Defesa & Geopolítica

Ex-presidente do Sindicato da Indústria Naval rebate crítica da Petrobras ao setor e adverte: segmento não precisa, nem mesmo, criar demanda, porque ela já existe

Posted by

Por Roberto Lopes

 

 

A coluna INSIDER reproduz artigo do ex-presidente do Sindicato da Indústria Naval Brasileira e ex-Secretário de Indústria e Comércio de Minas Gerais (1999-2003), Omar Resende Peres, em defesa da construção naval no país.

Eis o texto, na íntegra:

Por que a Indústria Naval deve ser forte

Por Omar Resende Peres

Foi na Ponta da Areia, em Niterói, que Irineu Evangelista de Sousa, o Barão de Mauá, fundou o primeiro estaleiro do Brasil, no Império. No século XX, o regime militar deu grande impulso ao setor, e o Brasil se tornou, nos anos 70, o segundo produtor de navios do mundo. No mesmo período, começamos o desenvolvimento tecnológico para a construção de plataformas de exploração de petróleo. Esse desafio nos tornou líderes e recordistas mundiais na exploração de petróleo em águas profundas, atingindo o recorde de sete mil metros de lâmina d’água, na Bacia do Pré-Sal.

Só isso já seria suficiente para incentivar nossa indústria naval, imprescindível para a indústria do petróleo. Mas o Brasil oferece outras razões para apoiar esse setor fundamental para a economia do Rio (e para o país), não deixando que desapareça a atividade que pode recriar, rapidamente, milhares de empregos.

São quatro premissas fundamentais para que qualquer governo, independentemente do matiz ideológico, entenda a importância estratégica da indústria naval e reveja sua posição, mantendo a política de conteúdo local:

1) temos um parque industrial que custou bilhões de dólares em financiamento público;

2) temos mão de obra qualificada e tecnologia nacional disponíveis. Não se forma gente qualificada de um dia para o outro, e hoje somente em Niterói e região calcula-se haver mais de 50 mil as pessoas demitidas pelos estaleiros;

3) recursos financeiros disponíveis através do Fundo de Marinha Mercante e, por fim, o mais importante;

4) demanda não induzida. Em outras palavras, o Brasil precisa de todos os tipos de embarcações e equipamentos para a exploração de nosso petróleo (navios, plataformas, barcos de apoio etc.). Neste caso, não estamos criando encomendas! Elas existem e são imprescindíveis para as petroleiras. Se não forem encomendadas no Brasil, serão em Cingapura, Coreia, China, Japão etc., criando empregos lá e desempregando aqui. Simples assim.

A principal alegação da Petrobras é que “nossos estaleiros não entregam nos prazos contratados e que, aqui, os produtos finais são mais caros”. Isso está longe de ser verdade e, para tirar a dúvida, a Petrobras poderia publicar os preços das plataformas e outros equipamentos que comprou fora do Brasil nos últimos 20 anos e compará-los com os similares brasileiros. A estatal poderia dizer também quanto gasta, anualmente, em afretamento de plataformas, navios e todos os demais equipamentos.

A pressão das empresas internacionais que exploram petróleo em nosso país para acabar com o conteúdo local tem um só objetivo: comprar e importar os equipamentos de seus próprios países, criando empregos e renda para seus nacionais (e com muito subsidio!), em detrimento de nosso desenvolvimento e à custa do desemprego de milhares de brasileiros.

E assim fazem todos os países que têm políticas para defender o emprego e a renda de suas economias: “Primeiro eu, depois nós…” Dou como exemplo o jovem presidente francês, Emmanuel Macron, para muitos brasileiros o símbolo da modernidade. Pois saibam, então, que ele acaba de estatizar o STX, o principal estaleiro francês, para evitar que a empresa seja comprada pela estatal italiana Fincantieri. Diz o ministro da Economia da França, Bruno Le Maire: “O único motivo da estatização é defender os interesses estratégicos franceses na construção de navios” .

Esse é um bom exemplo a ser seguido pelo governo brasileiro e pela Petrobras: modernidade na gestão da coisa pública e dos interesses do Estado é também sinônimo de defesa do mercado, do emprego e das riquezas de nosso país. No Brasil, não precisamos estatizar estaleiros. Basta sermos um pouco mais brasileiros”.

Nota do Editor: O grifo no texto é de responsabilidade da coluna INSIDER.

