Categories
Aviação Negócios e serviços Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Primeiro helicóptero Mi-38 de série é apresentado na MAKS-2019

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

A Russian Helicopters Holding Company (membro da Rostec State Corporation) apresentou o primeiro helicóptero Mi-38 de produção na MAKS-2019.

O  Mi-38 fabricado pela fábrica de helicópteros de Kazan foi apresentado em uma exposição estática. A aeronave também participará do programa de voo que faz parte do show aéreo, realizando um voo com outras aeronaves civis fabricadas pela Russian Helicopters.

Os protótipos de pré-produção do Mi-38 haviam sido demonstrados anteriormente na MAKS. Eles participaram do programa de teste de voo de certificação. Além disso, o helicóptero de transporte militar Mi-38T baseado no helicóptero civil certificado Mi-38 participa do programa de voo da exposição pela primeira vez.

Várias mudanças no design do helicóptero Mi-38 foram feitas: Dentre elas, melhorias aerodinâmicas na fuselagem e na unidade de propulsão,  rotor principal e nas pás. Os motores  por exemplo estão colocados “atrás” da transmissão principal do rotor, em vez de sua colocação tradicional na frente a ele. Isso permitiu a redução da resistência aerodinâmica e do nível de ruído no cockpit, além de aumentar a segurança da aeronave.

“O Mi-38 é uma nova conquista na indústria russa de helicópteros. Devido ao seu desempenho, relação custo-benefício, alcance de vôo e capacidade de transporte de carga, esse helicóptero é extremamente interessante em termos de operação comercial e para clientes militares. Atualmente, testes de certificação de o helicóptero Mi-38 com uma cabine altamente confortável foi concluído e estamos prontos para começar a fornecer essas aeronaves: estamos conduzindo negociações com uma empresa de leasing agora “, disse o diretor geral da holding russa de helicópteros Andrey Boginsky.

Uma versão para passageiros do Mi-38 pode acomodar até 30 passageiros em capacidade total e há uma versão VIP proposta para oito passageiros. O alcance do voo do novo helicóptero é de até 1.300 km (com tanques de combustível adicionais). O Mi-38, cujo peso máximo de decolagem é de 15,6 toneladas, pode transportar cinco toneladas de carga útil a bordo ou içadas externamente.

A aeronave pode ser operada em uma ampla variedade de condições climáticas, incluindo climas marítimos, tropicais e frios. Devido a soluções técnicas exclusivas, o Mi-38 é superior a outros helicópteros de sua classe em capacidade de levantamento de peso, capacidade de passageiros e uma das principais características de desempenho da aeronave é a capacidade de voo em clima seco, frio e em elevadas altitudes.

Fonte: Ruaviation

Categories
Defesa Negócios e serviços Traduções-Plano Brasil

Turquia deseja expandir as relações no setor de defesa com a rússia

ZHUKOVSKY, 27 de agosto / TASS /. A Turquia está interessada na produção de material de defesa conjuntamente com a Rússia. Isto inclui a produção de caças, foi o que disse o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, sobre os resultados das conversações com seu colega russo Vladimir Putin nos bastidores do MAKS Air Show de 2019.

“Um dos principais passos nas relações com a Rússia é a produção conjunta [de sistemas de defesa antimísseis S-400], houve muitos rumores sobre isso, não lhes demos atenção alguma”, disse ele. “Gostaríamos de aplicar nossa solidariedade nesta área em outras esferas da indústria de defesa. Isso também pode se aplicar a aeronaves militares.”

O presidente russo, Vladimir Putin, disse aos repórteres sobre os resultados das negociações com Erdogan que eles discutiram a produção conjunta de equipamentos militares russos.

 “Nós discutimos a cooperação no programa Su-35 e até o possível trabalho no novo jato Su-57”, observou o líder russo. “Temos muitas oportunidades; demonstramos novos sistemas de armas e novos sistemas de guerra eletrônica”.

Em setembro de 2017, a Rússia informou sobre um contrato assinado com a Turquia para a compra de sistemas de defesa antimísseis russos S-400 no valor de US $ 2,5 bilhões. O contrato inclui a transferência parcial da tecnologia de produção para os turcos. O primeiro lote de sistemas S-400 foi entregue à Turquia de 12 de julho a 25 de julho.
 

Categories
Defesa Negócios e serviços Rússia Traduções-Plano Brasil Uncategorized

China teria interesse no SU -57?

Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Segundo o Global Times- A China está avaliando as opções para comprar o novo caça furtivo Sukhoi Su-57, da Rússia, que identificou a China e a Índia como potenciais clientes para adquirir seu avançado avião de guerra.

Viktor Kladov, diretor de cooperação internacional e política regional da holding industrial russa de defesa Rostec, declarou em uma reunião na Exposição Internacional Marítima e Aeroespacial de Langkawi, na Malásia, que identificou a Índia e a China como potenciais compradores.

O GT afirma que a força aérea chinesa, que atualmente tem uma série de novas aeronaves domésticas, incluindo o avião de caça J-20, além dos russos Su 35, estaria interessada na aqisição de caças Dassault Rafale da França, acrescentando uma nova dimensão estratégica aos seus ativos aéreos.

Embora a China esteja desenvolvendo sua própria aeronave de nova geração, ainda depende muito de motores russos para os aviões, pois ainda não atingiu a fase de produção independente dos seus motores. Tanto a China quanto o Paquistão confiam nos motores russos para o JF-17 Thunder produzido em conjunto.

O analista de defesa chinês Wang Ya’nan, editor-chefe da Aerospace Knowledge, disse que a oferta da Rússia para vender a SU-57 é mais atraente para a Índia, já que a China tem seu próprio caça furtivo. Ao contrário da China, a Índia não tem um caça de quinta geração, então o Su-57 é um avião de guerra atraente para a Índia, disse ele ao Global Times.

Kladov disse que o Su-57E, uma versão de exportação do Su-57, deve receber aprovação de exportação de Putin em poucas semanas.

Nomeando a China como um cliente em potencial, ele disse,

“A China recebeu recentemente 24 aviões Su-35, e nos próximos dois anos tomará a decisão de comprar Su-35 adicionais, construir o Su-35 na China, ou comprar uma aeronave de caça de quinta geração, que poderia ser outra oportunidade para o Su-57E “.

Xu Guangyu, consultor sênior da Associação de Controle de Armas e Desarmamento da China, disse ao Global Times que é possível que a China faça a compra, porque a China precisa estudar os pontos fortes de outros países sempre que possível.

“As observações de Kladov também são uma indicação de cooperação em tecnologia militar de ponta, sob a estrutura da cooperação estratégica dos dois países”, disse Xu.

Wang Yongqing, designer-chefe do Instituto de Design de Aeronaves de Shenyang, sob a estatal Aviation Industry Corporation da China, escreveu na edição de fevereiro de 2019 da revista Aerospace Knowledge que o Su-57 foi projetado para ter forte capacidade de cruzeiro supersônico e super manobrabilidade e intencionalmente reduz a discrição, uma capacidade que se diz ser crucial para um caça de quinta geração, para uma prioridade secundária.

Enquanto os aviões dos EUA enfatizam furtivamente e além dos ataques de alcance visual, o Su-57 pode escapar dos mísseis de longo alcance através de sua super manobrabilidade e atacar os inimigos de perto, uma situação em que a furtividade não é tão importante quanto a super manobrabilidade, disse Wang.

No entanto, o analista de defesa chinês Wang disse que a China está aperfeiçoando sua tecnologia de quinta geração, já que o J-20 está em vias de ser produzido em massa. Durante este período, a integração de outro jato de combate à frota poderia trazer desafios para a integração dos sistemas de armas e equipamentos das forças armadas chinesas e interromper os planos de desenvolvimento e treinamento, disse ele.

Ele observou que um estudo técnico é possível, usando o Su-57 no exército chinês é improvável.

O Su-57 também pode se tornar um forte concorrente de mercado do caça furtivo chinês FC-31, informou a Weihutang, em declaração à coluna afiliada à China Central Television (CCTV), na sexta-feira, observando que o FC-31 e o F- 35 são os únicos dois atuais caças de quinta geração disponíveis no mercado internacional.

 

Fonte: the Economist Time

 

Bem vindo ao primeiro de Abril

Categories
Defesa Negócios e serviços Traduções-Plano Brasil

Leonardo estabelece joint venture de produção de helicópteros com a Argélia

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

Anunciando a joint venture em 25 de março a Leonardo afirma que possuirá 49% da empresa, enquanto o Ministério da Defesa da Argélia possuirá os outros 51%. A sede será em uma nova instalação em Ain Arnat na província de Setif.

