Defesa & Geopolítica

Fevereiro 09

JOBIN APRESENTA END AOS EMBAIXADORES SUL-AMERICANOS

Brasília, 17/02/2009 – A convite do embaixador do Chile, Alvaro Díaz, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, fez no dia 11 de fevereiro uma apresentação sobre os principais pontos da Estratégia Nacional de Defesa a embaixadores da América Latina e Caribe. O encontro aconteceu na Embaixada do Chile e contou com a participação de 30 diplomatas.

O ministro apresentou aos participantes o contexto político que resultou na criação do plano, Jobim apresentou as 23 diretrizes que compõem a Estratégia Nacional de Defesa e fez especial referência àquela que trata do estímulo à integração da América do Sul.

Essa integração não somente contribuirá para a defesa do Brasil, como possibilitará fomentar a cooperação militar regional e a integração das bases industriais de defesa. Afastará a sombra de conflitos dentro da região. Com todos os países avança-se rumo à construção da unidade sul-americana. O Conselho de Defesa Sul-Americano, em debate na região, criará mecanismo consultivo que permitirá prevenir conflitos e fomentar a cooperação militar regional e a integração das bases industriais de defesa, sem que dele participe país alheio à região”.

Ele informou que nos dias 9 e 10 de março haverá, no Chile, reunião do Conselho de Defesa Sul-Americana na qual serão discutidos, entre outros assuntos, um plano de ação para 2009 e estratégias de ações conjuntas dos países para atuar em operações de paz.

Fonte. MINISTÉRIO DA DEFESA

LIBERADAS MAIS VERBAS PARA O MAPEAMENTO DA AMAZÔNIA

O Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) repassou R$ 5,9 milhões à Aeronáutica, Exército, Marinha e ao Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Os recursos são destinados à execução do projeto Cartografia da Amazônia, relativo ao primeiro trimestre de 2009. Deste total, R$ 3,4 milhões serão destinados ao custeio das operações e R$ 2,5 milhões a investimentos necessários ao início de uma parte do trabalho, como a compra de navios e equipamentos para atualizar a cartografia náutica das principais hidrovias da região, garantindo maior segurança na navegação. Dos R$ 350 milhões do Projeto, já foram liberados 68,5 milhões.

Segundo o diretor-geral substituto do Sipam, Wougran Galvão, cada uma das instituições desenvolve uma parte do mapeamento que permitirá ao Brasil conhecer os 1,8 milhão de quilômetros quadrados da Amazônia que não possuem informações cartográficas terrestre, náutica e geológica.

Lançado no ano passado, o Projeto deve concluir em cinco anos as cartografias terrestres, geológicas e náuticas da Região Amazônica. Neste período, o Governo Federal investirá R$ 350 milhões. O principal objetivo é acabar com os vazios cartográficos na Região e contribuir para o desenvolvimento e proteção da Amazônia. As cartografias vão auxiliar no planejamento e execução dos projetos de infra-estrutura como rodovias, ferrovias, gasodutos e hidrelétricas, além da demarcação de áreas de assentamentos, áreas de mineração, agronegócio, elaboração de zoneamento ecológico, econômico e ordenamento territorial, segurança territorial, escoamento da produção e desenvolvimento regional.

As informações ainda ajudarão no conhecimento da Amazônia brasileira e na geração de informações estratégicas para monitoramento de segurança e defesa nacional, em especial nas fronteiras. O trabalho é coordenado pelo Sipam, órgão ligado a Casa Civil da Presidência República, e os executores são o Exército, a Marinha, a Aeronáutica e o Ministério de Minas e Energia, através da CPRM (Serviço Geológico do Brasil).

Fonte: Diário do Pará

NOVOS AMAZONAS PARA A FAB

Força Aérea Brasileira (FAB) concluiu os detalhes para a obtenção de mais oito exemplares do avião de transporte CASA C-295, designado na FAB como C-105A Amazonas. A aeronave escolhida para substituir os De Havilland DHC-5 C-115 Buffalo está apta a realizar, entre outras, missões de evacuação aeromédica, lançamento de pára-quedistas e transportes administrativo e tático. As 12 células do primeiro lote equipam atualmente dois esquadrões, o 1º/9º GAv – Esquadrão Arara e o 1º/15º GAv – Esquadrão Onça. Uma parte das unidades adicionais do C-295 deverão ser incorporadas ao 2º/10º GAv – Esquadrão Pelicano onde executarão operações de Busca e Salvamento– SAR.

O destino dos demais C-105 ainda não são conhecidos no entanto especula-se que muito provavelmente serão destinados à Base aérea de Val-de-Cães em Belém estado do Pará.

As mesmas fontes comentaram que a empresa Casa Aviocar estaria oferecendo a versão de patrulha marítima do C-295 como uma possível opção para a substituição dos P-95 Bandeirante-Patrulha.

Fonte: Tecno&Defesa

FORÇAS DOS EUA NO IRAQUE RECEBEM O MRAP DE NÙMERO 10000.

Em 20 de fevereiro foi entregue o 10.000º MRAP Veículo Protegido contra Emboscadas e Minas às tropas que estão operando no Iraque em cerimônia realizada no Campo Liberty. Esses veículos salvaram a vida de milhares de soldadosdesde que entraram em serviço no TO iraquiano, em abril de 2007. Mais de 11.700 veículos foram entregues para a área de operações do Comando Central dos EUA, sendo que só no Iraque são 10.000.

Os MRAP estão passando por um serie de modificações baseadas nas experiências da tropa, como: melhoria na blindagem, suspensão, assentos, dirigibilidade noturna, entre outras, e frota tem atingido uma disponibilidade de 95%.

Fonte: Blog das Forças terrestres

BIO COMBUSTÍVEIS MADE IN USA

Os Estados Unidos pretendem investir US$ 25 milhões para financiar o desenvolvimento de novos biocombustíveis, com ênfase nos combustíveis de aviação. A decisão foi aplaudida pela Air Transport Association.

