea de curto alcance, dois canhões automáticos MSI Defence de 30 mm (operados remotamente) e dispensadores de chaffs para desviar mísseis inimigos.

Relação dos sensores que vão a bordo da Tachine:

– Sistema de combate SAAB 9LV Mk4;

– Radar de vigilância SAAB Sea Giraffe AMB;

– Radar de navegação Sperry Marine;

– Dois radares de controle de fogo SAAB CEROS 200;

– 01 sonar rebocado Atlas Electronik ACTAS; e

– 01 sonar de casco ASO.

Knox – A DSME apresentou nova proposta aos chefes navais tailandeses, com o objetivo de fornecer uma segunda fragata do mesmo tipo desta que se encontra em testes. A empresa sul-coreana acredita que o novo contrato venha a ser assinado em 2018.

O Comando da Real Marinha Tailandesa à frente da fragata “Tachine”

Os barcos que se espelham nos préstimos da KDX-I vão substituir, na Armada Tailandesa, as famosas fragatas americanas classe Knox, fabricadas entre fins dos anos de 1960 e princípios da década seguinte. Duas delas foram entregues ao governo de Manila há pouco mais de 20 anos.

 

O conteúdo deste artigo é de total responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do site.

31 Comments

  1. Pingback: NAVIOS ASIÁTICOS! Estaleiro sul-coreano pediu 410 milhões de dólares pela fragata de 3.650 toneladas que entregará à Marinha da Tailândia | DFNS.net em Português

  2. Corveta no Brasil R$ 450 milhões Fragata desenhada do zero para exportação R$ 410 milhões tem algo errado mesmo no almirantado.

    • As Tamandaré terão um custo que pode variar entre 370 a 400 milhões. Mas só pelo fato de serem construídas aqui serão muito mais vantajosas para o país. A injeção de de dinheiro na economia não acontece se for construída fora, o governo não receberá nada de volta em forma de imposto se for construída fora, além disto a diferença de tonelagem entre as duas as colocam quase, ou na, mesma categoria, fragatas leves.

  3. A cada dia fica provado que a CCTs são bem caras e só servirão para dar uma aposentadoria gorda a alguns oficiais da Marinha e empresas ligadas a ela. O Brasil não tem solução. Assim como o Gripen, as CCTs são um absurdo de caras para o que promete entregar. Um absurdo!

    • Rogério Rufini says:

      Gripens são um excelente caça, Rafale e Ef-2000 mostraram caros de mais , agora o programa para ser viável precisa de pelo menos mais um lote de 36 caças, ideal seria mais dois lotes de 36 cada, aí o custo ia lá em baixo

  4. Anderson Graça says:

    Não consigo entender a lógica da Marinha do Brasil na continuidade do programa Tamandaré.Não é de hoje que leio sobre o desenvolvimento de embarcações Sul-coreanas.Para os almirantes da Marinha do Brasil que certamente ocasionalmente acompanham o planobrazil, melhor que vocês repensem os planos. Olhem o projeto GripenNG, participações de brasileiros no desenvolvimento.

  5. KDX II é um projeto excelente.

    Gostaria que houvesse uma parceria entre o Brasil e Coreia do Sul para fazer um navio baseado na KDX II nos requisitos da MB. Por me o navios já em si. É excelente.

    Sobre as Tamandaré. Acho um projeto caro e vai demorar. Acho o projeto das Incheon mais interessante.

  6. Belo navio .mas ainda prefiro q a MB vá atras da ABSALON / IVER dinamarquesas … 350 mi …
    Acho q a CV-3 n sai , sinceramente …

  7. Também concordo com o Adson sobre os benefícios da construção local de navios, no caso das CCT. O dindin vai circular no país e adquirirem os conhecimento pratico(assim como está sendo com os submarinos) e depois poderemos partir para embarcações maiores e aperfeiçoar a construção das menores(mapa 500br).

