Defesa & Geopolítica

Mentiras no mundo virtual: “fake news” e narrativa do discurso

Posted by

 

Os “smartphones” fazem parte da nossa vida e com eles ficamos conectados 24 horas por dia, interagindo com o mundo. Assim, imersos nessas novas tecnologias, que nos acompanham no bolso ou na bolsa, somos bombardeados por notícias que chegam até nós, oriundas das mais diversas fontes. Embora atualizados rapidamente, somos vítimas de arquivos produzidos com interesses escusos, que afetam a honra tanto de famosos, quanto de desconhecidos, tudo em apenas um “touch”.

Para persuadir, essas notícias são escandalosas, engraçadas, fantásticas ou aterrorizantes, cuidadosamente elaboradas para despertar sentimentos antagônicos, como compaixão e raiva, fúria e solidariedade. Esses são os principais ingredientes para que uma falsa notícia se espalhe rapidamente, viralizando entre os internautas, fazendo-os ter ânsia de compartilhar essas “fake news”, principalmente nas mídias sociais, sem ao menos fazerem uma checagem rápida na fidedignidade da fonte.

A maioria acredita naquilo que recebe em seus celulares e no que lê na Internet, pois não tem tempo de conferir a origem. É justamente para ludibriar os mais cuidadosos (os que verificam as fontes) que os influenciadores se esmeram. Criam portais específicos, preparam notícias com linguagem jornalística ou imputam os créditos falsamente a alguma personalidade de conduta ilibada, o que gera maior credibilidade aos boatos. Desse modo, conseguem enfeitiçar as matérias e entorpecer as percepções.

Tal é o poder destrutivo das “fake news” que podem manchar rapidamente e para sempre a reputação de alguém. Pior do que isso, elas podem mobilizar massas a agirem de acordo com interesses espúrios, utilizando personalidades carismáticas para retransmitirem essas falsas notícias, pois emprestam a reputação a mentiras. Além disso, notícias verídicas, veiculadas pela mídia oficial, podem ser distorcidas e temperadas com ilações e calúnias, atribuindo responsabilidades por crimes ou absolvendo criminosos.

É a era da manipulação virtual, que foi denominada, pela primeira vez, em 1992, de “a era da pós-verdade”, pelo escritor e roteirista Steve Tesich. O termo ganhou vulto em 2016, a partir do Dicionário Oxford e da revista “The Economist”. Entretanto, os princípios da “pós-verdade” baseiam-se em dogmas anteriores. A realidade é um fenômeno da percepção. Dessa forma, o “quantum” comunicacional submetido a todos nós passa por filtros antropológicos, culturais e sentimentais, para que cada um perceba de modo diverso.

A fim de despertar o interesse pelo aprofundamento sobre as “fake news”, é necessário pensar sobre a “desinformação”. Com isso, surgem as indagações: por que e quem as produz?

Em estudo da Universidade de Oxford, os “bots” (robôs/programas que espalham conteúdo), respondem por mais de 50% do tráfego na grande rede. Dessa maneira, podem influenciar os internautas com as mais diferentes mensagens. Com isso, fica claro o porquê de as “fake news” terem o poder de disseminar boatos e de detonar e desconstruir reputações, tornando-se uma ferramenta imponente e cara, usada nas disputas políticas em todo o mundo. Nas eleições de 2018, no Brasil, não será diferente.

Olavo de Carvalho, escritor e filósofo, em seu artigo “ABC da desinformação” publicado no Diário do Comércio, em 10 de janeiro de 2013, cita dois tipos de desinformação. Corro o risco de derivação ao interpretar tamanho pensador com a minha angulação, mas vamos lá!

O primeiro tipo – a microdesinformação – utiliza-se de assessores de alto nível para que os decisores sejam influenciados erradamente a agirem de modo favorável ao grupo de desinformação. Já o segundo tipo – a macrodesinformação – é produzido por organismos desinformadores (pode ser um homem só), pautando massivamente de cima para baixo. Ao viralizar esses conteúdos, ocorre a conformação dos públicos, que cristalizam em seus imaginários ideias prontas, influenciando a adoção de comportamentos pré-concebidos.

