Defesa & Geopolítica

Dezembro 08

FORÇAS ARMADAS BRASILEIRAS ADIQUIREM 50 EC-725. caracal

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito, representando as três Forças Armadas, assinará, nesta terça-feira (23), no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, contrato para a produção, no Brasil, e fornecimento de 50 helicópteros militares (EC-725). Este projeto destina 16 aeronaves para a Marinha do Brasil, 16 para o Exército Brasileiro e 18 para a Força Aérea e será firmado com o consórcio Helibras e Eurocopter representados, respectivamente, pelos seus presidentes Sr. Jean Noël Hardy e pelo Sr. Lutz Bertling.

O contrato, fruto de uma cooperação no campo aeronáutico entre o Brasil e a França, visa consolidar e ampliar o intercâmbio e a colaboração na área militar, além de incentivar as atividades industriais e comerciais entre os dois países.

Salienta-se, ainda, que o acordo contempla a fabricação das aeronaves no Brasil, no âmbito da Helibras e de parcerias com outras empresas, assim como a transferência de tecnologia e medidas de Compensação Comercial (“Off Set”).

O contrato foi consolidado a partir de exigências de requisitos operacionais estabelecidos pelas três Forças, objetivando a realização de projetos de engenharia, fabricação, adaptação e modernização de helicópteros, bem como capacitação de pessoal, no Brasil.

Fonte: Ministério da Defesa do Brasil

IRÃ TESTA NOVO SSM DF-SC-83-10646

Fontes iranianas informaram que a marinha daquele país realizou no último domingo (7/12) um teste com míssil mar-mar durante manobras no Mar de Omã. O SSM Nasr (”Vitória”) 2, lançado de uma embarcação atingiu o seu alvo distante cerca de 18 milhas.

Fonte: Blog Notícias Militares

CHINA AVALIA A POSSIBILIDADE DE ADIQUIRIR UM PORTA AVIÕES

Segundo fontes Chinesas a Marinha Popular da China Estaria avaliando a possibilidade de adiquirir um porta aviões até o ano de 2010 e estaria sepreparando para no futuro poder operar uma força considerável deste tipo de navios.

É sabido que a Marinha chinesa tem buscado a capacidade de operação global e para tanto os Porta Aviões seriam peça fundamental para a conclusão deste sonho.

Fonte: Site Defesabrasil

RÚSSIA AMPLIA SEU PODER NUCLEAR topol

Com plano, Moscou planeja aumentar poder de barganha e desafiar futuro governo Obama.

A Rússia lançou um novo desafio ao presidente eleito dos EUA, Barack Obama, ao anunciar nesta semana um plano de aumentar a produção de mísseis nucleares estratégicos.

Na última de uma série de medidas belicosas do Kremlin, Vladislav Putilin, da comissão militar-industrial do Gabinete russo, disse que as forças do país encomendariam 70 mísseis estratégicos nos próximos três anos, como parte de um programa maciço de rearmamento que incluirá também mísseis de curto alcance, 300 tanques, 14 navios de guerra e 50 aviões.

Especialistas em assuntos militares disseram que o novo arsenal consistiria presumivelmente de mísseis balísticos intercontinentais com base terrestre (ICBMs), em vez de mísseis lançados de submarinos. Se isso se confirmar, os planos representam um aumento de quatro vezes na taxa de posicionamento desses mísseis intercontinentais. O arsenal incluirá um míssil de ogivas múltiplas de nova geração RS-24. Ele foi testado pela primeira vez em 2007, quando o vice-primeiro-ministro Serguei Ivanov alardeou que ele era “capaz de vencer qualquer sistema de defesa de mísseis existente ou futuro”.

Os novos mísseis farão parte de um pacote de Defesa de US$ 140 bilhões para o período de 2009 a 2011, um aumento de 28% em gastos com armamentos, segundo Putilin. Também estão previstos novos aumentos nos dois anos seguintes.

