Menu
Seções
Plano Brasil/Itália/Fincantieri/Novo Conceito de NPOMs (PPAs)/Análise: “Fincantieri lança ao mar o primeiro Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) para a Marinha de Guerra Italiana, Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel” P 430”
Artigos Exclusivos do Plano Brasil

NOTA DO PLANO BRASIL, por Gérsio Mutti: Tradução do texto italiano “VARATO A MUGGIANO IL PATTUGLIATORE POLIVALENTI D’ALTURA “THAON DI REVEL” (Batismo e Lançamento ao Mar em Muggiano do Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) Paolo Thaon Di Revel P 430) e adaptação a terminologia naval em vigor na Marinha do Brasil (MB) por Gérsio Mutti/Plano Brasil (PB).

Batismo e Lançamento ao Mar em Muggiano do Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) “Paolo Thaon Di Revel” P 430

Por Difesa Online (Notizie dal Mondo Militare), Editoriale, 15/Junho/2019

A cerimônia de lançamento ao mar do primeiro navio Pattugliatori Polivalenti d’Altura (PPA), “Paolo Thaon Di Revel” P 430, Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel”, ocorreu na data de 15/Junho/2019, no Estaleiro de Riva Trigoso e os blocos foram integrados pela Fincantieri em Muggiano (La Spezia, Itália).

A madrinha do navio foi a Senhora Irene Imperiali, sobrinha do Almirante da Marinha de Guerra Italiana, Paolo Thaon Di Revel ( https://it.wikipedia.org/wiki/Paolo_Thaon_di_Revel ).

Este PPA, é o primeiro Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM), de um total de sete unidades, com previsão de incorporação ao Serviço Ativo da Marinha (SAM) para comissionamento em 2021.

As outras seis unidades serão entregues a partir de 2022 e fazem parte do Plano de Renovação de Meios da Marinha de Guerra Italiana, decidido pelo Governo e pelo Parlamento Italianos e iniciado em maio de 2015 (“Lei Naval”).

Características técnicas de cada unidade

Denominação: Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) / (PPA – Pattugliatori Polivalenti d’Altura).

O Navio de Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) representa um tipo de navio altamente flexível e com capacidades de executar múltiplas tarefas, desde Patrulha Oceânica com emprego no Salvamento Marítimo, até Operações de Proteção Civil, bem como na sua versão mais equipada que vem a ser comparável a um navio de guerra de primeira linha.

De fato, diferentes configurações de sistemas de combate estão previstas para fins de adaptações a bordo, ou seja, a partir de uma “missão leve”, relacionada à tarefa de patrulhamento, integrada com capacidade de autodefesa, até no emprego de uma “missão completa”, equipada com capacidade de defesa máxima.

Além disso, a unidade é capaz de usar barcos rápidos do tipo RHIB (Embarcação de Casco Rígido) com um comprimento de mais de 11 metros por meio de guindastes laterais ou por meio de uma rampa no outro bordo.

Características de Projeto

 

Comprimento: 132,5 metros;

Velocidade Máxima: 31 nós, dependendo da configuração operacional

Tripulação: 171 militares;

Propulsão Naval: Sistema Combinado de Turbina a Gás e Diesel (CODAG) e um Sistema de Propulsão Elétrica;

Casos de emergência de Operações de Proteção Civil em situações de catástrofes (Defesa Civil) no socorro a populações em terra firme (Ajuda Humanitária)

  1. a) Capacidade de fornecer água potável; e
  1. b) Capacidade de fornecer energia elétrica, até a potência de 2.000 KW;

Áreas Extras Modulares a bordo da embarcação

Áreas Extras a bordo da embarcação para Incorporações de Sistemas Modulares, dependendo da configuração para emprego específico, ou geral): Duas (2) áreas modulares, uma na popa e uma a meia nau no centro do navio, que permitem o embarque de vários tipos de módulos operacionais / logísticos / habitacionais / sanitários em contêineres (em particular a área da popa pode receber e movimentar em área coberta até 5 módulos em contêineres ISO 20” (Standard Reefer Container), enquanto que na área central até 8 contêineres ISO 20” (Standard Reefer Container).

Os PPAs estão sendo construídos no Estaleiro de Riva Trigoso e os blocos integrados pela Fincantieri em Muggiano (La Spezia, Itália) num total de sete navios, com a entrega para incorporação ao SAM e comissionamento pela Marinha de Guerra Italiana, previsto para a primeira unidade da “Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel””, em 2021, enquanto os seis PPAs seguintes serão entregues para incorporações ao SAM e comissionamentos, em 2022, 2023, 2024 com duas unidades, em 2025, e em 2026.