Sob outro enfoque, observa-se que a influenciação das massas pelas “fake news” vem se aperfeiçoando. Ao utilizar enorme quantidade de meios digitais (“sites”, mídias sociais e blogs), esse artifício utiliza conceitos de “crossmedia” (mesmo conteúdo em mídias distintas, para potencializar a difusão da mensagem) e de “transmedia” (conteúdo complementar em mídias distintas, para fortalecimento mútuo da mensagem).

Nessa nova era comunicacional, cita-se, como exemplo, um desses artifícios, que foi renovado para construir e destruir imagens. O antigo “meme”, idealizado em 1976 por Richard Dawkins (“O gene egoísta”), referia-se a um aglutinado de informações transmitidas por rádio, jornal impresso e livros, com potencial de ser entendidas e espalhadas rapidamente, na velocidade da época. Hoje, o “meme” digital transcende o mundo impresso e pauta o mundo online. É poderosa ferramenta de “marketing” de guerrilha, é viral.

Como protagonista contra as informações falsas, surge a imprensa – o “quarto poder”. Esse enredo está presente no recente filme de Steven Spielberg, que concorreu ao Oscar (“The Post – A Guerra Secreta”). Tal qual o filme, os bons jornalistas dedicam-se a contar à sociedade as notícias relevantes, concedendo isenção e apuração ética à narrativa dos fatos. Sem dúvida, a liberdade de imprensa e de expressão, norteada pelo patriotismo, é a joia da coroa da nossa democracia.

Outro ponto polêmico é a regulamentação para o combate das “fake news”, que, pelo risco de censura, entra em rota de colisão direta com a Lei Federal n.º 12.965/2014 (Marco Civil da Internet). De acordo com o primeiro rascunho do projeto de lei, caberia ao internauta abrir reclamação e ao provedor, remover as supostas notícias falsas. Após pressões, o Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional recuou e modificou o projeto para que a retirada de conteúdo falso seja somente por ordem judicial.

De acordo com pesquisa recente dos institutos “We Are Social” e “Hootsuite”, os brasileiros navegam 9 horas e 14 minutos por dia, o que rende ao Brasil o terceiro lugar mundial em conectividade. Por isso, nossos compatriotas são bem suscetíveis a cliques e compartilhamentos de notícias, sejam verdadeiras, sejam falsas. Para proteger o internauta-cidadão, a legislação de nosso País precisa evoluir, espelhando-se na da União Europeia, que, em 25 de maio de 2018, estará sob a Lei de Proteção de Dados.

Além do cuidado com os conteúdos postados, é importante saber que “apenas” compartilhar “posts”, “memes”, imagens ou textos de cunho ofensivo (direto ou indireto) em rede social pode gerar consequências desagradáveis. O Código Penal vale para o mundo real e para o virtual. As penas para calúnia, difamação e injúria variam de três meses a três anos de reclusão, além de multa. Tramitam, ainda, novos projetos de lei para inserir tipificações específicas, que confiram mais rapidez aos processos.

Por fim, enquanto a base legal não é definida, “faz muito bem para a nossa saúde” não divulgar nada sem apurar e conhecer a realidade dos fatos, bem como checar a pureza da fonte daquilo que consumimos e compartilhamos. Essa sugestão vale para o lado pessoal e, principalmente, para o organizacional, já que a imagem da instituição é importante patrimônio imaterial. Todos nós somos responsáveis pelos conteúdos que lemos e replicamos.

