Defesa & Geopolítica

Isolada da Europa e dos EUA,  Tereza e Grâ Bretanha não tem poder para ameaçar Putin

Posted by

A expulsão dos diplomatas russos após o envenenamento de um agente duplo é sem precedentes desde a Guerra Fria, mas causará poucos danos à Rússia. E por que Benjamin Netanyahu está em silêncio?

 

Theresa May, U.K. prime minister, during a meeting Luxembourg's prime minister in London, U.K. on March 14, 2018.
 Bloomberg
 

Anshel PfefferAnshel Pfeffer

O anúncio da primeiro-ministra britânica, Theresa May, na quarta-feira , que referia-se como “altamente provável” que a Rússia estivesse por trás da tentativa de assassinato de um ex-agente duplo e sua filha já era esperado.

A expulsão de 23 diplomatas russos acusados ​​de atividade de inteligência secreta na Grã-Bretanha – as sanções anunciadas em maio em resposta ao agente nervoso “militar” usado em Sergei Skripal e sua filha Yulia na cidade inglesa de Salisbury há uma semana e meia – é sem precedentes desde a Guerra Fria, mas não é um golpe importante para o Kremlin.

Moscou anunciará em breve uma expulsão recíproca de diplomatas britânicos e seus interesses não serão prejudicados pela cessação de contatos de alto nível com o governo britânico.

May não anunciou o confisco de ativos dos cidadãos russos em bancos britânicos ou um boicote à final da Copa do Mundo da FIFA na Rússia neste verão. Ela apenas observou que nenhum membro da família real estaria assistindo os jogos. Pelo menos, “pelo menos”, a Rússia não vai ter que pagar pela ação descarada de tentativa de assassinato matar em plena luz do dia – e expor centenas de civis britânicos, policiais e pessoal médico a uma substância mortal.

Como resultado do processo de separação da Europa com o Brexit, a Grã Bretanha só não está tão isolada quanto esteve nos primeiros anos da Segunda Guerra Mundial. As esperanças de sua “relação especial” histórica através do Atlântico que encheu o vácuo, foram precipitadas pela indiferença do presidente Donald Trump , cujo porta-voz nem mencionou a Rússia na declaração inicial da Casa Branca na segunda-feira. O secretário de Estado Rex Tillerson emitiu uma condenação muito mais feroz da Rússia, mas foi demitido algumas horas depois.

Sem uma resposta contundente dos EUA, a Grã-Bretanha não terá muito mais do que palavras da OTAN. Os líderes da aliança de defesa criticaram fortemente o ataque do agente nervoso ao solo soberano de um membro da OTAN, mas é improvável que haja qualquer ação além disso. Havia um coro de apoio dos líderes da União Européia, mas a Grã-Bretanha está desajeitadamente deixando a UE e não pode esperar que ela ponha-se em risco pelos interesses do Reino Unido agora.

E o presidente russo Vladimir Putin? se fosse ele o responsável pelo assassinato, ele saberia que não poderia ter escolhido um momento mais vulnerável para a Grã-Bretanha. Os Britânicos no entanto são relutantes em atacar Putin, onde realmente dói: os bilhões que os oligarcas russos têm guardados nos bancos britânicos, imóveis e outros bens de prestígio, como clubes de futebol e jornais.Tais medidas colocariam o status de Londres como um centro financeiro mundial em um momento em que a economia já está sofrendo com o Brexit.

Existe uma bala de prata para May. Sua posição vigorosa contra a Rússia concentrou a atenção indesejada em seu oponente do outro lado da caixa de despacho no Parlamento. O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, vem vencendo a maioria dos argumentos contra May  desde sua impressionante e forte exibição nas eleições gerais do ano passado, o que forçou os rebeldes deputados de seu partido a cerra fileira logo atrás dele.

Mas a política externa anti-americana de Corbyn ainda é profundamente impopular e ele achou difícil reunir qualquer entusiasmo pelas declarações de May no Parlamento. Como ex-convidado regular no canal da Rússia Hoje do Kremlin, ele mal tentou ocultar seu ceticismo sobre a culpabilidade da Rússia. Corbyn pode ser da extrema esquerda, mas suas posições no Kremlin são muito mais reminiscentes à Trump. Após a aguda resposta de Corbyn à Primeira-ministra, vários antigos membros da bancada dos Trabalhistas levantaram-se para elogiar os sentimentos de Mayno que era uma acusação condenatória de seu próprio líder. A Primeira-Ministro talvez não possa confiar nos aliados estrangeiros da Grã-Bretanha para se juntar a ela e  enfrentar a Rússia, mas pelo menos Putin ajudou a dividir de novo o Partido Trabalhista de Corbyn.

Enquanto isso, outro aliado britânico está desaparecido. Um líder proeminente que, no passado, alertou rapidamente sobre as armas de destruição em massa nas mãos de estados mal-intencionados e que no início da carreira marcou o envolvimento da Rússia no patrocínio de grupos terroristas, ficou notavelmente silencioso desde a envenenamentos de Salisbury. Sim, é o Primeiro-Ministro Benjamin Netanyahu, que não disse uma palavra de apoio para a Grã-Bretanha ou uma condenação à Rússia em todo esse tempo.