As novas aquisições militares ocorrem na esteira da guerra na Geórgia, em agosto. A Rússia expulsou facilmente as tropas georgianas, mas o conflito expôs fraquezas no Exército do país, incluindo equipamentos obsoletos e estruturas de comando mal coordenadas. O Ministério da Defesa declarou que faria reformas drásticas, transformando o Exército numa força mais moderna.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, instou membros do gabinete a alocar rapidamente fundos para novas armas e controlar de perto a qualidade e o ritmo de sua produção. Especialistas militares disseram que a construção de 70 mísseis nucleares de longo alcance nos próximos três anos representa uma tentativa russa de fortalecer sua posição de barganha com Washington nas negociações sobre novas reduções de armas nucleares quando o tratado em vigor, Start I, expirar em dezembro do próximo ano.

A estratégia de Moscou parece ser desafiar a nova administração de Obama assim que ele assumir o poder, no dia 20. Quando Obama foi eleito, o presidente russo, Dmitri Medvedev, anunciou planos para posicionar mísseis Iskander de curto alcance no enclave de Kalinigrado da Rússia para se contrapor à instalação de um sistema de defesa antimísseis americano na Europa oriental.

O especialista em questões de desarmamento Ruben Sergeev disse que Moscou temia ficar atrás em uma nova corrida armamentista.

Fonte: Pravda

PORTA AVIÕES INDIANO SAI DA DOCA vikram8

O Futuro porta-aviões da Marinha Indiana está flutuando novamente após três anos em doca seca. Agora conhecido como Vikramaditya, o navio está sendo reformado para a Marinha da Índia.

Com 45.000 toneladas, o Gorshkov (atual Vikramaditya), da Classe Kiev, foi concluído em 1987 e, em atividade na Marinha soviética, operou helicópteros Ka-27 e aeronaves V/STOL Yak-38. De acordo com o contrato assinado em 2004, os russos estão “reconstruindo” a embarcação, transformando-a em um porta-aviões convencional, com a construção de convôo angulado, ski-Jump, nova propulsão, armas e eletrônica.

Essa extensiva conversão acabou se tornando mais cara e complexa do que se imaginada, atrasando muito o cronograma do projeto, o que acarretou em vários atritos entre ambas as partes. A Índia espera receber a embarcação antes de 2012.

Fonte: Defense News

BRASIL EFETUA HISTÒRICA VENDA DE MÍSSEIS ANTI-RADAR PARA O PAKISTÃO. mar1

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou hoje as garantias da União para o fornecimento de 100 mísseis pela empresa Mectron para o governo do Paquistão. Segundo o ministro da Defesa, Nelson Jobim, o contrato entre a Mectron, o governo paquistanês e a Força Aérea Brasileira (FAB) foi assinado em abril deste ano e dependia de aprovação de garantia do governo para a operação. Jobim informou que a Mectron receberá por essa exportação 85 milhões de euros. O ministro explicou que é um contrato importante, porque a Mectron aumentará sua capacidade de produção de um míssil para cinco mísseis por mês. “O que vai quintuplicar a capacidade da empresa em matéria de mão-de-obra e de qualificação”, disse Jobim.

O ministro disse que a Mectron é uma empresa pequena, de alta tecnologia, formada por cinco engenheiros do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), mas tem o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como sócio. Jobim explicou que os mísseis são de anti-radiação, que são acoplados em aviões para identificar a origem de radares e têm a possibilidade de destruí-los. “Funciona como um monitoramento muito eficaz do espaço e da terra”, disse o ministro. Jobim esclareceu que, embora haja suspeitas de que os atos terroristas na Índia tenham sido praticados por terroristas paquistaneses, o negócio é com o governo paquistanês. “Se cancelássemos o negócio, estaríamos atribuindo ao governo do Paquistão atividades terroristas”, explicou.

A aprovação da garantia, dentro do Comitê de Financiamento e Garantia das Exportações (Cofig), foi o único item da pauta da reunião extraordinária de hoje da Camex. Jobim não quis confirmar se haverá mudanças na presidência da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), conforme publicado hoje nos jornais. “O que nós estamos trabalhando é na reestruturação da empresa”, disse o ministro, lembrando que já foi assinado um contrato com o BNDES para reestruturação e modernização da Infraero.

Fonte: Agência Estado

EMBRAER ENTRA NA BRIGA? embraer_satena

Segundo a revista Air International, a Embraer estaria avaliando o projeto de uma nova família de jatos comerciais que competiriam no disputado nincho de Mercado das gigantes Airbus e Boeing, para aviões entre 120 e 200 passageiros, a revista indica ainda que a empresa estaria ainda buscando um parceiro internacional para tal demanda.