 

 

 

 

 

O Coronel do Exército Brasileiro Helder Lima de Queiroz é graduado em Publicidade e Propaganda, especialista em Comunicação Social, pelo Centro de Estudos de Pessoal, e pós-graduado em Comunicação e Marketing Institucionais.
Como Oficial de Estado-Maior, foi chefe das Seções de Comunicação Social do Comando de Aviação do Exército, situado em Taubaté-SP; da 8ª Região Militar e 8ª Divisão de Exército e do Comando Militar do Norte, ambos situados em Belém-PA.
Foi Diretor do Parque Regional de Manutenção da 7ª Região Militar, quartel do Exército sediado em Recife-PE, nos anos de 2016 e 2017.
Atualmente, o Coronel Helder serve no Gabinete do Comandante do Exército, no Centro de Comunicação Social do Exército, sediado em Brasília-DF.

32 Comments

  1. A Máquina Troll says:

    Em jogo a Liberdade de Expressão e acesso à informação :

    https://www.youtube.com/watch?v=lwVuxmH6I4k

    • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

      “Em jogo a Liberdade de Expressão e acesso à informação”… é tudo os que os ESTATISTAS FASCISTAS MELANCIAS querem… conter a liberdade de opinião contrária a religião socialista deles… aqui a boçalidade esquerdalha não reinará… não somo a venefavela… e nem o hell de janeiro… 🙂

  2. A Máquina Troll says:

    Agora querem “regulamentar” a internet daqui para controla-la e restringi-la…pois com a democratização da informação trazida pela internet os grandes conglomerados da mídia tradicional perderam o monopólio que detinham sobre a informação…de forma mal disfarçada editam os fatos, distorcem, deturpam, omitem, interpretam ou expõem apenas o que lhes interessam…reflexo disso é que o país encontra-se apenas na 104ª posição no “Ranking de Liberdade de Imprensa” de 180 países, ranking da ONG “Repórteres Sem Fronteiras”…

    o braziu está mais mal ranqueado que Uganda, Gabão, Timor Leste, Bolívia, Kenia, Libéria, Kosovo, Togo, Moçambique, Peru, Nicarágua, República Dominicana, Guiana, Argentina, Haiti, Nigéria, dentre outros…a mídia tradicional do pais é dominada por algumas poucas e poderosas famílias…intimamente ligadas aos Centros de Poder…e a serviço destes…

    é notória a influência e persuasão que possuem principalmente sobre a parte mais pobre e menos esclarecida da sociedade…grupo de pessoas em sua maioria formada por gente com pouca instrução…que tomam como verdade absoluta tudo que é veiculado justamente por não possuírem meios ou condições para discordar daquilo que é dito…

    • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

      Com a palavra os boçais dazisquerdas estatistas que acham que terão chance contra nosotros… rsrsrsrsrssss… não tão aguentando nem manter uma “vigília” em prol do “santo barbudo”… rsrsrsrrssss… depois criticam o Valdomiro Santiago por pedir dindin pra igreja dele… rsrsrsrsss… os adoradores da igreja da ORCRIM do ABC tão passando a sacolinha pra manter os “irmãos de fé” que se entregaram ao martírio revolucionário da vigília em Curitiba. rsrsrsrsrsrsrsss… VAMOS PASSAR A SACOLINHA !!!… rsrsrsrsssss… é o chamamento da profetiza chefe da igreja petralha nas redes sociais e internet… rsrsrsrssssss…

  3. Com a palavra Blue Eyes a cadêlinha Ariana supremacista branco Illuminati kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Fake News sempre foi feito pela Foice de SP, Pela rede Globels, pelo New Fake Times…o que esta incomodando o baronato da mídia e seus patrões globalistas e que com as plataformas revolucionárias das redes sociais eles perderam o monopólio da mentira.
    E ninguém ta vendo que estão criando um monte de espantalhos para poderem regular as mídias sociais imagiiina, ninguém sabe que esta gente e treinada para vender o veneno na embalagem do remédio e usa seus idiotas uteis do politicamente correto parta isto.

