Defesa & Geopolítica

AV-TM 300 é testado de forma simulada

Posted by

O AV-TM300 representa um significativo passo a frente no aumento do poder de dissuasão e de fogo “stand-off” do Exército Brasileiro (Fotomontagem: Avibras)

Ivan Plavetz

Míssil tático de cruzeiro AV-TM 300 é testado de forma simulada durante Operação Laçador 2013.

O Exército Brasileiro testou de forma simulada durante a Operação Laçador 2013 o míssil de cruzeiro superfície-superfície AV-TM300, cujo alcance útil é da ordem de 300 km.

O vetor foi disparado a partir da plataforma de lançamento sobre rodas Astros III da variante Mk6 e conduzido com precisão até o alvo por um avançado sistema de telemetria e orientação.

O lançamento simulado do AV-TM300 durante a Operação Laçador comprovou o alcance da arma contra alvos pré-determinados situados a longas distâncias, poder de fogo só superado no Brasil por aquele possuído pelos aviões de combate da Força Aérea Brasileira (FAB).

O AV-TM300, desenvolvido sob liderança da Avibras Aeroespacial no âmbito do projeto Astros 2020 é uma das prioridades do processo de modernização do Exército Brasileiro.

O AV-TM é um programa 100% nacional, tecnologicamente independente e de propriedade intelectual do EB.

A primeira entrega esta prevista para acontecer em 2016. O AV-TM 300 será disponibilizado em duas versões.

A primeira terá cabeça de guerra auto-explosiva (AE) de 109 kg e a outra será municiada com mais de 60 submunições anti-carro de 70 mm.

 

Fonte: Tecnologia & Defesa

55 Comments

  1. Simplesmente uma excelente noticia pra defesa do Brasil!!

    Parabéns à Avibras que resistiu à falta de crédito intencional e conseguiu, mesmo que em teste virtual, testar um de seus produtos mais esperados pelos amantes da defesa!

    E parabéns ao EB também que desenvolveu o dito cujo tecnologicamente, no projeto e pranchetas…

    Nossa capacidade missilística vai aumentar muito e espero que isso se torne efetivo na capacidade de dissuasão do nosso país…

    Agora viajando na maionese e conhecendo alguns dos dilemas técnicos pra realizar essa viagem… Já pensou se fazem versão anti-navio e anti-aérea também???… um pau pra toda obra… com 300 KM de alcance???

    Certamente a coisa não é simples ao ponto de só trocar a cabeça de guerra.. não, é mais complicada… então fica na viagem mesmo… mas seria interessante verificar a factibilidade dessa proposta multi-Roll pra um míssil de 300Km de alcance…

    E essa versão “Cluster” anti-carro muito me agrada… o Brasil não deve assinar nenhum acordo internacional que tire de nosso país a capacidade de produção e operação de ogivas com sub-munições para se espalhar no campo de batalha, pelo menos não até que as potencias assinem também, se todos assinarem juntos em Genebra aí nos também devemos assinar!

    Mas fora isso … não!

    Valeu, já viajei demais na maionese por hoje… Fui!!

    • Essa “viagem” eu faço sempre que penso nesse míssil.
      Vamos Brasil e brasileiros , em frente, sempre!!

    • Francoorp,

      considerando que a Mectron já desenvolveu um míssil aero lançado, o MAR-1…

      Que o míssil anti navio ManSup de 180km de alcance e guiagem digital, já está em bom patamar de desenvolvimento (A estréia do protótipo está prevista para 2017).

      E que a MBDA, em Maio de 2013, “disse que um acordo formal estava na mesa para a expansão dos trabalhos com seus parceiros brasileiros Avibras e Mectron para um novo projeto de motor, destinado aos mísseis AM39 que equiparão os helicópteros navais EC725 da MB”.

      Não considero tanta viagem assim o desenvolvimento posterior de versões do AV-TM 300 , ar-superficie e anti-navio…

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Como sempre o EB fazendo história mesmo sob o signo do revanchismo barato e contra tudo e contra todos, inclusive esse governo vendido… parabéns ao EB,,, governos passam, mas a nação brasileira continua, forte e conservadora do que é bom,,, o resto nós expurgaremos como o pus de uma ferida… VIVA O BRASIL VERDE E AMARELO !!!…

      • Graças aos investimentos pesados dos TRABALHISTAS o BRASIL avança em todas as áreas. Os merdais afundaram a engesa, faliram nossa indústria, privatizaram a Embraer e pretendiam transformas as forças armadas em polícia.

