Categories
Defesa Navios Rússia Sistemas de Armas Traduções-Plano Brasil

Rússia deve iniciar a construção do primeiro "Destroyer" Classe Leader em 2023

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

Segundo o diretor do Instituto de pesquisa Krylov, Pavel Filippo, a construção do mais novo destróier nuclear projeto “Líder” está prevista para começar em 2023.

O conceito e desenho avançado deste navio foi desenvolvido pelo Centro Krylov. Em 2016-2017, o Northern Design Bureau (PKB) começou a criar um projeto técnico o qual ainda está em andamento.

Segundo informou Filippo em uma entrevista a Ria Novosti, o navio foi originalmente planejado para possuir uma unidade de propulsão CODAG cujo grupo principal seria uma Turbina a Gás, o navio era planejado para deslocar de 12-13 mil toneladas.

Frente  esta realidade e dada a necessidade de um grupo propulsor mais potente, foi então optado pela adoção de propulsor movido a energia nuclear e seu deslocamento imediatamente aumentou para 18 mil toneladas.

Como relatou Filippo:

“Qual é o resultado final? nós ainda não sabemos, é necessário perguntar ao PKB do Norte. E até onde eu sei, em 2023 devemos começar a construir este “Navio a vapor”

Na criação de uma nova geração de Destroyers para as forças navais da Rússia tornou-se conhecido em 2010. Ele será armado com mísseis anti-navio, mísseis de cruzeiro para ataques contra alvos terrestres e sistemas avançados de defesa antiaérea e defesa antimísseis. Sua principal arma deve ser o sistema de disparo universal, que pode ser carregado com diferentes mísseis.
Além disso, o “Destroyer” terá sistemas antiaéreos de mísseis e canhão principal de elevado calibre, não é descartada a doção de uma arma eletromagnética que está em desenvolvimento.
Fonte: Ria Novosti

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais

Apresentado em São Petersburgo mais um conceito do futuro porta-aviões russo

 

E.M.Pinto

Como haviamos apresentado em artigos anteriores, o Ministério da Defesa da Rússia está atualmente avaliando dentre os os agora três conceitos de futuro porta Aviões para a sua Marinha,  qual será adotado, entretanto é muito cedo  para afirmar, qual e quando a escolha será feita. Isto porque o programa do Porta Aviões Russo ainda não foi declarado prioridade, apesar de se saber que ele deverá constar no orçamento militar 2018-2027, por hora há apenas os três conceitos os quais são plenamente díspares como veremos.

Tempestade 
 
Em 2013, foi apresentado ao público o conceito do porta aviões múlti propósitos “Storm” (Tempestade) que, segundo os projetistas, poderia transportar até 90 aeronaves. Seu principal destaque era a sua capacidade de operar em gelo o que permitiria operações no Ártico.
Apesar de que esta capacidade é contestada uma vez que as intepéries dificultama s operações das aeronaves em grande parte do tempo ao longo dos períodos mais rígidos do inverno.
Pigmeu
 
Já em 2019, o Krylov State Scientific Center apresentou no fórum Army-2019 um porta-aviões leve com um deslocamento de 44 mil toneladas para até 46 aeronaves.
Embora o Kirlov apresente este conceito como o ideal para as operações russa, acredita-se que o projeto deste navio tenha outro endereço, provavelmente uma ou duas nações estrangeiras, sendo a Índia o cliente mais elegível para o navio.
especialistas militares como o atual comandante da Marinha Russa no entanto já declararam em situações anteriores que um navio de deslocamento inferior a 75 mil toneladas de deslocamento poderiam não ser o ideal para a Marinha Russa dado ao fator logístico de deslocamento em longo raio e períodos, o que leva a crer que esta possibilidade embora  não seja descartada, pode não ser elegível caso a rússia venha adquirir um novo navio.
 