Fonte: Site AEROBUSINESS

EMIRADOS ÁRABES VÃO DE M-346

A Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos selecionaram o treinador avançado Alenia Aermacchi M-346 Master como o futuro avião de conversão, batendo assim o Korea Aerospace Industries/Lockheed Martin T-50.

O contrato prevê a aquisição de 48 M-346 por um valor não revelado. Um número não divulgado destas aeronaves devem ser produzidas na configuração de ataque leve pelo fabricante italiano que deve fornecer também todo sistema de treinamento e suporte em solo incluindo simuladores de voo assim como peças de reposição com entregas planejadas para 2012.

O anúncio também revelou a criação de uma joint venture entre os EAU e a Alenia Aermacchi com a Mubadala Development para estabelecer uma linha de montagem final dos M-346. O acordo também prevê “uma fábrica de aeroestruturas de materiais compostos para o setor civil em Abu Dhabi”, disse o chefe executivo da Finmeccanica, Pier Francesco Guarguaglini.

Fonte: AIRWAY

IRÃ LANÇA SATÉLITE E DEIXA PERPLEXO OS ANALISTAS OCIDENTAIS

O anuncio do lançamento do seu primeiro satélite nacional por parte das autoridades Iranianas, impactou em Israel e nas potências ocidentais e novamente manifestarem preocupação com o programa nuclear Iraniano.

O Irã anunciou o lançamento do seu satélite de comunicações e pesquisa Omid (Esperança) foi um passo importante para o seu programa de tecnologia espacial.

O ministro da Defesa, Mostafa Mohammad Najjar, disse que o Omid já está orbitando a Terra. “Estabelecemos comunicações com ele e a informação necessária foi recebida”, disse Najjar à agência de notícias Isna

Em Washington, Robert Gibbs, porta-voz da Casa Branca, disse: “Esforços para desenvolver a capacidade de transporte de mísseis, esforços para manter um programa nuclear ilícito, ou ameaças que o Irã faz para Israel e sua parceria do terror são (motivo) de aguda preocupação para esta administração.”

O fato é que o acontecido pegou de surpresa muitos analistas e cientistas ocidentais que negavam ao Irã a capacidade deste possuir maturidade e conhecimento tecnológico para proceder tal feito.

A secretária de Estado Hillary Clinton disse que os EUA devem demonstrar abertura para o Irã – ao contrário do governo Bush, que tentava isolar o país -, mas que responderá à altura se for necessário. “Estamos estendendo uma mão, mas o punho tem de se abrir”, disse ela.

Fonte: ESTADÃO

COREIA DO NORTE TAMBÉM…

O anúncio por parte de autoridades da Coreia do Norte sobre o lançamento dentro dos próximos dias de um satélite, levantou dúvidas sobre o verdadeiro objectivo das autoridades daquele país.

No entanto, ao afirmar que se prepara para lançar um satélite, a Coreia do Norte poderá na realidade estar preparando mais um teste de um míssil, que para ter capacidade para vencer a gravidade, também terá segundo estimativas avançadas, um alcance que pode chegar a 6.000km. Desta forma o sistema norte-coreano terá capacidade para atingir alvos em pontos tão distantes como Anchorage no Alaska, Darwin na Austrália ou Nova Delhi na Índia.

Outras fontes afirmam que a Coreia do Norte irá de fato lançar um satélite, avançando no entanto que todo o veículo lançador de satélites pode ser convertido para transportar uma ogiva nuclear.

Fonte: AREAMILITAR

MAIS PROBLEMAS NO A-400…

O programa de construção do avião militar europeu A-400 da Airbus, um dos braços do conglomerado europeu EADS revelou recentemente mais detalhes sobre o andamento do processo que tem por objectivo fornecer a nova aeronave de transporta a várias forças militares europeias.

O projeto A-400 teve o seu inicio em 1982, com o objectivo de conceber uma aeronave de transporte que substituísse os C-130 e os Transal europeus, no entanto desde então o projecto deparou-se com inúmeros problemas de conceito e também com o vertiginoso aumento de preço que ocorreu ao longo dos anos. A definição final do projecto e o inicio efetivo da fase de construção ocorreram apenas depois do ano 2000. Inicialmente a primeiras entregas chegaram a estar previstas para começar em 2006, mas logo se percebeu que os problemas continuavam.

A construção efetiva das estruturas só teve início em 2003 e os atrasos foram-se acumulando o avião foi pela primeira vez mostrado ao público no final de Junho de 2008, mas tratou-se apenas de uma demonstração em terra, porque o Airbus A-400M continua sem levantar voo.

No meio de muitas críticas o inicio das entregas foi sendo atrasado cada vez mais. Em 2008 previa-se que as entregas começassem em 2010 e depois em 2011, mas com os problemas que agora se levantam, a entrega dos primeiros Airbus A-400 está agora prevista apenas para 2013 ou 2014.

Os recentemente atrasos no fornecimento dos sistemas previstos para o A-400 também levam a modificações contínuas no programa previsto. O primeiro voo do A-400, que na última previsão tinha sido apontado para ocorrer até ao final de 2009, está mais uma vez comprometido, sendo inevitável o seu atraso para uma nova estimativa lá pelos idos de 2010.

Fonte: AREAMILITAR

SUBMARINO FRANCES DA CLASSE ANDRASTA AVALIADO PARA OPERAÇÔES LITORÂNEAS.

DCN anunciou que os eu novo submarino classe ANDRASTA, seria otimizado à operações litorâneas, o ANDRASTA é um programa francês de um submarino pequeno otimizado ao combate litorâneo e que competiria no mercado internacional com a série U-212.

O Andrasta terá 48 metros de comprimento, tripulação de apenas 19 membros e deslocamento da ordem de 830 toneladas.