        • Blue Eyes, Na Resistência says:

          Ao que me parece quem criou uma policia militar só para eles foram os petralhas, com a malfadada Guarda Nacional do pt… foram eles também que transformaram o exercito em polícia de fronteiras e de morros… não é mesmo ???… ou já se esqueceu…

  2. Achei nem interessante como esse míssil parece com o exocet …

    Será que isso indica que será possível aproveitar o know how pra fazer um míssil naval?

    Só uma duvida: a Avibras esta envolvida no MANSUP?

    • O MANSUP está sendo desenvolvido pela Avibras e Mectron, com gerenciamento complementar da Atech (agora 100% Embraer) e a Omnisys participando do desenvolvimento do Autodiretor (seeker).

  3. Achei bem interessante como esse míssil parece com o exocet …

    Será que isso indica que será possível aproveitar o know how pra fazer um míssil naval?

    Só uma duvida: a Avibras esta envolvida no MANSUP?

  4. Salve Senhores,
    .
    Aí “tem”…; há mais sobre este projeto, do que é bom sabermos…
    .
    Saudações,
    .
    konner

  5. Esse míssil está dentro do limite de alcance (300 km) e peso (500 k) estabelecido pelo Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis (MTCR). Acredito que o Brasil deva desenvolver bem esse míssil e depois sair fora desse tratado que limita nossa capacidade de defesa, que aliás está beeeem limitada, se outros países tem mísseis com alcance muito maior que 300 km, nós também podemos ter.

    Como disse o havaiano Barack Hussein Obama II: “Yes, we can”, a Dilminha podia dizer: “então nos podemos também”.

    • Edison,

      o MTCR não impõe limites de alcance e peso para o desenvolvimento e produção autóctone de mísseis.
      O MCTR proibe é o comércio internacional, a exportação de tecnologias e mísseis que superem os limites estipulados pelo acordo.

      Acredito que estes limites de 300 km de alcance e de peso do AV-TM 300, sejam ditados, além das limitações tecnológicas nacionais, por razões comerciais, para possibilitar sua exportação, dentro do limites do MTCR…Já que o seu desenvolvimento somente para suprir a demanda (pequena) de nossas forças armadas seria inviável economicamente.

  6. marcio alves do nascimento says:

    Parabéns Avibras,espero que o AV-MT 300 tenha uma variante anti-navio bastando mudar seu sistema de busca e seu perfil de voo para sea-skimmer,uma variante lançada do ar que poderia ser de menor tamanho e peso que receberia a designação de AV-MTLA 200 (Avibras-Míssil Tático Lançado do Ar) e alcance de 200 km.

  7. Excelente notícia!

  8. Trezentão show de bola, Astros III orgulho nacional 🙂

  9. =b Show!…

    Sabem informar se tais mísseis dispõe de defesa perante um ataque eletromagnetico como uma bomba de neutrons?… se tem como isola-los… bem cm as fontes de sinais!… Porque aí continuariam eficientes diante de uma defesa aérea fraca… e um eventual ataque eletromagnetico do inimigo pra cortar as comunicações e defesa anti-aérea…

    • Uma bomba de neutros foi exagero seu, mas sim, os misseis costumam ter defesas para se protegerem de uma guerra eletrônica. Mas as defesas propriamente não ficam nele, e sim no sistema usado para comunicar entre o míssil e o sistema de guiagem, até a fase em que o míssil assume o controle e se torna autônomo. No caso é o Datalink(enlace de dados), não tenho noção qual o padrão do datalink que seria usado no míssil, mas datalinks modernos são extremamente difíceis de invadir, eles fazem muitos saltos de frequência, distribindo a mensagem em pacotes em diferentes frequências, além de serem criptografados. Seria necessário encher de interferência um espectro inteiro, algo que atualmente somente Rússia e EUA são capazes. Talvez a China também.

      Porém isso considerando que haja alguma interação entre uma equipe em superfície ou ar e o míssil. Se ele for dispare e esqueça, as interferências serão no sistema usado para guia-lo. Se for IR você pode apontar lasers e cegar os apontadores, se for Radar pode usar uma série de técnicas para despistar e interferir no radar, e se for GPS, bom nesse caso a única coisa que pode fazer é tentar derrubar o míssil. Que é bem possível que carregue contra-medidas, como Chaffs, ECM, Flares, além de poder ser programado para mudar em pontos determinado sua rota para despistar os inimigos.

  10. eu só quero saber se essa coisa será supersônica…e eu espero que sim..

    • Que tal um HIPER? =b

      http://www.youtube.com/watch?v=k3ZOdUFsjFY

      Mas como sempre… esbarra na falta de compromisso do Estado!

