Defesa & Geopolítica

Emirados Árabes pode apresentar ao EB proposta para veículos blindados Ajban 440A para serem usados na Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas de Estabilização na República Centro-Africana (MINUSCA).

Posted by

Após o Secretário das Nações Unidas oficializar o pedido formal para que o Brasil participe da Multidimensional Integrated Stabilization Mission in the Central African Republic (MINUSCA) com o envio de um contingente militar no valor de Batalhão, as Forças Armadas iniciaram uma séries de consultas e requerimento a fim de cobrir a falta de material adequado para a operação paz que sera realizada em um cenário mais complexo que aquele encontrado pelo Brasil no Haiti.

Várias propostas estão sendo apresentadas por nação amiga afim de equipar o os militares Brasileiros com material de segunda mão relativamente moderno com uma entrega em tempo hábil coisa que não seria possível com a aquisição de material novo de fábrica.

Umas das demandas encontradas pela Ministério da Defesa é o que diz respeito é a falta de uma viatura blindada leve 4×4. Para cobrir esta lacuna o MD já recebeu propostas da Itália para veículos LMV e dos EUA com veículos Humvee e Russia com veículos Gaz Tigr.

Porém após a visita do Ministro da Defesa Raul Jungmann aos Emirados Árabes Unidos o Governo local através do ministro da Defesa, Mohammed bin Ahmed Al Bowardi esta formalizando uma proposta de fornecimento de um número não especificado de veiculos blindados Ajban 440A. Os veiculos serão fornecidos dos estoques das Forças Armadas dos Emirados Árabes Unidos. Além dos veiculos os Árabes tambem oferecem Financiamento para a aquisição juntos com todo pacote logístico da NIMR fabricante do Veiculo.

A proposta Árabe também poderia incluir a integração da  estação de armas remotamente controlada  REMAX fabricada pela ARES.

A NIMR Automotive faz parte do conglomerado empresarial da Emirates Defense Industries Company (EDIC), sendo esta uma das principais fabricantes de veículos blindados no Oriente Médio e no Norte da África, com veículos tendo sido testados em combate real.

O NIMR AJBAN440A, é um veículo blindado 4×4 de alta mobilidade, que incorpora as mais recentes tecnologias de proteção balística e anti-minas.

37 Comments

  1. aguenta até 762?

  2. Pingback: Emirados Árabes pode apresentar ao EB proposta para veículos blindados Ajban 440A para serem usados na Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas de Estabilização na República Centro-Africana (MINUSCA). | DFNS.net em Português

  3. Eu, não entendo porque. … Não dar chance ao nosso Guará, um Blindado exato para o nosso Exército Brasileiro.

  4. Sergio Luis da Silva Costa says:

    Por quê somos os únicos do mundo que não compra o que produz. Em todos os países do mundo que produzem equipamento militar, não importando se ele é cópia,engenharia reversa ou produto novo. Se o lote inicial vem com problemas, compra-se pouco e resolve-se os problemas até ele maturar. Temos vários exemplos: Gladiador, Tupi, Guará, Gaucho (produção em conjunto com a Argentina), aviões da Novaer como oque se tornou o Bader 250 e os treinadores primarios. Isto sem falar naqueles que foram de décadas passadas e já morreram como Osório, Tamoio, Charrua, Sucuri 18, Ogun, entre outros.

  5. César Pereira says:

    Não devemos participar dessa missão na África Central, isso vai nos sair caro,inclusive com perdas de vidas de brasileiros,essas missões não servem para nada,a não ser enriquecer alguns,ficamos mais de uma década no Haiti,e o deixamos praticamente como o encontramos,isso é vergonhoso,a ONU comete um crime com essas pseudos missões de paz,que nunca atingem o grosso das populações !

  6. claudio quadros says:

    sou contra manda soldados valiosos para lugar não tem nada oferece só doenças montes imigrantes vão vir como refugiado fez haitianos deixa isso para França

  7. Eduardo Morais says:

    Quer dizer que estamos com o pires na mão para receber um equipamento que já deveria ser de dotação de nossa tropa. E ainda queriam ter uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU, que vergonha.

