Defesa & Geopolítica

LEITURA DE SÁBADO: Argentinos ainda insistem na hipótese de que o ‘San Juan’ esteja na superfície, à deriva, mas, por via das dúvidas, levam magnetômetros para a área das buscas…

Posted by

Capitán de Navío Balbi: “nenhuma hipótese se descarta para o que ocorreu”

Por Roberto Lopes

 

 

A imprensa argentina noticiou, nas últimas horas, que a Armada Argentina está levando dois magnetômetros para a área onde se concentram as buscas ao submarino San Juan (S-42), que há cerca de 80 horas não se comunica com a Base Naval de Mar del Plata ou qualquer outra estação de rádio da Força.

Equipamento utilizado para medir a intensidade de um campo magnético, o magnetômetro é comumente utilizado para rastrear grandes massas (ou superfícies) de metal que se encontrem debaixo dágua.

Na noite desta sexta-feira (17.11), apesar de continuar insistindo na possibilidade de o San Juan não estar submerso, e sim à deriva na superfície, o porta-voz da Marinha Argentina, capitão de navio (equivalente a capitão de mar e guerra) Enrique Balbi, passou a admitir: “nenhuma hipótese se descarta para o que ocorreu”.

O recurso ao magnetômetro nas buscas ao submarino fazem os oficiais da Marinha do Brasil lembrarem o infeliz episódio do caça AF-1 (A-4 Skyhawk), do Esquadrão Falcão, que, por volta do meio-dia de 26 de julho do ano passado, caiu no mar, defronte ao município fluminense de Saquarema, após colidir no ar com um outro jato do mesmo modelo, durante manobras de ataque a um navio de superfície.

Pedaços – Depois o choque, só uns pedaços do avião desaparecido, de tamanho não muito grande, puderam ser encontrados por pescadores. A notícia inicial de que o piloto se ejetara e permanecia boiando na superfície, à espera de resgate, não se confirmou.

Na segunda semana de setembro de 2016, alguns navios que participavam das buscas receberam o magnetômetro, aparelho que converte o campo magnético em um sinal elétrico, e, dessa forma, permite que ele funcione como uma espécie de sensor, apto a varrer o leito submarino.

Mas nem o emprego do equipamento ajudou na localização do caça da Marinha que, acredita-se, esteja até hoje enterrado em alguma área arenosa e movediça do fundo do mar.

Neste sábado a Armada Argentina previa concluir a inspeção de mais de 80% do perímetro marítimo alvo das buscas, a uns 300 ou 400 quilômetros do litoral da Provínvia Patagônica de Chubut.

O estado do mar não é bom, com ondas de seis metros de altura e ventos bem fortes.

O navio polar HMS Protector (A-173), da Marinha britânica, e um quadrimotor Hércules C-130 do destacamento aéreo que os ingleses mantém nas Ilhas Malvinas (Falkland Islands como os ingleses chamam), participam das missões de salvamento – que mobilizam também meios navais e aéreos de Uruguai, Chile, Brasil e Estados Unidos.

O inglês “Protector”

Segue-se a nota oficial distribuída pela Armada Argentina no início da tarde deste sábado:

GACETILLA DE PRENSA N° 42
ACTUALIZACIÓN N°1

OPERACIONES DE BÚSQUEDA Y RESCATE DEL
SUBMARINO ARA “SAN JUAN”

La Armada Argentina, dependiente del Ministerio de Defensa, informa que ayer a las 19 hs. declaró el caso SAR (Búsqueda y Rescate) del Submarino ARA “San Juan”.

Esta siguiente fase implicó que ayer zarpara la Corbeta ARA “Espora” y el aviso ARA “Puerto Argentino”, y decolaran un avión Hércules C130 de la Fuerza Aérea Argentina y una aeronave P3 de exploración de la NASA (USA) para vuelos de exploración en el área de operaciones.

Sumándose al viaje de ayer del Ministro de Defensa Oscar Aguad, acompañado por el Jefe de la Armada Almirante Marcelo Srur, a la Base Naval Mar del Plata para tener contacto directo con los familiares de los 44 tripulantes e interiorizarse de la situación, se conformó un equipo interdisciplinario de respuesta inmediata para brindar apoyo y acompañar a los familiares.

Hoy zarpan también para sumarse al esfuerzo de búsqueda y rescate, los buques oceanográficos ARA “Austral” y ARA “Puerto Deseado”, con expertos del CONICET y del Servicio de Hidrografía Naval a bordo, para operar las sondas multihaz y magnetómetros, las corbetas ARA “Spiro” y “Robinson”, el Buque Logístico ARA “Patagonia”, el Destructor ARA “La Argentina” y el Transporte ARA “San Blas”.

