Defesa & Geopolítica

Israel Aerospace Industries (IAI) expande a linha de defesa aérea BARAK

Posted by

Empresa apresenta o Barak-MX, um sistema modular de defesa aérea com otimização de disparo e gerenciamento de ameaças
A Israel Aerospace Industries (IAI) apresentou o Barak-MX, um sistema de defesa naval e terrestre de mísseis em sintonia com o inovador conceito operacional da linha Barak com sistemas de defesa altamente flexíveis.
O Barak-MX suporta vários radares e lançadores, oferecendo uma resposta otimizada a caças, helicópteros, VANTs, mísseis de cruzeiro e mísseis ar-terra e terra-terra.
Baseada em um controle de comando inteligente, de comprovada eficiência operacional, a linha Barak suporta a utilização de foguetes interceptadores adicionais:

  • O Barak MRAD é um interceptador de curta distância, alta velocidade e lançamento vertical recomendado para lidar com ameaças em um raio de até 35km. Inclui uma cabeça de guiamento por radar com motor de um pulso.
  • O Barak LRAD é um interceptador de média distância, alta velocidade e lançamento vertical recomendado para lidar com ameaças em um raio de até 70km. Inclui uma cabeça de guiamento por radar com motor de dois pulsos.
  • O Barak ER é um interceptador de longa distância com motor acelerador, motor de dois pulsos e cabeça de guiamento avançado. O raio de interceptação é obtido com um acelerador de foguete, adaptando-se a capacidade de comunicação e radar a um raio de 150km.

Os três (MRAD, LRAD e Barak ER) têm muitos elementos em comum e uma significativa vantagem de manutenção, além de treinamento e exercícios de acordo com o cliente.
Sendo operacionalmente flexível, o sistema Barak-MX permite que se escolha o tipo de radar e interceptador de acordo com o tipo de ameaça e de missão. As decisões operacionais relacionadas ao Barak-MX são tomadas conforme a ameaça, missões e recursos que caracterizam uma situação específica. A natureza modular do sistema possibilita que os clientes comecem com uma configuração básica e a ampliem gradual e rapidamente de acordo com as necessidades operacionais e a verba disponível.
Joseph Weiss, CEO da Israel Aerospace Industries, declarou: “Tendo fechado grandes vendas do Barak 8, continuamos aprimorando nossos principais sistemas de defesa aérea com novos e inovadores recursos. O Barak-MX é altamente versátil e projetado para suportar diferentes forças armadas com a mais ampla flexibilidade e escalabilidade inerente. Isso ilustra a criatividade, conhecimento e arrojo da Israel Aerospace Industries.”
Boaz Levy, gerente geral e vice-presidente executivo do grupo de Sistemas, Mísseis & Espaço da Israel Aerospace Industries (IAI),comentou que “a contínua inovação no desenvolvimento da linha Barak, incluindo a integração de três interceptadores com recursos complementares e inigualável flexibilidade, resulta em uma capacidade operacional que rechaça ameaças emergentes. A configuração modular e a inovação tecnológica do Barak-MX faz frente a uma vasta gama de desafios ao mesmo tempo em que administra recursos e a eficácia no campo de batalha. O sistema foi desenvolvido com base em elementos testados e aprovados, os quais oferecem flexibilidade para integrar o aspecto tecnológico e o aspecto operacional, além do extenso know-how da IAI no desenvolvimento de sistemas de defesa aérea.”

Press Agency – Rossi Comunicação

10 Comments

  1. Rafa_positron says:

    Que legal é ver um país independente né
    dono do seu nariz
    que não se sujeita a mandos e desmandos

    né, Brasil?

  2. A vantagem da IAI, e outras de Israel, é que o que elas desenvolvem é testado em combate real em casa mesmo e se sabe se funciona ou não antes de vender.

    • verdade, são testado com as PEDRAS E PAUS que os palestinos jogam em israel.

