Defesa & Geopolítica

Panorama: Fuerzas Comando 2019

Posted by

Entre 17 e 27 de junho aconteceu a competição Forças Comandos 2019 no Chile, que está na 15º edição do exercício, a competição envolveu unidades policiais e forças armadas de 19 países, sendo eles, Argentina, Belize, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, Panamá, Paraguai, Peru, Trinidad e Tobago, Uruguai e Estados Unidos .

Forças Comandos 2019 é um exercício anual patrocinado pelo Comando Sul dos EUA, executado pelo Comando de Operações Especiais do Sul (SOCSOUTH), que tem sido realizado principalmente na América Central, América do Sul e Caribe desde 2004. O exercício tem duas partes: uma competição de habilidades e um Seminário de Líderes Sênior voltado para o combate ao terrorismo. O evento demonstra e testa as habilidades dos participantes por meio de competições de forças de operações especiais. O concurso multinacional de habilidades operacionais e o Seminário de Liderança Sênior deste ano foram oferecidos pelo Exercito de Chile e Estado Maior Conjunto do Chile. O SOCSOUTH , com sede na Homestead Air Reserve Base, na Flórida, é o principal comando de execução dos EUA para o exercício. O SOCSOUTH serve como componente de operações especiais para o Comando Sul dos EUA.

Objetivo da Competição Forças Comandos é adestrar as unidades de Operações Especiais dos Países das Américas no que tange ao combate ao Narcotráfico, Terrorismo e Pirataria além de promover as relações e trocas de experiências entre os países.

Cada equipe participante é formada por 7 militares sendo eles, 4 militares da equipe de assalto, 2 militares atiradores de elite e 1 militar suplente. O Brasil em 2019 participou com uma equipe formada por militares do Primeiro Batalhão de Ações de Comandos(1BAC) representando o COpEsp (Comando de Operações Especiais do Exercito Brasileiro) que foram provados em uma série de tarefas e eventos críticos individuais e coletivos que incluem um teste de aptidão física, pista de obstáculos, qualificação de rifle e pistola, teste de combate a curta distância, marcha forçada e um evento de água. Os eventos testam as habilidades e proficiência do participante sob condições desconhecidas e estressantes em cenários simulados.

 

 

Análise do Brasil no Forças Comando 2019:

 

O primeiro dia do evento consistiu na prova de qualificação de armamento principal e secundário dos operadores. A equipe Brasileira Liderada pelo Primeiro Tenente Marcus Marello participou utilizando o fuzil(HK416) e a pistola(GLOCK 9mm) de dotação do COPESP, ao final desse primeiro dia de evento o Brasil alcançou a 10ª colocação com 610 pontos, o maior pontuador foi a Colômbia(AFEUR) com 765 pontos.

 

 

O segundo dia do evento consistiu na prova de Avaliação de distâncias. Cada país representado por 2 Atiradores de precisão mostraram suas habilidades contra alvos localizados em diferentes distâncias. A equipe Brasileira participou utilizando o fuzil de precisão multicalibre Remington MSR(.308 e .338). Ao final do segundo dia de evento a equipe brasileira conseguiu alcançar 625 pontos permanecendo na 10ª colocação geral. Os maiores pontuadores dessa prova foram Colômbia(AFEUR), Chile(BOE Lautaro) e EUA(7th Special Forces Group), ambos conseguindo 765 pontos.

 

 

O terceiro dia do evento consistiu na prova de Pista de Obstáculos, nessa prova os países participantes mostraram suas capacidades de trabalho em equipe para completar o percurso sem deixar nenhum homem para trás. Ao final desse dia a equipe brasileira conseguiu 150 pontos continuando na 10ª colocação geral, o maior pontuador dessa prova foi o Chile(BOE Lautaro) conseguindo 200 pontos.

 

 

O quarto dia de evento colocou à prova as capacidades anfíbias das equipes participantes. Nessa prova as equipes foram lançadas de helicóptero na costa Chilena utilizando a técnica Hello Casting(Bastante empregada pelo Brasil nos Rios da Região Amazônica), os competidores já na água tiveram que chegar a praia nadando e posteriormente realizaram um pequeno percurso de marcha e terminando com avaliação de tiros de pistola. A equipe Brasileira conseguiu alcançar 160 pontos, permanecendo na 10ª colocação geral, o maior pontuador dessa prova foi o Chile(BOE Lautaro) conseguindo 200 pontos.

 

 

 

No quinto e sexto dia as equipes participantes colocaram na prova de tarefas criticas suas habilidades de disparos de armas táticas e de precisão, Nessa Prova o Brasil acumulou 280 pontos(permanecendo na 10ª colocação geral), com o maior pontuador sendo os EUA(7th Special Forces Group) com 400 pontos.

 

 

O sétimo dia de evento foi caracterizado pela prova de combate urbano, essa prova foi iniciada com um disparo de precisão efetuado pelos Atiradores de elite de cada equipe e seguida de uma incursão das equipes de assalto em um ambiente de combate confinado(CQB) com o intuito de eliminar as ameaças e resgatar um refém fictício. A equipe Brasileira conseguiu a 3ª melhor colocação da prova(atrás de Colômbia com 580 pontos e Equador com 570 pontos) alcançando 535 pontos elevando na colocação geral para a 9ª posição.

 

 

No oitavo dia de evento as equipes participantes enfrentaram a prova física e marcha noturna com cada operador das equipes carregando 50kg de equipamentos. Nessa Prova o Brasil acumulou 175 pontos(finalizando na 9ª colocação geral), com o maior pontuador sendo o Equador(Grupo Especial de Operações-GEO) com 200 pontos.

Nos dois últimos dias de evento aconteceram o concurso multinacional de habilidades operacionais e o Seminário de Liderança Sênior ministrados pelo Exercito de Chile e Estado Maior Conjunto do Chile.

 

 

FONTE: SOCSOUTH e Ejército de Chile(Tradução, adaptação e análise de Mateus Barbosa).

6 Comments

  1. Lucas Macedo says:

    Matéria muito boa, bastante completa e com fontes fidedignas.

  2. Na próxima mandem os COMANFS.

  3. O Brasil como é o líder do bloco era para ser o primeiro é como no caso das olimpíadas não tínhamos atletas o que o Brasil fez, colocou os militares, agora que exige-se as competição entres nossos militares eu pergunto quando é que o Brasil vai ganhar isso pelo menos uma vez na história, Brasil tem intercambio com os Seals, é com diversos militares pelo mundo mais nada se aplicar nesses jogos se é estratégia eu não sei, só sei que nossas FFAA’s está levando uma surra nessas competições.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

shared on wplocker.com