    Povo de boa cultura e senso critico apurado não cai em fake news, pois sabe diversificar suas fontes de informação.

  5. “Além do cuidado com os conteúdos postados, é importante saber que “apenas” compartilhar “posts”, “memes”, imagens ou textos de cunho ofensivo (direto ou indireto) em rede social pode gerar consequências desagradáveis. O Código Penal vale para o mundo real e para o virtual. As penas para calúnia, difamação e injúria variam de três meses a três anos de reclusão, além de multa. Tramitam, ainda, novos projetos de lei para inserir tipificações específicas, que confiram mais rapidez aos processos”

    Perfeito general, não e preciso criar leis de regulamentação restritivas as redes sociais, basta aplicar o código civil e penal para quem cometa crimes no ambiente cibernético, Para isto os governos tem que capitar seus órgãos investigativos.
    Nada deixa mais rastro que internet.

  6. A Russia acaba de proibir o Telegran no país.
    https://www.tudoemtecnologia.com/tribunal-em-moscou-proibe-telegram-na-russia/

    A justificativa do governo de Moscow e de que o os gerenciadores do aplicativo se negavam a fornecer os dados e mensagens de forma irrestrita para o governo combater (Vigiar seus cidadãos) crimes (Será que os agentes KGB perderam o jeito de se infiltrarem) A empresa se defendeu dizendo que apenas respeita o direito a privacidade de seus usuários.

    Vejam que interessante, no EUA querem regulamentar as redes sociais por não respeitarem a privacidade de seus usurios, na Russia China e outros querem regulamentar porque não fornecem aos governos as conversas e dados privados de seus usuários…amanhã pode ser vice versa, que sinuca de bico hem?!

    Parece que a revolução digital e o novo preto. kkkk, os velhos puxadores de cordinhas não estão sabendo lidar com ela sem domoniza-la.

    Bem estando o Telegran proibido na Russia, sabem o que os russos vão fazer? Instalar o Wattszap, e se proibirem este também se criam outros.
    Talvez a nova revolução Bolshevik aconteça com pelengos dando machadadas em postes com cabos de fibra otica kkkk

    • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

      “Talvez a nova revolução Bolshevik aconteça com pelengos dando machadadas em postes com cabos de fibra otica kkkk”… FINO HUMOR !!!… 🙂

  7. César Pereira says:

    As redes sociais tiraram o monopólio das informações dos grandes conglomerados midiáticos, hoje quase todos tem um celular com Câmera e tão logo um fato acontece já se espalhas vídeos e fotos,muito diferente de alguns anos atrás ,quando as grandes empresas da mídia eram ”donas da verdade e da informação ” !
    Quanto ao fake news, nós sabemos que isso não é coisa nova,basta lembrar da reportagem da Veja que acusava o senador Romário de ter contas no exterior,inclusive a revista chegou a divulgar um documento falso para dar credibilidade a reportagem !
    http://www.administradores.com.br/noticias/cotidiano/veja-pede-desculpas-a-romario-por-publicacao-de-documento-falso/103949/

  8. Hoje a maior rede de Fake News é das maiores emissoras de TV, junto com Jornais, Revistas, Radios, blogs, etc.
    E a Fake News existe por 3 motivos 1 – Dinheiro, 2 – Politica – 3 – Ibope e geralmente essas 3 estão de mão dadas!
    Por exemplo, o PT perdoou dividas milionárias da Globo, alem de dar bilhões, será que a Globo vai se atrever a falar mal do PT? E falar bem do único candidato de direita que já afirmou que vai acabar tet4 se caso for eleito? O mesmo serve para os Jornais, Revistas,etc!
    A Globo também vive falando que o Brasil é um país homofóbico, que morre muito mais gays que hetero, mas se pegar dados oficias verá que é bem ao contrario, mas ela vive falando disso pq da ibope!