Fonte: Difesa Online (Notizie dal Mondo Militare), Editoriale  ( http://www.difesaonline.it/industria/varato-muggiano-il-pattugliatore-polivalente-daltura-thaon-di-revel )

NOTA COMPLEMENTAR DO PLANO BRASIL, por Gérsio Mutti: Plano Brasil/Itália/Fincantieri/Novo Conceito de NPOMs (PPAs)/Análise: “Fincantieri lança ao mar o primeiro Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) para a Marinha de Guerra Italiana, Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel” P 430”.

No texto acima da “Difesa Online, Editoriale”, nas Características de Projeto do Navio, há a menção do emprego de motor diesel no fornecendo energia de bordo para a terra em caso de catástrofes no montante de 2.000KW, que vem a ser 2×1000² W, ou 2MW: (2.000KW = 2X1000² W = 2MW).

Mega (M) é um prefixo do Sistema Internacional de Unidades que indica que a unidade padrão foi multiplicada por um milhão (1.000.000). A nomenclatura foi adotada em 1960 e vem do prefixo grego “μέγας”, que significa grande.

Em linguagem de Tecnologia da Informação (TI), mega de megabyte não representa exatamente um milhão, mas 220 (= 1.048.576) bytes ( Wikipédia – https://pt.wikipedia.org/wiki/Mega ). 

Assim, segundo link da Navy Recognition ( http://www.navyrecognition.com/index.php/news/defence-news/2016/march-2016-navy-naval-forces-defense-industry-technology-maritime-security-global-news/3652-ge-to-provide-gas-turbines-for-italian-navy-ppa-hybrid-drive.html ) podemos ler:

“Pattugliatori Polivalenti d’Altura (PPA)  – Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM):

A Marine Solutions da GE fornecerá a turbina a gás LM2500 + G4 que dará força aos novos Patrulheiros de Patrulhas Oceânicos [Pattugliatori Polivalenti d’Altura (PPA)] da Marinha de Guerra italiana.

Turbina a Gás Marinizada GE LM2500+G4 (foto):

O sistema de propulsão elétrica híbrido dos navios também usará os acionamentos MV3000 à prova de choque da GE e uma rede elétrica de motores projetada pela GE como parte do sistema de propulsão. O motor e o acionamento híbridos também podem atuar como o gerador para alimentar equipamentos a bordo do navio, como armas e sensores (https://www.gepowerconversion.com/sites/default/files/GEA34072%20%20GE%20PC%20Solutions%20%26%20Products%20Brochure%20A5%20Low%20Res%20%28032019%29.pdf ).   

Durante a realização de operações de socorro em catástrofes, o PPA poderá fornecer até 2MW de energia de bordo para terra. Os conversores GE podem converter a frequência da eletricidade gerada para 50 ou 60 Hertz, permitindo uma conexão suave em terra, qualquer que seja a localização.”

PPA Nº 01: Cerimônia de colocação da quilha (“Cerimônia da Quilha”) na doca seca do Estaleiro Riva Trigoso do PPA Nº 01 (foto abaixo) Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel”em 09/Maio/2017. Batizado e lançado ao mar em 15/Junho/2019 com o nome PPA “Paolo Thaon Di Revel” P 430. Previsão de incorporação ao SAM para comissionamento pela Marinha de Guerra Italiana [Marina Militare Italiana ( MMI – http://www.marina.difesa.it/Pagine/default.aspx )], 2021:

PPA Nº 03: Cerimônia de colocação da quilha (“Cerimônia da Quilha”) na doca seca do Estaleiro Riva Trigoso do PPA Nº 03 (foto abaixo) Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel”em 08/Novembro/2018 com previsão de incorporação ao SAM para comissionamento pela Marinha de Guerra Italiana [Marina Militare Italiana (MMI)], 2023:

Características adicionais de Projeto ( https://en.wikipedia.org/wiki/Paolo_Thaon_di_Revel-class_offshore_patrol_vessel + https://it.wikipedia.org/wiki/Pattugliatori_polivalenti_d%27altura )

 

Tipo: Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM) do tipo Fragata Leve;

Nome: Classe Paolo Thaon Di Revel;

Construtores: Fincantieri, Muggiano e Riva Trigoso (La Spezia);

Operador: Marinha de Guerra Italiana;

Custo total pelos 7 PPAs:  3.900 bilhões de Euros;