Fonte: NAVAL-TECHINOLOGY

RUSSIA ADIQUIRE NOVOS MIG-29K

A agência de notícias RIA Novosti informou que a Rússia vai apoiar financeiramente a RSK MiG, em especial, com um novo programa de aquisição de caças navais MiG-29K para a Marinha russa, segundo entrevista do Vice-Premier Sergey Ivanov, no dia 11/02.
A situação financeira da RSK MiG não é das melhores, mas a Rússia considera a empresa estratégica, por isso fará as encomendas.

Fonte: BLOG PODER NAVAL

MAIS C-17 PARA USAF

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) assinou contratos de compra de mais aviões de transporte Boeing C-17 Globemaster III e de continuação da modernização de seus Lockheed C-5B Galaxy.

A Boeing entregará mais 15 exemplares do C-17 por US$ 2,95 bilhões, um negócio fechado no dia 06 de fevereiro passado. A encomenda elevará para 205 o numero de C-17 em serviço na USAF.

Executivos da Boeing estão tentando encontrar um caminho para manter a linha de produção do C-17 aberta. O Projeto inicial da USAF era adquirir 305 exemplares. Contudo o Congresso dos Estados Unidos não liberou as verbas esperadas para completar essa quantidade. Os resultados de exportação estão sendo modestos, tendo sido vendidos aviões do modelo para a Austrália, Canadá, Grã-Bretanha, OTAN e Qtar.

Por outro lado, a USAF assinou com a Lockheed Martin um contrato de US$ 300 milhões para conversão de um terceiro lote de transportes pesados Lockheed C-5B Galaxy para o padrão C-5M. O programa conhecido como RERP (Reliability Enhancement and Re-engining Programme), inclui a introdução de novos motores turbofans General Eletric CF6-80C2.

Fonte: Tecno&defesa

NOVOS PORTA-AVIÕES PARA A MARINHA RUSSA

Confirmando a notícia e estimativas divulgadas pelo PLANO BRASIL vide POSEIDON, a marinha Russa anunciou a construção nos próximos anos de pelo menos três porta-aviões de propulsão nuclear, o anuncio foi feito pelo dirigente da Corporação Unida de Estaleiros, que reúne os maiores estaleiros e escritórios de projeto de navios russos.

Os cientistas e projetistas já trabalham no modelo dos futuros porta-aviões. Por enquanto, decidiram que será de propulsão nuclear e terá um deslocamento de entre 50.000 t e 60.000 t”, assinalou o vice-almirante Anatoli Shlemov.

Shlemov explicou que seu país pretende construir pelo menos três porta-aviões, sendo um deles para a Frota do Norte e outro para a do Pacífico, e mais tarde esse número pode subir para seis, em função das necessidades da Defesa e das possibilidades da economia do país.

O vice-almirante lembrou que o presidente russo, Dmitri Medvedev, ordenou em outubro do ano passado a criação de um programa nacional de construção de porta-aviões para iniciar sua fabricação “nos próximos anos”, e expressou sua esperança de que isto ocorra até 2015.

Shlemov assinalou que os futuros porta-aviões russos estarão dotados de aviões de coberta de quinta geração, de decolagem horizontal clássica, que substituirão o modelo atual Su-33, e de aparelhos de espionagem não tripulados que estão sendo criados pela indústria militar russa.

Fonte: Blog Poder Naval

E PARA A ÍNDIA…

Com diversas partes do navio já em construção há três anos, a Índia finalmente deverá realizar a cerimônia de batimento de quilha de seu primeiro Navio-Aeródromo construído localmente, no estaleiro de Kochi. Segundo o comandante da Marinha Indiana, Almirante Sureesh Mehta, a quilha será batida neste sábado, dia 28 de fevereiro.

As estimativas são de que o navio, com deslocamento de 40.000 toneladas, deverá ser lançado em 2011, após mais dois anos de trabalho. Segundo o The Times of India, a Marinha Indiana espera contar, por volta de 2015, com três porta- aviões operacionais.

Fonte: Blog Poder Naval

E POR FALAR EMPORTA AVIÔES

A Thales Nederland anunciou a formalização do contrato com a BAE Systems para o fornecimento de dois radares de busca de longo alcance S1850M, que serão instalados nos novos porta-aviões que estão sendo construídos para a Marinha Real Britânica (Royal Navy).

Os raderes S1850M serão os mesmos equipamentos utilizados novos destroyers Type 45 da Marinha Real, no entanto estes novos sistemas sofrerão modificações para atender a demandas específicas desses navios. O radar, desenvolvido a partir do SMART-L da Thales, numa colaboração entre a BAE Systems e a Thales Nederland, é do tipo 3D de longo alcance para alvos aéreos e, segundo o fabricante, tem demonstrado ser capaz de detectar alvos furtivos (stealth) em ambientes saturados eletronicamente.

Fonte: THALES

RÚSSIA E ÍNDIA JUNTAS NO PROJETO DO NOVO CARGUEIRO

Foi reafirmada durante a Aero India 2009 a parceria indo-russa no projeto MRTA, aeronave de transporte tático de asa alta com capacidade de transportar 18,5 t de carga e dotada de dois motores turbo-fan. As empresa envolvidas, HAL (Hindustan Aeronautics Limited) da Índia e as russas IRKUT e Ilyushin Aviation Complex, dividirão o montante do projeto, estimado entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões, já que não haverá financiamento governamental para o projeto.

A IRKUT desembolsará 40% desse valor e coordenará a parte russa do desenvolvimento. O MRTA deverá começar a substituir entre 2015 e 2020 os atuais Antonov An-12, An-26 e está sendo considerado como um virtual concorrente na substituição dos C-130 Hercules. A Força Aérea da Índia tem planos para adquirir 45 MRTA. Os estudos de viabilidade apontaram que o mercado russo poderá absorver cerca de 100 unidades do no novo cargueiro dentro dos próximos 12 anos.