    • Resposta: não, será supersônico. Mas ainda assim é um míssil que poucos países no mundo poderiam fazer.
      E se supersônico só quer dizer que é mais rápido e não mais eficiente que os misseis subsônicos.
      Um míssil supersônico parece a primeira vista só possuir vantagens frente aos subsônicos, mas não é bem assim.
      Míssil supersônico ou hipersônicos são geralmente muito grandes (para acomodar o combustível e motor, exemplo o Brahmos e suas 3 toneladas e 8.40m de comprimento) o que faz deles “na teoria” mais fáceis de serem “vistos” pelos radares, eles também produzem muito calor o que os entrega para os sensores IR.
      É basicamente uma questão de escolha, você prefere um míssil mais lento, porém, mais discreto ou um míssil rápido que tenta furá as defesas com a cara e a coragem.
      Seja um ou outro tem vantagens e desvantagens.

        • Esse aí é muito moderno pra mim… kkkk
          Que filme é esse?

        • mas senhor Carl esse míssil avtm300 ai também parece ser muito grande….parece ser do mesmo porte do brahmos….eu estou enganado é?! é falsa impressão minha é?!e o senhor não acha muito fulera/sem muito futuro um míssil subsônico de apenas 300 km de alcance!?olha, num sei não viu….tanto tempo..espetáculo…. pra chegar a isso no final viu!!!!!!!

          • Não mesmo. Dá uma olhada no lançador terrestre do Brahmos, parece ser do tamanho de um S300 ou S400. O AV-MT é um anão perto dele.

          • é ,,, tudo bem senhor Lucas Senna…mas eu ainda continuo achando que essa coisa deveria ter alcance igual aos do Tomahawk pelo menos…já que é subsonico…fazer um míssil subsonico de só 300 km de alcance pra mim não tem muito futuro não viu….só este pais de bananas/CORRUPTO mesmo pra “aceitar” normas/regras que visam descaradamente apenas sabotar e impedir desenvolvimento/avanços de outros países…….por isso que nada da certo/vai pra frente neste pais…esquemas de lobby/propina/corrupção DO INTERESSE ESTRANGEIRO sabotam e impedem que qualquer coisa aqui se desenvolva…expoentes senhores como Nelmo Suzano e Gurgel que o digam…rs..

          • É só impressão mesmo, o AV-TM 300 é um míssil bem menor e muito mais leve que o Brahmos.

            AV-TM 300
            mede 4,5 metros
            pesa algo em torno de 700 kg

            Brahmos
            mede 8.4 metros
            pesa algo em torno de 3000 kg

            O AV-TM 300 é um míssil aparentemente muito bom, e que poucos países no mundo conseguiriam fazer um equivalente.
            O Brasil está começando agora e está começando muito bem (300km), tenho certeza que vamos vender muito desses misseis. Além do mais com o passar do tempo vão fazendo versões melhoradas de maior alcance e velocidade.

            E não precisa ficar bravo comigo, eu só repassei os dados, juro que não fui eu que fiz esse míssil…rsrsr

            sds camarada

          • “O Brasil está começando agora e está começando muito bem (300km), tenho certeza que vamos vender muito desses misseis. Além do mais com o passar do tempo vão fazendo versões melhoradas de maior alcance e velocidade. ”

            huumm…ta certo então…

            “E não precisa ficar bravo comigo, eu só repassei os dados, juro que não fui eu que fiz esse míssil…rsrsr”

            nnãããooo…o que é isso amigo Carl….

  11. Sim, apesar do atraso colossal de fabricação de um míssil de cruzeiro nacional, tenho mesmo assim que dar parabéns a todos os seus desenvolvedores. Pois também sei que tratando-se de Brasil e suas FA, sempre falta muito apoio político, de gente de dentro, e até da pretenciosa imprensa especializada. Parabéns guerreiros!

    Prezado Konner também acredito em várias outras possibilidades secretas.
    Quanto ao alcance ser extend i d o se necessário, é só alterar o módulo de combustível e o seu container lançador, por que não?!!!!!



    Entretanto lá vem água fria na fervura acima…
    E nosso 14-X como está?
    O futuro próximo, ainda neste século, será dominado pelos que estiverem armados com armas cinéticas espaciais (orbitais e sub-orbitais).
    Os atuais mísseis atmosféricos serão armamento ultrapassado. Bons apenas para oponentes fracos.

  12. Simplesmente uma excelente noticia pra defesa do Brasil!!

    Parabéns à Avibras que resistiu à falta de crédito intencional e conseguiu, mesmo que em teste virtual, testar um de seus produtos mais esperados pelos amantes da defesa!