  8. A Máquina Troll says:

    Numa única geração a China se transformou de um país em grande parte agrário numa potência de fabricação e comércio global…A economia da China é 20 vezes maior do que era há duas décadas e está a caminho de superar os Estados Unidos tornando-se a maior do mundo…

    A Coreia do Sul bem menor que o braziu inunda o mundo com automóveis, televisores e celulares de alta qualidade…desenvolve fragatas de alta capacidade…E neste pais só Clientelismo…Só compramos e pagamos…subversivamente nos doutrinam a adotar um cego e incondicional alinhamento a estrangeiros em detrimento de nossa nação e aos interesses dela…que nos conformemos em ser uma republiqueta de bananas capacha, submissa e subserviente de nações estrangeiras que não tem nenhuma outra intenção a não ser nos explorar e nos manter na correia…

    Como a Coreia do Sul se desenvolveu – Economista sul coreano revela :

    https://www.youtube.com/watch?v=l0eDPIjZWHU

    O clientelismo é uma ferramenta utilizada para enfraquecer o capital social e humano de uma determinada localidade, ou de uma nação por inteiro…Ao se privilegiar a obtenção de benefícios oriundos de entes externos a uma localidade, ocorre o enfraquecimento das relações horizontais, homem a homem; cidadão a cidadão, diminuindo a capacidade de colaboração destes indivíduos e ampliando a competição por mais recursos exógenos, e que não geram riquezas locais. Este processo gera um círculo vicioso que ao longo do tempo é capaz de desmobilizar completamente uma comunidade..Como nota característica o cliente fica em total submissão ao patrão….

    • jose luiz esposito says:

      O diagnóstico para estarmos sempre atrás esta Claramente no GOLPE DA REPUBLIQUETA ,de 4a Potência Econômica do Mundo , paramos no tempo e andamos para trás , países que não existiam , outros que estavam muito atrás de nós , países que foram destruídos por guerras e muitos, mais de uma vez , etc , nos passaram e outros já em Vias de nos Passarem , mas a REPUBLIQUETA DE CASTAS CORPORATIVISTAS DO BRASIL, continua Letárgico , sonhando com o Futuro , mas para os Golpistas Corporativistas ,não existe país melhor , Judiciário o Pior , mais Caro e Corrompido do mundo , seus membros não encontrariam melhor país para exercerem suas ** Profissões ** , isto também para todos os nossos Legisladores e Altos Funcionários Públicos , Prefeitos , Governadores , MPs todos , etc , mas para o Povo brasileiro , com a Republiqueta virou escravo das Castas , deve Trabalhar , pagar Impostos os maiores do Mundo , para as Castas Corporativas viverem como Verdadeiros NABABOS , de Nariz Empinado , com suas Imensas Aposentadorias , as vezes mais de Uma ou Duas , usando aviões da FAB , a maior das Forças Aéreas para Transporte de Vagabundos do Mundo, etc , mais o Zé Povinho esta contente , pode tomar uma cervejinha domingo , fazer um churrasquinho na laje , morrer em hospital a míngua e seus filhos entrarem e saírem Idiotas das Escolas Publicas de nossa querida Republiqueta , SALVE A REPUBLIQUETA DE CASTAS CORPORATIVISTA DO BRASIL fundada por um Golpe Militar , por um militar de Testa Enfeitada !!

  9. Prezados,

    Mais uma vez:

    As corvetas da classe ‘Tamandaré’ estão sendo desenvolvidas do ZERO. Haverão todos os custos relacionados ao desenvolvimento a serem computados nessa conta de US$ 400 milhões da corveta brasileira… Logo, evidente que estas serão mais caras que vasos de mesma classe já prontos ( equivalendo até ao preço de fragatas leves ) no computo final; ainda mais se se estiver comparando a corveta brasileira com um vaso que vai ser vendido sem nenhuma forma de compensação ou incorporação de item local.

    Seja como for, o que elas podem vir a agregar não tem preço…

    Até pode-se pensar em importar uma “casca”, mas a concepção do “recheio” e a capacidade de integrar o que se precisa não pode ser dispensada.