A su vez, se confirmó el ofrecimiento de apoyo al caso SAR del submarino, de las Armadas de Uruguay, Chile, Brasil, Perú, Estados Unidos, Inglaterra. Por la tarde estaría arribando al área de operaciones el Buque Polar inglés “Protector” y a Trelew una aeronave P8 de exploración de la U.S. Navy.

O conteúdo deste artigo é de total responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do site.

15 Comments

  1. Cada minuto q passa fica mais dificil.

    • Oi Sanney,
      Eu, pessoalmente, experimento a mesma expectativa dos dias em que a MB procurava o caça do comandante Igor Bastos…

      • Pois eh Roberto Lopes eh uma pena q são vidas que se encontra la mas assim as informações tao distorcidas de mais… mas estamos na expectativa para q incontre esse sub…

  2. Pingback: LEITURA DE SÁBADO: Argentinos ainda insistem na hipótese de que o ‘San Juan’ esteja na superfície, à deriva, mas, por via das dúvidas, leva magnetômetros para a área das buscas… | DFNS.net em Português

  3. Os Argentinos sao tão orgulhosos, que até em um momento triste como esses não deixam ele de lado.

  4. Anferson Graça says:

    Infelizmente ainda insistem em dizer q o navio esta na superfície.Os argentinos não tem capacidade alguma de realizar uma operação de tal complexidade e que exige equipamentos adequados e modernos.As forças armadas da Argentina estão em estado deploráveis. É angustiante toda essa demora, com possibilidades cada vez mais incerta quanto a possíveis sobreviventes

  5. claudio quadros says:

    argentina poderia acabar forças armada criar guarda municipal ja era como potencia milita américa do sul costa rica pequena fora policial esta melhor que argentina toda .

  6. Sejamos realistas ,se houve o acidente , vamos pras 72h desde o desaparecimento .(prepotência da marinha argentina com seus ”protocolos” pode ja ter custado a vida da tripulação ).. região onde estão sendo feitas as buscas variam de 200 a 500 metros ou +(ou seja .. algo no limite ou acima do q o IKL-209 possa aguentar em termo de pressão… se pensar q o sub pode ter se ”chocado” contra a solo marinho a uma profundidade de 400 metros .. duvido mt q ele tenha mantido sua integridade estrutural ) …tb acho q nenhum meio aéreo poderia ajudar no rastreio de um objeto imerso sem nenhum tipo de atividade (silenciado por completo ) sob tais condições … a depender do problema ..o tempo de ”socorro ‘ acho q ja se passou , sub completamente apagado . sem filtros ou nada do tipo .. oxigênio iria durar +- 10 h (foi q me falaram ) …período q poderia durar + algumas horas se dentro da embarcação tivesse alguns cilindros de oxigênio (algo pra ser dividido pra 44 pessoas .. imagine ) ….sendo realista e pessimista , n estamos mais buscando sobreviventes .. e sim um caixão …e sendo assim , q o ”momento” deles tenha sido rápido…
    Fato do Brasil ainda n estar mt empenhado nas buscas decepcionam , n enviamos os P3AM ou mesmo o E-99B … afinal o pedido foi feito a MB .. n a FAB ..vai saber

    • Difícil. .. a situação

      • segundo o infobae.com (publicado no poder naval) a info e q a FAB tb vai participar das buscas .. com o C-105 SAR e com um P-3AM ..so nos resta torcer por um milagre

    • Anferson Graça says:

      Concordo em partes com o q vc falou.Esse submarino não esta na superfície, vamos rezar por um milagre. Voltando p Brasil,realmente o Brasil sempre demora muito em deslocar meios p uma eventual tragédia ou emergência. Um Pais como o Brasil deveria ser líder ou mostrar empenho na região, mas nos últimos anos vem ficando cada vez mais apática em especial a Marinha do Brasil sem ambições e planos confusos e duvidosos.

  7. Orar a Deus, pra tudo dar certo.

  8. claudio quadros says:

    este fim forças armadas argentina politicos incompetente

  9. o navio não esta na superficie! primeiro Boeing C-17 Globemaster acaba de descer em Comodoro Rivadavia com equipes SAR – quanto as capacidades: na área em que possivelmente se encontra, devido ao ultimo contato, superior a 300 mts – somente Reino Unido e EUA te tecnologia para resgate… temos q orar!!!!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com