  9. Sabem como se escreve fake News em Russo ? Sputnik. Aioaioaio

  10. Fofoca, deboche, calúnia, tudo isto e muito mais são Fake News, algo (erva daninha) que faz parte da vida social humana histórica, e o mundo nunca parou por causa disto. E muitíssimo pelo contrário… Todas às vezes que se tenta controlar com mão de ferro as informações trocadas entre o povão há forte desaceleração, e até estagnação, do progresso.

    Temos que ir muito devagar com essa proposta de fazer das Fakes News desculpa “esfarrapada” para tornar a atual popular internet num patético espaço cultural universal sem livre expressão.

    O que o coronel acima esqueceu de falar é que democracia não sintoniza com censura da informação. Informação esta (produzida em terabytes diários pela rede) que obviamente nem sempre é bonita e limpinha como se gostaria que sempre fosse.
    Redes sociais, sites e blogs da internet são legítimos e úteis instrumentos democráticos (onde todos tem voz e não apenas um grupo de escolhidos) apenas quando não censurados.

    Censurar a internet será ataque socialista bem sucedido sob as barbas do Ocidente, sob a falsa bandeira Fake News – querem coisa mais falsa do que isto?

  11. 1maluquinho 1maluquinho says:

    Segundo o colonizado e cafetizado Meme ( Maquina ) Russia e EUA se tornarão um so país. Pato Donald Trump enfim tera acesso as reservas petrolíferas Siberianas .

  12. A Máquina Troll says:

    “PF repreende delegado que defendeu prisão de Temer, Alckmin e Aécio

    Folhapress, 9 de abril de 2018.

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Em nota divulgada nesta segunda (9), a Polícia Federal desautorizou o delegado da instituição que defendeu em rede social a prisão do presidente Michel Temer (MDB), do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e do senador Aécio Neves (PSDB).

    Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o delegado da Polícia Federal Milton Fornazari Junior escreveu em sua página no Facebook, após a prisão do ex-presidente Lula, que “agora é hora de serem investigados, processados e presos os outros líderes de viés ideológico diverso, que se beneficiaram dos mesmos esquemas ilícitos que sempre existiram no Brasil (Temer, Alckmin, Aécio etc)”.

    O texto, de acordo com o jornal, foi publicado no sábado (7) e apagado na noite de domingo (8). Milton Fornazari Junior foi chefe da Delegacia de Combate à Corrupção e Crimes Financeiros em São Paulo de outubro de 2015 a novembro de 2016.”

    é para abrir caminho para este tipo de coisa que estão se movimentando e trabalhando para tornar “lei” …

    “Justiça fixa multa diária de R$ 500 mil a manifestantes pró e contra Lula em Curitiba

    Decisão da 3ª Vara da Fazenda Pública atende pedido da Prefeitura e determina desocupação das redondezas da sede da PF”

    a justiça deste pais foi transformada em um instrumento de perseguição, censura, repressão e cooptação…foi convertida para assumir o papel e se tornar o novo DOI-CODI do pais…para que tudo fique instituído e atue mascarado como “lei”…para dar aura de legalidade…e esta em curso planos para expandir isso para a internet daqui…

    • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

      Se tal eles se mudarem para sua calçada onde defecarão e vomitarão por semanas… garanto que vc não vai achar ruim, não é mesmo ???… 🙂

  13. A Máquina Troll says:

    ENQUANTO ISSO :

    “Juízes do RN poderão receber até R$ 365 mil

    O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte criou na última semana um novo benefício para os juízes e desembargadores do estado: uma licença prêmio retroativa dos últimos 22 anos que poderá conceder a eles até R$ 365 mil.

    A resolução, assinada por 13 desembargadores e publicada na última quinta-feira, funciona como um “prêmio por assiduidade” e oferece a todos os juízes que trabalharem por no mínimo cinco anos consecutivos o direito a três meses de folga e férias.
    Juízes receberão mais de R$ 360 mil

    Assim, quem trabalhar na função desde 1996, por exemplo, terá direito a quatro licenças ou um ano de folga. O benefício pode ser pago em dinheiro, o que totalizaria R$ 365 mil. Familiares de juízes que faleceram e pessoas aposentadas também poderão receber o dinheiro.