  8. Isso está me cheirando a toma lá dá cá, pois a pouco o EAU enviou uma comitiva interessada no projeto das CCT, se isso se concretizar pode evidenciar um primeiro passo de aproximação pra vender as CCTs pro EAU.

  9. até emirados arabes estão oferecendo carros para o brasil.
    será que a avibras não tem competência pra isso. investe uma grana na avibras que eles apresentam um veiculo a tempo.

    brasil pode fabricar qualquer coisa, mas os interresses pesoais estão a frente dos nacionais do povo brasileiro. n
    nacionalista aqui porra.

  10. Heber Leandro says:

    Será que realmente não seja o.momento de fortalecer nossos equipamentos em mercado internacional? Lembram do Osório, que foi considerado um dos melhores battle tank do mundo e a esse mesmo país que nos oferece material agora, fechou com o monopolizado M1A1 Abrahams

  11. Cesar A. Ferreira says:

    Uma importação matará a iniciativa nacional, que está cristalizada em duas propostas: Gladiador II (Inbrafiltro) e Guará 4WS (Avibrás)…

  12. E a idiotice de nossas FAA,s e MD se perpetua, com opções locais os incompetentes analisa e adquirem opções estrangeiras.
    Deve ser saudade do tempos da colonização ou herança cultural mesmo !

    • Profeta_Lunatico says:

      Disse tudo ..meu caro

    • jose luiz esposito says:

      Voltas como o mesmo papo de Colonização , quando realmente nem Colonizados fomos , Portugal nos Legou tudo para SERMOS uma Liderança Mundial , jogamos tudo no LIXO , e com a Liderança dos Corporativistas do Exercito criamos esta Republiqueta de Castas Corporativista, então pare com este Papo que somente interessa aos Corporativistas Desgraçados , colocarem em outros a sua Culpa , a 128 anos os militares assistem a Desgraça que criaram , mas continuam com ela e usufruindo de suas benesses , enquanto o brasileiro PASTA e SOFRE nas Mãos das Castas Corporativistas , que estimulam este papo de Colonização , quando os Colonizados são elas , basta ver nos encontros e viagens ao Exterior , sempre para os EUA , ficam felizes como Pinto no Lixo !

  13. Rafael Damasceno says:

    Já podem encomendar 💯 destes veículos, 60 pro EB , 30 MB, 10 FAB, em regime de urgência pra serem enviados a minusca, e depois procura uma fábrica nacional pra co produção!

  14. o problema que o produto nacional sair mais caro que o importado…

    • César Pereira says:

      Sim.esse é mais um plano para acabar com nossa indústria nacional, talvez o mais antigo, o governo taxa absurdamente o produto brasileiro, para comprar lá fora, mais barato !
      Os acrídios que estão no poder é quem se beneficiam disso,defendendo lobby estrangeiro e matando a iniciativa do empresariado nacional !

    • jose luiz esposito says:

      Porque as Castas Corporativistas enchem a Produção Nacional de Impostos e Taxas para alimentarem suas Benesses !

  15. Uma sugestão a esse site…
    Porque não faz uma entrevista com o responsável pelas compras do Exército, e faz a seguinte pergunta.
    Porque o exército não compra os carros nacionais, e investe na indústria bélica brasileira????

    • Adeildo Barros says:

      Concordo com sua proposta , só assim acaba essa polêmica.

      • Profeta_Lunatico says:

        Meu caro vou ate mais longe. Que esses responsaveis pelas escolha apresentem propostas e contrapartidas feitas nas empresas Brasileiras e das empresas gringas ai acabava se o mito

    • pergunta da qualidade e o preço então

      • Profeta_Lunatico says:

        Mito essa do preço..lmagina que o ministdo da defesa chega a uma impresas de defesa e dizer que quer 100 viaturas 4×4 com varias versões e meter na mesa as propostas made in gringos..e ai?

    • Esta resposta é bem simples, as FFAA dependem exclusivamente de verba federal, na qual sofreu cortes de mais de 50%, infelizmente a indústria bélica nacional apesar de eficiente e dominar diversas tecnologias, não detém de verba suficiente para apresentar um produto aceitável para suprir as 3 forças. As taxas absurdas e inúmeras burocracias reduzem ainda mais a efetividade da indústria bélica nacional, comprar no estrangeiro não é a solução ideal, porém é a mais barata.