Peixe Boi
O terceiro conceito difere substancialmente do “Storm” por considerar um navio para operações próximas a costa, bem como, para operações oceânicas de longo raio. O modelo é apresentado no Salão Naval Internacional em São Petersburgo.
O desenvolvedor do projeto 11430E “Lamantin” (Manatee ou simplesmente peixe boi) é o Neva Design Bureau (PKB)que apresentou no seu estande as principais características  técnicas do seu conceitos.
A Neva informou que o seu projeto é de um navio nuclear e que se assemelha aos grandes porta aviões americanos, entretanto, considera o uso do Sky jump além de duas catapultas eletromagnéticas e quatro sistemas de recuperaão de aeronaves.

O deslocamento do  “Lamantina” é declarado em 80-90 mil toneladas e o navio teria 350 m de comprimento. A autonomia é de cerca de 120 dias (víveres e combustível para o grupo aéreo), a velocidade máxima seria de 30 nós. A tripulação do porta-aviões sé estimada em 3600 tripulantes sendo  2800 da tripulação formal e 800 do grupo aéreo.

No total, o navio operaria cerca de 60 aeronaves de vários tipos que iriam de  caças pesados ​​e leves, helicópteros e aeronaves de detecção de radar de longo alcance (asa fixa), além de 10 UAV, porém o navio teria provisões para acomodar ainda mais aeronaves em situações de emergência. A vida útil de um porta-aviões é superior a 50 anos com ciclos de recarga do combustível de 25 em 25 anos.

A principal característica do navio é que ele é projetado para atuar tanto no oceano quanto no mar e na zona costeira. Há uma grande variedade de aplicações para ele que vão desde garantir a estabilidade de combate dos grupos navais até atacar alvos aéreos, terrestres e marítimos (incluindo submarinos), até mesmo apoiar desembarques anfíbios a partir do uso de suas  aeronaves de ataque.
Não se sabe a data e se a Rússia realmente levará a diante o programa de um Porta Aviões desta envergadura, apesar d emuitas vezes esta ter sido declarada por suas mais altas autoridades, porém em São Petersburgo os rumores apontam para uma decisão de conceito até 2020, partindo para os trabalhos documentais até  2023 quando o navio deve seguir para a fase de construção e finalização entre 2027-2030.

 

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Defesa Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

Rússia inicia a produção de novos mísseis WVR R-74 (RVV-MD)

Rustam, Moscou para o Plano Brasil

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

Rússia dá início a produção em série do novo míssil ar-ar de curto alcance (WVR) R-74 (RVV-MD).

A arma passou nos testes de avaliação e segundo as informações técnicas é bastante resistente às interferências.

O míssil foi projetado para engajar aeronaves de asa fixa e helicópteros em cenários de combate aéreo de curta distância. O R-74 é muito mais manobrável que as armas de séries anteriores e utiliza um buscador de IR passivo multispectral que permite engajamentos em diferentes condições, uma vez que varre o espectro eletromagnético dificultando o trabalho das “iscas” e “chamarizes” projetados para ludibriar mísseis de guiamento IR .

A arma é muito mais manobrável e conta com controle de vetoração de empuxo, um motor de combustível sólido de propulsão fixa e um detector de proximidade de radar ou um defletor de proximidade a laser (versão RVV-MDL).

Para destruir o alvo a arma conta com uma ogiva de 8 kg. O RRV-MD é desenvolvido a partir do míssil R-73 e será fornecido para a última geração de aviões de caça russos, como o Su-57 o qual possuirá uma versão diferenciada.

A unidade  de Kurganpribor STKB, pode produzir 100 unidades por mês, os quais servirão tanto para exportação quanto para a Força Aeroespacial Russa. Segundo a nota oficial da Vympel NPO, o ciclo de produção completo já é plenamente dominado e todos os componentes do míssil são oriundos da Rússia.

Para melhorar o desempenho de combate e garantir resistência às contramedidas, o R-74M como também é conhecido, utiliza um homing de duas bandas. Como em algumas versões anteriores do R-73, a arma utiliza-se tamém de um fotodetector resfriado. Segundo nota do fabricante o sistema de detecção é capaz  de engajar alvos localizados em  setores de 120 °.