A Leonardo informou que a joint venture está planejada para montar, vender e dar suporte para vários modelos de helicópteros, principalmente para atender às exigências nacionais da Argélia, mas também para o mercado de exportação. Além disso, a joint venture fornecerá aos usuários finais, serviços e recursos de suporte técnico, manutenção e treinamento.

Durante a última década, Leonardo forneceu quase 100 helicópteros para diferentes departamentos governamentais da Argélia, incluindo a Força Aérea, a Presidência, a Gendarmaria, o Corpo de Fuzileiros Navais, o Serviço de Polícia e as unidades de proteção civil da Argélia. Isso inclui:

08 AW101,

24 AW109 (dez para a Polícia e 14 para a Gendarmaria),

08 AW119 Koala para treinamento de pilotos,

20 AW139 (seis para o Departamento de Proteção Civil, 11 para a Força Aérea e três para a Marinha)

10 Super Linx para a Marinha.

Fonte: Air Recognition

Categories
Aviação Defesa Negócios e serviços Traduções-Plano Brasil

Malásia e Azerbaijão encabeçam os esforços de vendas do JF-17 no Paquistão

Tradução e adaptação -E.M.Pinto

A Força Aérea do Paquistão (PAF) e o Complexo Aeronáutico do Paquistão (PAC) estão renovando seus esforços para garantir mais clientes para o caça leve multi-função JF-17 Thunder, aeronave co- produzida pela Aviation Industry Corporation da China (AVIC) e PAC, aqual  é a principal aeronave de combate do PAF.

Esses esforços seguem as entregas do JF-17 a Mianmar, que teria encomendado 16 aeronaves em 2015. Recentemente o Comitê de Coordenação Econômica do Paquistão (ECC) efetuou uma venda de US $ 184 milhões para a Nigéria no final de 2018 (a Nigéria destinou US $ 35 milhões para a ordem em seu orçamento de 2018).

Atualmente, a Malásia e o Azerbaijão parecem ser as principais prioridades do PAF e do PAC para garantir as vendas – ambos os países têm perspectivas de alto valor. Com pelo menos 100 JF-17s introduzidos na frota do PAF.

Malásia

Em 22 de março, o ministro paquistanês da Fazenda, Asad Umar, disse à imprensa local que a Malásia mostrou interesse em comprar o JF-17 ao lado de mísseis anticarro do Paquistão.

Convidado de honra na Parada do Dia do Paquistão, o primeiro-ministro da Malásia, Mahathir Mohamed, concedeu uma entrevista a respeito do JF-17. No entanto, os relatos de conversas do PAC com a Malásia sobre o JF-17 são de 2015, quando surgiram os relatórios de Islamabad propondo o caça a Kuala Lumpur.

O ministro da Defesa da Malásia na época, Datuk Seri Hishammuddin Tun Hussein, havia negado tais negociações. Em 2016 e 2017, parecia que a Royal Air Force da Malásia (RMAF) compraria um caça da Europa Ocidental, especialmente porque a Saab e a BAE estariam dispostas a conceder empréstimos / linhas de crédito para apoiar o Gripen e o Typhoon, respectivamente. A Malásia favoreceu amplamente os sistemas ocidentais.

No entanto, na exposição de 2018,  Defence Services Asia (DSA) em Kuala Lumpur, a PAC disse à IHS Jane que ela e o lado malaio estavam em “conversas de nível primário” em relação ao JF-17. Esta rodada vem após a RMAF optar por adquirir caças leves para aumentar sua frota e, potencialmente, suplantar seus MiG-29.

O PAC ainda advertiu que essas negociações não são “sérias”, mas a recente visita do primeiro-ministro da Malásia ao Paquistão pode ter potencialmente levado o assunto a um nível mais substantivo.

De acordo com a UkrOboronProm, que é controladora estatal da Ucrânia e supervisiona os vários fornecedores de defesa do país – como Antonov -, o Paquistão e a Ucrânia concordaram em colaborar no desenvolvimento de munições.

O lado das relações exteriores envolve a China

Raramente as aquisições de defesa, como as de aviões de combate, separam os méritos técnicos da aquisição de suas realidades de relações exteriores. Apesar das restrições fiscais atuais da Malásia, não é realista esperar que o Paquistão supere os seus concorrentes.

