Defesa & Geopolítica

Fabricante de aviões da Ucrânia se volta para o Oeste e assina acordo com a Americana Boeing

Posted by

 

Autor:  Matthias Williams; Edição por Alexandra Hudson

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

KIEV (Reuters) – A fabricante de aviões ucraniana Antonov, conhecida por produzir a maior aeronave do mundo, planeja retomar a produção em série de suas aeronaves até o final do ano que vem, graças a um acordo com a gigante do setror aeroespacial americana Boeing que acabará com a dependência de Antonov da Rússia. 

As relações entre a Ucrânia e a Rússia entraram em colapso após a anexação da Criméia em 2014 e a Antonov, que importava mais de 60% dos componentes de seus aviões da Rússia, interrompeu a produção em série dois anos depois. 

A empresa planeja construir oito aviões por ano graças a um acordo com a Aviall, a unidade de equipamentos e serviços da Boeing, com os dois ou três primeiros aviões prontos até o final de 2019, disse à Reuters o presidente da Antonov, Oleksandr Donets. Ele não deu detalhes sobre futuros clientes. 

Os principais mercados de vendas de Antonov foram a Rússia, as antigas repúblicas soviéticas e a África. As empresas vão instalar em conjunto instalações de armazenamento na Ucrânia até novembro, disse ele. 

“O acordo com a Aviall nos deu dois ganhos. Estamos montando um depósito conjunto, localizado no território ucraniano na cidade de Gostomel… Este armazém vai lidar com produtos, materiais, metais, não-metais – com todos os componentes que não podemos obter do nosso ex-parceiro, a Federação Russa… O armazém  a ser financiado pela Aviall pode custar dezenas de milhões de dólares”, acrescentou Donets..

A Antonov foi fundada em 1946 e fabricou cerca de 30 tipos diferentes de aviões, incluindo os dois maiores aviões de carga aérea – o An-124 Ruslan e o An-225 Mriya.

O Mriya, construído em 1988 para o programa de ônibus espaciais soviético, ainda é o maior e mais pesado avião do mundo, capaz de transportar uma carga de até 250 toneladas.

Os líderes da Ucrânia estão empurrando o país em um caminho pró-ocidental, aspirando a se unir à União Européia e à Otan, cortando o comércio e os laços diplomáticos com a Rússia e se afastando da dependência de Moscou em setores como defesa e energia. 

A Ucrânia não importa mais nenhum gás diretamente da Rússia e em julho completou outro marco, pois, pela primeira vez, uma unidade de uma de suas usinas nucleares estava totalmente carregada com combustível da empresa americana Westinghouse, e não da Rússia. A Aviall apoiará o novo programa de manufatura da Antonov para construir os aviões AN-1X8 e terá direitos exclusivos para ajudar a atender os aviões, disse Donets, prevendo que a Aviall comprará peças dos Estados Unidos, Canadá, Israel e Europa. A Antonov também quer que a Aviall adquira equipamentos para a Antonov produzir mais peças domésticas, disse ele.

A concorrente da Boeing, a Airbus, também fez uma recente incursão na Ucrânia, anunciando um acordo em julho para vender 55 helicópteros ao Ministério do Interior para missões de busca e salvamento, serviços públicos e serviços médicos de emergência.

 

Fonte: Reuters

12 Comments

  1. Soros conseguiu, a Ucrânia virou pro-ocidente. Mas tomara q seja para o bem, na vdd. Antes parecia uma piscina de corrupção, igual a uma certa república das bananas. Tomara q n se torne progressista demais. Que tal uma nova Polonia? É sonhar demais?

    • Perderam seu principal mercado e cliente agora vai viver de migalhas do ocidente. Bem feito para os fascistas.

      • Acho que os EUA não deveria se envolver nessa questão! Isso é assunto pra Ucrânia e Rússia resolverem entre eles

      • Perfeito ! E a Boeing fazendo a Política atual dos EUA , avançando para tentar Monopolizar a indústria aeronáutrica, vamos ver se com a Ucrania o Acordo também proposto será Caracu !

    • Uma nova Polônia na Ucrânia? Bem que eles merecem mas infelizmente não. Ali é território de globalistas agora.

    • tassios
      “Que tal uma nova Polonia? É sonhar demais?”
      É possível, mas vão ter que resolver a questão da piscina de corrupção que ainda existe, já que o maior motivo de se desvincularem dos Russos foi por uma certa “falta de compatibilidade”. O pessoal que encabeçou a revolta é tão corrupto quanto, e tal como seus antecessores não são abrem mão do sistema. Esta ai um pepino (a corrupção) que eu quero ver como a UE/OTAN/EUA vão resolver, vide exemplo da Itália que tem uma bela mafia em casa e ninguém põe a mão.

      * algo que não podemos ignorar vai ser o comportamento Russo diante da Ucrânia (ainda corrupta), acredito que vão intensificar a campanha para a desestabilização do Pais. A troca de amores entre Putin e Donald Trump lá na Finlândia pode ter sido a deixa para deixar a Ucrânia que se lasque.
      ** o povo Ucraniano infelizmente paga pelas suas escolhas, por pura falta de opções. Durante a segunda Guerra abraçaram os nazistas para fugirem de Stalin, deu no que deu.

      Sds

      • HMS TIRELESS says:

        Talvez você preferisse que a Ucrânia permanecesse como puxadinho da Rússia não é meu caro Muttley? E por falar em “povo pagar por suas escolhas” vale o mesmo para o povo venezuelano ou você acha que Maduro é uma vítima injustiçada?

      • HMS TIRELESS says:

        Enquanto isso aqui no Brasil há quem queira deslegitimar o combate à corrupção não é mesmo!?

      • jose luiz esposito says:

        Bem o Leste da Ucrania já esta separa pelos seus habitantes, todos praticamente russos , o anteparo para Defesa da Rússia foi estabelecido , adiante o restante ficará mais fácil , já o Acordo Boeing X Antonov será realmente um Acordo , não o que estamos vendo no Brasil , um Acordo Caracu !

  2. HMS TIRELESS says:

    Um An-124 equipado com motores CF6-80 e aviônica ocidental pode ser bastante competitivo

  3. Cláudio Severino da Silva says:

    Talvez, agora, o An-70 ressucite e faça uma concorrência ao C-130!

shared on wplocker.com