Defesa & Geopolítica

Janeiro 09

VOA O PRIMEIRO UCAV EMBARCADO

A Northrop Grumman apresentou, no dia 16/12, seu primeiro avião de combate não-tripulado para a US Navy, a aeronave designada X-47-B Unmanned Combat Air System (UCAS), é a primeira da série que a Northrop Grumman está produzindo para a Marinha dos EUA, a fim de demonstrar operações de aeronaves não-tripuladas a partir do convés de vôo de navios-aeródromos.

O X-47-B é um programa que visa desenvolver e avalia viabilidade de uma aeronave stealth não-tripulada, bem como demonstrar a capacidade operativa de suas tecnologias em ambiente real. Os ensaios da aeronave embarcada a bordo de navios-aeródromos estão programadas para o final de 2011.

O programa deve ser concluído em 2013 e envolverá a operação embarcada do UCAS, entretanto a US Navy espera poder ter o seu primeiro escuadrão de UCAV operacional, pelos idos de 2025.

Fonte: BLOG PODER NAVAL

GOVERNO TORNA-SE ACIONISTA DA AVIBRAS

Cumprindo parte do prometido no Plano Estratégico de Defesa, o governo Brasileiro iniciou uma operação de recuperação do parque industrial de defesa, os primeiros passos já estão sendo dados. A recuperação da Avibras é considerada pelo ministro Nelson Jobim uma prioridade, no âmbito da estratégia de reerguer a indústria bélica. A parceria com o governo deve facilitar o processo de venda e exportação de armamentos.

Diante disto, a 7ª Vara Cível de São José dos Campos concedeu ontem a recuperação judicial da Avibras Indústria Aeroespacial S/A. Nenhum dos credores apresentou objeções, o que permitiu a homologação do plano de recuperação. Com isso, o governo se tornará acionista de uma das maiores fabricantes de armamentos do país. Além disso, terá participação estratégica por meio de uma “golden share”, ação que dá direito a vetar decisões tomadas pela direção da empresa -o governo detém “golden share” da Embraer.

A participação acionária do governo será definida depois de concluídos levantamento técnico e auditoria nas contas. “A consultoria Rosemberg e Associados está fazendo o trabalho de análise da empresa, e a BDO Trevisan, a auditoria. Eles têm até o final de fevereiro para apresentar seus relatórios.”

Com base nos relatórios, serão adotados critérios para fazer a conversão dos débitos da empresa em ações que ficarão em poder do governo. As informações recentes apontam para um controle acionário de 25% da empresa.

Fonte:DEFESA BR

ODEBRECHT NO PROGRAMA DO SUBMARINO NUCLEAR BRASILEIRO

A Construtora Brasileira Norberto Odebrecht participará no programa de construção dos cinco submarinos contratados pelo Brasil com a França – um negócio estimado em 7 bilhões (R$ 21,4 bilhões) ao longo de 20 anos, acertado no fim de 2008 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva com seu colega francês, Nicolas Sarkozy.

A empreiteira construirá o estaleiro onde as embarcações serão montadas e uma nova base naval no Porto de Sepetiba, no Rio. O contrato entrará em vigor no segundo semestre.

A joint venture construirá, com assistência da DCNS, os quatro submarinos convencionais Scorpène, a propulsão diesel-elétrica. Cada um terá menos de 75 metros de comprimento, deslocará até 2 mil toneladas na superfície e poderá levar de 30 a 45 pessoas. Terá sistemas de torpedos pesados de nova geração e poderá ser equipado com mísseis antinavio.

Desde o início, o estaleiro a ser construído pertencerá à Marinha do Brasil, que vai cedê-lo à joint venture DCNS-Odebrecht para a construção dos submarinos. Serão abertas vagas de trabalho para 500 pessoas ao longo de 20 anos.

Em nota, o comando da Marinha do Brasil esclareceu que a escolha da Odebrecht como sócia do projeto de construção dos submarinos foi feita exclusivamente pela empresa francesa DCNS.