35 Comments

  1. Pingback: Ex-presidente do Sindicato da Indústria Naval rebate crítica da Petrobras ao setor e adverte: segmento não precisa, nem mesmo, criar demanda, porque ela já existe | DFNS.net em Português

  2. Então tá, comecemos pela transparência:

    “a Petrobras poderia publicar os preços das plataformas e outros equipamentos que comprou fora do Brasil nos últimos 20 anos e compará-los com os similares brasileiros”

    É justo, assim saberemos qual é a real diferença de custo interno e externo. Com a palavra a Petrobras

  3. César Pereira says:

    Eu sempre defendi o produto nacional de ”qualidade”, mas infelizmente os homens que dirigem o Estado Brasileiro não tem compromisso com a nação e o povo, já querem acabar com a CLT e implantar a escravidão de novo,isso sem falar na destruição da indústria nacional !

    • Modernização da legislação trabalhista. Bem diferente da arcaica clt criada em moldes fascistas pelo ditador Getúlio. Mudaram até pouco esse Frankenstein burocrático legalista que não permite ao país crescer e gerar empregos, pois empregos não se cria através de leis. Mas isso é coisa pra quem tem isonomia moral e intelectual pra avaliar. Sorry.

      • César Pereira says:

        ”… empregos não se cria através de leis.”

        Quem falou isso para você,meu caro? Saiba que é justamente a lei quem cria emprego e os mantém,regulando o mercado,protegendo o trabalhador e os empregados ,além de resguarda as riquezas de uma nação !
        Quanto você diz que é necessário ter isonomia moral e intelectual pra avaliar avaliar isso ,eu diria que nem é essa a questão, há de ter sim sensibilidade e antes de tudo educação e humildade !
        Grande abraço !

        • “Saiba que é justamente a lei quem cria emprego e os mantém,regulando o mercado,protegendo o trabalhador e os empregados ,além de resguarda as riquezas de uma nação !” PENSAMENTO SOCIALISTA TACANHO. Por isso estamos patinando a DÉCADAS.

          HUMILDADE É PARA OS FRACOS.

          Saudações.

      • Por favor, indique onde a CLT é esse “modelo fascista getulhista” que o senhor vem falando, mas sem utilizar pseudo conhecimento sem aparo histórico vide MBL.

        E favor apresentar números que indique que a geração de empregos ou não é culpa da legislação e não da falta de crescimento econômico. Economia está que está amparada na exportação de produtos primários sem valor agregado.

        E ainda vem falar de “isonomia moral e intelectual pra avaliar”… chega a dar pena

        • Meu caro Fabio Vargas, você se denomina “Jurista” mas comete alguns deslizes que terminam por colocar em xeque a assertiva. Basta lembrar quando afirmou que o Irã, Estado teocrático que resvala no fascismo, seria uma democracia. Mais adiante aduziu que contratos administrativos são redigidos pelo particular, o que afronta a Lei 8.666/93, especialmente os arts. 54 e seguintes do aludido diploma legal.

          Quanto ao caso em tela, o João não está de todo errado visto que a nossa CLT data do ano de 1943, portando dos tempos do Estado Novo de Getúlio Vargas, cuja ideologia era predominantemente fascista, e foi inspirada na Carta del Lavoro de 1927, onde o ditador Benito Mussolini buscou regular as relações de trabalho na Itália fascista. Ou seja, não se trata de “pseudoconteúdo do MBL” mas sim da história…..
          .
          Já no que diz respeito à nossa atual crise econômica, é resultante do desmonte de um sofisticado esquema de corrupção travestido de projeto desenvolvimentista…

          • Prezado S-88
            O Sr. consegue ser extremamente impreciso em suas colocações… Mas vamos por partes.

            Em relação a Lei 8666, referente a uma postagem anterior referente a não entrega de material solicitado pelo estado, o Sr., por ignorância ou má fé, se utiliza do artigo errado da lei, uma vez que estamos falando de “responsabilidade da vendedora”, ficando esta ligada ao contrato assinado entre as partes.
            l. 8666/93, artigo 55, inciso VII
            “Art. 55. São cláusulas necessárias em todo contrato as que estabeleçam:
            VII – os direitos e as responsabilidades das partes, as penalidades cabíveis e os valores das multas;”
            A não existência de clausula de devolução de lote fora das especificações inviabiliza está questão.