      • Pedras e paus nas mãos de crianças ensinadas a matar judeus desde a pré escola, ak-47 e colete bomba depois que chegam na adolescência, foguetes desenvolvidos no irã para os mais avançados. Usar pessoas como “boi de piranha” pra serem sacrificadas objetiva apenas produzir propaganda contra Israel e a favor da “causa árabe” de afogar todos os judeus no mar. Quem se deixa levar por essa propaganda é inocente e não analisa o todo ou é conivente e omite informações. Os judeus habitam a região a mais de 5000 anos e nunca deixaram de habitar lá. Os judeus são atacados desde o início pelos seus vizinhos mais poderosos e só agora nos últimos 60 anos se tornaram uma potencia militar capaz de repeli-los. E se um povo é capaz de resistir nessas condições por tanto tempo, não será fácil para seus inimigos os derrotarem. Quando o Estado de Israel estava no início os judeus propuseram a criação de dois estados aos palestinos. Mas, talvez por influencia do vizinhos árabes os palestinos preferiram a guerra. E essa guerra ainda não acabou demandando a constante busca de tecnologia militar de ponta. Ou seja, a tecnologia de Israel é efeito colateral da ameaça que seus vizinhos impõe. Pois, do contrário, haveria demanda para tal desenvolvimento militar?
        Aonde estão os vizinhos agora?

      • Pois é, paulinho… quem não aguenta com a mandinga não carrega patuá… porque será que os tais palestinos não foram apoiados pelos demais árabes e foi preciso os persas, do outro lado do OM, para lhes dar apoio ???… creio que vc é muito mal informado sobre o tema pra dar pitaco… melhor jair se calando…

      • jnpnhr diz: “…os Judeus habitam a regiao a mais de 5.000 anos, nunca deixaram de habitar la….”
        5.000 anos atras aquela regiao do Oriente Medio, que mais tarde no Seculo V Antes de Cristo, o historiador grego dizia ser conhecidas como Palestina, parte da Siria, nao havia um povo chamado Judeu na area. A area era conhecida pelos povos da Mesopotania como Cananeia, formada da diferentes cidades pequenas, entrepostos comerciais, gvernada por um Rei ou Principe, que eram todos suditos dos Faraos do Egito. O povo dessas cidades, entrepostos, nao se reconheciam como Cananeus. O termo “arabe” ja aparece nos textos em Ugariticos, 2000 anos AC, mas o significado ainda e tema de discussao entre especialistas. 3.000 anos AC praticamente nao se escrevia em lingua semitica da regiao. Ja 2.000 anos AC, ja aparecia escritos semiticos em alfabetos, linguas denominadas cananeia, dos povos do locais. da qual o hebreu foi uma variante.
        1.000 anos AC, durante o chamado periodo do Rei Davi e do Rei Salomao, o Egito ainda controlava a regiao, mas comecou sofrer pressao de povos do Leste, os Hititas, os Assirios, e depois os Babilonious. Nessa epoca Jerusalem era uma cidadezinha de uns mil habitantes, cujo governantes so controlavam a area em volta da cidade. O resto era cidades independentes, a mais famosa sendo Samaria.
        Foi so apos a conquista da regiao pelos Persas, que os povos que viviam em torno de Jerusalem passou ser conhecidos como Judeus e a area como Judeia. Isto ocorreu no Seculo VI antes de Cristo. Mas Samaria, Galileia eram regioes independente da Judeia. Como ainda nessa epoca existia os Filisteus, a regiao era conhecida por Herodotus como Palestina.
        O sentimento nacionalista judeu comecou ser desenvolvido apos a conquista persa da area e culminou com a conquista da area por Alexandres. A historiografia dos livros do Velho Testamento foi uma imitacao das historiografia grega, Homero, Herodotus e outros, utilizando termas e mitos babilonicos e de outros povos da Mesopotania. Isto ocorreu na epocas dos Macabeus.
        Apos as derrotas sofridas pelo movimento messianico em guerra contra Roma, os Judeus foram expulsos das cidades da Judeia e da outras cidades na Galileia, Siria e Libano, e muitos se emigraram para a regiao do Mar Caspio, para a Anatolia, mas os beduinos permaneceram na area e eventualmente se converteram para a religiao mussulmana. Palestinos sao os judeus beduinos que se converteram a religiao islamica.
        Na Anatolia, os Judeus entraram em contacto com um povo guerreiro que ocupavam a area. Eram os Khazares, povos de etnia turca. No Seculo VIII esse povo se converteram ao Judaismo. Eles formavam um Imperio que atingia a regiao que hoje chamada Ucrania e parte do territorio russo
        O Imperio dos Khazares foram destruidos pelos Mongois, no Seculo XIII, seus habitantes fugindo do massacre mongolico, se refugiaram no norte da Europa, Russia, Polonia e territorio que hoje forma a Alemanha. Os russos que os haviam expulsos da Ucrania no Seculo X, permitiram seu retorno, dai a influencia que eles exercem tanto na Russia como na Ucrania.
        No Norte de Europa esses Khazares convertidos eram conhecidos como os Ashkenazi, e foram eles, esses turcos convertidos, que no Seculo XIX formulou a doutrina Sionista e que apos 1948 conquistaram Palestina.
        Portanto esses turcos convertidos a religiao do Talmud, os Khazares ou Ashkenazis, nao sao judeus, no sentido classico da palavra, os povos da Judeia nem nao sao semitas. Sao turcos e nao me consta que povos de etnia turca viveu na Palestina 5.000 anos atras, nem mesmo 2.000 anos atras nos tempos de Cristo. Quando muito aqueles turcos convertidos a religiao mussulmana ocuparam a regiao, quando eles formaram o Imperio Otomano
        E o fato dos povos turcos quaisquer se sejam suas religioes,terem surgidos em regiao da Asia Central, que explica que ate a Segunda Guerra Mundial, os Sionistas tinham dificuldade em convencer os Ashkenazis, turcos convertidos, se emigrarem para Palestina.
        Esses sao os fatos o resto e pura desinformacao, propaganda.