No entanto a mesma revista diz que esta informação for a desmentida pela própria acessoria de imprensa da Embraer, porém o que chama a atençaõ é o cada vez mais frequente anúncio pelos meios prestigiados de comunicação tal como a revista air international, de que este tal projeto poderia voar, fazendo valer a maxima, de que onde há fumaça, há fogo.

Fonte: Revista Air International

MARINHA DOS ESTADOS UNIDOS ADIQUIRE 8 NOVOS SUBMARINOS CLASSE VIRGINIA BLOK III

ship_ssn_virginia_class_cutaway_lg1

A Marinha dos EUA assinou um contrato de cinco anos com a Electric Boat Corporation, no valor de US$ 14 bilhões, para a construção de mais oito submarinos da classe “Virginia”.

O contrato, para o Block III desta classe de submarinos, prevê a construção de um navio por ano nos anos fiscais 2009 e 2010, e dois navios por ano, em 2011, 2012 e 2013. O contrato também atende aos requisitos do Chefe de Operações Navais (CNO) e do Programa de Aquisição da classe “Virginia”, de redução de custos em cerca de 20 por cento, para o ano fiscal 2012.

Fonte: blog poder Naval

FORNECE SISTEMAS S-300 AO IRÃ s300_2

Rússia fornece ao Irã armamento de caráter exclusivamente defensivo e cumpre seus compromissos internacionais de não proliferação, diz uma nota de imprensa de “Rosoboronexport”, a empresa que controla a exportação de armas.

Moscou já enviou a Teerã os sistemas de defesa antiaérea TOR-M1. Os detalhes do tratado não se revelam. Ismael Kousari, o chefe adjunto da comissão para a política exterior e segurança no Parlamento iraniano, afirmou às vésperas que Teerã e Moscou conseguiram, após vários anos de negociações, “um acordo de mísseis S-300 aceitável e que já está na fase de implementação”;

“Estas armas servirão para reforçar o potencial defensivo e proteger as fronteiras da República Islâmica de Irã”, disse.

Se a tempo a Rússia cedesse aos pedidos de Slobodan Milosevic e fornecesse nos princípios dos anos 1990 à Jugoslávia sistemas S-300, não haveriam os bombardeiros da Nato e a Rússia conservaria sua influência na região.

Fonte: Pravda

ONU AUTORIZA O USO DA FORÇA CONTRA OS PIRATAS SOMALIS untitled O CS (Conselho de Segurança) da ONU aprovou por unanimidade, autorização para que sejam realizadas operações de combate por terra e ar contra os piratas da Somália, mesmo dentro do país.

Neste exatomomento dirigem-se para a região inúmeros navios de Guerra de difernetes forces internacionais, compostos por navios de inúmeras nações a razão seria a de coibir o ilícito trafico que tem causados inúmeros prejuizos aos países que dependem do tráfego maritime.

Um fato no entanto curioso é o envioi por parte da China de 3 de seus mais modernos navios entre eles o moderno Destroyers da classe LANZHOU Type-52C.

Fonte: Areamilitar

ASSINADO CONTRATO PARA A CONSTRUÇÃO DA NOVA TORRE DO VLS. vls1_aeb

Foi assinada no dia 04/12/08 pelo Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA) a autorização para o início das obras para a reconstrução da Torre Móvel de Integração (TMI) – equipamento que possibilita o lançamento do Veículo Lançador de Satélites. A obra deve ser concluída em 18 meses e deverá custar cerca de R$ 40 milhões.

O próximo lançamento está previsto para ocorrer a partir do término da construção da TMI- Torre Móvel de Integração. O VLS mede cerca de 19 metros e tem quatro estágios. O seu peso, antes do lançamento, é de 50 toneladas e é capaz de satelitizar uma carga de 350 Kg a uma órbita de 300 Km.

E por Falar no VLS, foi executado com exito o teste do motor deste foguete, realizado no CTA emn São José dos Campos. Este importante passo transporta o Brasil para mais próximo do almejado sonho de integrar o seleto grupo de nações detentores de tecnologia de lançamento de satélites.