Comissionados: 2021 a 2026;

Em estudo: Aquisição de mais 3 PPAs além dos 7 PPAs programados, totalizando 10 PPAs;

Deslocamentos:

 

Deslocamento a plena carga em configuração com Módulos Extras Embarcados na popa e a Meia Nau: 6.270 toneladas;

Deslocamento a plena carga em configuração com Módulos Extras Embarcados na popa: 5.880 toneladas;

Deslocamento a plena carga em configuração com Módulos Extras Embarcados a Meia Nau: 4.880 toneladas;

 

Comprimentos proa – popa:

Comprimento Máximo LOA (Length Over All): 143 metros;

Comprimento Máximo LPP (Length between Perpendiculars): 133 metros;

Largura máxima a meia nau entre os bordos: 16.5 metros;

Calado: 10.5 metros;

Propulsão Naval: Sistema Combinado CODAG de 1 Turbina a Gás (GE Marinizada LM2500 + G4 de 32.000 KW ou 43.000 HP); 2 Motores Diesel (MTU 20V 8000 M91L de 10.000 KW (10 MW) ou 13.000 HP cada; 2 Motores Diesel Elétricos reversíveis de 1.350 KW (1.3 MW) ou 1.810 HP cada; e 4 Geradores Diesel MAN de baixas tensões, 690 V/60 Hz GenSets 12V175D-MEM 1,6640 KW (1.6 MW) ou 2.200 HP cada. Sistema Combinado de Turbina a Gás (LM2500 + G4) e Motores Diesel (CODAG) e um Sistema de Propulsão Elétrica Híbrido constituído de 1 motor elétrico com acionamento híbrido MV3000 à prova de choque da GE, que pode atuar como gerador para alimentar equipamentos de bordo do navio, tais como, armas e sensores. Durante a realização de operações de socorro em catástrofes, o PPA poderá fornecer até 2MW de energia para operações em terra firme. Os conversores GE podem converter a frequência da eletricidade gerada para 50 ou 60 Hertz, permitindo uma conexão suave em terra, qualquer que seja a localização.”;

 

Eixos: 2 eixos com 1 Hélice de Passo Controlado (HPC) para cada eixo;

Guarnição: 171 militares;

Armamento: 1 canhão multirole (multifunção, ou multiuso) Oto Melara 127/64 mm; 1 canhão multirole (multifunção, ou multiuso) Oto Melara 72/62 mm; 2 Metralhadoras remotizadas Oto Melara Oerlikon KBA de 25 mm; 4 metralhadoras de 12.7 mm.

Mísseis: Lançadores verticais de 8 células DCNSSYLVER A50 VL que comportam 16 mísseis Aster 15, 30 e 30 B1, e, também, lançadores com capacidades de ataques superfície (navio)-superfície (navio/terra) de 8 células para mísseis Teseo/Otomak MK-2/E com raio de ação superior a 360 Km;

 

Hangar de Voo: Comporta 2 helicópteros SH90, ou 1 helicóptero AW101;

Velocidades:

Velocidade Máxima (com emprego da Turbina a Gás): 32 nós, dependendo da configuração operacional

Velocidade de Cruzeiro (com emprego de Motores Diesel): 25 nós, dependendo da configuração operacional

Velocidade de Cruzeiro (com emprego de Motores Elétricos Reversíveis): 10 nós, dependendo da configuração operacional; e

Alcance em Milhas Náuticas (Dias de Mar): 5.000 milhas náuticas a uma velocidade de 15 nós constantes

https://www.youtube.com/watch?v=N487_HrwssY

Batismo e Lançamento ao Mar do PPA Paolo Thaon Di Revel P 430, ocorrido em Muggiano aos 15/Junho/2019

  https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=p6Z2lW12lo8

 Fincantieri PPA Patrol Ship at EURONAVAL 2014 (First Design Concept)

 https://www.youtube.com/watch?v=zJsDo28AzdI

Os novos Sistemas de bordo Leonardo em atenção a Lei Naval em vigor a partir de 2015

"7" Comments
  1. Marco Zarco

    Muitos erros nesta matéria. A fabricante se chama Fincantieri e não Fincantiere. o navio não é um Patrulhador Oceânico pq a Itália não tem oceanos e as missões dessa classe de navios serão realizadas principalmente em águas marítimas italianas. Ele é apenas um Patrulhador Polivalente de Alto Mar.
    O evento em objeto não teve batismo do mar pois não foi colocado no mar, apenas batismo do navio.