    E parabéns ao EB também que desenvolveu o dito cujo tecnologicamente, no projeto e pranchetas…

    Nossa capacidade missilística vai aumentar muito e espero que isso se torne efetivo na capacidade de dissuasão do nosso país…

    Agora viajando na maionese e conhecendo alguns dos dilemas técnicos pra realizar essa viagem… Já pensou se fazem versão anti-navio e anti-aérea também???… um pau pra toda obra… com 300 KM de alcance???

    Certamente a coisa não é simples ao ponto de só trocar a cabeça de guerra.. não, é mais complicada… então fica na viagem mesmo… mas seria interessante verificar a factibilidade dessa proposta multi-Roll pra um míssil de 300Km de alcance…

    E essa versão “Cluster” anti-carro muito me agrada… o Brasil não deve assinar nenhum acordo internacional que tire de nosso país a capacidade de produção e operação de ogivas com sub-munições para se espalhar no campo de batalha, pelo menos não até que as potencias assinem também, se todos assinarem juntos em Genebra aí nos também devemos assinar!

    Mas fora isso … não!

    Valeu, já viajei demais na maionese por hoje… Fui!!=== Excelente comentário, eu peso tbm assim,eu ñ aceitei o MCTR até agr…sds.

  13. Esse comentário é do amigo Francooper …sds.

  14. Notícia excelente e prova o que estou careca de saber… se quisermos ninguém nos segura… quem então tem nos segurado?

  15. Parabens a Avibras, ” no papel” está tudo de acordo! Agora no mundo real a prática é outra.. vamos aguardar testes de fato para esse promissor armamento.

  16. Deveriam ter uns c maior alcance de pelo menos 1100km…sds.

  17. luiz anselmo pias perlin says:

    PERGUNTA? O que determina o alcance do missel é a quantidade de combustivel que transporta se for só isto é facil ultrapasar estes 300 KM ou estou erado.

    • Existem vários fatores. A quantidade de combustível é uma. A aerodinâmica é outra. Assim como a massa do míssil também conta, e a velocidade. Mais rápido maior o consumo, maior o consumo maior a necessidade de combustível, maior a necessidade de combustível maior a massa, maior a massa maior a quantidade de combustível, e assim vai. O segredo é o equilíbrio dessas variáveis.

      • luiz anselmo pias perlin says:

        Tudo bem Lucas Senna,concordo mas estas variaveis não devem ser tão dificeis de se superar afinal a parte mais dificel foi superada que foi o projeto e a construção da maquina, aperfeisoar e modernizar teoricamente deve ser menos difisel tu não achas?

        • Nem sempre a adaptação é viável, e é preciso ter em mente que adaptações podem ser mais baratas mas também são mais limitadas. Porém provavelmente deve ser possível adapta-lo, aumentando talvez uma ou duas centenas de quilômetros, mas não creio que passaria muito disso. Muito mais que isso já é necessário todo um projeto novo, com aerodinâmica e funcionamento diferente. Mesmo porque, para aquilo que se propõe, não precisa muito mais que isso. A intenção é que seja barato, para que possa ser usado de maneira mais desprendida, em saturação. Tanto que a estação de lançamento dele é uma artilharia de saturação. Se ele for muito complexo, ou grande, se perde todo o propósito. No entanto o conhecimento ganho no projeto obviamente pode e deve ser aproveitado para se criar sistemas maiores e mais complexos. O único problema é vontade governamental para bancar e comprar unidades de um sistema mais complexo, algo que duvido que aconteça. Vale lembrar que a limitação de alcance dele também é para facilitar exportação, já que muito dificilmente o governo vai encomendar unidades suficientes para valer o investimento.

  18. Temos mísseis bem melhores em nosso arsenal, tanto em capacidade de carga como em alcace (mais de 5 mil km) mas levam nomes carinhosos. Sejam criativos.