Na busca o sistema de controle pode desviar 75 ° da posição neutra. O sistema diretor do míssil e o piloto automático desenvolvem comandos em conjunto para um conjunto de controles de modo a garantir a maior manobrabilidade possível. 

O míssil  possui lemes no nariz  e ailerons de cauda além de propulsores a gás que são usados ​​para ajustar a trajetória de voo alterando os parâmetros de impulso do motor.

O Míssil é capaz de atingir alvos em altitudes de 20 km  e alcance de  40 km  voando a velocidades de até 2500 km/h. A arma é muito mais efetiva que as séries anteriores e até mesmo no cenário atual, saturarudode contramedidas passivas e ativas, possui probabilidade de acerto com um único disparo superior a 60%.

 

 

Ficha Técnica

Dimensões  
Diâmetro/m:   0,17 
Comprimento / m:  2,92 
Envergadura/ m:  0,51
Desempenho  
Alcance Máximo / km:  40,0
Alcance Mínimo / km:  0,3
Altura máxima do alvo/ km: 20,0 
Altura mínima do alvo / km:  0,02 
Carga G/ g 12,0
Massa  
Ogiva/ kg: 8,0
Total / kg :  106

 

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

Vídeo-Primeiras Imagens do Veículo Tigr-2

 

RUSTAM- MOSCOU

Texti e adaptação-E.M.Pinto

Surgem novas imagens no mais novo desenvolvimento em veículos blindados da indústria russa, o “Tigr-2” ou “ou Novo Tigr”  como tem sido reportado pela imprensa local.

O primeiro vídeo do novo carro blindado russo foi apresentado ao público pelo canal de TV “Star” e ademonstrou o veículo coberto por uma lona amarela que ocultava alguns detalhes  de sua silhueta.

Destaca-se a grande parte traseira do carro, novas rodas,  proteção nos paralamas, grade trapezoidal, faróis de LED e dispositivos de reboque.

A nova geração da Tigr possui novo sistema de suspensão e de carroceria, com maior capacidade de carga e um nível maior de proteção contra IEDs e balística. O veículo possui um chassis totlmente reprojetado e forma de V para maior proteção das tripulações, segundo o projetista, estas melhorias foram introduzidas a partir dos ensinamentos obtidos na Sìria.

A cabine é mais confortável e garante conforto e proteção classe 2, 3 e 4 ( Provavelmente classe 3) para a tripulação de até 6 integrantes, segundo o fabricante, apesar d ejá obter um bom nível de segurança a proteção será ainda mais ampliada. O veículo foi projetado para transportar um canhão de maior calibre, superior ao 57 mm.

Não foram informados ao certo qual o nível de proteção da nova versão, porém, anteriormente havia sido divulgado pela empresa que o novo veículo receberia proteção nas rodas e chassis para suportar explosivos equivalentes à 2kg de TNT, além de receber proteção balística  classe 6a. 

Em comparação, com a versão atual, o veículo Tigr-M que está em serviço, este possui proteção nas rodas e chassis contra cargas de 0,6 kg de TNT e proteção balística nível 5. 

O desenvolvimento da próxima geração de veículos blindados Tigr-2 leva em conta a experiência de usar veículos Tigr-M em condições reais de combate, incluindo as da Síria. A maior capacidade de carga do novo veículo permitirá que ele seja equipado com novos módulos com armamento pesado.

Além disso, o veículo recebe um módulo de combate de artilharia não-tripulada “Arbalet” e  sistema de mísseis ant carro Kornet de última geração. Desta forma, a tripulação pode deixá-lo em sua posição de combate, recuar para uma distância segura e dispará-lo por controle remoto garantindo-lhes maior segurança.