No entanto, quando se trata de uma proposta JF-17, o Paquistão não é o único fator – há também a China. Assim, uma venda potencial em um mercado tão significativo quanto a Malásia provavelmente verá o PAC alavancar o suporte da AVIC (incluindo itnes de compensação, financeiras e transferência de tecnologia).

Por outro lado, a China só entrou recentemente no mercado de defesa e segurança da Malásia, com sua recente venda de quatro Navios de Missão Litoral (LMS) para a Marinha Real da Malásia. Embora o LMS tenha necessidade para até 18 navios, não há garantia de que o programa LMS chinês amadurecerá nessa extensão.

Assim, uma venda de JF-17 na Malásia provavelmente será uma batalha difícil para a AVIC e a PAC, mas o Thunder não está livre de suas próprias forças competitivas em termos de custo e versatilidade prontamente disponível.

Fonte:ThaiMilitar

Categories
Defesa Negócios e serviços Sistemas de Armas Traduções-Plano Brasil

Wedgetail será o novo AWACS da Royal Air Force

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

O secretário de Defesa, Gavin Williamson, assinou um acordo de US $ 1,98 bilhão para compra cinco aeronaves E-7 Wedgetail. A frota de E-7 substituirá a atual composta por aeronave E-3D Sentry e garantirá a continuidade da entrega do recurso de Alerta Aéreo Antecipado e Controle (AEW & C) do Reino Unido.

O secretário de Defesa, Gavin Williamson, disse:

“O E-7 fornece uma vantagem tecnológica em um campo de batalha cada vez mais complexo, permitindo que nossos pilotos rastreiem e direcionem os adversários de forma mais eficaz do que nunca. Este acordo também fortalece nossa parceria militar vital com a Austrália… Vamos operar os mesmos jatos F-35 de última geração e navios de guerra Type-26  e esse anúncio nos ajudará a trabalhar ainda mais juntos para enfrentar as ameaças globais que enfrentamos.”

A nova frota será capaz de rastrear múltiplos alvos aéreos e marítimos ao mesmo tempo, usando as informações coletadas para fornecer consciência situacional e direcionar outros ativos, como caças e navios de guerra. O E-7 Wedgetail é uma aeronave comprovada que está atualmente em serviço com a Força Aérea Real da Austrália e foi usada em operações na batalha contra o Daesh no Iraque e na Síria.

Como parte do plano para uma transição gerenciada para o E-7, foi decidido reduzir a frota E-3D existente de seis para quatro aeronaves, removendo os dois ativos inservíveis a longo prazo da frota ativa. Fazer isso agora permitirá que a Sentry Force concentre seus recursos em fornecer melhor disponibilidade às quatro aeronaves restantes, para melhor garantir a futura saída da frota de E-3, incluindo nossos compromissos com a Força Aérea de Alerta Aéreo e Controle da OTAN e o fornecimento de missões de Medidas de Garantia da OTAN. .

Falando após o anúncio, o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, Sir Stephen Hillier, disse:

“O anúncio de hoje sobre a aquisição de cinco aeronaves E-7 ‘Wedgetail’ de Alerta Aéreo Antecipado e Controle é uma excelente notícia tanto para a RAF quanto para a Defesa mais ampla… Esta capacidade de classe mundial, já comprovada com nossos parceiros da Royal Australian Air Force, aumentará significativamente nossa capacidade de entregar comando e controle aéreos decisivos e se baseia na reputação da nossa E-3D Sentry Force… Juntamente com o investimento da Defence em outras aeronaves de ponta, o E-7 formará um elemento central da Força Aérea da Próxima Geração, capaz de superar as ameaças complexas atuais e futuras.”

O E-7 é baseado em um avião comercial Boeing 737 padrão modificado para transportar um sofisticado radar ativo de varredura eletrônica da Northrop Grumman. Ele pode cobrir quatro milhões de quilômetros quadrados ao longo de um período de 10 horas de voo.

Fonte: Air Recognition

Categories
Aviação Defesa Negócios e serviços Rússia Sistemas de Armas Traduções-Plano Brasil

Egito assinou um contrato para a compra de caças Su-35

 Tradução e adaptação-E.M.Pinto

Sugestão- Rustam Moscou

O periódico Russo “Kommersant”, informou que a Rússia assinou um contrato com o Egito para o fornecimento de várias dúzias de caças multifuncionais pesados Su-35. O Kommersant destacou ainda que juntamente com os caças médios MiG-29M / M2 fornecidos ao Egito, eles devem aumentar significativamente o potencial de combate da Força Aérea Egípcia nos próximos anos.