Fonte: AEB

MUDANÇAS NO PROJETO DO EMBRAER C-390

c-390_novo

Segundo amídia especializada a Embraer estaria aperesntando modificações no projeto original do seu futuro cargueiro o Embraer C-390.

Dentre as mais variadas modificações estaria sendo adotada uma fuzelagem mais larga, pavimento mais reforçado, novas asas e uma configuração de cauda em T, destoante da proposta inicial do C-390 que compartilhava inúmeras seções comuns aos Embraer 190.

A nova proposta teria levado em consideração o aumento da carga paga transportada para valores superiors aos 19 toneladas anteriormente consideradas, bem como o aumento do volume disponível para transporte de veículos pesados e de grandes dimensões.

Fonte: Revista Air International

EXÉRCITO ADIQUIRE LOTE PILOTO DE MÍSSEIS MSS-1.2. mss12an6

Foi publicado no Diário Oficial da União a autorização para uma compra direta, sem licitação, de um lote piloto (ou de pré-serie) de mísseis anti-carro Mectron MSS 1.2 para o Exército Brasileiro. O contrato ,de R$ 25,6 milhões, será feito através do CTEx (Centro Tecnológico do Exercito) e prevê a entrega ao EB de 66 mísseis MSS 1.2, três simuladores e três equipamentos de testes, bem como o desenvolvimento e produção de dois mecanismos adaptadores para instalação da unidade de tiro em viaturas e dois equipamentos de visão noturna para as unidades de tiro.

O MSS 1.2 começou a ser desenvolvido em 1986 com auxílio italiano, entretanto, a crise na indústria de defesa no final dos anos 80 e no inicio dos anos 90, levou a Engemíssil (gerenciadora do programa) à falência e forçou a paralisação do projeto. Em 1998 o programa foi retomado sob responsabilidade da Mectron e CTEx.

O míssil anti-carro Mectron MSS 1.2 pesa 15,5kg, mede 1,39m e tem diâmetro de 130mm. Seu controle de vôo é exercido por aletas acionadas eletricamente localizadas na porção central do corpo do míssil. A estabilidade direcional é assegurada por aletas retráteis posicionadas na cauda. O motor tem dois estágios de propelente sólido, sendo um de arranque (ou lançamento) e o outro de cruzeiro. O MSS 1.2 pode suportar manobras de até 5g e alcança alvos a 3km de distância. O sistema de orientação até o alvo, denominado bean-rider, é executado por feixe de raio laser modulado projetado pela unidade de tiro, sendo que o MSS 1.2 segue esse feixe através de um receptor laser instalado em sua cauda.

Fonte: Diário Oficial da União

BRASIL E FRANÇA ASSINAM ACORDO BILIONÁRIO APTOPIX French Guiana Sarkozy Lula

Noacordo firmado nos fins de dezembro de 2008, a França se compromete a transferir ao Brasil a tecnologia de construção de quatro submarinos a diesel e um nuclear, o primeiro a ser feito no país. Pelo acordo de 4,1 bilhões, a França contribuirá apenas para a parte não-nuclear do submarino. O acordo vai permitir ainda a construção de um estaleiro militar em Itaguaí (RJ), com tecnologia francesa.

Nas palavras do Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, a França não estaria disposta apenas a vender os seus aviões, os seus navios, os seus helicópteros.

A França estaria disposta a construí-los conjuntamente, a montar a parceria no Brasil, a fazer transferência tecnológica, para que o Brasil alavanque sua indústria de defesa.

Fonte: Ministério da Defesa do Brasil

BRASIL OUTORGA A ESTRATÉGIA NACIONAL DE DEFESA plano-estrategico

Brasília, 11/12/2008 – O Conselho de Defesa Nacional, órgão de consulta do Presidente da República nos assuntos relacionados com a soberania nacional e a defesa do Estado democrático, aprovou nesta quinta-feira (11/12), por unanimidade, a proposta da Estratégia Nacional de Defesa, elaborada por um comitê interministerial criado em setembro de 2007. Foi a primeira reunião do Conselho desde 2003.