Apesar de solicitada, a MB recusou-se, sequer, a indicar as empresas possíveis, haja vista que qualquer indicação seria inevitavelmente uma fonte de controvérsias futuras”, afirma nota enviada ao Estado.

O “problema”, diz o texto, ficou a cargo da DCNS. A Marinha também informou que, para a operação do estaleiro, será constituída uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), com 50% das cotas sob controle da Odebrecht, 49% com a DCNS e 1% com a Marinha do Brasil.

A participação do governo federal brasileiro, contudo, será mais que simbólica, pois terá direito de veto em questões estratégicas, como ocorre na Embraer desde sua privatização.

Fonte:DEFESA BR

CHEGAM AO BRASIL OS PRIMEIROS LEOPARD 1A5

Começaram a chegar ao Brasil os primeiros Leopard 1 A5 adquiridos na Alemanha pelo Exército Brasileiro. Esses veículos fazem parte do primeiro lote de 60 carros a serem entregues em 2009 e que serão distribuídos entre as unidades da 5° Brigada de Cavalaria Blindada e 6° Brigada de Infantaria Blindada.

Em dezembro de 2006, o Exército Brasileiro adquiriu 250 VBC Leopard 1 A5. Desse total, 220 serão distribuídas em quatro Regimentos de Carros de Combate e no Centro de Instrução de Blindados. As viaturas estão passando por um processo de revitalização e manutenção na Alemanha, sob responsabilidade da empresa Krauss-Maffei Wegmann, fabricante dos Leopard. Dos 30 veículos não-revitalizados, dois serão entregues ao Departamento de Ciência e Tecnologia, dois à EsMB (já entregues) e 26 (vinte e seis) para o Pq R Mnt/3. Esta distribuição possibilitará a realização de estudos técnicos, de atividades de ensino e de suprimento de peças, respectivamente.

Além das VBC, foram adquiridas 20 viaturas Leopard de apoio, sendo sete Viaturas de Socorro, quatro Lança-Pontes, quatro de Engenharia e cinco Escola de Motoristas, todas revitalizadas pela alemã Rheinmetall AG.

O contrato de compra incluiu um Pacote Logístico e prevê a manutenção de um escritório de apoio do fabricante em Santa Maria até um ano após a entrega das últimas viaturas, além da compra de um simulador fixo da cabine, que permite o treinamento simultâneo de até quatro carros de combate, e de quatro simuladores portáteis a serem distribuídos a cada um dos RCC.

Fonte: DEFESA BRASIL

PATRULHEIROS INICIAM INSTRUÇÃO

Dando sequência às etapas de preparação visando a chegada da nova aeronave, o Esquadrão Orungan (1º/7º GAv) iniciou, no dia 19 de janeiro, o curso de instrução técnica da aeronave  (ITA) do P3-AM. O curso que terá duração de 4 meses tem como objetivo proporcionar o conhecimento técnico necessário de todos os sistemas e limites da aeronave para uma operação segura e eficiente no solo e em vôo.

O Esquadrão, em breve estará rrecebeno os primeiros P-3AM, o qu edará a FAB a capacidade perdida desde a desativação dos P-2 Netuno, as missões atribuídas serão de grande importância para a Força Aérea Brasileira, face à capacidade dos modernos sensores aeroembarcados e de equipamentos de alta tecnologia. Entretanto, associada à técnica e à tecnologia, o fator humano necessita ser incrementado e, principalmente, acompanhar as evoluções de sistemas até então não utilizados pela FAB.

Fonte: DEFESA BRASIL

BRASIL DA INÍCIO A PRODUÇÂO DE URÂNIO EM ESCALA INDUSTRIAL


A empresa estatal Indústrias Nucleares do Brasil (INB) vai fabricar urânio enriquecido em Resende, no sudoeste fluminense, a partir do próximo mês. Até o final do ano, a produção deve chegar a 12 t da matéria-prima do combustível utilizado em usinas nucleares. A expectativa da INB é produzir, até 2012, todo urânio enriquecido utilizado na usina nuclear de Angra I e 20% do combustível para Angra II.