Por falar em segurança, a dirigibilidade do veículo e a conciencia situacional da tripulação é melhorada pela adoção de um sistema de câmerasque permite uma visão panorâmica do exterior do veículo, permitindo melhores percepções de ameaças e movimentação de tropas hostis.

Apesar de não informar os detalhes técnicos, o fabricante informa que o novo veículo recebeu um novo motor, bem mais potente e que garante a melhoria na manobrabilidade do veículo, o novo veículo possui capacidade de carga de 2000 kg contra os 1200kg da variante anterior (Tigr M). 

A nova versão do Tigr é prevista no programa de aquisições de armas 2018-2025. Eles serão introduzidos gradualmente para substituir os modelos Tigr omais antigos e posteriormente os veículos blindados Rys (LMV- Lince). 

 

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

O desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo será iniciado em 2023

Andrey Luzik

Tradução e adaptação E.M.Pinto

O trabalho de desenvolvimento do primeiro porta-aviões nuclear russo será iniciado em 2023. Os recursos da fase de desenvolvimento já estão incluídos no programa ferderal de armamento.

Grupos de ataque centrados em Porta Aviões continuam sendo a ferramenta mais poderosa da guerra no mar.

“A pesquisa científica e desenvolvimento do novo porta-aviões estão incluídos no atual programa de armamentos que se estende até 2027, e vai ser iniciado já em 2023” – foi o que informou a TASS, uma fonte da indústria de construção naval.

Segundo a fonte, o navio será movido a energia nuclear e terá um deslocamento de cerca de 70 mil toneladas.

A United Shipbuilding Corporation esclareceu à agência que até agora nenhuma especificação técnica e tática específica para o projeto deste navio foi recebida do Ministério da Defesa da Rússia.

“Se tal ordem for recebida do departamento, as empresas da corporação estarão prontas para implementá-la”, disse o porta voz da USC.

No momento, a Marinha russa possui um porta-aviões convencional, o Cruzador Almirante Kuznetsov que está passando por reformas com modernização e deve voltar a operar depois de 2021.

Fonte: Tass 

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Ministério da defesa russo decide desenvolver uma segunda aeronave AWACS baseado no Tu-214

Imagem meramente ilustrativa

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

O Ministério da Defesa Russo decidiu desenvolver uma nova aeronave de alerta antecipado e comando (AWACS) com base no  Tu-214. O “novo” projeto járecebeu aprovação. Esta possibilidade de desenvolvimento foi aventada nos anos 90, porém por razões técnicas e orçamentárias da época a iniciativa centrou-se na aeronave IL-76- A-50 A-100.

A notícia foi divulgada no periódico “Izvestia”, cujas informações foram cedidas por fontes do próprio Ministério da Defesa da Rússia.

Alegadamente, a nova aeronave AWACS será uma variante mais leve e uma versão mais barata e mais econômica do sistema A-100″ Premier “.

A escolha do Tu-214 não é acidental, uma vez que o avião é considerado universal e familiar para pilotos militares.

Espera-se que a aaeronave seja desenvolvida em um tempo relativamente curto e que sua produção seriada seja até mais rápida que a do A-100 o qual deverá ser introduzido de modo a completar  a frota de A-50U e A-100 existentes. 
A nova aeronave empregará os sistemas eletrônicos do A-100 em uma versão mais “leve”. A aeronave será equipada com múltiplos radares com duas antenas phased array, equipamento digital e de guerra anti-eletrônica.
De acordo com os desenvolvedores, uma aeronave AWACS baseada no Tu-214 poderá controlar um perímetro aéreo, terrestre e marítima em um raio de várias centenas de quilômetros, para gerenciar grandes grupos, fornecer informações aos caçs, bombardeiros e aviões de ataque.

O projeto básico da aeronave proporciona um vetor de presença muito maior no ar em comparação com o IL-76, a um custo inferior em aquisição e manutenção. 