Fonte: Ministério da Defesa do Brasil

CRIADO O CONSELHO DE DEFESA SUL AMERICANO unasul

A União de Nações Sul-Americanas (Unasul) aprovou em dezembro de 2008 a criação do Conselho de Defesa Sul-Americano, que será composto pelos ministros da área da Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Chile, Guiana, Suriname e Venezuela. O objetivo do conselho é incentivar a cooperação militar entre as nações da região e integrar as bases industriais de defesa, além de resolver problemas entre os países membros.

Fonte: Ministério da Defesa do Brasil

MARINHA DO BRASIL ANUNCIA PLANO AMBICIOSO DE REAPARELHAMENTO DA FORÇA DE PATRULHEIROS vigilante-400-cl-54

A Marinha do Brasil tem um ambicioso programa de construção de navios-patrulha que atuarão primordialmente na vigilância de plataformas em campos petrolíferos, inclusive no pré-sal. O planejamento da marinha prevê construir, em estaleiros privados nacionais, 32 navios-patrulha até 2016 em um investimento estimado em R$ 2,97 bilhões.

As encomendas, para serem realizadas, dependem da garantia de recursos orçamentários. Mas a marinha busca também “parceria estratégica” com a Petrobras para tornar viável a construção de parte desses navios. Procurada, a estatal não comentou o assunto.

Das 32 unidades previstas, 27 são navios-patrulha de 500 toneladas de deslocamento, orçados em R$ 2,16 bilhões. As outras cinco embarcações, com investimentos previstos de R$ 815 milhões, correspondem a embarcações maiores, de 1.800 toneladas cada uma. Dois navios-patrulha de 500 toneladas cada estão em construção no estaleiro Indústria Naval do Ceará (Inace), em Fortaleza, e devem ser entregues em 2009 e 2010.

Fonte: Blog Poder Naval

RADARES 3D PARA O EXÉRCITO BRASILEIRO jyl-1_2

O Comando do Exército estuda a compra de radares de defesa antiaérea na China. Essa, todavia, não é a única possibilidade: os especialistas da Força “estão pesquisando equipamentos junto a fornecedores de vários paises, entre os quais os chineses”, segundo o general Adhemar da Costa Machado Filho, o porta-voz do Comando.

O Exército pretende adquirir um sistema antiaéreo tridimensional digital, de modo variável de detecção. Versão mais avançada do sistema JYL-1 adquirido recentemente pela Venezuela.

O sistema teria um alcance de 450km e cada unidade seria operada por oito militares acompanhados por um centro de controle. O sistema é considerado em estado-de-arte e pode inclusive alimentar redes de coleta de informações e fornecer dados para a artilharia baseada em mísseis e canhões de disparo rápido.

Há tipos leves, de porte individual, que são capazes de identificar o movimento de veículos a 5km e de pessoal a 2km. Os pesados, de transporte por carretas 6×6, atuam além de 400km.A seleção e encomenda do novo sistema antiaéreo é prioridade elevada no reaparelhamento do Exército. O material incorpora avançada tecnologia, implicando uma cadeia logística de alto custo.

Fonte: Blog Notícias Militares

NOVOS DEFENDER PARA O EXÉRCITO land_rover

O Comando do Exército comprou 37 veículos Land Rover por R$ 5,1 milhões, segundo pesquisa da ONG Contas Abertas, no Orçamento do governo. O Centro de Comunicação da corporação esclarece que os veículos serão enviados para o Haiti, para serem utilizados pelas tropas brasileiras da Força de Paz da ONU.

Fonte: Blog Notícias Militares

P3 BR DA FAB FAZ SEU ROLL OUT p3

No dia 17 de dezembro de 2008, aconteceu nas intalações da Airbus Military em Getafa, Madri, o roll out do primeiro P-3AM Orion da Força Aérea Brasileira, segundo informações da publicação espanhola.

Este é um dos nove P-3A Orion da FAB em modernização pela EADS CASA. Ao todo a FAB adquiriu 12 aeronaves, das quais três servirão como fonte de peças sobressalentes. As aeronaves em modernização estão recebendo novos equipamentos como sensores de alta tecnologia, a sua plena integração com o sistema de controle tático FITS. O novo painel da cabine é da Thales Avionics, compatível com o do CASA C-295 (C-105A Amazonas). O avião recebeu instrumentos de comunicação, navegação e de controle motor, piloto automático digital, um sistema HACLCS (Harpoon Aircraft Command and Launch Control System) para disparar mísseis Harpoon, remodelação exterior e interior, um novo Centro de Apoio de Missão e um treinador tático para a tripulação.