Fonte: Tecno&Defesa

NOVOS DENTES PARA OS SUBMARINOS BRASILEIROS

Dados ainda não confirmados dão conta de que A Marinha do Brasil teria acertado a compra de torpedos multifunção “Black Shark”,considerados um dos mais avançados torpedos do mundo, além do míssil anti-navio SMM-39, versão lançada por submarinos dos mísseis de ataque naval da família Exocet. O Brasil tem alguns projetos e técnicos farão estágio com fabricantes Franceses.

A quantia e a quantidade dos equipamentos adquiridos, bem como os possíveis prazos para suas entregas, são alvo de especulações, no entanto é muito provável que estes armamentos venham a ser operados pelos novos submarinos SCORPÈNE adiquiridos pela Marinha do Brasil, dado que o sistema de armas dos submarinos da classe TUPI e TIKUNA, operarão (segundo consta) os modernos torpedos MK-48 de procedência dos EUA.

Fonte: PLANO BRASIL

CHILE INCORPORA KC-767

A Força Aérea do Chile incorporou um cargueiro Boeing B.767-300ER à sua II Brigada Aérea. A aeronave, que pertenceu antes à companhia Euro Atlantic Airways, foi inspecionada, revisada e repintada nas oficinas da VEM, no Aeroporto do Galeão.

Fonte:AEROBUSINESS

E POR FALAR EM KC…

Ao que parece a Força Aérea Brasileira estaria avaliando a possibilidade de operar num futuro próximo duas aeronaves capacitadas as missões de reabastecimento em vôo, segundo especula-se, todos as aeronaves C-390 pretendidas viriam configuradas a prover a capacidade de reabastecimento em voo, sendo assim denominadas KC-390 e seriam os substitutos naturais dos atuais C e KC-130 em operação na força.

No entanto a FAB poderia ainda adquirir um segundo modelo de maior capacidade, para substituir os KC-137, e os candidadatos naturais seriam os MRTT(A-330) ou mesmo ( A-300), bem como KC-767 e ou ainda, variantes civis destas aeronaves reconfiguradas para esta missão, as quais os trabalhos poderiam ser efetuados no Brasil pela VEM.

Fonte: PLANO BRASIL

NOVO CENTRO DE COMUNICAÇÂO SOCIAL DA MARINHA DO BRASIL

Digno de nota é a inauguração das novas instalações do Centro de Comunicação Social da Marinha (CCSM), cujo diretor do CCSM, contra-almirante Domingos Savio Almeida Nogueira, destacou em sua Ordem do Dia o que representa as novas instalações para a comunicação social na Marinha: “Este Centro de Comunicação Social vence hoje mais uma etapa de sua trajetória, com a inauguração de novas instalações. Caracteriza, com isso, uma indubitável necessidade de expansão e consolidação, como órgão subordinado diretamente ao Comandante da Marinha e prestador de essenciais serviços à Instituição. É atribuição do CCSM apresentar a posição oficial da Marinha e matérias de interesse da Instituição junto ao público externo e à Imprensa em geral, por meio de Notas, Press Releases e informações veiculadas na Internet. Tem, também, como atribuição a coordenação de entrevistas e reportagens de caráter nacional, sobre temas relevantes da Força” – completou.

Estiveram presentes na cerimônia diversas autoridades militares e convidados civis que, após as palavras do diretor do CCSM, a bênção do Capelão Naval e o descerramento da placa alusiva à data, visitaram as novas instalações.

Fonte: Tecno&Defesa

MARINHA MODERNIZARÁ CENTROS DE INSTRUÇÃO

Resultado de um termo de cooperação assinado entre as partes, a Petrobras investirá R$ 78 milhões na modernização dos Centros de Instrução da Marinha brasileira.

O programa prevê, o repasse que servirá para a contratação de novos professores, e ampliação do número de vagas para o ensino profissional marítimo bem como reestruturação dos centros Almirante Graça Aranha (Ciaga), no Rio de Janeiro, e Almirante Braz de Aguiar, em Belém (PA), responsáveis pela formação e aperfeiçoamento dos oficiais da marinha mercante nacional.

A iniciativa permitirá à Marinha aumentar o número de vagas em seus cursos de formação. Além disso, os recursos possibilitarão a aquisição de novos equipamentos, a modernização de laboratórios, contratação de instrutores, reforma e ampliação de instalações (salas de aula, alojamentos, camarotes, banheiros, cozinhas e refeitórios).
A formação de novos profissionais para a marinha mercante é algo que preocupa não só autoridades públicas ligadas ao setor marítimo, mas também à iniciativa privada. Nos últimos anos, com a expansão das atividades ligadas à exploração e produção petrolífera na plataforma continental, a frota mercante brasileira está tendo que ser renovada e ampliada. Com o aquecimento do setor, a procura por mão-de-obra se intensificou.

Fonte: Blog Poder Naval

VANT S-100 CAMCOPTER PARA O PAKISTÃO

Uma aeronave não tripulada de decolagem vertical produzida sob licença nos Emirados Árabes Unidos tornou-se a favorita na competição para seleção de um UAV (Veículo Aéreo não Tripulado) para a Marinha Paquistanesa.

Trata-se do Schibel S-100 Camcopter, originalmente desenvolvido pela empresa austríaca Schiebel Corporation instalada na cidade de Viena. Fontes oficiais informaram que a Marinha do Paquistão tem a intenção de comprar mais de uma dúzia desses aparelhos para desempenhar tarefas navais a partir de seus navios de guerra.

O S-100 Camcopter é um veículo aéreo não tripulado de decolagem vertical construído com materiais compostos e é uma versátil plataforma voadora que pode receber uma variada gama de sensores, como por exemplo, EO/IR (eletro-óptico /infra-vermelho) para missões ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento).