Fonte: Weapon News RU

Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Traduções-Plano Brasil

Iraque e Rússia iniciam negociações para a aquisição de sistemas de defesa Anti Aérea S-400

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Bagdá (Iraque) – O Iraque e a Rússia iniciaram as negociações para o fornecimento dos sistemas de defesa antimísseis russos a Bagdá, disse no sábado um ex-parlamentar Hakem al-Zamly, ex-presidente do comitê de segurança e defesa do Parlamento, ao canal de TV Russia Today.

A notícia foi divulgada pelo meio de comunicação iraquiano Iraq News. Segundo al-Zamly, o acordo é muito importante para o Iraque e está programado para entrar em vigor em dois anos. 

Al-Zamly também afirmou em nota  que o Iraque busca reforçar a cooperação com a Rússia no campo da defesa que englobará aeronaves de combate tanto de asa fixa quanto de asas rotativas, num pacote inicial estimado em US$4,0 bilhões. 

 

Fonte: Iraq News

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Aviação Defesa Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

Entra em produção seriada o Motor Al-41F desenvolvido para o caça SU-57

E.M.Pinto


Segundo relatou a TASS, a produção em série do motor desenvolvido para o caça de 5ª Geração russo, Su-57 entrou em produção seriada.

Numa apresnetação proferida à imprensa,  a OKB exibiu os prospectos da linha de prodção dos motores AL-41F e deu detalhes sobre suas características básicas.
Curioso é que num dos slides da apresentação a OKB informou que a produção de fato foi iniciada ainda em 2018.
A decisaão para a produção em série foi tomada em outubro daquele ano, atribuindo-lhe o código 01 o qual significa prontidão para produção em série.
Já em novembro daquele ano, foi a dada a transferência da documentação de projeto de trabalho para o motor. Durante o trabalho de desenvolvimento, 38 turbinas foram montadas, 20 delas para testes de vôo nos protótipos do caça Su-57.

DETALHES

A OKB informou que o motor de turbojato AL-41F-1, possui cãmaras de mistura de fluxos, uma câmara de pós-combustão e um vetor de empuxo com direção controlada. Além do SU 57 o motor será instalado também nos caças Su-35.

Sua principal diferença em relação aos seus antecessores é o novo sistema de controle automático: é totalmente digital e construído com componentes integralmente russos. Outra vantagem é o sistema de ignição à plasma isento de oxigénio nas câmaras de combustão principal e de pós-combustor.

Uma nova variante a 02 já está em bancada de testes. O anúncio de prontidão de produção em série e esperado para muito em breve, segundo informou a OKB. Segundo a fonte da Lyulka Design Bureau (LKB) O primeiro vôo de teste do motor  (02) foi realizado no protótipo do Su-57 em dezembro de 2017.

O desenvolvedor LKB, informou que o motor garante a super manobrabilidade para ambos os caças, tanto o Su-57 quanto ao Su-35 e que a sua relação Peso/Empuxo e baixa visibilidade garante as aeronaves maiores potências e menores índices de detecção pro radar e Infra vermelho. O novo motor adicionará a essas qualidades a capacidade de acelerar a velocidade supersônica sem pós-combustor, mantendo um rítimo de economia de combustível compatível com os moteres de séries anteriores em regimes de velocidades subsônicas.

SOBRE  O AL-41F

AL-41F é uma designação para duas variantes diferentes de motores de turbofan militares russos.

Inicialmente a designação dada pela NPO Saturno ao AL-41F referia-se ao motor turbojato russo projetado para vôo supercruise para o programa MFI ( Mnogofunktsionalni Frontovoy Istrebitel , “Lutador Frontal Multifuncional”), que resultou no avião conceito Mikoyan Project 1.44 .

Especialistas o caracterizavam como um motor  equivalente ao General Electric YF120 o qual foi superado pelo  YF-119 mais convencional no programa de motor do Advanced Tactical Fighter dos Estados  Unidos.

