Defesa & Geopolítica

Novas ofertas para a Marinha Chilena

Posted by

Escoltas atualmente empregadas pela Marinha Chilena.

Por Ghost 
Especial para o Plano Brasil

Após a marinha chilena anunciar a intenção de reativar o projeto Tridente (projeto de aquisição e construir 8 fragatas para substituir as atuais escolta) o Vice-Presidente de Vendas da ThyssenKrupp Marine Systems (TKMS), Joachim Schönfeld, realizou uma reunião oficial com o diretor-geral dos Serviços da Marinha do Chile, Vice-Almirante Christian Ramos, para apresentar o submarino classe 214 e a fragata Meko A-200-SAN .

A reunião foi realizada na base aérea naval Concon, local que sediou a Exposição Internacional XI e Conferência para Naval e Marítimo América Latina, Exponaval 2018 realizada no período de 4 a 7 de Dezembro de 2018.

Fragatas da classe Valour da marinha sul africana.

A Marinha do Chile substituirá as duas unidades dos submarinos Classe Thomson (tipo 209/1400-L) SS-20 Thomson e SS-21 Simpson atualmente em uso na metade da próxima década.

Em 2017, a Marinha Chilena iniciou um processo de estudo e seleção para aquisição dois novos submarinos de propulsão diesel elétrica pra substituir os meios mais antigos de sua armada. As opções estudadas pelos chilenos são: Naval Group Scorpène 2000 da França, Classe A26 da Saab Kockums da Suécia e o Type 214 da TKMS da Alemanha. O projeto de aquisição de um novo submarino está sendo chamada informalmente “Projeto Netuno – 2’.

Classe Thomson (tipo 209/1400-L)

 

 

O projeto Tridente que tinha como “vencedora” fragatas da classe MEKO A200 e previa a construção das mesmas pelo estaleiro ASMAR no Chile sofreu um adiamento em 2002, quando o  presidente Ricardo Lagos alegou razões orçamentárias forçando assim a Armada do Chile fazer aquisição da “compras de oportunidade”.

Atualmente a Frota de superfície da Marinha Chilena é composta pelas fragatas FF-19 Almirante Williams’ (Tipo 22 Batch 2, ex-HMS Shefield adquirida em 2003), FFG-11 Capitán Prat e FFG-14 Almirante Latorre (Classe Jacob Van Heemskerck conhecidas como Classe L, da Marinha da Holanda) recebidas em 2005, FF-15 Almirante Blanco Encalada e FF-18 Almirante Riveros (Classe Karel Doorman conhecidas como Classe M da marinha Holandesa) recebidas em 2006 e 3 fragatas do Tipo 23 o FF-05 Almirante Cochrane, FF-06 Almirante Condell e FF-07 Almirante Lynch  recebidas entre 2006 e 2008.

Segundo o comando da Armada Chilena além dos navios da classe Meko 200 estão sendo consideradas outras ofertas de navios de diversos fabricantes como a Navantia com sua  Álvaro de Bazán, Holandeses com a Classe De Zeven Provinciën, Naval Group com a FREEM além de outras que podem ser avaliadas ainda.

Outra possibilidade estudada pela marinha Chilena seria a aquisição de “oportunidade” de meios usados mas , em boas condições a fim de incrementar a atual frota de escoltas Chilenas melhorando a capacidade operacional da força até a entrada em serviço dos navios do projeto Tridente.

As opções do almirantado chileno são as fragatas Type 23 ( classe Duke) no momento em que esses navios forem colocados em disponibilidade no período de 2023 a 2035.

Além dos navios ingleses está sendo avaliada as fragatas francesas da classe  La Fayette (La Fayette F710 e Surcouf F711) que serão disponibilizados no início da próxima década.

Classe La Fayette

Outra opção estudada pelos chilenos é a aquisição de fragatas  classe Oliver Hazard Perry. Duas opções estão sendo avaliadas:

A aquisição de navios americanos onde dez navios estão disponíveis para venda via FMS – Foreign Military Sales. E a aquisição de navios australianos da classe Adelaide (baseada no projeto da Oliver Hazard Perry)  HMAS Melbourne e HMAS Newcastle que são navios mais modernos que seus pares americanos.

Fragata Classe Adelaide

A ideia principal da marinha chilena é a aquisição de meios novos a fim de padronizar a frota da marinha com meios modernos porém, depende da liberação de verbas. Os almirantes chilenos estão em conversação com o comandante da Marinha Chilena Almirante Julio Leiva Molina e com o Ministro da defesa Alberto Miguel Espina Otero sobre a liberação de verbas para a realização de tais projetos.

4 Comments

  1. Essa matéria é tão delirante quanto as que leio nos blogs concorrentes. Agora o delírio ufanista atingiu os chilenos, pasmem, dignos de pena em suas colunas nem um pouco ‘chauvinistas’ em blogs hispânicos.

    A matéria parece ser criada propositalmente, de forma sarcástica para atingir outros delírios espalhados pelos blogs especializados.

    • Falou, falou e não disse nada… traduz para nosotros o que vc quis dizer nas entrelinhas da sua dissertação pouco conclusiva… tá parecendo minha mulher quando está brava mas não quer dizer o motivo da discordância… fica resmungando pelos cantos… muito me interessa entender os fatos que lhe aflige… talvez seja algo realmente interessante que nos perpassou sem que entendêssemos…

  2. Adriano Corrêa says:

    A Marinha Chilena é mais preparada e sofisticada que a brasileira, e pelo jeito, vai continuar sendo!

  3. O Chile poderia ter produzido as fragatas MEKO 200, mesmo que num ritmo lento, afinal de 2002 para cá tem muito tempo !, quebrando o galho com algumas compras
    de oportunidade.

shared on wplocker.com