A tecnologia para o enriquecimento de urânio foi desenvolvida pelo Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP) e pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). O Brasil será o nono país a dominar o processo de enriquecimento do mineral.

A Constituição Federal atribui à União monopólio para lavra, enriquecimento, reprocessamento, industrialização e comércio de minérios nucleares e seus derivados (Artigo 21). Conforme a lei, toda atividade nuclear em território nacional deve ter finalidade pacífica e aprovada pelo Congresso Nacional.

Fonte: VALOR

BOLÍVIA REFORÇA SUA FORÇA AÉREA

O presidente da Bolívia Evo Morales autorizou no último dia 11 de dezembro, através de um Decreto Supremo, a compra direta pelo Ministério da Defesa de seis aeronaves L 159 ALCA (Advanced Light Combat Aircraft – Aeronave de Combate Leve Avançada), de fabricação tcheca, para a Força Aérea Boliviana (FABol). O pacote de quase 58 milhões de dólares inclui ainda um simulador de vôo, treinamento para pilotos e técnicos, equipes de apoio de solo, sobressalentes, ferramental e documentação técnica.

Em novembro, após a avaliação de diferentes alternativas, o Comando-Geral da Força Aérea Boliviana recomendou a aquisição dos L-159 “por satisfazerem as necessidades atuais da instituição, cumprindo os objetivos fixados pelo Estado”.

Apesar de ainda não haver maiores detalhes do negócio, a compra dessas aeronaves, ainda que em pequeno número, representa um gigantesco salto operacional para a aviação de combate da FABol, que sairá do final da década de 70 diretamente para o século XXI.

Fonte: DEFESA BRASIL

DE MUDANÇA…

Na tarde do dia 17 de janeiro, na área do Complexo do Comando Militar do Oeste, aconteceu a chegada das primeiras aeronaves integrantes do Destacamento de Aviação do Exército. As cinco aeronaves, modelo FENNEC (HA-1), decolaram de Taubaté/SP e chegaram à Campo Grande por volta das 1700h, após percorrerem um total de 1200 quilômetros e efetuarem pousos para reabastecimento nas cidades de Arealva/SP e Araçatuba/SP.

O evento representou mais uma etapa na implantação do 3º Batalhão de Aviação do Exército (3º BAvEx) em Campo Grande…

… E falando em Fenec, o governo brasileiro vai ceder quatro helicópteros militares à Bolívia para reforçar as ações de fiscalização e combate ao narcotráfico na fronteira. Segundo o Ministério da Defesa, as aeronaves, usadas, serão submetidas à revisão e entregues sem custo ao governo boliviano, que se encarregará da manutenção dos aparelhos.

Em discurso ontem na localidade de Arroyo Concepción, na Bolívia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que os dois países estão “aprofundando a cooperação nas áreas policial e de defesa”.

“Em atenção ao pedido do presidente Evo Morales, o Brasil se dispõe a ceder helicópteros para reforçar o controle e proteção de nossas fronteiras.”

O presidente Evo Morales agradeceu a ajuda brasileira e disse que não aceitará nenhuma base militar estrangeira na Bolívia. “O nosso objetivo é regionalizar a luta contra o narcotráfico”, disse Morales.

Os helicópteros brasileiros foram cedidos inicialmente até dezembro deste ano, com possibilidade de renovação.

O acordo faz parte do recente pedido de ajuda da Bolívia ao Brasil na área do narcotráfico depois que Morales expulsou a DEA, a agência norte-americana de combate ao narcotráfico.