            O Sr. teima em alegar, mesmo que sem base, que a República Islâmica do Irã não é uma democracia, mesmo com a existência de eleições periódicas, participação popular, representantes eleitos no parlamento e tudo mais.
            Ficando claro que o Sr. não quer ou não aceita este fato. Porem pouco importa as opiniões/preconceitos de particulares, navio que segue.

            E para finalizar, assim como muitas pessoas com pouco ou nenhum conhecimento histórico/jurídico, o Sr. teima com a falacia ” a CLT é fascista, a CLT é ultrapassada pois foi promulgada em 1943″
            Gostaria que o Sr. indicasse qual ou quais artigos da atual CLT estão com a mesma grafia da época de sua promulgação, quais artigos (mesmo que a doutrina e a história dizendo o contrário) apresentam a ideologia fascista da Carta del Lavoro de 1927.

            Fora isso Sr. espero, encarecidamente, que consiga tratar as questões da vida sem tanto preconceito e limitações políticas e ideológicas.

          • É meu caro Fabio Vargas, pelo visto você além de cometer o equivoco não tem coragem de assumi-lo. Na matéria acerca da não entrega de material encomendado pelo Governo do Estado de SP você atribuiu o fato à péssima redação do instrumento contratual, e que essa atribuição seria do particular. E eu mostrei que a Lei 8.666/93 veda essa prática, E nesse sentido a praxe administrativa é que os órgãos utilizem minutas elaboradas pelas respectivas Procuradorias. E ainda assim você insistiu no erro.

            Ao justificar que o Irã seria uma democracia apenas pela existência de eleições periódicas, participação popular e representantes eleitos no Parlamento você mostra defender um conceito equivocado e superficial do que seria democracia. Aliás o seu conceito é o mesmo que os incautos e os mal intencionados usam para tentar justificar que haveria democracia na Venezuela. Ocorre que democracia vai muito além disso e passa pela independência entre os poderes, que se harmonizam entre si no sistema de Check and balances, com especial destaque para o judiciário posto ser a última trincheira do cidadão frente o arbítrio do Estado, Igualdade formal e substancial e isonomia entre homens e mulheres nos direitos e obrigações e liberdade de imprensa. E nada disso que acabei de citar existe no regime iraniano.
            .
            Ademais, e demonstrando sua Má-fé, vem atribuir a mim concordância plena com a afirmação do colega João. Deve ser déficit de compreensão e interpretação de texto. O que eu afirmei é que o colega João não estava de todo errado visto ter sido a CLT editada na vigência de um regime de inspiração fascista e baseado em um documento originario de um regime fascista.

            Por fim, como se vê quem trata das questões da vida com preconceito é você, tanto que tentou associar o colega aos expedientes do MBL (como se os grupelhos de esquerda na linha do MTST do Guilherme Boulos não fossem semelhantes). Quanto às suas limitações de conhecimento jurídico, elas ficaram ainda mais claras…

          • Se o Sr. acha mesmo que as minutas são das procuradorias, sem a existência de interesses internos e externos, ignorando o fator político e econômico dentro da organização estatal, ok, vida que segue.

            Se o Sr. acredita no mito dos “Freios e contrapeso” apresentado pelas teorias de Montesquieu, ok, vida que segue.

            Se o Sr. acredita que o Maduro, mesmo estando dentro das previsões da Constituição da Venezuela, tendo sido eleito por mais de 50% dos votos, respeitando os ritos previstos, perdendo mais da metade dos acentos da constituinte para a oposição, ignorando que a Venezuela tem a maior reserva de petróleo do mundo e, portanto, inúmeros interesses externos jogando nos erros idiotas do executivo daquele país, que ele é um Ditado, ok vida que segue

            E para finalizar, se o príncipe acha tudo isso, ok, vida que segue

    • jose luiz esposito says:

      Meu amigo a reforma Trabalhista esta aí , não se implantou Escravidão e não se acabou com a CLT , aprenda a ter Visão e tirar o Brasil das Corporações , da Ação de Sindicalistas Vagabundos e da OAB . Um exemplo , era andares em São Paulo ali pela Sé e imediações , era interpelado por Agentes de ** ADVOGADOS **, que te perguntavam , Tens alguma coisa contra teu Patrão ou não queres Tirar algum de Teu Patrão ? Vamos lá no **Doutor que ele estudará uma Forma !