Está sendo estudada a possibilidade de dotar o S-100 Camcopter com mísseis multi-uso leves. Os S-100 Camcopter já são usados pelo Exército dos Emirados Árabes Unidos e pelo Ministério do Interior da Áustria desde 2006 em programas de ensaio.

Fonte: Tecno&Defesa

UNS CHEGAM…

Conforme publicado no Blog NAVAL, foi incorporado à Marinha do Brasil no último dia 3 de fevereiro o Navio Polar (NPo) Almirante Maximiano.

O navio de extrema importância para a Marinha do Brasil, sofreou um completo processo de reconstrução incorporando inclusive um heliponto que o ampliará as capacidades operativas.

Fonte: Blog Poder Naval

OUTROS SE VÃO…

No dia 3 de novembro de 2008, deixou o serviço da Marinha da Brasil, por baixa, em Mostra de Desarmamento, o Contratorpedeiro D-27 “Pará”.

O Contratorpedeiro “Pará” deu nome à classe de navios Contratorpedeiros, os navios muito respeitados e admirados pelos integrantes da Força Naval receberam destes a honrosa alcunha de “Galo da Esquadra”, homenagem do seu antecessor, igualmente contratorpedeiro.

O D-27 Pará foi o sétimo navio a ter a honra de ostentar o nome desse grande Estado da Federação. A origem do nome vem do termo “Pará”, que significa rio-mar na língua tupi-guarani. Assim, os índios denominavam o braço direito do Rio Amazonas que, engrossado com as águas do Rio Tocantins, torna-se tão vasto a ponto de não se poder ver a outra margem, mais parecendo um mar do que um rio.

Tal como os colegas do Blog NAVAL que prestaram uma belíssima homenagem à este navio e sua classe, nós do PLANO BRASIL nos despedimos do “Galo da Esquadra” fazendo coro ao “Bravo Zulu” D 27 Pará!

Fonte: Blog Poder Naval

C-390 PODERÁ TER CERTIFICAÇÂO CIVIL

Embraer planeja obter a certificação para uso civil do avião de transporte tático militar C-390 com a finalidade de possibilitar a venda do modelo a empresas de transporte aéreo comercial, tais como a FedEx Express e DHL, o modelo teria sido escolhido pelas autoridades Brasileiras para compor a frota da futura empresa de transporte da empresa brasileira de correios e telégrafos que encontra-se em avaliação.

A certificação civil estará de acordo com a regulamentação Parte 25 da FAA (Federal Aviation Administration).

Sabemos que teremos que nos empenhar muito para obter a certificação civil, mas acreditamos que, com base na nossa experiência com jatos comerciais, teremos sucesso”, disse Sergio Bellato Alves, diretor de marketing e vendas da Embraer para a Ásia – Mercado de Defesa e Governo, durante uma entrevista na feira aeroespacial Aero India 2009. “A Embraer está na iminência de anunciar o lançamento do programa assim que terminar as negociações com a Força Aérea Brasileira”. “Acreditamos que agora temos, se não a última configuração, pelo menos a mais próxima dela”, acrescentou Bellato.

Fonte: Tecno&Defesa

BRIGADA STRYKER À CAMINHO DO AFEGANISTÃO

O Pentágono irá deslocar para o Afeganistão cerca de 300 veículos de combate sobre rodas Stryker pertencentes à 5ª Brigada de Combate da 2ª Divisão de Infantaria do Exército dos Estados Unidos (US Army). Juntamente com os veículos, 4.000 homens seguirão para a região com a finalidade de reforçar a presença militar estadunidense.

Com a medida, o Pentágono pretende dar mais mobilidade e proteção às tropas durante as ações contra os talebãs, principalmente no sul e sudoeste do Afeganistão, bem como nas até agora pouco guarnecidas regiões de fronteira com o Pasquistão.

Fonte:Tecno&Defesa

BARROSO INICIA ENSAIOS DE MAR

A corveta Barroso deixou a Baía de Guanabara para dar prosseguimento aos seus testes de mar.

Em breve, o navio deverá realizar o CIAsA (Comissão de Inspeção e Assessoria de Adestramento).

Segundo o Blog PODER NAVAL, A Barroso, que é uma evolução da classe “Inhaúma”, poderia ter mais unidades construídas aperfeiçoadas, com perfil mais stealth. Com o mesmo valor de uma FREMM, poderíamos construir três Barrosos, dando continuidade ao grande trabalho realizado para a nacionalização de meios navais e seus sistemas.

Fonte: Blog Poder Naval

JAPÃO PERTO DE COMISSIONAR O NOVO “DESTROYER” CLASSE HYUGA

Está em fase final de construção o primeiro exemplar dos dois destróiers porta-helicópteros da Classe Hyuga destinados à JMSDF (Japan Maritime Self-Defense Force – Força Marítima de Auto-Defesa do Japão).

O Hyuga, lançado ao mar em agosto de 2007, será comissionado na JMSDF ainda este ano.

O segundo exemplar ainda não teve seu nome divulgado, mas será lançado ao mar ainda esse ano e comissionado em 2011. As duas novas embarcações foram planejadas para substituir os destróiers de 7000 toneladas da Classe Haruna atualmente em uso.

Fonte:Tecno&Defesa

ISRAEL BUSCA DESENVOLVER ARMAS PARA SE CONTRAPOR AS BATERISA S-300 IRANIANAS.

A Israel Aerospace Industries (IAI) está desenvolvendo um drone denominado HAROP, o qual seria usado contra sistemas inimigos de mísseis anti-aéreos ou de mísseis balísticos móveis ou ocultos.

O HAROP seria uma arma do tipo “dispare e esqueça” e seria concebido para ter autonomia média de 1.000 km, atuaria buscando radares e sistemas ocultos incorbertos pelas defesas inimigas.