Com a saída da DEA, a Bolívia deve perder toda a ajuda norte-americana, o que representa US$ 28 milhões anuais para financiar ações policiais (90% do orçamento total) e dez helicópteros cedidos, entre outras formas de ajuda…

Segundo a revista Asas, o Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP), hoje localizado no Campo de Marte, na capital paulista, deverá ser transferido quase que certamente para a Base Aérea de Anápolis, em Goiás. Em Anápolis, haverão condições muito mais adequadas ao trabalho com estes jatos, e o futuro PAMA provavelmente irá assumir também a manutenção do futuro escolhido no F-X2…

Fonte: REVISTA ASAS

…Mas não são só os parques e os equipamentos que estariam preparando as suas malas, segundo noticiado na imprensa, o Governo pretende transferir para Brasília a escola superior de Guerra, a medida segundo o governo, visa aproximar  a instituição aos órgãos e organizações governamentais na esfera superior de poder, entretanto esta medida enfrenta fortes oposições, pois há o temor de que a escola passe a ser controlada segundo as vontades dos líderes governamentais.

Fonte: SAMAUMA

INACE ENTREGA PRIMEIRO PATRULHEIRO CLASSE GRAJAÚ À MARINHA DA NAMÍBIA

No dia 16 de Janeiro de 2009 sucedeu-se a entrega do navio-patrulha NS Brendan Simbwaye pela Indústria Naval do Ceará (Inace). Segundo informações do próprio estaleiro vários países africanos entre outros, demonstram interesse em encomendar embarcações semelhantes. Um dos potenciais compradores é Nigéria, cujo embaixador esteve no ano passado em Fortaleza onde estabeleceu contatos com o estaleiro em questão, segundo informações locais na ocasião, ele sinalizou que haviam grandes oportunidades de fechar negócios.

O Inace foi o vencedor da concorrência para a construção dos dois navios de patrulha de 500 toneladas destinados a Marinha do Brasil, e participa de uma concorrência para a produção de mais quatro modelos desta.

Fonte: DEFESANET

AT-29, SUPER TUCANOS PARA A REPEPÚBLICA DOMINICANA

A Embraer confirmou a venda de oito aeronaves Super Tucano para o governo da República Dominicana, com efetivação do contrato no final do ano passado. Este contrato representa a terceira exportação da bem-sucedida aeronave, após as vendas para as Forças Aéreas da Colômbia (FAC) e do Chile (FACH).

A escolha da Força Aérea da República Dominicana vem confirmar a extrema versatilidade, associada ao bom desempenho, tanto para treinamento como para missões operacionais, e aos baixos custos de aquisição, operação e manutenção, tornando o Super Tucano um dos melhores aviões multimissão disponíveis no mercado.

Tal contrato, que incluiu um avançado sistema de treinamento e suporte à operação com estações em solo denominado TOSS (Training and Operation Support System), representou a primeira exportação dessa aeronave.

O acordo com a FACH para a venda de 12 aeronaves também foi anunciado pela Embraer em agosto de 2008.

O Super Tucano entrou em operação na FAB em dezembro de 2003 para ser empregado tanto no treinamento de pilotos como para executar missões operacionais. Esta capacidade coloca o Super Tucano como a única aeronave em produção no mundo capaz de cumprir missões de treinamento avançado de pilotos e realizar missões de vigilância e contra-insurgência, inclusive à noite, com o auxílio de óculos de visão noturna e sensores eletro-ópticos e infravermelho.

Fonte: REVISTA ASAS

EXÉRCITO BRASILEIRO ALTERA ESTRUTURA REGIMENTAL

As primeiras transformações decorrentes do novo plano estratégico de defesa aprovado em 2008, começam a serem sentidas, o Exército Brasileiro começou a reestruturar a sua estrutura regimental, e dentre as inúmeras modificações podemos destacar.

A alteração na denominação e atribuição do Departamento Logístico (DLog), que foi transformado em Comando Logístico e na nova denominação das suas diretorias subordinadas, particularmente, a Diretoria de Material e a Diretoria de Abastecimento.