      ** DOUTOR , somente no BRASIL , Advogado é DOUTOR , até isto é Palhaçada !!

  4. Furia Nordestina says:

    E muito revoltante o que esse governo está fazendo ao invés de apoiar e fomentar a nossa indústria naval simplesmente a boicota em favor das estrangeiras e por isso que digo esse governo e uma porcaria que so vai levar o Brasil pro abismo social e Econômico e para total desindustrialização do nosso pais Fora Temer e leve a corja golpista com você.

    • Devias se denominar “fúria burrista”. kkkkkkkk. Por a culpa nuzamericanos vai nos salvar da bancarrota por causa de uma economia planificada na marra através uma legislação trabalhista e tributária socialista burra. O seu socialismo é a condenação daquilo que vc tenta salvar com a língua e não com fatos.

      • Onde nossa legislação “trabalhista e tributária socialista burra” é assim!?
        Falta conteúdo em sua argumentação (se é que pode ser chamada assim) e sobra preconceito

        • “TENHO PRECONCEITO COM A DESINTELIGÊNCIA.” João.

        • Então vamos lá, sabichão: procure uma economia DEMOCRÁTICA no mundo que esteja crescendo sem ações totalitárias do Estado e veja que NENHUMA tem confisco através de impostos escorchantes para com a sociedade e também deixa que a relação trabalho/emprego siga livre entre patrões e empregados. Sugiro vc acompanhar algumas preleições de pessoas ligadas ao liberalismo e verificará que a economia socialista JAMAIS deu certo em país algum; muito pelo contrário; onde o Estado concentra poder a miséria grassa. É HISTÓRICO. E contra FATOS não há argumentos. Vai uma dica ai: https://www.youtube.com/watch?v=d71nTBc8vgw

          • Mas quem falou de socialismo?

            Onde existe confisco na legislação tributária?
            Você está confundido regulamentação com ações totalitárias?
            relação de trabalho e emprego livre? Veja a história da Coreia do Sul e tire suas conclusões

            Mas, antes de qualquer coisa, o Liberalismo é uma grande farsa, é uma ideia vendida por países que esgotaram seu mercado interno e que buscam novos mercados

            https://voyager1.net/economia/o-mito-sul-coreano/

          • Filhinho, qualquer imposto acima de 25% é considerado CONFISCO. Te cozinharam no socialismo e vc nem percebeu. Saudações.

          • Então a China atual pode ser considerada liberal? rsrsrssrsrsrsrsrsssssss. Nem perco mais meu tempo.

  5. Francisco Braz says:

    É… Existe uma demanda reprimida na área naval brasileira. O que o sindicalista esqueceu de dizer é que esta demanda está sendo suprida por estaleiros internacionais, que o dito investimento público foi parar no bolso de políticos por propina paga, que as intervenções dos sindicatos já geraram o cancelamento de navios ou elevação dos custos destes. O sindicalismo não é um demônio a ser exorcizado, mas deve ser mais profissional e menos idealista. O patrão precisa ganhar e nem tudo que o trabalhador deseja ele tem direito ou é merecido. Enquanto só olharem para os próprios umbigos o setor não avança, ainda que haja demanda.

    • Colocastes as coisas como são e não como uns atrasados teimam em transformar em utopia destruidora do esforço nacional em desenvolver a nação.

  6. Claudio Moreno says:

    Olá Senhores bom dia!
    Roberto inicialmente desejo parabenizá-lo pelas excelentes reportagens exibidas recentemente com o Cmt de nossa MB e demais reportagens correlacionadas, anteriormente não houve tempo para parabenizá-lo mas estou corrigindo meu débito neste momento.

    Quanto ao tópico em questão, infelizmente o negócio é simples assim:
    1) – Não temos prazos…(vide o tempo que gastou para se construir o Tikuna e mais absurdamente a Barroso)
    2) – Não existem garantias de financiamento ou mesmo de recursos federais para o subsídio da construção.
    3) – Por conta do acima dito, não há encomendas!
    4) – E finalmente por conta de tudo o mais acima mencionado, não temos pesquisa, investimento universitário, divulgação da mentalidade naval e interesse das novas mentes em desenvolver-se no ramo. Os jovens que aqui postam são exemplos disso…passam o dia na net e demais redes sociais, daí partem para o desenvolvimento de softwares, hardwares, redes e atividades ligadas ao ramo, pois este é o caminho para o sustento de suas famílias.

    Penso que para voltarmos a ficar pelo menos a sombra do que fomos na década de 70 teríamos que iniciar com investimentos altos e contínuos por pelo menos duas décadas e encomendas firmes garantidas por outras duas. Sem falar na redução significativa de impostos em toda a cadeia produtiva.