Em nota o “Kommersant”, cita o trecho de uma entrevista a dois altos executivos de empresas do setor de defesa. Segundo eles, o acordo relevante, que implica o fornecimento de “mais de duas dúzias de aeronaves” e suporte para material de aviação ultrapassa o valor de cerca de US $ 2 bilhões, e este entrou em vigor no final de 2018 e podem começar a ser recebidos entre 2020–2021.

Os interlocutores do “Kommersant” se recusaram a divulgar o custo do contrato, mas observaram que este garante a utilização da capacidade do fabricante da aeronave, a Planta de Aviação Komsomolsk-on-Amur, por vários anos mais.

Um dos interlocutores do “Kommersant” salientou que as capacidades de produção da linha da fábrica permitem que a empresa produza cerca de 20 dessas aeronaves para as necessidades das forças aeroespaciais russas sem problemas entre 2019-2020.

Porém a Rosoboronexport absteve-se de comentar sobre este fato.

Nos últimos anos, o Egito tem sido um dos maiores compradores de uma ampla gama de armas e equipamentos militares russos. Esta atividade está diretamente relacionada com a figura do presidente Abdel-Fattah al-Sisi, que chegou ao poder no Egito durante o golpe de Estado em 2013

Segundo fontes militares, o ex-ministro da Defesa al-Sisi, que substituiu Mohammed Morsi como chefe do Estado, percebeu rapidamente a real necessidade do exército de um rearmamento maciço.

Já em 2014, Moscou e Cairo assinaram um pacote de contratos de armas, implicando o fornecimento de vários sistemas de defesa aérea tais como sistemas antimísseis Antey-2500 e Buk-M2E, artilharia, armas leves e outras armas no valor de US $ 3,5 bilhões.

Assinado então o pacote de fato de contratos tornou-se o primeiro exemplo real da renovação da cooperação técnico-militar entre Cairo e Moscou desde 1972, quando conselheiros militares soviéticos deixaram o país a pedido do presidente egípcio Anwar Sadat. Posteriormente, vários contratos de armas icônicos foram concluídos como o acordo para o fornecimento de 46 caças MIG-29M / M2 (cerca de US $ 2 bilhões) e 46 helicópteros de combate Ka-52 (que custam mais de US $ 1 bilhão), ambos atualmente em andamento.

 

Fonte: kommersant

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Geopolítica Negócios e serviços Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

Turquia manifesta interesse nos sistema de defesa aérea S-500

E.M.Pinto

O governo turco considerará a possibilidade de comprar da Rússia o sistema antiaéreo Prometheus S-500 de nova geração.

Numa declaração ao canal televisivo local 24 TV  o Presidente turco Tayyip Erdogan afirmou que o assunto sobre a aquisição dos sistemas russos de defesa aérea S-400 está encerrado e que a Turquia não desistirá do seu interesse por quaisquer razões que sejam. Segundo ele as negociações com a  Rússia pautam-se agora na possibilidade de produção conjunta do sistema de defesa.

Nma declaração surpreendente, Erdogan afirmou que após a aquisição dos sistemas S-400 a Turquia também considera opções a aquisição dos novos sistemas  S-500 os quais a primeira unidade foi entregue a defesa aérea russa neste começo de 2019 e que encontra-se em treinamento e preparo da primeira bateria de defesa de longo alcance em Gatchina, Rússia .

O sistema antiaéreo da nova geração S-500 está em estágio de incorporação pelas Forças Armadas russas e segundo o Tenente-General Vladimir Lyaporov, chefe da Academia Militar de Defesa Aeroespacial, a primeira unidade operacional encerá o seu treinamento no final de 2019 .
A produção de lançadores para o S-500 são baseadas no chassis  que se encontram em produção na fábrica em Nizhny Novgorod.
SOBRE O SISTEMA

O novo sistema antiaéreo terá um alcance para destruição de alvos à 600 km  e simultaneamente envolver até 10 alvos em toda a faixa de altitude, para tal o Prometeu possui uma gama variada de radares e mísseis especializados para diferentes tipos de alvos ,  sejam eles, ogivas de mísseis balísticos, aeronaves furtivas ou satélites militares.