Outra modificação diz respeito a extinção da Diretoria de Material de Comunicações, Eletrônica e Informática (DMCEI), até então subordinada ao DLog, e a subsequente criação do Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica, subordinado ao Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) e sob o comando de um oficial general, que surgiu com a fusão da DMCEI com o CIGE.

Lembramos aos nossos leitores que muitas destas modificações foram e são sugeridas pelo PLANO BRASIL, do qual apregoa uma maior interoperacionalidade das forças e redução da cadeia burocrática e administrativa para comandos comuns as três Forças Congéneres.

O documento em pdf pode ser visto no site DEFESANET

Fonte: DEFESANET

SAAB PODE DESENVOLVER UM NOVO CAÇA STEALTH

saabMarcando presença e se reafirmando como potência aeroespacial, o Ministério da Defesa da Suécia emitiu declaração informando que financiará o desenvolvimento de uma versão de quinta geração do caça Gripen, produzido pela SAAB. A declaração foi emitida semanas após o governo da Noruega ter decidido pela aquisição de 48 aeronaves F-35 Lightning II, da estadunidense Lockheed Martin. A companhia sueca SAAB participava da concorrência do Gripen NG (NG de “Next Generation“).

Foi ainda anunciado que o mesmo caça estaria sendo oferecido para a Força aérea Sul Koreana.

Esta declaração certamente põe mais lenha na fogueira do programa FX Brasileiro pois é de conhecimento geral que o Brasil almeja o desenvolvimento de um caça de 5ª geração e portanto a escolha pelo modelo Sueco colocaria o Brasil mais perto deste sonho, possibilitando uma parceria no desenvolvimento deste caça.

O Gripen NG disputa ainda várias outras concorrências mundo afora, como no Brasil, Dinamarca, Índia, Holanda e Suíça.

E por falar na SAAB, o fabricante sueco anunciou que na bateria de testes efetuada, confirmou-se a capacidade supercruise do Gripen NG a uma velocidade de MACH 1.2 sem pós combustão.

A confirmação desta capacidade ocorre após mais de 40 missões de teste. Isto implica que o caça Gripen pode não apenas voar a uma velocidade superior à do som sem utilização de pós-combustão em condições especificas ou pontuais, mas que consegue utilizar aquela característica de forma sustentada.

A autonomia do Gripen é vista por muitos analistas como um dos pontos negativos do avião, porém, capacidade agora confirmada vem afirmar os valores apontados para a sua autonomia operacional, mais um ponto para a SAAB na concorrência do FX BR, dado que dos participantes que restaram na concorrência o Gripen NG seria o único a possuir tais capacidades.

Fonte: STRATEGYPAGE

NOVO CONTARTO PARA O KAI-50 GOLDEN EAGLE

Em 26 de dezembro de 2008, a Administração de Programas de Aquisição de Defesa da Coréia do Sul anunciou a assinatura de um acordo com a Korea Aerospace Industries (KAI) para o desenvolvimento de um caça leve baseado no avião de treinamento supersônico T-50 Golden Eagle, que substituirá aeronaves A-37, F-4 e F-5 que hoje equipam a Força Aérea daquele país. O negócio é avaliado em mais de US$ 300 milhões e envolverá o desenvolvimento de quatro protótipos do novo caça, denominado FA-50, até 2012. O FA-50 terá avançados sistemas de datalink, de navegação e guiagem de mísseis. Será equipado com o radar EL/M-2032 produzido pela israelense Elta Sytems, da Israel Aerospace Industries (IAI), com alcance de 65 a 100 km.

Fonte: DEFESABRASIL

DEFESA AMPLIARÁ SUA PRESENÇA NAS FRONTEIRAS AMAZÔNICAS

Como mais um sinal claro das mudanças prevista no PLANO ESTRATÉGICO DE DEFESA, o Ministério da Defesa Anunciou que vai quase dobrar o número de pelotões de fronteira na Amazônia, mas a diretriz de instalação dos novos postos mudará radicalmente. Serão, prioritariamente, “células de vigilância militar”, deixando em segundo plano a velha preocupação com a chamada “vivificação das fronteiras” – o povoamento da região -, o que sempre levava ao traslado de familiares dos militares para a áreas dos pelotões e à criação de pelo menos uma vila no entorno.