    CM

    • jose luiz esposito says:

      O Estado brasileiro inchado Surrupia a Nossa Economia e depois vem com a Conversa que o nosso Produto ( neste caso o Naval ) é caro , e devemos fazer encomendas no Exterior . Aí os Comentários é que devemos ter um controle do Estado na Política Industrial ( coisa que não temos ) e de outro lado os Comentários que o Produto Nacional é Caro, porém ninguém põe o Dedo na ferida , se o Produto é Caro , grande parte de seu Valor retorna ao Estado para Financiar as Corporações ,que não se Preocupam conosco o BRASIL verdadeiro , Penso que para a Construção Naval , deveríamos criar em suas Instalações e Entorno , ZPEs , que receberiam aço , motores , guinchos e maquinas em geral , isentas de impostos de exportação pelo Próprio Brasil e depois importaríamos o Produto Final pela Metade do Preço. Criamos ZPEs a um tempo atrás , a China avançou com elas e nós estamos aqui discutindo , quem tem Razão o Estado brasileiro Desgraçado , O Liberalismo Idiota , ou as Corporações ( estas realmente a Desgraça Nacional ) que deram o Golpe da Republiqueta e num crescente chegaram ao Auge da Desgraçadamente ,elas que fazem do Brasileiro escravo desde 1889 !!

  7. Vilson J Fadel says:

    Depois de ler este monte de comentários muitos um tanto agressivos,faço uma meia culpa e saio em defesa de Getúlio Dornelles Vargas,este foi um grande Brasileiro,que criou,CLT,Salário Minimo e que quando criado tinha um poder de compra muitas vezes superior do que tem nosso atual Salário Minimo.Tem ainda Siderúrgica Nacional,Senai,Algumas Hidroelétrica inicio da nossa industrialização,pois vivíamos a República do Café com Leite,eramos um pais agrário de subsistência para os pobres e Commodity Agrícolas Para os Barões Abastados do Eixo São Paulo,Minas Gerais.Tem mais aquele famigerado Prestes o fundador do Partido Comunista que com sua Coluna Prestes rodou o Brasil sendo sempre confrontando as forças Legalistas de Getúlio Dornelles Vargas Que no dia 8 de Agosto de 1954 Suicidasse,motivado pela acusação de que o seu chefe da Guarda Gregório Fortunato ter três dia antes cometido um atentado contra o seu arqui inimigo Carlos Lacerda Jornalista e proprietário do Jornal Tribuna da Imprensa,neste atentado quem acabou mortalmente ferido foi o Major da Aeronautica Rubens Vaz que acompanhava Lacerda.Neste dia fatidico de 8 de Agosto de 1954 morre nosso maior Brasileiro Getulio Dornelles Vargas.Eu lhes dei minha vida.Agora ofereço a minha morte.Nada temo,serenamente dou o Primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história. Brasil acima de tudo só abaixo de Deus.

  8. Não precisa modernizar a legislação trabalhista, já fui empresário e empresario algum vai contratar mais funcionários se não houver demanda de trabalho só porque ficou mais barato mandar o funcionário embora, a mão-de-obra faz parte do custo final do produto, mas o que encarece qualquer produto em maior ou menor grau, são os impostos, nos materiais e componentes que você compra para produzir, nas altas taxas de energia elétrica, no combustível, na nota de venda e imposto de renda sem falar nos impostos cascata que são cobrados varias vezes pelos fornecedores dentro da cadeia de produção, impostos federais, impostos estaduais e algumas vezes impostos municipais. Então é fácil enganar a população dizendo de que modernizando a CLT vai criar emprego afinal, ponham isso na cabeça ninguém contrata mais funcionário só por que ficou mais barato mandar ele embora, tem que ter serviço e se tiver serviço tem demanda e se tem demanda tem mais dinheiro entrando no caixa.
    O governo tem que diminuir os impostos para baratear os custos de produção e o preço final dos produtos vão cair e as vendas vão aumentar e tudo cresce.
    Agora se você acha mesmo que modernizando a CLT um empresa de ônibus que põem um motorista para dirigir e cobrar a passagem vai voltar a colocar cobradores nesses ônibus só porque ficou mais barato mandar eles embora?