Desde o cancelamento do programa de MFI, a designação AL-41F1S e AL-41F1 foi atribuída as variantes AL-31F as quais equipam o caça Su-35S e até onde se sabia, os protótipos do caça Su-57 de produção inicial.

A designação AL-41 foi reutilizada para variantes atuais do Saturno AL-31 que equipam os caças Sukhoi Su-35 (Izdeliye 117S / AL-41F1S) e produção inicial do avião furtivo Sukhoi Su-57 (Izdeliye 117 / AL-41F1) . Algumas das tecnologias do AL-41F original foram aplicadas nos motores Izdeliye 117S, 117 e 30.

Especificações 

designação: AL-41F
  •  Iz 30 AL-41FRU AL-41F3

Características gerais

  • Tipo: Turbofan
  • Comprimento: 4990 mm
  • Diâmetro: 1280 mm
  • Massa seca: 1.420 kg 
  • Compressor:Axial
  • Máxima Potência : 180 kN
  • Relação de empuxo-peso : 11: 1

 


Categories
Defesa Rússia Sistemas de Armas Sistemas Navais Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Os estaleiros de Kaliningad, na Unidade de Construção Naval do Báltico  iniciaram a construção de dois novos navios de desembarque Project 11711

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

 

Os estaleiros de Kaliningad, na Unidade de Construção Naval do Báltico  iniciaram a construção de dois novos navios de desembarque Project 11711, construídos simultaneamente a Marinha Russa planeja introduzi-los em até 2025, informou a TASS .

O presidente Vladimir Putin, que atualmente está em São Petersburgo, participou da cerimônia solene no modo de videoconferência. Supõe-se que um dos grandes navios de desembarque (BDK) terá o nome de Vladimir Andreev  o almirante soviético, participante da Grande Guerra Patriótica. O segundo será nomeado Herói da União Soviética, Major-General Vasily Trushin.

O projeto BDK 11711 é projetado para o desembarque de tropas, transporte de máquinas e equipamentos. Eles podem transportar até 13 tcarros de combate pesados ou 36 veículos blindados, ou ainda, veículos de combate de infantaria. O navio tem capacidade para o transporte de uma força de vcerca de 300 militares.

O comprimento dos navios é de 120 m, eles são armados com armas automáticas de seis canos de 30 mm. O navio líder do Projeto 11711, “Ivan Gren”, chegou à frota do norte em outubro do ano passado.

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Rússia Tecnologia

Ministério da Defesa russo divulga informações sobre o Míssil de propulsão nuclear "Burevestink"

O 9M730 Burevestnik ( russo : Буревестник ; ” Petrel “, codinome OTAN: SSC-X-9 Skyfall ) é um russo de propulsão nuclear com alcance virtualmente ilimitado. Imagem Meramente ilustrativa- Arte Alexis  Levinski). 

E.M.Pinto

Uma poderosa bateria recarregável 9B280-1 será usada no recém-testado míssil russo “Burevestink”-(Petrel), o mais novo míssil tático em desenvolvimento pela Rússia, o qual é porpulsado por um motor nuclear. De acordo com Avia.pro recurso desta esta bateria é mais resistente as condições de temperatura, umidade e pressão.

Outros detalhes sobre a bateria ainda não foram informados. Porém o Ministério da Defesa Russo informou que os testes recentes foram bem sucedidos e que a arma tem superado sem problemas os testes de avaliação.
A arma tem as dimensões de um míssil tático do tipo BGM-109 Tomahawk norte americano e  é capaz de permanecer no ar por vários dias, efetuando todo o tipo de manobras  e atingindo alvos em quaisquer lugares na superfície do Planeta. Isso faz com que o míssil seja capaz de evitar todos os sistemas de defesa antimísseis existentes na atualidade.

O Burevestnik é uma das seis novas armas estratégicas russas reveladas pelo presidente russo Vladimir Putin em 1º de março de 2018. O ministério da defesa russo identificou a necessidade de desenvolver um míssil tático capaz de penetrar em qualquer sistema de defesa antimísseis e assim rensaceu o programa da iniciado ainda na guerra fria.