      • HMS TIRELESS says:

        Desinformação e propaganda é o seu panfleto antissemita de extrema-direita JOJO!

      • Ok, historiador grego passa uma temporada na região e conclui que não existia judeus. Não se pode concluir nada assim pois houve tempo que os judeus foram atacados dispersados e muitos levados como escravos para Babilônia nos séculos 6 e 7 AC. Depois de libertos demorariam a retornar naqueles tempos pela distância e pela adaptação na Babilônia. Súditos de faraó do Egito não são necessariamente egípcios puros, podem ser povos conquistados. Vi que tem um faraó que falou em ismaelitas, Merneptah, próximo a 1200AC, ou seja, 3200 anos atrás. Quando começaram a fazer sensos populacionais a população judaica estava sempre lá. E por aí vai. Além disso, mais recentemente, muitos árabes palestinos venderam sua terras para judeus imigrantes, muitos defendem receber imigrantes de braços abertos hoje em dia, mostrando que os árabes palestinos conviviam bem com os judeus. Se não tivessem escutado o Egito, Jordânia, Síria e outros as coisas iriam se manter em paz. 5000 anos sim mas é muito mais, pessoas não surgem do nada ou vem voando como magia e existe naquela região pontos mais propícios a vida onde a população se concentra e habita criando civilizações pois o entorno é deserto. Quando povos diferentes citam o mesmo fato Babilônicos e egípcios sobre os judeus e judeus sobre dois primeiros, dentro de seus pontos de vista claro, a citação se torna mais confiável que a mera suposição de um viajante grego. Tá fugindo muito do assunto da reportagem isso aqui

      • jnpnhr pelo que percebo vc cita Herodotus sem te-lo lido. Quando ele descreve aquela regiao, que ele denomina Palestina, que ele diz ser parte da Siria, ele nao diz que judeus existia nem deixava de existir. Ele simplesmente nao menciona o nome. Se ele nao menciona o nome e porque ainda que Jerusalem ja era conhecida como tal, seus habitantes nao era ainda conhecidos como Judeus.
        Isso so ocorreu como disse apos a conquista da area pelos persas no Seculo VI antes de Cristo/AC
        Os povos daquela area que os Assirios dispersaram no Seculo XII AC nao incluia os habitantes de Jerusalem. Os povos dispersos foram os habitantes urbanos das cidades e entrepostos comerciais da Samaria, que nessa epoca nao era conhecida como Israel.
        O Farao Menoptah em suas cartas descrevendo as suas conquistas militares, menciona por nomes, varios grupos de bandidos, piratas, transgressores e tribos que causavam problemas para os egipicios, que ele teve de enfrentar e derrotar, para livrar Egitos desses problemas, E ele menciona textualmente, minha traducao, ‘Israel acabou’. Isto e um grupo, uma tribo, seja de bandidos, seja de piratas, as cartas nao especifico, ele os destruiu. Por isso ele diz Israel acabou.
        Entao fica claro que um grupo de gente, era conhecido como filhos, adoradores, de El, o deus supremo da regiao no Seculo XII AC. Mas dai concluir que esse adoradores, seguidores do deus El, eram os habitantes de Jerusalem, os futuros judeus, e pura especulacao. Nao temos evidencias para isso.
        O primeiro censo das populacoes do Oriente Medio que temos noticias, foi o censo que ocorreu quando Augusto era o imperador romano, e Cirilo, o Governador da Siria, cujo dominio, incluia a Judeia, agora conhecida como tal e a Galileia. Este e o censo que o envangelho de Lucas se refere, quando diz que Jose e Maria tiveram viajar para registrarem e nessa viagem nasceu Jesus. Isto ocorreu no ano 7 desta era, isto e 10 anos apos a morte de Herodes, que quando vivo reinava nao somente sobre Judeia mas tambem sobre Galileia e parte da Jordania. Herodes nao era Judeu, era indomeu, uma tribo do que e hoje Jordania. Mas todo seu dominio, apos sua morte foi distribuida entre 4 de seus filhos, que se tornaram suditos de Cirilo, que governava de Damasco e era o representante de Roma na area