      • jose luiz esposito says:

        Estes cortes de 50% se deu agora e antes ? Porque não cortam na dotação do Judiciário brasileiro , o Pior , Mais Caro e Corrompido do mundo seu Orçamento este anos é de 85 Bilhões de Reais , igual ao das FFAA ,e 600% mais caro de que qualquer outro do Mundo, e então ?

    • jose luiz esposito says:

      Tenho uma opinião , nossos militares estão incorporados por Espíritos de Deodoro , Floriano , Savaget , Hermes da Fonseca , Moreira Cesar e outros mais , todos Espíritos de Apátridas brasileiros !!

  16. Profeta_Lunatico says:

    Mito essa do preço.. quero é ver ser publicado as propostas feitas a empresas de defesa Brasileira e suas contra propostas tal como feita nas empresas gringas e suas compartidas.. acabava se toda essa mentira. Ja agora que o Plano Brasil entreviste responsaveis de empresaa de Defesa Brasileira para ouvir sua versão do porque o Estado escolher sempre made in gringo e ate sucata.. vão encarar?

  17. ………cumpade…..pelo que sei ( e qualquer colega daqui do PB sabe) o Brasil está bem servido de blindados nacionais…tem o Tupi,o Guará,o Gladiador l e ll…..essa história de comprar blindado dos Emirados Árabes tá bastante misteriosa……………………………

  18. Queria de verdade era uma entrevista exclusiva do site com o Exército, detalhando todo esse processo de compra e ainda saber porque as opções nacionais foram descartadas….
    Na Rússia tudo que a indústria fábrica é adquirido, aqui no Brasil é descartado…

  19. Guilherme Albuquerque says:

    Desde quando o nosso ministro da defesa,o qual conheço pessoalme, entende de viatura militar?Na verdade foi passear e fazer pose de entendido.Por isso.entendo.que esse ministério deveria ser ocupado sempre por militares R1.

  20. é verdade…um militar seria mais nacionalista (creio)……esse barbicha nunca entendeu e jamais entenderá de equipamento militar……….um tôlo………….

  21. Nossas FA deveriam ser obrigadas a SEMPRE esclarecer suas opções/escolhas com o máximo de detalhes possível, caso o contrário vão perder cada vez mais credibilidade e confiança, que diga-se de passagem já não estão muito boas por ficarem no quartel de braços cruzados enquanto o povo sofre com esses desgovernos das últimas décadas.

  22. Gostaria de comentar algumas coisas, isto de custo/preço no Brasil não é bem assim, é uma questão de escolha, como foi possível então comprar da Embraer? Comprar Astros, Agrale, IMBEL e o Guarani, além de outros produtos, se fosse realmente problema de custo não teríamos comprado nada delas, é uma questão de escolha e vontade politica das forças armadas. Lembro que o Lula queria salvar a Avibras que estava com grande dividas junto a prefeitura perto de decretar falencia, a primeira ideia era passar a divida para o governo federal e ele ser sócio da Avibras, mas a Avibras disse: “Não precisa fazer isto, basta fazer pedidos e conseguirem pagar as dividas”, inicio-se então o projeto Astros 2020.

    Quando o Nelson Jobim resolveu não comprar mais Land Rover e comprar da Agrale foi aquela choradeira, a reporte perguntou para ele porque deixa de comprar um produto bom para comprar este da Agrale, ele respondeu algo como “Se eu não comprar agora ela nunca terá oportunidade de ser igual ou melhor”.

    O que se sabe é que nas forças armadas existe duas correntes os nacionalistas e os entreguistas, isto não é de agora e não quer dizer que não estejam querendo defender o Brasil, mas o entreguista acredita que o melhor para o Brasil é ter produto de fora e inclusive que a manutenção seja realizada fora, ele acredita que o melhor custo para o Brasil são as empresas estrangeiras administrando seu petróleo e outras coisa. O nacionalista acredita no desenvolvimento do Brasil e o entreguista acredita que é perda de tempo e dinheiro.

shared on wplocker.com