Essa tecnologia é de longa data. No início dos anos 1960, os Estados Unidos tentaram desenvolver uma arma semelhante. O projeto recebeu o codinome Pluto (Plutão) o qual estava sobre a  Egide do  programa de sistema de armas chamado de Supersonic Low Altitude Missile (SLAM).

A arma deveria voar a Mach 3.5 a baixa altitude e ejetar uma carga útil de bombas de hidrogênio sobre alvos inimigos durante um longo vôo. Porém o projeto Plutão foi cancelado e condenado pelo advento dos mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) e pelo fato de que não havia como testá-lo sem o controle da pulverização de materiais radioativos sobre os campos de testes.

Aliás, em novembro de 2017,  um teste de “sucesso moderado” da arma russa foi efetuado no polígono de testes de Pan’kovo na ilha de Novaya Zemlya, no Ártico e resultou em uma operação de resgate que teve de ser efetuado por vários navios russos que partiram em busca dos destroços e materiais radioativos espalhados no Mar de Barents, o Ministério da Defesa Russo classificou o teste como “parcialmente bem sucedido”.

Segundo informou o Ministério da defesa Russo, o teste realizado em 29 de janeiro de 2019 a partir do polígono de testes em Kapustin Yar, foram avaliados os perfis de voo e persistência da Arma, bem como a resiliência do reator do motor. Em nota o MD informou que todos os sistemas oepraram sem falhas.

O Ministério da Defesa russo, afirma que a campanha de testes do míssil de cruzeiro, foram concluídos com êxito em janeiro de 2019 e que o projeto “irmão” de “Burevestnik”, o drone submarino nuclear Poseidon (Status-6), também é construído em torno de uma unidade de propulsão nuclear em miniatura, semelhante a desenvolvida para o Míssil.

 

Categories
Defesa Negócios e serviços Rússia Traduções-Plano Brasil Uncategorized

China teria interesse no SU -57?

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Segundo o Global Times- A China está avaliando as opções para comprar o novo caça furtivo Sukhoi Su-57, da Rússia, que identificou a China e a Índia como potenciais clientes para adquirir seu avançado avião de guerra.

Viktor Kladov, diretor de cooperação internacional e política regional da holding industrial russa de defesa Rostec, declarou em uma reunião na Exposição Internacional Marítima e Aeroespacial de Langkawi, na Malásia, que identificou a Índia e a China como potenciais compradores.

O GT afirma que a força aérea chinesa, que atualmente tem uma série de novas aeronaves domésticas, incluindo o avião de caça J-20, além dos russos Su 35, estaria interessada na aqisição de caças Dassault Rafale da França, acrescentando uma nova dimensão estratégica aos seus ativos aéreos.

Embora a China esteja desenvolvendo sua própria aeronave de nova geração, ainda depende muito de motores russos para os aviões, pois ainda não atingiu a fase de produção independente dos seus motores. Tanto a China quanto o Paquistão confiam nos motores russos para o JF-17 Thunder produzido em conjunto.

O analista de defesa chinês Wang Ya’nan, editor-chefe da Aerospace Knowledge, disse que a oferta da Rússia para vender a SU-57 é mais atraente para a Índia, já que a China tem seu próprio caça furtivo. Ao contrário da China, a Índia não tem um caça de quinta geração, então o Su-57 é um avião de guerra atraente para a Índia, disse ele ao Global Times.

Kladov disse que o Su-57E, uma versão de exportação do Su-57, deve receber aprovação de exportação de Putin em poucas semanas.

Nomeando a China como um cliente em potencial, ele disse,

“A China recebeu recentemente 24 aviões Su-35, e nos próximos dois anos tomará a decisão de comprar Su-35 adicionais, construir o Su-35 na China, ou comprar uma aeronave de caça de quinta geração, que poderia ser outra oportunidade para o Su-57E “.

