Defesa & Geopolítica

ATAGO

JAPAN-SHIPPING-ACCIDENT

SOBRE O PROJETO


A marinha Japonesa entra para o século XXI com um status de superpotência naval tão impressionante quanto no passado século.

Este status vem sendo continuado com a adoção da poderosa classe ATAGO de destroyers, os mais modernos e poderosos navios de guerra da marinha japonesa.

Fisicamente os Atago lembram a classe norte Americana Arleigh Burke, cujo projeto indiscutivelmente serviu de molde mestre para esta nova classe de navios.

De fato a classe Atago nada mais é que uma versão aprimorada da também Classe de destroyers Kongo, cujo sistema de combate foi otimizado para fazer frente as ameaças dos mísseis balísticos Chineses e Norte Coreanos, garantindo à poderosa Marinha do Japão a continuidade do status de super potência Naval do continente asiático.


SISTEMAS ELETRÔNICOS


Os Navios da classe Atago, tem por missão principal a de prover defesa Anti-aérea e para tanto o navio é equipado com o moderno sistema de radares AEGIS SPY-1D de 450 km de alcance. Os Atago possuem 4 antenas dispostas de forma a prover cobertura permanente à 360º capaz de traquear simultaneamente mais de 100 alvos,

Para controle de fogo os Atago contam com dois sistemas distintos, um deles dedicado ao controle dos mísseis anti-aéreos, baseados no radar AEGIS FCS MK-99, enquanto que as demais armas são orientadas e iluminadas por outro sistema, o radar FCS-2-21.

Para busca de superfície os navios empregam um sistema OPS-28 cujo de alcance estimado em 64 km.

Os Atago empregam o novo sonar AN/SQQ-89, mais moderno que as variantes anteriores.


SISTEMAS DE ARMAS


A principal arma de cano dos Atago é o canhão é o canhão 127 mm Mk 45 Mod. IV, porém estes navios contam ainda com defesa de ponto muito semelhante aos destroyers Norte americanos equivalentes, baseada em 2 canhões CIWS Vulcan Phalanx de 20 mm, posicionados um a proa e outro a popa do navio.

A principal função dos Atago é a defesa anti-aérea e para isto estes navios são equipados com mísseis SM-2 MR de 167 km, disparados dos 2 lançadores verticais MK-41, um de 29 e outro de 61 células o qual serve de lançador para o sistema de míssil-torpedo anti-submarino RUM-139 ASROC VLA, o qual carrega um torpedo leve MK-46 a uma distancia máxima de 28 km.

Para ataque naval os Atago contam com sistema de lançamento para 8 míssis SSM-1B.

Para guerra anti-submarina há dois lançadores triplos Type 68, para torpedos Type 73 de produção local ou mesmo o modelo MK-46.


PROPULSÃO


A propulsão desta classe de navios é provida por 4 turbinas a gás da General Electric modelo LM 2500-30 que produz 75 MW de potencia, porduzidas sobre licença pela japonesa Ishikawajima Harima.

Com isto os navios podem atingir uma velocidade de 56 km/h e uma autonomia de aproximadamente 8 334 km.


FICHA TÉCNICA


Tipo: Destróier anti-aéreo

Tripulação: 300

Deslocamento: máximo 10 000 toneladas.

Comprimento: 170 m.

Boca: 21 m.

Propulsão: 4 turbinas a gás Ishikawajima Harima/ GE LM 2500-30 de 100 000 SHP

Velocidade máxima: 56 km/h

Autonomia: 8 334 Km

Sistemas eletrônicos: Radar multifuncional SPY-1D AEGIS com 450km de alcance, radar de busca de superfície OPS-28 com 120 km de alcance, Sistema de controle de fogo FCS-2-21. Sonar AN/SQQ-89.

Sistemas de armas: 2 lançadores verticais MK-41 para 90 celulas para mísseis SM-2 MR Standard, RUM-139 ASROC VLA. 1 canhão 127 mm; 2 CIWIS 20 mm Vulcan Phalanx. 2 para 8 mísseis anti-navio Harpoon. 2 lançadores para 6 torpedos Type 68 para torpedos MK-46 ou Type 73.

Destacamento aéreo: Heliponto e hangar para um helicóptero médio modelo SH-60B ou similar.


shared on wplocker.com