    • A legislação trabalhista anacroniza é uma parte do problema. Vc descreveu bem a nossa realidade tributária. Se um país quiser acabar com uma economia concorrente, incentive a mesma via infiltrados 5° coluna a odiar a classe empresarial, os ricos, os que sobressaem pela capacidade e acabamos em uma sociedade de INCOMPETENTES e CORRUPTOS. Pra ajudar a destruir ainda mais rápido tal sociedade, convença-os que os impostos mais altos irão igualar os pobres aos ricos e certamente conseguirão isso, ou seja, todos se tornarão pobres. É a cara do BRASIL atual. E foi assim que infiltrados a serviço dos banqueiros judeus de NY convenceram o povo russo do século passado que a utopia socialista iria acabar com a pobreza deles. E a história comprovaria mais tarde que a pobreza deles iria se transformar em miséria e morte nas mãos dos comunistas. Conseguiram transformar um país próspero como a Rússia czarista em uma nação de horrores e miséria. É o que querem por aqui também. Na Venezuela já conseguiram. Em 1990 eram a maior economia da AL. Hoje só ganha de cuba e haiti.

    • Vilson J Fadel says:

      Concordo com vc Gilbert,e acrescento acabe com as Mordomias dos políticos e magistrados,reduzam a dois ou três partidos políticos,metade de deputados e vereadores em todo o Brasil,e acabem com o cabide de empregos,endureçam as penas por crimes e acabem com as atenuantes penais este pais viraria um foguete rumo ao crescimento econômico sustentável,sonhar é bom.Brasil acima de tudo só abaixo de Deus.

    • Francisco Braz says:

      Gilbert… Vejo nos noticiários que o Revelion do Rio de Janeiro está ameaçado por falta de patrocínio e isso tem deixado os empresários preocupados. Bom, se estão tão preocupados com a falta que a festa faz ao seu caixa, por quê não patrocinam o evento em vez de esperar que o governo o faça ou que outras empresas de outras áreas façam isso?
      .
      Este é o problema, ou melhor um dos problemas, da nossa economia. A maior parte dos empresários não investem em seu próprio negócio, operam no mercado financeiro, atrás de lucro fácil. Sim, os impostos são sufocantes por quê, além da corrupção que campeia, o governo assume muitas das funções dos empresários. Quem disse que é o governo que tem que financiar o Carnaval?? Por quê quem ganha não o financia?
      .
      Reforma da previdência mexe com todos, exceto os políticos. Os empresários reclamam da enxurrada de impostos, mas se aplicar parte do lucro no próprio negócio, em vez de viajar pra Disney, possibilita a compra em quantidade e pode negociar preço.
      .
      Se cada um fizer a sua parte, cuidar e lembrar de seus deveres e direitos, o Brasil já seria uma super potência. Mas aqui todos se preocupam com seus direitos, mas os deveres… Nem tanto.

      • jose luiz esposito says:

        Os Empresários pelo contrário , sempre Patrocinaram e Prestigiaram ,mas agora temos um Muquirana como PREFEITO e Demagogo , veio com a Conversa que tiraria a Verba para as Creches , completa Mentira ,os Empresário não podem fazer tudo , deve haver uma parte da Prefeitura ,já que no meses próximos e no Carnaval a Arrecadação da Prefeitura Dispara .
        Espere no Carnaval este Imbecil do Prefeito não for Viajar, ele é Prefeito fazendo Demagogia para sua Igreja , somente ! Apenas este Sujeito foi eleito porque as outra opção ,seria Enterro final do Rio de Janeiro .

      • jose luiz esposito says:

        Reveillon e o Carnaval , o Rio de Janeiro com Crivella esta a Deriva , depois de Cem anos com Pereira Passos e agora com Paes , temos isso !

  9. andrepoa2002 says:

    Curioso, o presidente do sindicato (ARGH) parece contrariar a percepção de uma simples dona de casa que nota que roupas compradas da China via internet, são mais baratas que as vendidas na C&A. A industria nacional é sim ineficiente. Em parte pela má educação dos brasileiros, margens de lucro maiores do que no exterior e impostos abusivos. Some-se a isso a cultura do jeitinho e políticos ladrões e teremos uma bela porcaria.

    • OBLIVION - Não pode um homem ter melhor morte que, lutando contra o desconhecido, pelas cinzas de seus pais e pelos templos de seu Deus! says:

      PLAC, PLA, PLAC, PLAC, PLA, PLAC, PLAC, PLA, PLAC… falou tudo…

shared on wplocker.com