    • Caro Marco Zarco, vamos lá:

      No título da matéria fiz menção a palavra Fincantieri com “e” no final, mas em um parágrafo mais abaixo com “i!:

      “Os PPAs estão sendo construídos no Estaleiro de Riva Trigoso e os blocos integrados pela Fincantieri em Muggiano (La Spezia, Itália) num total de sete navios, com a entrega para incorporação ao SAM e comissionamento pela Marinha de Guerra Italiana, previsto para a primeira unidade da “Classe Almirante “Paolo Thaon Di Revel””, em 2021, enquanto os seis PPAs seguintes serão entregues para incorporações ao SAM e comissionamentos, em 2022, 2023, 2024 com duas unidades, em 2025, e em 2026.”

      Assim, peço desculpas, erro meu!

      Quanto ao fato de classificá-lo como como Navio Patrulha “Oceânico”, ao traduzir da palavra italiana “Polivalenti”, me ative a expressão inglesa traduzida para o português do Brasil do site Navy Recognition constante no seguinte parágrafo do texto da matéria publicada no Plano Brasil (PB):

      “Assim, segundo link do Navy Recognition ( http://www.navyrecognition.com/index.php/news/defence-news/2016/march-2016-navy-naval-forces-defense-industry-technology-maritime-security-global-news/3652-ge-to-provide-gas-turbines-for-italian-navy-ppa-hybrid-drive.html ) podemos ler:

      “Pattugliatori Polivalenti d’Altura (PPA) – Navio Patrulha Oceânico Multipropósito (NPOM):

      A Marine Solutions da GE fornecerá a turbina a gás LM2500 + G4 que dará força aos novos Patrulheiros de Patrulhas Oceânicos [Pattugliatori Polivalenti d’Altura (PPA)] da Marinha de Guerra italiana.”

      “GE’s Marine Solutions will provide the LM2500+G4 gas turbine that will power the Italian Navy’s new Pattugliatori Polivalenti d’Altura (PPA) “multipurpose offshore patrol ships”. The ships’ hybrid electric propulsion system also will use GE’s shock-proof MV3000 drives and a GE-designed electrical network of motors as part of the propulsion system.”

      Logo:

      MULTIPURPOSE OFFSHORE PATROL SHIPS em português técnico naval vem a ser NAVIO PATRULHA OCEÂNICO MULTIPROPÓSITO.

      Finalmente, na Cerimônia Completa de Batismo do Navio “Varo Nave Thaon Di Revel” ( https://www.youtube.com/watch?v=24TKfTFhvK4 ), de duração 01 h 08 m 01 s, após o Batismo do Navio aos 57 minutos e 16 segundos, ouve-se o soar das sirenes e a movimentação do navio em direção a água nos minutos 58 e 40 segundos e seguintes até 43 segundos sob os olhares das autoridades presentes, o que se há de concluir que ouve sim o lançamento do navio ao mar.

      Grato pelos comentários.

      Atenciosamente,

      Gérsio Mutti

    • jose luiz esposito

      Marco Zarco , o brasileiro troca o E pelo I e Vice Versa e depois debocha dos portugueses por trocarem o V pelo B e vice versa , aqui CAVALCANTI coloca-se o E , Fincantieri , também , etc , em italiano , esta troca é um desastre , esta troca muda radicalmente o significado da palavra , como também as consoantes Duplas , não são para enfeitarem as palavras , mas são necessárias , pois mudam também radicalmente a pronuncia e acentuação, os dois Ts juntos além da acentuação , faz a diferença , pois em italiano existe o T forte TT , ou o T fraco T , que é pronunciado quase como D , fora o Plural que não não é escrito com S , e sim com I e E , palavras terminadas em O fazem o plural com I , e as terminadas em A , fazem o Plural com E , como o E para o feminino e o I para o masculino , como em LATINO ( Latin )

    • rui mendes

      Engano teu, alguns destes navios serão armados na versão FULL. Com mísseis anti-aereos, anti-navio e ataque a terra, bem como canhão 127mm e helis.

  2. Gilbert

    O loco!!!!!
    canhão de 127mm + misseis para um navio de patrulha oceânica!
    Esse bicho aí já e´uma corveta ou algo bem próximo disso

    • Claudio Severino da Silva

      Isso, sem falar em uma tripulação de 170 pessoas…para um navio patrulha oceânico?

  3. Temos que aprender muito com italianos, espanhóis, turquia, e chile. A Marinha deles dão de 200 x 0 no Brasil.

Comentários estão fechados
*