Derivado do VANT Harpy anti-radiação, o HAROP teria como principal alvo as poderosas baterias de defesa anti-aéreas S-300 de fabricação Russa adiquiridas recentemente pelo Irã.

Estes sitemas são muito temidos por Israel e pelos EUA pelo fato de poderem lhe negar a superioridade aérea alcançada a duras penas e ao longo dos anos, os S-300, apelidados de “game-changer”, são considerados pelos peritos como um dos únicos sistemas defensivos capazes de efetivamente impedir um ataque contra o Irã. São capazes de engajar até 100 alvos simultaneamente através de uma estação de radar móvel totalmente resistente a “jamming” (interferência).

Devido à sua baixa velocidade e o relativamente pequeno consumo de combustível, o HAROP poderá sustentar uma missão de várias horas sobre a área de segmentação até encontrar seus alvos.

Fonte: Tecno&Defesa

DIGNO DE NOTA FOI A REALIZAÇÃO DO ENSAIO DE SALVAMENTO DO SUBMARINO TIKUNA

O Comando da Força de Submarinos (ComForS) realizou, no início de fevereiro, em Angra dos Reis (RJ), a Operação “SARSUB-TIKUNA 2009”.

No dia 12, foi registrado um marco histórico para este tipo de exercício: o resgate de quatro tripulantes do Submarino “Tikuna” (S-34), sendo dois deles oficiais observadores da Marinha Americana e da Armada do Chile.

Esta foi a primeira vez que o NSS “Felinto Perry” realizou o acoplamento do seu sino de resgate no “Tikuna”, após já ter realizado em todos os submarinos da Classe “Tupi”.

O exercício foi acompanhado pelo Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Fernando Eduardo Studart Wiemer, e pelo Comandante da Força de Submarinos, Contra-Almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior.

A operação “SARSUB-TIKUNA” foi um sucesso, qualificando e capacitando os meios navais participantes, incluindo a Marinha do Brasil no seleto grupo de países que possuem a capacidade de prestar socorro à tripulação de submarinos sinistrados.

Fonte: Blog Poder Naval

EFETUADO COM SUCESSO O PRIMEIRO TESTE DO MÍSSIL A-DARTER

O míssil ar-ar de curto alcance de quinta geração A-Darter, desenvolvido conjuntamente pela África do Sul e Brasil, realizou com sucesso uma série de testes de voo na última semana, anunciou a Denel Dynamics, empresa integrante do grupo de defesa sul-africano Denel, durante a feira IDEX 2009, que acontece essa semana em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Os testes foram realizados de um centro da Denel na costa sul da África do Sul, em Overberg, e serviram para demonstrar a manobrabilidade e as características do míssil em altas forças “G”, além da capacidade de seu buscador (seeker) em identificar alvos.

O A-Darter deverá equipar os caças Gripen, operados pela Força Aérea da África do Sul, e também os F-5M e o futuro FX-2 da Força Aérea Brasileira. O míssil tem guiagem infravermelha, cerca de 89 kg de massa e 2,9 metros de comprimento, capacidade off-boresight (cerca de 90 graus). Espera-se que o A-Darter entre em operação em 2015.

Pelo lado brasileiro, participam do desenvolvimento do A-Darter, além do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA), as empresas Mectron, Avibras e Optoeletrônica.

Fonte: Tecno&Defesa

VIDA NOVA AOS “MONSTROS”

Foi publicada na edição do Diário Oficial da União do dia 20 de fevereiro, o extrato de dispensa de licitação que nomeia a Embraer Aviation International, subsidiária da empresa brasileira sediada na França, como contratada para o programa de modernização de um lote de 43 aeronaves de combate A-1 da Força Aérea Brasileira.

A nota informou que o valor do negócio com a subsidiária francesa da Embraer é de US$ 147.565.954,11 e cita a matriz brasileira como anuente solidária do contrato. Segundo informações oficiais da Força Aérea Brasileira, a modernização dos 10 exemplares não incluídos nesse pacote, dependerá de uma futura liberação de verbas.

* O Apelido Monstro foi dado ao AMX por este possuir um alcance relativamente superior às aeronaves até então operadas pela FAB.

Fonte:Tecno&Defesa

APÓS CONFLITO NO CÁUCASO RÚSSIA MODERNIZA SEU EXÉRCITO

Um relatório do ministério da Defesa russo analisou a operação realizada na Geórgia no início de agosto do ano passado, e concluiu que o exército Russo carece de modernização e adaptação às novas tecnologias e armamento declarou à Interfax o general do Exército Vladimir Boldyrev.

O comandante das tropas terrestres precisou que, em primeiro lugar, se trata de carros de combate blindados, técnica de alta precisão e um adequado abastecimento combativo.

Considerando as recomendações do relatório, planifica-se cambiar radicalmente a situação quanto às unidades de disposição combativa permanente.

O general enumerou os meios de comunicação, inteligência , guerra electrônica, navegação e dos módulos individuais de combate. Referiu os planos de fornecimento dos novos modelos de armamento pesado ( blindados, artilharia e meios de defesa antiaérea).

Durante a operação na Geórgia militares russos combateram, pela primeira vez, contra as formações regulares, preparadas segundo as normas da Otan e dotadas de armamento moderno, incluindo de fabricação da Aliança.

Nossos efetivos enfrentaram, também, unidades inimigas, dotadas de técnica de fabricação soviética, modernizada pela Ucrânia (sistemas de extinção de massa Buk), República Checa, Bulgária, Israel e outros”, disse Boldyrev. As tropas georgianas utilizaram a tática do exército norte-americano caracterizada, em particular, por provocar um dano máximo ao inimigo sem entrar em uma confrontação com este.