    Além desse benefício e do salário, juízes do estado recebem auxílio-moradia, de R$ 4,3 mil, auxílio saúde, de R$ 600 a R$ 1 mil e auxílio-alimentação, de R$ 1,4 mil.
    Outros valores

    Essa não é a primeira vez que o TJRN permite o pagamento de benefícios retroativos. Em outubro do ano passado, os magistrados liberaram o pagamento de R$ 40 milhões em auxílio-moradia a 195 juízes e 22 desembargadores. O STF ainda discute a validade do pagamento.
    Estado em crise

    No Rio Grande do Norte, 8 em cada 10 pessoas possuem renda mensal igual ou inferior a R$ 1.663. O estado tem enfrentado dificuldades financeiras há alguns meses e os salários de servidores públicos estão atrasados. Alguns deles não receberam ainda o décimo-terceiro salário.”

    Em qual pais decente do mundo os próprios beneficiários determinam seus benefícios?..Só mesmo neste pais de miseráveis de espírito chamado braziu acontece este e outros absurdos…e depois ainda querem fazer acreditar que é o povo que tá levando a previdência a falência…No braziu existem quadrilhas de políticos, de policiais, de juízes, de empresários, de banqueiros…E todos eles repetem o refrão: “bandido bom, é bandido morto!”…TEM POLÍTICOS QUE RECEBEM PROPINA PARA MONTAR LEIS E DECRETOS…TEM ADMINISTRADOR PÚBLICO QUE SUPERFATURA LICITAÇÃO E AGORA O JUDICIÁRIO QUE LEGALIZA SUAS PRÓPRIAS FALCATRUAS…”TUDO DENTRO DA LEI”…Só uma intervenção militar mesmo porque isso aqui está virando caso de policia…cada um faz o que quer e nós pagamos a conta com nossos impostos que deveriam estar aplicado em escolas, hospitais, saneamento básico…eu venho dizendo…o judiciário deste pais é mais pilantra do que o próprio poder político…estão saqueando os cofres públicos…caos total…e agora quem poderá nos ” SALVAR ” destes canalhas que estão no poder?…Quando é que esse povo brazileiro irá acordar para o que está acontecendo e reagir?…É triste ter que reconhecer isso mas esse país só vai mudar na base de uma revolta igual a Revolução Francesa!…

  14. BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

    “Oh, não! – tornou a serpente – vós não morrereis! Mas Deus bem sabe que, no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão, e sereis como deuses, conhecedores do bem e do mal.”… Gênesis 3,4-5… Foi o primeiro FAKE NEWS da história… 🙂

    • Kkkkķ , a costelinha foi o primeiro SER socialista ,ķkkk, invejosa , desobediente , alienada e de fácil cooptação, quando veio as consequências ela culpou e esbravejou contra os EUA ,kkkkkll

      • E a serpente linguaruda desmiolada, carregada de sacanagem, deve ser uma tatatatataravó do maquineta.
        rsrsrsrsrs!!!!

      • Aliás uma derrotada aguardando a execução, quem mandou ser idiota metido a BESTA ,kkķkk, JAVEH Santo, Maranata rabi .

      • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

        Tá falando de quem ???… do menino maluco do penico dourado… ou do troll linguarudo desmiolado ???… vixe !!!… até rimou !!!… 🙂

      • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

        FINO HUMOR !!!… 🙂

  15. Na realidade fake News só encontra terreno fértil em pessoas preguiçosas ou ideologicamente afetadas . Basta fazer uma simples pesquisa , aguardar a confirmação e consequência do fato publicado , além de uma sem paixão da notícia, o mentiroso geralmente é incoerente , há hoje meios para desmascara-lo !

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com