Defesa & Geopolítica

Exército Brasileiro interessado em Viaturas de Socorro e Recuperação Oshkosh HEMTT M984 Wrecker-Recovery Truck.

Posted by

Segundo informações o Exército Brasileiro solicitou ao governo americano um processo de compra para 10 veículos usados Oshkosh HEMTT( Heavy Expanded Mobility Tactical Truck. ) M984 8×8 na configuração Wrecker-Recovery Truck, por intermédio do Programa Foreign Military Sales (FMS). As viaturas serão utilizadas pelo Exército Brasileiro como  Viaturas Socorro e de Recuperação em apoio as unidades mecanizadas da Força Terrestre. Ao que parece o processo de aquisição está sendo negociado pela Comissão do Exército Brasileiro em Washington junto ao diretamente com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD).

Periodicamente, o Exército dos Estados Unidos desativa parte de seus equipamentos de defesa considerados como excedentes e propõe a transferência do material a nações parceiras.  O investimento poderá ser feito por meio do Projeto Estratégico Obtenção da Capacidade Operacional Plena (OCOP), cujo objetivo é dotar as unidades operacionais do Exército com material de emprego militar, para atender as demandas de defesa do país.

Acordos de transferência de equipamentos militares entre os Estados Unidos e o Brasil já existem desde o início da década de 50, período posterior ao fim da 2º Guerra Mundial.

Desde 2012, as transações entre os Estados Unidos e o Brasil, especificamente no que se refere a viaturas blindadas cessadas ao Exército brasileiro, são custeadas pelo Projeto Estratégico OCOP, incluindo aí não só os investimentos com transporte, mas também com a modernização e a revitalização dos equipamentos.

Existe a opção de cabine blindada para o veículo


18 Comments

  1. Pergunta não daria para desenvolver e construir um veículo desses aqui no Brasil deixando a cargo da Avibras por exemplo que sina e essa do EB sempre pegando Refugo sobras dos EUA meu Deus do Céu que síndrome de Mendingo e essa da ate vergonha desse EB

    • Na minha opinião não e uma tecnologia avançada que careceria de desenvolvermos. Seria um projeto caro em comparação ao preço da compra via FMS. Que e “quase” grátis. Mas Seri interessante está base num sistema ASTROS. Assim como as bases russas também.

    • O custo de desenvolvimento não compensa dado a pequena quantidade adquirida.

    • Investir milhares de reais de um orçamento já estrangulado com folha de pagamento e pensão dos inativos, para desenvolver um veículo, ao qual o exercito demanda de umas duas duzias de unidades? Não acho muito racional. Qualquer produto a ser desenvolvido para as forças armadas, tem que ser previstas demandas em escala para os mesmos e custos benefícios financeiros e “políticos”, caso contrario nós contribuintes pagaremos caro por esses produtos, e certamente ficaremos sem orçamento para continuação desses projetos, e para finalizar meus argumentos, não venderemos esses produtos para ninguém, exemplo dos helicópteros franceses montados aqui, pago a preços bem mais caros e que nunca venderemos para ninguém.

  2. Creio que daria pra Avibrás construir um veículo similar com base no chassi e cabine do Astros, mas não há demanda para tal e comprar apenas uma ou duas dezenas não justifica um projeto e produção,na minha visão é claro.

  3. Boa pergunta Joaquim, ia comentar a mesma coisa.
    Será que o EB/Avibrás não poderiam pegar o caminhão do sistema Astros (quem sabe uma versão com chassis 8X8) e baseado nesse veículo, desenvolver algo semelhante?
    Meu deus! Fico abismado com a falta de interesse em desenvolver soluções nacionais para problemas nacionais.
    Hoje em dia, só sabem adquiri, comprar usado, comprar projetos estrangeiros e replicar localmente.
    Estamos formando uma excelente leva de engenheiros de canetas (só servem para assinar).
    Saudades da época das empresas Engesa, Moto peças etc..

  4. Tem gente que pensa que criar uma linha de montagem para fabricar meia dúzia de viaturas específicas sai baratinho. Dai ficam nesse mimimi de “compra de material obsoleto” duzamericanos. Deviam pensar melhor antes de comentar sem bases no racional e no lógico. Aquela conversa do Brasil puftencia não cola mais. A realidade impede conversa mole de patriotismo infantojuvenil e de populistas mal intencionados.
    Essa mesma gente criticam os militares de antes mas não fizeram nem 10% do que eles realizaram no Brasil dos anos 70. https://www.youtube.com/watch?v=lETXPq-TVv0

  5. Capaz de sair mais barato que os Agrale Marruá do EB.

  6. Exatamente, Ghost. Custo x beneficio.

  7. Lucas Iglesias says:

    Agora só falta dar nome a que divisão do US Army o EB vai pertencer, porque os equipamentos já tem.

  8. alan leopoldo says:

    e os lançadores de ponte que o EB estava avaliando , alguma noticia ??

  9. EXILADO 19 de junho de 2018 at 20:56
    Tem gente que pensa que criar uma linha de montagem para fabricar meia dúzia de viaturas específicas sai baratinho. Dai ficam nesse mimimi de “compra de material obsoleto” duzamericanos. Deviam pensar melhor antes de comentar sem bases no racional e no lógico. Aquela conversa do Brasil puftencia não cola mais. A realidade impede conversa mole de patriotismo infantojuvenil e de populistas mal intencionados.
    Essa mesma gente criticam os militares de antes mas não fizeram nem 10% do que eles realizaram no Brasil dos anos 70. https://www.youtube.com/watch?v=lETXPq-TVv0

    Se não percebeu, não critiquei os militares de antes, critiquei os de hoje.
    E esse papinho de que não compensa desenvolver para adquirir meia duzia, já passou de balela.
    Pois desenvolvendo além do mercado interno, temos a opção da exportação, vide exemplo do KC-390, ALX etc..
    Para mim esse papinho é mais que malicioso e atende a interesses que não os nacionais.
    E por ser baseado em uma plataforma que já existe ( caminha Astro 2020), o tempo de desenvolvimento e fabricação será ridicurlarmente menor.
    Pois sua linha de produção e montagem já existem.
    Ou seja, comentário de quem não tem conhecimento técnico!

    • Certo. Mas diga lá. Qual o chassis que o Astro 2020 usa? Criar um projeto, mesmo a partir de um chassis, que eu saiba, não nacional, ainda assim é um desperdício de tempo e dinheiro para uma necessidade de apenas 10 unidades que se pode adquirir a preço de banana.

  10. É exatamente isso que esse governo subalterno almeja… entregar tudo de mão beijada para os donos do dinheiro mundial, aqueles que imprimem moeda sem lastro como bem entendem e depois correm atras de guerra e exploração mundial para suprir a moeda e manter a farsa…

    Dólar ou melhor petrodolar por si só é um assalto ao mundo e o mais impressionante de tudo é que o FED, o banco central americano, que é quem realmente dita as regras inclusive para o presidente (e consequentemente para o pentagono) não é governamental e sim um grupo de bancos PRIVADOS !!! ou seja empresas controlam o país. E qual a principal meta de uma empresa?????

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com