Porém, as unidades russas do distrito militar do Cáucaso do Norte (58 o Corpo de Exército ) cumpriram a missão colocada em prazo de 5 dias, disse Boldyrev. Os georgianos fugiram das posições conquistadas, abandonando o armamento, munições e técnica em geral.

Entre 2009 e 2001 os investimentos estatais a esse setor totalizarão mais de121 bilhões de dólares.

Fonte: Pravda

PROSSEGEM OS PLANOS DE RESTRUTURAÇÃO DO EXÉRCITO BRASILEIRO

O Exército Brasileiro deu início ao planejamento decorrente da Estratégia Nacional de Defesa, lançada em dezembro último, que norteará a elaboração dos Planos de Equipamento e Articulação do Exército no período de 2009 a 2030. Para isso foram criados seis grupos de trabalho, cujos coordenadores foram indicados na segunda semana deste mês.

Os grupos (integração, articulação, equipamento, racionalização, apoio e doutrina) já iniciaram a elaboração de suas planilhas e deverão apresentar conjuntamente um documento contendo os planos de reaparelhamento e reestruturação ao Ministério da Defesa no dia 30 de Junho.

Chamado de “Exército 2030”, o plano apresentará também sua estimativa de custos. Apesar de não ser pretensão do documento formular um Exército ideal, os planos apresentados deverão projetar com precisão e objetividade uma trajetória a ser seguida, incidindo “necessariamente” sobre esta trajetória futuras “realimentações”.

O documento deverá consolidar o “Módulo Brigada” e divulgar a Família de Blindados sobre Rodas como projeto emblemático do EB, além de relacionar o reaparelhamento da força ao fortalecimento da indústria bélica nacional, buscando sempre a padronização com as outras forças armadas.

Todos os materiais de emprego militar a serem adquiridos ou desenvolvidos pelo Exército, de acordo com o plano, deverão atender aos conceitos de flexibilidade, modularidade, mobilidade estratégica e tática e interoperabilidade. Deverá também ser estabelecido um programa de pesquisa e desenvolvimento de materiais de emprego militar que incluam também sistemas de simulação, conceito de dualidade (uso civil e militar), robótica e nanotecnologia. Com isso, o Centro Tecnológico do Exército (CTEx) deverá receber papel de destaque nas pesquisas dos novos produtos, bem como em conjunto com indústrias e universidades, como foi o projeto do radar SABER M-60, desenvolvido numa parceria entre CTEx, Unicamp e a Orbisat, também de Campinas, interior de São Paulo

Fonte: DefesaBrasil

EA-18G GROWLER PARA O BRASIL?

A Boeing revelou informações sobre a provável configuração para a exportação do EA-18G Growler que seria entregue sem o seu ITT ALQ-99 (pod de ECM capaz de embaralhar os radares inimigos

Em vez disso, a nova variante levaria uma variedade de sensores de vigilância e sinais inteligência, incluindo o Northrop Grumman ALQ-218 (V)2, um receptor de rádio frequência, e o Raytheon ALQ-227 para contramedidas de comunicação utilizado para a vigilância eletrônica.

O radar Raytheon APG-79 (AESA) pode ser adaptado para embaralhar informações enviadas por emissores de banda X, esse seria também parte do pacote de exportação, o sensor também pode ser usado para localizar geo-emissores variando de sensores de controle de incêndio e até de telefonia móvel.

A aeronave de exportação poderá ainda ser usada para destruir defesas aéreas transportando para isto as armas como o míssil anti-radiação Raytheon AGM-88/88E.

A Boeing ainda não está visando modificações especiais do EA-18G para clientes específicos, mas está oferecendo a aeronave para alguns países, incluindo Austrália, Brasil, Índia e Japão, entre outros, para posterior exportação assim que as vendas dos F/A-18E/F Super Hornet forem sendo concretizadas.

Fonte: FlightGlobal

MARRUÁ PARA O EQUADOR

A Agrale fabricante nacional de veículos, vendeu um lote de 18 unidades do Agrale Marruá para o Exército do Equador. Os veículos, do modelo AM10 – Rec Euro II, serão utilizados na fronteira norte do país, na divisa com a Colômbia.

Desenvolvido no Brasil para atender às Forças Armadas nacionais, o Agrale Marruá tem gerado vendas para exércitos de outros países, devido à sua versatilidade, robustez e baixo custo operacional. Recentemente, a Agrale entregou também 18 unidades do Marruá para o Exército da Argentina, para serem utilizados na missão de paz da ONU no Haiti.

Os Agrale Marruá AM 10 – Rec Euro II vendidos para o Equador são veículos de reconhecimento equipados com reparo para metralhadora de calibre 7.62 ou 0.50, com 360º de giro. Com motorização diesel de 132 cv (Euro II), transportam até cinco ocupantes e possuem PBT de 3.500 kg, com capacidade de carga de 750 kg, mais reboque militar de 750 kg, em qualquer terreno. Os modelos apresentam elevada robustez, velocidade máxima de 128 km/h (com velocidade mínima controlada de 4 km/h), fácil manutenção e autonomia de combustível de 700 km.

Produzido pela montadora na cidade de Caxias do Sul (RS), de acordo com as especificações das Forças Armadas, o Agrale Marruá conta com 100% de componentes nacionais. A Agrale também comercializa os Marruá desenvolvidos para uso civil em serviços severos como na mineração, manutenção de redes e reflorestamento, entre outros.

Fonte: Alide

BRASIL EXPULSARÁ ONGs QUE ATUEM DE FORMA IRREGULAR NO PAÍS

BRASÍLIA – Suspeita de incentivar estrangeiros a comprar terras na Amazônia pela internet, a organização não-governamental Cool Earth – controlada pelo polêmico milionário sueco Johan Eliasch – deverá ser expulsa do país junto com outras 106 entidades estrangeiras que deixaram de se recadastrar no Ministério da Justiça. Apontada em levantamento da Agência Brasileira de Inteligência (abin), a ONG está sendo investigada pela Polícia Federal por supostas irregularidades na compra de 160 mil hectares de terra no estado do Amazonas. Eliasch, que se notabilizou como conselheiro do primeiro-ministro britânico Gordon Brown, irritou o governo brasileiro ao sugerir que se outros empresários europeus seguissem seu exemplo, a Amazônia poderia ser comprada por US$ 50 bilhões.