    • E qual recheio nacional vai ter nessa CCT? Radar? armamento? Motorização? Sensores? Quase todo o recheio virá de fora! Quanto a poder integrar algo novo, o nosso problema nunca foi proibição. Foi falta de planejamento e dinheiro. Compensações e capacitação para integrar novos sistemas podem e devem ser negociados no contrato (vide o Gripen), o que não dá é ficar pagando mais caro por equipamento inferior com a desculpa de ser “nacional” (já que de nacional mesmo vai ter quase nada além do casco).

    • RR
      No caso dos AMX, pagamos o preço de F 16 , no entanto ele contribuiu capacitando para a Embraer construir toda linha de jatos regionais e o ganho foi muito grande, com o Gripen a capacitação ja existe e o ganho tecnico seria menor (mas não deixa se ser vantajoso);
      Agora com essas corvetas aonde esta o ganho e a capacitação ?

      Pois grandes navios civis o Brasil ja constroi ?

      Vai capacitar no que ?

      Depois o pais vai vender pra quem um projeto destes, competindo com a China e Coreia ?

      O governo vai ganhar imposto ?

      Particularmente não vejo muita vantagem neste caso, com a diferença de valores poderia se investir no desenvolvimento de misseis e sensores onde ai sim haveria ganho, no caso das covertas vai ser só a montagem ?

  10. Quem defende construção de Corveta “Tamanduá” em terras brasileiras só pode estar fazendo piada de mal gosto, esse país não termina nem napa500, esses 100 almirantes caviar da MB só podem estar de sacanagem, só descomissionam meios e culpam a falta de verba para todos os problemas administrativos internos, vergonha!

  11. Mateus Barbosa says:

    O pessoal daqui leu oque eu li nesta mesma matéria também?

    “Só para lembrar: o projeto da Corveta Classe Tamandaré (CCT) prevê um navio de 103,4 m de comprimento e 2.790 toneladas de deslocamento – com porte de fragata polivalente leve –, ao custo de 350 milhões de dólares (investimento de 612 milhões de Reais/ano, durante oito anos).”

    são 350 Milhões de dólares em uma Corveta Nacional contra 410 Milhões de dólares numa Fragata Sul Coreana

    Um abraço do Colaborador deste site!

    • Állysson Silva says:

      São 350 milhões de dólares por ano, por 8 anos. Ou seja, o custo de desenvolvimento será de 2,8 bilhões de dólares. Quantos navios já serão entregues junto com o desenvolvimento? Se forem 7, então já custarão 400 milhões cada; se menos que isso já sairão mais caras ainda… E será que não haverá nenhum reajuste nesse investimento? Afinal estamos no Brasil, pais que sempre planeja um preço para obras públicas e no final termina custando o triplo!

  12. Parece que o povo não pensa muito bem por aqui. Esse valor ai é de 2013 e não preço de 2017 ou 2018 minha nossa da uma olhada no preço do combustivel vcs pagam o mesmo valor de 2013???além do mais tem o quesito modernizar o ARMJ e as contruçoes dos navios o preço Brasil, agora mais do que nunca eu acredito que seria muito melhor as Tamandares e ganhar know how e partir para uma fragata de 4000T umas 4 a 6 e assim por diante depois dessas quem sabe umas de 6000T o que mais importa ´´e ganho de tecnologia e conhecimento e comprometimento federal.

    • Comprometimento federal? Há tá! Agora conta a do papagaio também. Isso nunca existiu na nossa história, e pelo andar da Carruagem capenga chamada Brasil, nem tão cedo vai existir. Triste, mas nossos antecedentes não recomendam otimismo.

  13. chineses e coreanos sao trabalhadores,os brasileiros querem carteira assinada mais nada.um pais com leis populista nao consegue ir longe,mais da metade do brasileiros estao pendurado no governo,qual o ensentivo para ir trabalhar se o governo manda os cheques,infelizmente o brasil esta a anos de paises asiaticos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com