Defesa & Geopolítica

ESPECIAL Reforço de peso! Exército colombiano gastará mais de USD 900 milhões para aumentar o poderio de sua Artilharia com as armas de 105 mm da BAE Systems

Posted by

O M-119 do Exército dos Estados Unidos

Por Roberto Lopes

 

 

O site colombiano Webinfomil.com informou, neste domingo (12.11), que o Exército colombiano está dando um importante passo no sentido de ampliar a revitalização da sua Artilharia rebocada ligeira e de alta mobilidade calibre 105 mm: o governo Juan Manuel Santos autorizou o investimento de 954,2 milhões de dólares (3.168.000.000 de pesos colombianos) na aquisição de (aparentemente) mais de uma centena de canhões BAE Systems tipo L119 (nos Estados Unidos mais conhecido como M119).

De acordo com fontes da imprensa colombiana não especializadas em assuntos de Defesa, o número exato das peças adquiridas é considerado segredo militar, mas o valor do contrato inclui (1) a construção de um centro técnico especializado na conservação das novas armas, (2) equipamentos eletrônicos de orientação para o tiro e (3) numeroso ferramental para a manutenção dos canhões.

A arma em si está longe de ser uma novidade – sua época de maior fama foi no início da década de 1990, como digna sucessora do Oto Melara de 105 mm –, mas, por suas características de baixo peso (1,94 tonelada) e alta mobilidade, é especialmente recomendada para as chamadas “forças de intervenção rápida”.

Ela pode ser tracionada por um utilitário ligeiro 4×4, é fácil de usar (guarnição de 5 a 7 soldados), rápida ao fazer fogo (cadência de 8 disparos por minuto) e “dócil” no transporte por via aérea – seja embarcada em um cargueiro; seja suspensa no ar, como “carga externa”, por um helicóptero de médio porte, ou, simplesmente, lançada de paraquedas…

No item munição, é, igualmente, versátil: aceita todos os tipos de projetis standard Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e ainda os famosos M-1 para alcances entre 1,6 e 11,4 km, que se consagraram nas peças de 105 mm da Artilharia estadunidense, entre as décadas de 1950 e 1980.

Nessa lista estão ainda os projetis:

– M314 iluminativos;

– M60 fumígenos; e

– M760 HE de alcance estendido para 14,5 km.

Inventário – O Exército colombiano possui uma pequena variedade de bocas de fogo para a sua Artilharia de Campanha, mas todos os modelos foram adquiridos em quantidades pequenas – situação que será modificada agora, com a importação das peças L119.

A coluna INSIDER apurou que os 10 batalhões de Artilharia distribuídos por toda a Força Terrestre colombiana alinham, nesse momento:

– 20 obuses ligeiros de 105 mm Nexter LG-1 Mk. III, de fabricação francesa (os mais modernos dessa classe no arsenal colombiano);

– 75 peças M101 A1, também de 105 mm (as mais antigas desse calibre que se encontram em uso);

– 15 obuseiros pesados Santa Bárbara SBT 155/52 mm (para alcances entre 40 e 55 km); e ainda

Acima um obuseiro Santa Barbara de 155 mm colombiano; abaixo, a arma disparando

– 90 morteiros rebocados de fabricação turca HY-12 calibre 120 mm (foto), adquiridos nos anos de 2007 e 2009; e

– Morteiros pesados Brandt AM-50 também de 120 mm.

Brasil – Em meados de 1991 o Exército Brasileiro (EB) encomendou quatro peças da versão L118, que antecedeu a L119, mais conhecida como Light Gun (foto).

O material foi entregue em 1992, e agradou tanto nas provas de campo que, em dezembro de 1994, o EB encomendou mais 36 unidades. A primeira desse novo lote chegou ao Brasil no começo de 1995. Em seguida, o Corpo de Fuzileiros Navais comprou 18 peças L118 (foto).

Em julho de 1995 o Gabinete espanhol aprovou a encomenda de 56 Light Guns para serem usadas pelas Fuerzas de Acción Rápida de seu Exército.

 

O conteúdo deste artigo é de total responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do site.

19 Comments

  1. Pingback: ESPECIAL Reforço de peso! Exército colombiano gastará mais de USD 900 milhões para aumentar o poderio de sua Artilharia com as armas de 105 mm da BAE Systems | DFNS.net em Português

  2. Eduardo Morais says:

    Qual a diferença entre o L118 e o L119?

  3. Os colombianos não tem nada autopropulsado?

    • TukhAV ( 13 de novembro de 2017 at 11:47 );

      Há o ‘Joya SAA-1’, que faz uso de uma peça de 105mm montada em chassi de caminhão. São 6 sistemas até aqui, que passaram recentemente por provas.

      No mais…

      Matas fechadas, acessos difíceis, uma série enorme de elevações em duas cordilheiras entre o plano litorâneo e o interior do país e que literalmente corta-o ao meio; um relevo que é um pesadelo para manobras de cavalaria.

      Artilharia altopropulsada está longe de ser a maior das prioridades…

  4. O Brasil estava “olhando bem de perto” o sistema francês CAESAR.

    Esse obuseiro Santa Bárbara.Uau.

    • Thom,

      Até onde sei, esse sistema é terrivelmente caro… Se for para investir em algo como o CAESAR, mais lógico gastar um pouco mais e pensar em um ‘Msta’.

      Na real, M-109 dá e sobra para o que se oferece como ameaça em nosso continente.

    • Ricardo André says:

      CarosThom e RR ,
      A versão brasileira do sistema CAESAR, denominado TUPÁ seria montado pela AVIBRAS em uma plataforma ASTRO II, e diferente da versão francesa seria blindada, aerotransportado tanto pelo C 130 quanto pelo KC.390 e levaria uma quantidade maior de munição. Seria uma ótima opção para as FFAA, entretanto o projeto foi engavetado por falta de interesse do EB.

  5. É bom lembrar das operações com este tipo de equipamento nas Malvinas, segundo os relatos ele foi o principal responsavel pela vitoria britanica nas operações terrestres, seria interessante uma materia a respeito.

  6. Falando em artilharia, já que o EB foi no Tio Sam de pires na mão pedir uns M109, por que não voltar lá e pedir também alguns M198, que estão sendo encostados por lá, e aqui seriam mais dos que bem vindos por aqui?

  7. sergio ribamar ferreira says:

    Parabéns à matéria e aos comentaristas. Maravilha é à Artilharia…

  8. Este Santa Barbara é enorme, deve de ser bem efetivo, tem até um computador , deve de auxiliar no tiro,creio eu.

  9. Dizer que o Brasil está atrás da Colômbia e Venezuela em Armas de Artilharia de Campo e de Defesa Aérea. Complicado.

  10. O M198 (155mm) está na intenção do EB, via FMS.

  11. sergio ribamar ferreira says:

    Continuo reafirmando excelente matéria. Comentaristas de parabéns. Pergunto; Este Obuseiro Santa Bárbara é caro, fabricante? O M198 vai demorar? Obrigado.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com