Atendendo à recomendação do decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em julho do ano passado, o Exército vai instalar 28 novos pelotões em terras indígenas e em áreas de conservação da Amazônia.

O projeto, batizado com o nome de Amazônia Protegida, ampliará de 23 para 51 o número de pelotões de fronteira e reforçará prioritariamente a Região Norte, área mais rarefeita de proteção militar.
Pelo projeto, as novas unidades de defesa serão construídas ao longo dos próximos nove anos, estendendo-se até 2018, e com um orçamento de R$ 1 bilhão. A meta é aumentar o número de militares do Exército presentes na área de 25 mil para 30 mil.

O projeto prevê ainda a modernização dos quartéis que já existem na fronteira, ao custo de R$ 140 milhões.

E por falar em modernizações, sem alarde o Exército Brasileiro adiquiriu um lote de quantidade não infarmada de mísseis de anti-aéreos portáteis IGLA-S, por um valor de US$4.3 milhões.

Fonte: ÚLTIMO SEGUNDO

HAVOC PARA A VENEZUELA

Venezuela amplia seu poder de ataque com a aquisição de um helicóptero genuinamente desenvolvido para a função de ataque e Anti-Tank, Mil MI 28NE, segundo fontes os números oscilam entre 10 e 12 helicópteros, no entanto especula-se que a compra pode chegar ao dobro do número anunciado.

O HAVOC (nome de código da OTAN) é a resposta soviética ao Norte Americano APACHE, a aeronave possui capacidade de operação em qualquer tempo, capacitado a guerra noturna e a ambientes saturados por guerra eletrônica, além de transporta um respeitável arsenal de armas.

Fonte: VÔO TÀTICO

NOVOS FUZIS KALASHNIKOV

O diretor geral da exportadora estatal de armas Rosoboronexport , Anatoliy Isaikin, reuniu-se com o criador dos fuzis Kalashnikov, o chefe da empresa Izhmash, localizada na cidade de Izhevsk, Mikhail Kalashnikov. O objetivo da reunião foi tratar as perspetivas de desenvolvimento de nova geração de fuzis da série AK-100.

Os fuzis desta série partilham várias inovações introduzidas ao modele AK-47 e posteriormente AK-74. Como a AK-47, os modelos AK-100 funcionam segundo o principio do aproveitamento dos gases produzidos com o disparo da munição. Os gases ejectam o cartucho utilizado e inserem uma nova munição na câmara.

Já existem os modelos AK-101 e AK-103. AK 101 utiliza a munição standard da NATO calibre 5,56mm. AK- 103- calibre : 7.62mm.

Kalashnikov é um marco em termos de armas ligeiras, especialmente por causa da sua reconhecida, e até hoje inultrapassável resistência a todo o tipo de maus tratos por parte dos utilizadores. Além dessa característica muito apreciada, a arma é igualmente simples de manter e de utilizar.

Fonte: PRAVDA

BERIEV 200 PARA PORTUGAL

O ministro russo de Emergências, Serguei Shoigu, informou a criação de uma base européia de aviões anti -incêndios no território português. “Em fevereiro próximo vamos realizar as negociações com visitas dedicadas à instalação de uma base européia ( de aviões anti-incêndios em Portugal”, disse o ministro , segundo RIA-Novosti.

O grupo futuro de aviões incluirá principalmente aviões russos Beriev-200 e seu objetivo será a luta contar os incêndios florestais na Europa. O projeto já “adquiriu contornos” a nível de documentos e “agora é preciso desenvolver a base”, disse. A Rússia já tem firmados vários acordos de cooperação com Alemanha nesse âmbito.