Fonte: defensa.com

MARINHA DO BRASIL ADIQUIRE MÍSSIL AGM-119B PENGUIN penguin-sh60shot

No dia 22 de dezembro, a Marinha do Brasil assinou contrato no valor de 15,7 milhões de euros com a norueguesa Kongsberg Defence & Aerospace para a aquisição de oito Mísseis Ar-Superfície AGM-119B Penguin MK-2 MOD 7.

Os mísseis serão destinados aos novos SH-70-B adiquiridos em junho deste ano e que em breve equiparão o Esquadrão HS-1.

A variante AGM-119B é vastamente utilizada pelos SH-60 Seahawk da Marinha Norte-Americana e esta mesma dupla também estará em breve protegendo às águas brasileiras.

Este será o terceiro míssil anti-navio em operação na MB, que atualmente possui o Exocet, utilizado pelos SH-3 Sea King e o Sea Skua, lançado a partir dos AH-11 Super Lynx.

Apesar desta aquisição, a Marinha do Brasil tenciona operar um míssil nacional o qual teve neste ano o início do seu desenvolvimento, o MAN-1, o qual tem seu desenvolvimento sob responsabilidade do consórcio Avibras / Mectron empresa nacional a qual desenvolve os mísseis MAA-1A/B, MAR-1 e MSS 1.2.

Fonte: Blog Poder Naval

ASSINADO ACORDO ESPACIAL BRASIL RÚSSIA

A Agência Espacial Brasileira e a Agência Federal Espacial da Federação da Rússia firmaram programa de cooperação para usar e desenvolver o Sistema Global de Navegação por Satélite russo, o Glonass – que pretende ser uma alternativa ao consagrado GPS, controlado pelos Estados Unidos.

Pelo combinado no acordo, as partes não podem vender ou transferir a terceiros produtos de destinação militar ou informações obtidas nesse intercâmbio, sem autorização prévia, por escrito, da outra parte.

Em falando do acordo aeroespacial Brasil-Rússia, é digno de nota o bem sucedido teste do motor propulsor do futuro VLS,o qual foi realizado no CTA em são José dos Campos,este é o primeiro passo para a conclusão do sonho Brasileiro de ingressar no hall de nações detentora de tecnologia delançamento de foguetes e satellites.

porém o mais curioso é o fato de que o Governo brasileiro esteja interessado no programa russo Klipper do qual o Plano Brasil havia cogitado como muito importante e interessante à cerca de 3 anos atraz, para ler mais sobre o Klipper acesse projeto CARONTE.

Fonte: Blog Defesa BR

BRASIL NÃO ASSINA TRATADO INTERNACIONAL DE PROIBIÇÂO DE BOMBAS CLUSTER cluster-bombs

O Brasil não aderiu ao tratado internacional que proíbe a fabricação e o uso das chamadas bombas de fragmentação (cluster bombs), artefatos que espalham centenas de mini bombas e que freqüentemente provocam muitas vítimas entre a população civil. O documento foi assinado em Oslo (Noruega) por mais de 90 países.

Assimcomo o Brasil os Estados Unidos bem como muitas outras nações não assinaram este tratado por considerarem que este limitaria a capacidade operacional dos seus sistemas de defesa

Fonte: O Estado de São Paulo

FORÇA AÉREA BRASILEIRA COM MI-35 mi35

O Brasil anunciou ontem a compra de 12 helicópteros de ataque e transporte de tropas Mi-35M para a Força Aérea Brasileira, durante o último dia da visita do presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, ao país.
O contrato, estimado entre US$ 250 milhões e US$ 300 milhões, prevê ainda o fornecimento de peças para as aeronaves. A FAB não falou sobre detalhes do contrato, que vinha sendo negociado há dois anos.

O cronograma de referência para as entregas prevê a chegada dos primeiros três MI-35M até agosto de 2009 e a dos últimos três em 2011. A especificação da FAB para o equipamento exige sistemas que permitam o combate noturno, redutor de ruído e de emissão de calor em ambas as turbinas de 2.200 shp.

Fonte: Blog Defesa BR

shared on wplocker.com