O secretário Nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, disse ontem que o novo cadastro, cujo prazo se encerrou no dia 2 de fevereiro, traz como novidade uma depuração radical no quadro de ONGs estrangeiras que atuavam no Brasil. Das 170 que estavam registradas no ano passado, apenas 63 se apresentaram ao Ministério da Justiça ou encaminharam à documentação pelo correio. E o mais estranho: nenhuma das que estavam sediadas na região Norte se recadastraram. As entidades que receberão autorização do Ministério da Justiça para funcionar em áreas indígenas e ambientais ficarão obrigadas a partir de agora a prestar contas sobre o trabalho que desenvolvem na região.

O governo não está criminalizando as ONGs estrangeiras, mas pondo ordem na casa. A Amazônia agora terá porta e porteiro – disse o secretário ao criticar os ambientalistas internacionais cujo discurso de preservação se fundamentava no argumento de que a região era terra sem dono. Embora ainda não tenha um levantamento completo sobre as razões das desistências, Tuma Júnior acha que boa parte das 107 entidades que deixaram de se recadastrar estavam atuando de maneira irregular junto às comunidades indígenas ou na preservação do meio ambiente.

As denúncias que chegaram ao Ministério da Justiça e que motivaram as investigações apontavam que muitas entidade estavam impondo rituais religiosos estranhos à cultura de tribos amazônicas. Outras, sob o pretexto de defender o meio ambiente, promoviam a biopirataria, desviando para fora do país recursos naturais como ervas medicinais e minério de valor estratégico.

Num outro grupo estão as entidades estrangeiras que adquiriram grandes extensões de terras a pretexto de proteger a floresta. Segundo o Ministério da Justiça, esse era o caso da Cool Earth. As investigações em curso e o processo de regularização fundiária da região, apelidado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) como Terra Legal, vão apurar as condições em que o empresário Johan Eliasch adquiriu as 160 mil hectares nos municípios de Itacoatiara e Manicoré, no Amazonas. O limite do módulo fiscal na região é de, no máximo, 2.500 hectares. Acima disso, só com autorização do Congresso Nacional. Mesmo as entidades que pediram o registro dentro do prazo passarão por uma filtragem antes de receber autorização para atuar em áreas indígenas ou reservas ambientais.

Fonte: Jornal do Brasil

O RETORNO DO SU-35 E EUROFIGHTER?

Uma declaração do ministro Nelson Jobim (Defesa) em um programa oficial de rádio admitindo a reinclusão de dois concorrentes eliminados da concorrência para o fornecimento de 36 aviões de combate para o Brasil, colocou em polvorosa a FAB e os finalistas do chamado F-X2.

Disse Jobim no “Bom Dia, Ministro”: “Ontem (4/2) eu recebi no Ministério da Defesa a visita da Rosoboronexport, que é a empresa russa que elabora o Sukhoi (…) e deseja trazer complementos para ver a possibilidade de ser reexaminado, eu disse que era possível trazer esse material e que a FAB examinaria. O mesmo se passou com os europeus, os italianos em relação ao Eurofighter. Ou seja, nós teremos lá por julho, agosto, nós vamos ter uma decisão final das opções técnicas da FAB, para depois tomarmos a decisão política”.

Jobim fala em analisar as propostas do russo Sukhoi-35 e do consórcio europeu que faz o Eurofighter (representado pela Itália), “por julho, agosto” -ou seja, quando a FAB pretende apresentar o relatório final.

A Rosoboronexport confirmou que irá enviar os novos dados. A Folha apurou que em Moscou a expectativa não é tanto de uma virada de mesa, mas de embaralhar o processo. Uma eventual análise de sua proposta fora da seleção é vista como senha para o questionamento político do F-X2 -juridicamente, por ser uma compra militar dispensada de licitação, há poucas opções de recurso. Os italianos, cujo representante não foi encontrado, não têm esperanças reais.

Mas se houver a confusão, os preteridos tendem a ganhar: se não fechar o negócio até o fim do ano, a FAB terá dificuldade de fazê-lo no ano eleitoral de 2010. E a novela poderá ser reiniciada, como na primeira versão do F-X, cancelada em 2005.

Fonte: Blog Defesa BR

CANCELADO O PROGRAMA DE REVITALIZAÇÂO DOS BLINDADOS M-113

A Diretoria de Manutenção do Exército Brasileiro informou aos representantes das empresas concorrentes à execução do programa de modernização das viaturas blindadas M-113B que o projeto, chamado de VBTP M113 BR, foi cancelado.

De acordo com o comunicado, os trabalhos da comissão especial criada para selecionar a empresa vencedora não teriam atingido os objetivos inicialmente almejados “em função de inúmeros fatores externos ao Exército”.

A decisão de cancelamento do projeto poderia estar relacionada com os efeitos da crise financeira internacional. O Exército deverá convocar uma reunião decisória a fim de tratar do aperfeiçoamento das viaturas blindadas M113 B, o que poderia ser o indício de uma solução interina, como foi o caso das viaturas Cascavel e Urutu, que desde 2002 passam por lento processo de revitalização no Arsenal de Guerra de São Paulo.

As empresas que enviaram ao Departamento Logístico do Exército suas propostas financeiras e seus projetos preliminares foram: BAE Systems; Brasília Motors LTDA; FFG; Fundação Ricardo Franco – FRF/IME; e Medianeira Mecânica e Implementos LTDA.

Fonte: Tecno&Defesa

shared on wplocker.com