De acordo com fontes russas, o S-500 é uma versão avançada do S-400 com componentes dedicados projetados para interceptar mísseis balísticos a uma altura de até 200 km. O S-500 é projetado para interceptar mísseis balísticos intercontinentais e para defesa aérea contra Alerta Aéreo Antecipado e Controle e interferência em aeronaves e alvos hipersônicos.

Uma característica fundamental do Prometeu será sua integração ao sistema nacional de defesa antimísseis. Os radares do sistema S-500 originais transmitirão coordenadas de alvo aos sistemas antiaéreos S-400 e S-300, e as próprias baterias do sistema Prometeu receberá informações de radares e satélites distantes do sistema de alerta de ataque de mísseis, de outras fontes.

O S-500 nome russo 55R6M Triumfator-M é a mais recente geração do sistema de mísseis de defesa superfície-ar russo, atualmente em desenvolvimento pela empresa russa de defesa Almaz-Antey.

O desenvolvimento do S-500 foi iniciado em 2009 com o primeiro protótipo concluído em 2012. Em 2011, a Almaz-Antey anunciou que o primeiro sistema de produção do S-500 seria concluído em 2014.

Em dezembro de 2015, O website do jornal Spunik divulgou que as Forças Armadas da Rússia poderiam receber os primeiros protótipos de pré-produção do sistema de defesa aérea S-500 em 2016.

Os interceptadores do S-500 operam a uma altitude superior a 185 km. O sistema terá um tempo de resposta de cerca de três a quatro segundos, que é consideravelmente menor do que o S-400, avaliado em nove a dez segundos. Ele também tem um alcance de radar estendido em comparação com o S-400.

DADOS TÉCNICOS

Unidade de lançamento de mísseis

O lançador eretor do transportador autopropulsado 77P6 do sistema  S-500 Prometeu, parece ter como base o 9A82MK TELAR proposto para sistema de míssil S-300VMK 9M82M.

De acordo com os primeiros desenhos no Calendário Almaz-Antey de 2015, o S-500 está equipado com dois Recipientes de Transporte / Tubo de Lançamento de Mísseis montados na traseira do chassi do caminhão.

Na posição de tiro, dois macacos hidráulicos são baixados para o solo em cada lado do chassi do caminhão e os recipientes dos mísseis são colocados na vertical para o lado traseiro.

Mísseis

O S-500 Prometeu usa dois novos tipos de mísseis, o 77N6-N e 77N6-N1, os primeiros mísseis russos com ogivas inertes, que podem destruir ogivas nucleares pela força do impacto(energia cinética) ou seja, atingindo-os com precisão em grande velocidade.

Não são necessários explosivos e as estimativas dos engenheiros russos mostram que uma colisão a uma velocidade de 7 km / s certamente destruiria praticamente qualquer objeto voador.

Mobilidade

Todos os componentes da bateria do S-500 são transportados em veículos da família BZKT BAZ-6909, em configurações 6 x 6, 8 x 8, 10 x 10.

A BAZ-6909 é uma família de chassis para caminhões todo-o-terreno produzidos e fabricados pela empresa russa Bryansk Motor Vehicle Plant.

Esta família inclui caminhões pesados de alta mobilidade 6×6, 8×8, 10×10, tratores de artilharia, com capacidade de carga de 13 a 21 toneladas.

A unidade de lançamento móvel TEL (Transporter Erector Launcher) é baseada no chassi dos caminhões BAZ-69096 na configuração 10×10.

O BAZ-6909 alcança uma velocidade máxima de 70 km / h com um alcance máximo de cruzeiro de 500 km.

Veículos de comando e controle

Espera-se que o S-500 use os seguintes radares:

  • O radar de gerenciamento de aquisição e batalha 91N6A (M),
  • O radar de aquisição 96L6-TsP revisado
  • E o novo acoplamento multimodo 76T6 e radares de engate 77T6 ABM.
  • O Radar de Aquisição 96L6-TsP , uma derivação direta da série 96L6-1
  • E radar de aquisição de baterias do S-400.
  • O gerenciamento de batalha e a aquisição da ABM Big Bird 91N6A (M), uma evolução da série 64N6E, normalmente usada para suportar várias baterias S-300P / S-400.
  • Dois tipos de postos de comando da bateria são listados, o 55K6MA, que é claramente uma evolução do posto de comando da bateria do S-400 55K6E, e o 85Zh6-2, que pode se referir a um posto de comando para uma bateria estendida.

