Defesa & Geopolítica

Força Aérea Brasileira participa do exercício multinacional “Ángel de los Andes 2018”

Posted by

Militares do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV) e do Esquadrão Hárpia (7°/8° GAV) participam, até o próximo dia 14, do Exercício Multinacional Angel de Los Andes 2018, na cidade de Rionegro, na Colômbia. Um militar do Comando de Preparo (COMPREP), como Observador nas ações de Operações Especiais, e uma aeronave H-60L BlackHawk também representam a Força Aérea Brasileira (FAB).

Essa é a segunda edição do exercício (a primeira foi em 2015) e conta com a participação de 12 países: Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, EUA, França, Panamá, Peru, República Dominicana e Uruguai.

O Ángel de los Andes, é uma iniciativa da Força Aérea Colombiana (FAC), que oferece a oportunidade para que “tripulações aéreas e profissionais de saúde da aviação, assim como equipes operacionais e de logística, treinem em um ambiente simulado de Operações de Busca e Resgate em Combate (CSAR), evacuações e traslados aéreos e extinção de incêndios florestais”

O objetivo do exercício é treinar a condução de operações aéreas de recuperação de pessoal e de pronta resposta a situações de emergência e de desastres em um ambiente combinado e interagências, com o fim de fortalecer a interoperabilidade e as capacidades operacionais das Forças Aéreas participantes.

O exercício permite o treinamento em cenário de Busca e Resgate (SAR, do inglês search and rescue) e de Busca e Resgate em Combate (CSAR, do inglês, combat search and rescue). Os três cenários SAR (acidente aéreo de uma aeronave comercial com 60 passageiros; terremoto de magnitude 6,5º na escala Richter, com réplicas; e incêndio florestal de grandes proporções com danos à infraestrutura petrolífera local) compreendem o atendimento pré-hospitalar dos feridos pelos homens de resgate e a evacuação aeromédica de feridos e mortos.

O objetivo do exercício é compartilhar a experiência e, fortalecer as capacidades operacionais de diferentes tripulações aéreas, estando na vanguarda das técnicas de ponta usadas para prestar ajuda humanitária e estreitar os laços de cooperação e interoperabilidade que existem entre os países participantes a fim de realizar operações conjuntas destinadas a salvar vidas em âmbito nacional e internacional”

Já os cenários CSAR  – resgate a um comboio humanitário atacado pelo país vermelho; resgate, em águas confinadas, de uma tripulação abatida em combate; e resgate diurno e noturno de pilotos em território inimigo – são uma oportunidade para a atuação em ambientes de conflito simulado, além de permitir o contato com a Doutrina CSAR utilizada pelo demais países.

O programa de treinamento incluirá palestras de conferencistas nacionais e internacionais organizados pela Chefatura de Operações Aéreas e do Sistema Nacional para a Gestão de Risco em Desastres (SNGRD). Os participantes também participarão de discussões sobre técnicas de resgate usando exemplos de recuperações bem-sucedidas de vítimas durante desastres realizadas pelas forças de segurança colombianas e pilotos de combate dos EUA.

Com Informações de FAB

2 Comments

  1. Parece que as colonias americanas nunca irão aprender que os assassinos de seres humanos sempre os usaram como buchas de canhão,os políticos do Brasil deveriam aprender que os americanos do norte não tem amigos e sim interesses,o governo deveria investigar o afundamento do navio de gado em barcarena no pará,o povo deveria saber que a empresa ADM, a maior comercial de grão do planeta operava em barcarena e que fez um acordo com o FBI,sobre manipulação de preço e que infiltraram um agente na central na decada passada e estranha mente foi vendida,depois do incidente e ninquem quer retirar o navio. Olha a conspiração dentro do solo brasileiro e a CIA, esta impune.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com