O Beriev-200 é um avião anfíbio, maior do mundo, destinado para extinguir incêndios , prestar ajuda nas zonas afetadas por catástrofes naturais , realizar operações de busca e resgate , servir de ambulância e transportar carga em qualquer parcela no âmbito dos 1350 Km de raio de alcance do aparelho. Pode levar de uma vez 12 toneladas de água. Graças a sua fuselagem estanca , se converte facilmente em um avião de passageiros ou de carga.

Portugal testou Beriev-200 no ano passado. Os 4 aviões podem ser adquiridos pelo país a custo zero, dado que a sua compra implicou apenas a amortização de 90% da dívida da ex-URSS a Portugal, num valor de 62,7 milhões de euros.

Fonte: PRAVDA

CTA DESENVOLVE PROGRAMA DE PROPULSSORES A LASER

Uma importante conquista tecnológica está criando forma no Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica do IEAv (Instituto de Estudos Avançados), um dos institutos de pesquisas do CTA,  o desenvolvimento de sistemas de propulsão a laser.

Durante a fase preliminar de experimentos, a equipe produziu um feixe de radiação laser na região do infravermelho de aproximadamente 1 gigawatt (potência equivalente a dez milhões de lâmpadas incandescentes) e o guiaram de modo seguro para o interior da câmara de ensaios do maior túnel de vento hipersônico da América Latina, conhecido como T3.

O feixe de luz laser foi enviado para o interior da câmara de ensaios do T3 onde um alvo, constituído de um material térmico utilizado para evidenciar a presença deste tipo de luz laser invisível, foi literalmente queimado.

O próximo passo será sincronizar esse mesmo feixe de luz laser e o escoamento hipersônico oferecido pelo T3, de maneira que o vôo hipersônico de um veículo lançador leve, propulsionado a laser, possa ser pela primeira vez executado em laboratório pelo IEAv.

A importância deste feito despertou o interesse NASA que mantem grupos de pesquisa avançados neste campo em estabelecer parcerias para o desenvolvimento de veículos e sistemas propulsores que utilizem esta forma de propulsão.

E parece que as coisas no IAV andam de vento em popa, o instituto deu prosseguimento aos ensaios em vôo de um bloco girométrico tri-axial (BGT), composto por três girômetros a fibra óptica (GFO), desenvolvidos dentro do Projeto GIROMAR, coordenado pelo Instituto de Estudos Avançados (IEAv), ligado ao Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA), com a participação da empresa especializada em sistemas inerciais Optsensys.

Segundo divulgou o IEAv, o BGT é um subsistema essencial à navegação do míssil anti-radiação MAR-1, desenvolvido pela empresa Mectron, em parceria com o CTA. Os ensaios em vôo do BGT incorporado ao míssil MAR-1 foram realizados pelo Grupo Especial de Ensaios em Vôo (GEEV), durante os primeiros ensaios de vôo cativo desse míssil em aeronave A-1 da Força Aérea Brasileira.

Testes de funcionamento e operacionalidade foram realizados durante e após a integração do BGT, os quais mostraram o sucesso na integração. Após a realização dos vôos, testes adicionais de funcionamento e operação demonstraram o perfeito funcionamento do GFO, comprovando o sucesso da operação.

Fonte: IAV

ÍNDIA VAI DE P-8 POSEIDOM

Segundo a agência REUTERS, as Autoridades Indianas assinaram um contrato de US$1.8 bi para a compra e participação no programa do futuro patrulheiro naval destinado a substtituir na USNAVY os veneráveis P-3 ORION. Segundo a agência a índia adquiriu inicialmente oito aeronaves porém autoridades locais já teriam acenado que o programa pode ser mais ambicioso do que isto e que as aquisições poderiam ser estendidas.

Esta é uma importante vitória da Boeing que acaba de vencer um contrato num cliente promissor, tornando a Índia o primeiro cliente estrangeiro da aeronave.

Fonte: REUTERS

shared on wplocker.com