        Judeus que se converteram a religio mussulmanas e passaram ser conhecido como palestinos (nao os originais palestinos,esses eram os Filisteus, dos quais surgiu o nome Palestina) realmente conviveram com aqueles judeus que nao se converteram e conseguiram sobreviver na area, uma minoria, e com os judeus shephardins que se refugiaram para fora da Palestina e regressaram pouco e pouco, tambem uma minoria. Como tambem se conviviam comos Cristaos que existem na area. O problema comecou quando os turcos que converteram ao judaismo, os Khazares, Ashkenasis, povos brancos do Caspio, decidiram ocupar a area pela forca, com o apoio do imperialismo britanico

      • Bom, não sou investigador especialista em História, mas por algum motivo ela me atrai, mesmo eu sendo da área de exatas. Por isso uma abordagem, para mim, exige lógica, contraprovas, levar em conta as incertezas e alguma conclusão.
        1 Citando trecho de seu primeiro texto: “o historiador grego dizia ser conhecidas como Palestina, parte da Siria, nao havia um povo chamado Judeu na area.”
        E agora outro trecho de seu segundo texto: “percebo vc cita Herodotus sem te-lo lido. Quando ele descreve aquela regiao, que ele denomina Palestina, que ele diz ser parte da Siria, ele nao diz que judeus existia nem deixava de existir.”
        Lógica: Então se o historiador grego não disse nada não se pode concluir que: “nao havia um povo chamado Judeu na area.”, no século 5 AC.
        2 Nesse outro trecho : “Os povos daquela area que os Assirios dispersaram no Seculo XII AC nao incluia os habitantes de Jerusalem. Os povos dispersos foram os habitantes urbanos das cidades e entrepostos comerciais da Samaria, que nessa epoca nao era conhecida como Israel.”
        Contraprova: No século 8 AC os Assírios invadiram Judá depois de conquistar a Samaria, com registros na Bíblia e depois confirmados nos registros encontrados em Nínive por arqueólogos. Cada povo descrevia o fato sob seu ponto de vista, mas, a existência judeus está descrita em em dois textos distintos do século 8 AC, isso já nos dá 2800 anos.
        3 Nesse trecho: “O Farao Menoptah em suas cartas descrevendo as suas conquistas militares, menciona por nomes, varios grupos de bandidos, piratas, transgressores e tribos que causavam problemas para os egipicios, que ele teve de enfrentar e derrotar, para livrar Egitos desses problemas, E ele menciona textualmente, minha traducao, ‘Israel acabou’. Isto e um grupo, uma tribo, seja de bandidos, seja de piratas, as cartas nao especifico, ele os destruiu. Por isso ele diz Israel acabou.
        Entao fica claro que um grupo de gente, era conhecido como filhos, adoradores, de El, o deus supremo da regiao no Seculo XII AC. Mas dai concluir que esse adoradores, seguidores do deus El, eram os habitantes de Jerusalem, os futuros judeus, e pura especulacao. Nao temos evidencias para isso”
        Incertezas: Num trecho relata que o faraó disse ‘Israel acabou’. Não é muita coincidência um nome usado pelos egípcios no século 12 AC ser adotado pelos judeus? Fora o período de ida e volta do Egito, onde talvez o monoteísmo e muitos rituais tenham sido conhecidos pelos judeus, entre sec. 16 AC e sec. 13 anos AC, um pré encontro.

        conclusão: Os judeus convertidos recentemente acho que é o direito deles assim como os cristãos e muslims convertidos. Se eles migram pode ser problema, a migração em si é um problema e alguns a usam como arma a favor de um interesse. Como nos dias atuais.

shared on wplocker.com