O silêncio de Netanyahu sobre a Rússia não é novo. Ele nunca criticou publicamente Putin, com quem ele se dá tão bem. O mesmo padrão ocorreu exatamente quatro anos atrás, quando todo o mundo ocidental e todas as democracias condenaram ferozmente a ocupação e anexação da Rússia da Crimeia da Ucrânia. Mesmo quando a administração de Obama implorou que Israel fizesse uma declaração, o que surgiu foi uma exortação geral “para ambos os lados” para resolver suas diferenças de forma pacífica. Israel, que se orgulha sempre de apoiar os EUA nas Nações Unidas, estava ausente do voto de condenação na Assembléia Geral.

Nenhum político em nenhum país tem sido mais eloquente do que Netanyahu nos perigos das armas nucleares, biológicas e químicas nas mãos de atores estatais e organizações terroristas. O fato de que ele não pode reunir uma declaração simbólica sobre a tentativa de assassinato em Salisbury e a situação da aliada de Israel, a Grã-Bretanha mostra exatamente o quanto ele agora está sujeito a Putin, a força dominante no Oriente Médio. É também uma acusação condenatória de quão mal tanto Obama como Trump derrubaram seus aliados.

Fonte: Haretz

18 Comments

  1. Pingback: Isolada da Europa e dos EUA,  Teresa e Grâ Bretanha não tem poder para ameaçar Putin | DFNS.net em Português

  2. Os Russos tem muitos investimentos no Reino Unido. Em breve, Theresa May vai ficar isolada em seu próprio país. Os ingleses não vão querer perder o investimento russo.Theresa May, não tem esse poder para confrontar a Rússia.

    Netanyahu nem vai ousar em criticar Putin. Ele sabe que a influência Russa no Oriente médio cresceu bastante. Além disso, a Rússia possui boas relações com os principais inimigos de Israel.

  3. Gente com todo respeito a mulheres do mundo ,mas …..esta Teresa , Merkel e aquela Nikki lá da ONU…Só Deus mesmo viu…as vezes eu fico pensando ,como colocam gente assim em cargos tão delicados…?
    Quem a Inglaterra acha que vai acreditar mesmo, nesta historia de envenenamento ….Quer dizer então que os marginais pé rapado do Brasil ,esta fazendo um serviço melhor que da Russi a então???
    “Interessante a Rússia elege um presidente nos EUA ,mas não consegue matar um ex espião na Inglaterra”…..” já estou começando a duvidar nas capacidades De inteligência Russa , pelo visto o Congresso Americano Também ,pois não acharam provas das tão sonhadas interferências “…Mais as sanções continuaram….

  4. “Isolada da Europa e dos EUA…”

    Acho que não…

    http://expresso.sapo.pt/internacional/2018-03-15-EUA-apoiam-resposta-justa-do-Reino-Unido-a-tentativa-de-assassinio-de-ex-espiao-russo

    https://www.terra.com.br/noticias/aliados-do-reino-unido-condenam-ataque-a-ex-espiao-russo,4a0044e7fce394e96b5e642c094be38btv9c51ty.html

    Netanyahu vê em Putin um “ferrolho”, que estanca as organizações e países no Oriente Médio que são hostis a Israel. Ou seja, ele simplesmente não está em posição de tomar qualquer posição neste caso…

    Mesmo os europeus estão sendo consideravelmente cautelosos.

    Seja como for, mesmo que nem todos os europeus declarem abertamente uma posição, essa situação tem potencial para aproximar ainda mais os membros da OTAN.

  5. BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

    Esse ato é mais representativo que eficaz… o mundo atual vive de bandeiras e os ingleses sabem disso… só para exemplificar, vejam o caso da vereadora do Rio assassinada… vai virar bandeira dazisquerdas que tripudiarão com um fato comum naquela cidade com o tradicional vitimismo para arrecadar simpatia para sua causa perdida, com olho nas próximas eleições, levantando a audiência do seu partido enquanto seu similar cai no esquecimento e vergonha… posteriormente abandonarão o velho barco e passarão para o novo que agora ganhará a mídia por esse fato… vê se fazem esse chororô todo quando morre o cidadão comum vítima da violência cotidiana no país… o mundo, INFELIZMENTE é assim… vive-se de bandeiras e atos simbólicos para se atingir objetivos nada altruístas… e em muitos casos, as vítimas são escolhidas pelo que representam e não por motivos objetivos… um porque era russo e tinha passado de espião… outra porque era mulher, afrodescendente, ligada as ongs dos direitos dos manos e outras bandeiras “progressistas”… morreu, provavelmente, porque representava o coitadismo em seu esplendor… agora será lembrada como representante máxima do vitimismo contra o sistema opressor, sistema esse do qual fazia parte… terá a seu busto levantado em praça pública, sendo cantada em verso e prosa pelo mainstream dazisquerdas, FOREVER…