Xu Guangyu, consultor sênior da Associação de Controle de Armas e Desarmamento da China, disse ao Global Times que é possível que a China faça a compra, porque a China precisa estudar os pontos fortes de outros países sempre que possível.

“As observações de Kladov também são uma indicação de cooperação em tecnologia militar de ponta, sob a estrutura da cooperação estratégica dos dois países”, disse Xu.

Wang Yongqing, designer-chefe do Instituto de Design de Aeronaves de Shenyang, sob a estatal Aviation Industry Corporation da China, escreveu na edição de fevereiro de 2019 da revista Aerospace Knowledge que o Su-57 foi projetado para ter forte capacidade de cruzeiro supersônico e super manobrabilidade e intencionalmente reduz a discrição, uma capacidade que se diz ser crucial para um caça de quinta geração, para uma prioridade secundária.

Enquanto os aviões dos EUA enfatizam furtivamente e além dos ataques de alcance visual, o Su-57 pode escapar dos mísseis de longo alcance através de sua super manobrabilidade e atacar os inimigos de perto, uma situação em que a furtividade não é tão importante quanto a super manobrabilidade, disse Wang.

No entanto, o analista de defesa chinês Wang disse que a China está aperfeiçoando sua tecnologia de quinta geração, já que o J-20 está em vias de ser produzido em massa. Durante este período, a integração de outro jato de combate à frota poderia trazer desafios para a integração dos sistemas de armas e equipamentos das forças armadas chinesas e interromper os planos de desenvolvimento e treinamento, disse ele.

Ele observou que um estudo técnico é possível, usando o Su-57 no exército chinês é improvável.

O Su-57 também pode se tornar um forte concorrente de mercado do caça furtivo chinês FC-31, informou a Weihutang, em declaração à coluna afiliada à China Central Television (CCTV), na sexta-feira, observando que o FC-31 e o F- 35 são os únicos dois atuais caças de quinta geração disponíveis no mercado internacional.

 

Fonte: the Economist Time

 

Bem vindo ao primeiro de Abril

Categories
Defesa Rússia Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Rússia está desenvolvendo um novo helicóptero de combate para a Força Aerotransportada

O novo helicóptero será uma continuação dos modelos Mil Mi-24 e Mi-35, disse uma fonte. (imagem meramente ilustrativa).

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

MOSCOU, 27 de março / TASS /. A Rússia está desenvolvendo um novo helicóptero de combate para as unidades de helicópteros móveis da Força Aérea. O novo helicóptero será um acompanhamento dos modelos Mi-24 e Mi-35, disse uma fonte da indústria de defesa doméstica à TASS na quarta-feira.

“Há interesse das unidades de helicópteros da Força Aérea por um novo modelo, o trabalho foi intensificado para atualizar os helicópteros existentes e desenvolver um helicóptero novo, um veículo de combate para as forças aerotransportadas”, disse a fonte, acrescentando que “O  novo  helicóptero será conceitualmente desenvolvido a partir dos helicópteros Mi-24-Mi-35M”.

Antes que um novo helicóptero de combate seja desenvolvido, os helicópteros operacionais devem ser modernizados para a Força Aerotransportada:
“O Mi-24 será convertiddo para o nível do Mi-35M, a família de helicópteros Mi-8/17 até o nível do Mi-8AMTSh- VN (a versão Mi-8 desenvolvida tendo em conta a experiência síria foi exibida pela primeira vez no fórum Army-2017), os pesados ​​helicópteros de transporte Mi-26T para o nível do Mi-26T2V “, disse a fonte.

A Força Aerotransportada da Rússia está criando novas unidades de helicópteros. Os relatórios sobre a criação de tais unidades surgiram durante os exercícios estratégicos Vostok-2018, onde essas formações foram experimentalmente empregadas pela primeira vez. As novas unidades de helicópteros deverão incluir esquadrões de transporte e helicópteros de ataque.

Fonte:TASS