ESPECIFICAÇÕES

Armamento

Dois mísseis em container individual

Míssil alcance

  • 77N6-N: Para mísseis balísticos, o alcance é de e 600 km.
  • 77N6-N1 de 400 km para alvos aéreos.

Sistema de orientação

Comando e radar ativo,r adar e estação de comando

  • Postos de comando 55K6MA e 85Zh6-2 no BAZ-69092-12 6×6;
  • O radar de gerenciamento de aquisição e batalha 91N6A (M), uma modificação do 91N6 (Big Bird) rebocado pelo trator BAZ-6403.01 8×8;
  • Radar de aquisição 96L6-TsP, uma versão atualizada do 96L6 (Cheese Board) no BAZ-69096 10×10;
  • Radar de engajamento multimodo 76T6 no BAZ-6909-022 8×8;
  • Radar de acoplamento ABM77T6 em BAZ-69096 10×10.

 

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Equipamentos Negócios e serviços Rússia Sistemas de Armas Tecnologia

 Emirados adquirem sistemas de mísseis anti-carro russos Kornet-E 

Rustam Moscou

tradução e adaptação-E.M.Pinto

Os Emirados Árabes Unidos assinaram um contrato com a Rússia para a compra de sistemas de mísseis anti carro Kornet-E no valor de mais de US $ 40 milhões, disse neste domingo um representante das forças armadas dos Emirados Árabes Unidos, o brigadeiro-general Mohammed al-Hasani, na exposição de defesa IDEX.

https://www.youtube.com/watch?v=pSl1TsaPOm4

“Um acordo foi concluído com a empresa russa Instrument Design Bureau para a aquisição dos Kornet-E, no valor de 146,92 milhões de dirhams dos Emirados Árabes Unidos”,disse Hasani aos repórteres.

Kornet E é o nome dado à versão de exportação do sistema de mísseis russo Kornet.

O sistema, apresentado pela primeira vez em 1994, foi desenvolvido pelo KBP Instrument Design Making Bureau, Tula, Rússia, e está em produção e serviço com o exército russo.

O míssil já foi exportado para a Síria, Jordânia, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Arábia Saudita, Turquia, Índia, Marrocos, Argélia e Grécia.

O Kornet é um sistema de terceira geração, desenvolvido para substituir os sistemas de mísseis Fagot e Konkurs no Exército russo. Ele é projetado para destruir carros de combate, incluindo aqueles equipados com armaduras reativas explosivas (ERA), fortificações, tropas entrincheiradas, bem como alvos de pequena escala.

O sistema pode ser montado em uma variedade de veículos com rodas e de esteira, incluindo o veículo de combate de infantaria BMP-3, além de servir como um sistema portátil autônomo. O sistema de mísseis autopropulsados Kornet é fabricado pela fábrica mecânica de Volsk, da Federação Russa.

Categories
Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Espanha vai participar do programa de caças franco-alemão FCAS

Tradução e adaptação: E.M.Pinto

As autoridades espanholas que até então haviam manifestado o interesse em ingressar como parceiro no novo programa aeronáutico Future Combat Air System (FCAS) desenvolvido por indústrias alemãs e francesas, agora oficializa assim o interesse e declara que em breve comporá o grupo de desenvolvedores do Programa.

Espanha está prestes a se juntar à França e à Alemanha no programa Future Combat Air System (FCAS) para desenvolver um novo jato de combate europeu.

A Espanha demonstrou interesse em participar do programa desde seu lançamento em julho de 2017. No entanto, o país recebeu apenas o status de “observador”, já que a França e a Alemanha queriam estabelecer uma “base industrial forte” antes de abrir para outros parceiros europeus. Em 28 de novembro de 2018, a  ministra da Defesa espanhola Robles escreveu formalmente para seus colegas pedindo a integração completa, que foi aceita em 30 de janeiro de 2019.

Em declaração feita nesta semana, Robles, revelou que assinaria da carta de intenções foi feita durante a próxima reunião da OTAN em 13 e 14 de fevereiro de 2019.

O acordo final (Acordo-Quadro de Integração) entre os três países será concluído durante o Paris Air Show entre 17 e 23 de junho de 2019, segundo noticiou a mídia espanhola El Pais. A Espanha destinará a esta fase de desenvolvimento cerca de €  25 milhões, para os dois  primeiros anos do programa.