    • Eu estou seguro que essa mulher foi realmente assassinada por gente ligada com a policia vinculada como crime organizado. Porque eu estou tao seguro disso se nem no Brasil eu estou. Simplesmente porque e assim que encerram seus dias aqueles trouxas que tentam intrometer no grande business que e o trafico de narcotico que vincula organizacoes decrime tipo Mafia, policia, servicos de informacoes, politicos, banqueiros, advogados, judiciario e mesmos grandes companias envolvidas no comercio de exportacao.
      Qual foi um dos motivos para o assassinato de Kennedy? Servindo-se da Mafia de Chigaco para conseguir os votos dos decendentes de italianos que vivem na cidade, ele nao cumpriu o que havi prometido a Mafia. Se fosse eleito ele retiraria seu irmao do posto de promotor onde ele estava perseguindo a Cosa Nostra. John Kennedy eleito ignorou sua promessa e promoveu seu irmao ao posto de secretario da justica, dando-lhe assim mais poder para ele interferir nos negocios da Mafia. Como a Mafia nessa epoca estava operando com a CIA e com os Servicos de Inteligencias mlitares no traficode armas e narcoticos, ele, John Kennedy, nas palavras de Sam Giancana, o Chefao-mor da Mafia de Chicago had to go
      Que aconteceu com o Juiz Falconne na Sicilia? Tentando ganhar glorias como paladino da justica, tentou enfrentar os Coleones que na epoca, 1980/90 entava eliminando seus rivais para tornar-se o Chefao dos chefoes na Sicilia. Morreu varado a balas.
      Que aconteceu com o almirante norte americano Jeremy Michael Boorda? Tentou investigar o vinculo entre Oficiais do alto escalao das Forcas armadas norteamericna e Mafia. Foi suicidado.
      Deixo de lado um numero grande de jornalistas que morrem por serem bestas e tentarem por o nariz onde nao lhe pertence, os negocios do crime organizado.
      Para mim a morte dessa vereadora que tentou intrometer nos business da policia com os traficantes pode fazer sensacao no Brasil, talvez porque esse metodo tao descancarados de eliminar entrometidos pode ser raro no Brasil, mas mundo afora isso e rotina.

      • BLUE EYES, NA RESISTÊNCIA says:

        Jojoca, entenda… vc está se referindo aos “milicianos” que as vezes agem em conluio com traficantes… mas NÃO… não teriam NADA a ganhar num primeiro momento… esse crime está ganhando contornos de crime POLÍTICO na medida em que se desenvolvem as investigações… tem tudo pra se tornar um novo caso CELSO DANIEL… ela morreu pra ser bandeira de uma causa… é só observar QUEM ESTÁ GANHANDO COM A MORTE DA VEREADORA ???… eis a questão…

  6. Essa Inglaterra ta igual cachorro vira-lata late late mas não morde a ter porque a Rússia não e a Argentina os Britânicos sabem disso nesse caso o buraco e bem mais em baixo

    • Joaquim nao se esqueca que os pitbulls deles, o Tio Sam, morde. Segundo o pessoal do Trump, o Alt Right, aquilo foi operaco bandeira falsa.

  7. jose luiz esposito says:

    JOAQUIM , os argentinos foram derrotados , porque eram governados por um General Incapaz e Bêbado , se o ataque fosse planejado e até se esperassem o tempo certo , os ingleses não mais teriam PAs , e colocassem seus poucos Submarinos em condições ótimas de uso , claramente os Piratas teriam dado um Adeus final as Malvinas ! Porém muito em Breve , elas voltarão ao domínio de seus verdadeiros donos , LAS MALVINAS SON ARGENTINAS , será uma Vitória argentina e de todos os Povos de Latino América , irmão e amigos de mesma origem !!

    • Ta errado esposito. Os argentinos foram derrotados porque:
      Primeiro, os gringos esquecendo o que o militares argentinos fizeram para eles, Operacao Condor, organizando golpe militares na Bolivia, no Uruguai, Nicaragua, decidiram apoiar a Inglaterra e passaram dar informacoes que seus satelites colhiam sobre o movimento das tropas argentinas, principalmente da Aeronautica argentina.
      Segundo Os franceses decidiram no meio da guerra, depois que a eficiencia dos misseis Exorcet se tornou mundialmente conhecido, apos aeronutica argentina ter afundado varios navios de guerras ingleses, deixando a populacao inglesa apavorada, fornecer os codigos de computacao desses misseis para o governo britanico. Apos disso os avioes argentinos que foram atacar posicoes britanicas se tornaram vuneraveis e argentina eventualmente teve de se render.
      Isso nao quer dizer que ignoro o baixo nivel de preparacao militar das tropas terrestres argentinas. Eram recrutas do exercito, mas nao os pilotos da Forca Aerea Argentina. Foram herois, ainda que nunca tive simpatia nenhuma para esses militares argentino como um todo.

  8. Cesar A. Ferreira says:

    O Circo levantado por May apenas realça a insignificância atual do Reino Unido…

  9. isso e uma nova novela de suspense da BBC News criada por agentes do governo para buscar diminuir a força dos trabalhistas na era pós-brext,usando o velho medo do cidadão médio que só conhece a Russia por filme americano

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com