  19. LULA e Dilma investiram mais que os presidentes de farda; alguns pequenos exemplos:
    1) Aquisição de 12 Mi-35;
    2) Aquisição de 50 EC-725 com transferência tecnologica;
    3) Aquisição de 4 SeaHawk em compra simples;
    4) Aquisição de 18 Black Hawk em compra simples;
    5) Aquisição de 4 submarinos Scórpene com transferência tecnologica;
    6) Aquisição de 1 Submarino Nuclear com investimento no Reator Nacional;
    7) Construção da Base de Submarinos e Estaleiro;
    8) Programa do veículo blindado Guarani (2000 unidades previstas, com a primeira centena já contratada), PRODUÇÃO JÁ INICIADA;
    9) Aquisição de 20.000 Fuzis IA-2 5,56mm (unidade de teste formada com 1500 unidades de pré-produção);
    10) Programa de desenvolvimento da Aeronave de transporte KC-390;
    11) Contratação do Satélite Geoestacionário Nacional;
    12) Implantação do SISFRON para a vigilância das fronteiras nacionais;
    14) Aquisição de 4 lanchas blindadas colombianas;
    15) Aquisição de 250 Carros de Combate Leo 1A5;
    16) Aquisição de 36 obuseiros M-109 A5;
    17) 9 P-3AM Orion;
    18) Modernização de 35 A-1, para o padrão A-1M;
    19) Modernização de 12 A-4, para o padrão A-4M;
    20) Modernização de 48 F-5E, para o padrão F-5EM;
    21) Aquisição de 36 veículos Gepard artilharia anti-Aérea;
    22) Aquisição de lotes de mísseis Igla-S;
    23) Aquisição de veículos Marruá e família;
    24) Renovação total dos caminhões militarizados nas três forças;
    25) Aquisição de três baterias Pantsyr S-1, Igla-S, com a licença de fabricação no país (algo pouco lembrado);
    26) Aquisição de 99 aeronaves A-29;
    30) Financiamento do Míssil Anti-radiação nacional MAR-1;
    32) Programa nacional de fabricação de minas navais de livre flutuação e de fundeio (magnéticas e de contato).
    33) Aquisição de três belonaves de patrulha oceânica com direito de fabricação do modelo sob licença.
    34) Aquisição de navios patrulha de 500 ton. Classe Macaé;
    35) termino da construção com a consequente incorporação da Corveta Barroso;
    35) Aquisição de dois navios de transporte de tropa e suprimentos ex- Royal Navy…
    36) Investimentos e Aquisição de 42 lançadores Astros 2020;
    37) Modernização Obuseiros M-109 A3;
    38) Modernização Blindados M-113;
    39) Modernização de 12 caças AF-1 Skyhawk da marinha;
    40) Investimentos e projeto do A-Darter;
    41) Aquisição dos anti carro ALAC pro Exército;
    42) Modernização de 34 AS 365K Pantera do Exército;
    43) Modernização de 18 AS 550A2 Fennec do Exército;
    44) Modernização de 54 C- 95 Bandeirante da Força Aerea;
    45) Aquisição dos 8 CASA C- 295 EADS para a Força Aerea;
    46) Investimentos e Planificação no COBRA Programa Soldado do Futuro do Exército;
    47) Aquisição do Gaucho Veiculo de reconhecimento;
    48) Modernização de 6 Grumman S- 2T Tracker da Marinha;
    49) Modernização de 14 HB- 350L1 Esquilo do Exército;
    50) Desenvolvimento do MAA-1B Piranha missel ar-ar curto alcance;
    51) Desenvolvimento do MAN-1 anti navio para a Marinha;
    52) Aquisição misseis anti carro MSS 1.2 AC para o Exército;
    53) Modernização de 9 P- 3AM Orion da Força Aerea;
    54) Aquisição 30 Blindados Piranha IIIC para Fuzileiros Navais, 24 entregues;
    55) Desenvolvimento e aquisição 40 radares SABER 60 pro Exército;
    56) Desenvolvimento Radar Saber 200;
    57) Estudo viabilidade modernização de 12 Super Lynx da Marinha;
    58) Modernização de 175 Blindados 6X6 Urutu do Exército;
    59) Aquisição 4 VANT Israel;
    60) Estudo viabilidade modernização de 60 T-27 Tucano;

    E não sou PTista.. mas reconheço méritos ao contrario dos pregadores de ódio ideológico de plantão, que vem sempre com a mesma conversa!

    • Blue Eyes, Na Resistência says:

      Que não é o que… mais um PETRALHA enrustido… me engana que eu gosto… quem te conhece bem é o Vader… ele disse que até bandeirinha do pc do b tu beijavas… na verdade, COMUNISTA devia ser tratado como NAZISTA… todos defendem a mesma linha de conduta de escravização da população para manter uma malta no poder através da busca da hegemonia do partido único… e hoje o pt pode sim ser considerado um partido nazista no poder pois não aceita e impede a salutar alternância do poder através de meios imorais e muitas vezes ilegais, como a pratica do MENSALÃO…

  20. O BRASIL tinha , passado, um projeto de missil p + 1000km chamado S=1000, um contraponto ao projeto argentino condor…q parece-me foi cancelado após uns teste bem promissores…Sds.

shared on wplocker.com