Uma delegação do Ministério da Defesa espanhol será agora integrada à equipe encarregada da fase inicial de projeto do sistema, enquanto as empresas espanholas deverão se juntar à organização industrial franco-alemã.

Com a Espanha possui 4,17% da Airbus, essa participação no projeto certamente criará empregos dentro das instalações da Airbus espanhola, bem como garantirá a posição das 12.000 pessoas que emprega atualmente.

A Força Aérea Espanhola deseja adquirir cerca de 40 novos Eurofighter Typhoons por um total de € 4 bilhões para substituir os 80 caças F-18 atualmente na frota até 2022 e garantirá a sobrevivência da linha de montagem da Eurofighter em seu país.

Enquanto isso, a Airbus e a Dassault Aviation receberam um contrato de estudo conjunto (JCS) por € 65 milhões da França e da Alemanha em 6 de fevereiro de 2019.

O estudo que deve começar até o final do mês visa unir os termos do Alto Nível. O Documento de Requisitos Operacionais de Comando (HLCORD) foi assinado pela França e Alemanha durante o ILA Berlim 2018, com os dois estudos conduzidos separadamente pela Airbus e pela Dassault desde o início do programa.

No mesmo dia, os dois fabricantes de motores Safran e MTU Aero Engines assinaram um acordo de cooperação industrial para a motorização da aeronave de combate de nova geração.

O objetivo do FCAS é desenvolver um jato de combate que deve ter a capacidade de operar com uma ampla gama de elementos conectados e operando juntos, incluindo “enxames” de drones, mísseis de cruzeiro e aeronaves. Ele está definido para substituir o Eurofighter e o Rafale e deve entrar em serviço em 2040.

 

Fonte: Aerotime

Categories
Defesa Negócios e serviços Traduções-Plano Brasil

Armênia quer mais caças multifuncionais russos Su-30SM

Tradução: E.M.Pinto

A Armênia pode comprar mais caças multifuncionais Su-30SM da Rússia, afirmou o ministro da Defesa da Armênia, David Tonoyan, durante a reunião de quarta-feira. Anteriormente, a Armênia fez um pedido para quatro Su-30SM.

“Sim, nós não planejamos ser limitados apenas por quatro unidades deste tipo de equipamento militar”, disse Tonoyan em resposta a uma pergunta sobre se a Armênia planeja comprar outros caças Su-30SM.

Segundo ele, “os caças já comprados serão entregues ao país dentro do prazo estipulado no contrato”. “Hoje, o Su-30SM é o melhor caça multifuncional moderno, e é por isso que queremos adquiri-los”, acrescentou o ministro.

Fonte: RUAVIATION

Categories
Defesa Estados Unidos Negócios e serviços

Boeing recebe contrato de US $ 39 milhões para 4 helicópteros MH-47G

Tradução e adaptação – E.M.Pinto

O Departamento de Defesa dos EUA (DoD) anunciou que a Boeing recebeu um contrato de  US $ 39 milhões para a finalização de quatro novos helicópteros de operações especiais MH-47G.

Segundo um comunicado, o Boeing Co., foi premiada com US$ 39.038.317 (PZ0003) para um contrato de custo fixo mais taxa fixa (H92241-18-F-0022) para a finalização de quatro helicópteros MH-47G novos.

A nota também destacou que essa ação é necessária para satisfazer uma necessidade urgente de sustentar as aeronaves de asa rotativa de assalto pesado e de ataque pesado das Forças de Operações Especiais (SOF) dos EUA, à luz das crescentes demandas operacionais das SOFs.

O Boeing MH-47G é uma variante de operações especiais do helicóptero CH-47 Chinook. O MH-47G é usado em missões de transporte pesado, como o transporte de tropas, munições, veículos, equipamentos, combustível e suprimentos, bem como missões de socorro civil e humanitário.

O helicóptero pode realizar missões de longo alcance em baixo nível, em condições climáticas adversas durante o dia e à noite.

O MH-47G, a mais recente atualização do helicóptero, foi usado pelo 160º Regimento de Aviação de Operações Especiais “Nightstalker” desde que o primeiro modelo foi entregue em 2014.

O 160º Regimento de Aviação de Operações Especiais do Exército dos Estados Unidos, também conhecido como Night Stalkers, é uma força de operações especiais do Exército dos Estados Unidos que fornece apoio de aviação de helicópteros para forças de uso geral e forças de operações especiais.