Categories
Sugestão de Leitura

Sugestão de leitura: Livro do GRUMEC "Guardiões de Netuno"

OFERTA RELÂMPAGO! Livro do GRUMEC no valor de R$70,00 com despesas de correio incluídas. Preço promocional até a próxima sexta-feira (03/08). APROVEITEM!!!

Categories
Aviação Defesa Traduções-Plano Brasil

Rússia abrirá novamente a linha de produção do gigante An-124

Tradução e adptação- E.M.Pinto

MOSCOU, 30 de julho / TASS /. A Rússia pode retomar a produção de aviões de carga super-pesados ​​Antonov An-124. Eles receberão Glass Cockpit e serão impulsionados por motores PD-35, disse na segunda-feira o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov.

“A retomada da produção dos aviões An-124 estará ligada às possibilidades dos motores PD-35 fabricados na United Engine-Building Corporation. Mas não haverá nada de novo. Vamos simplesmente “digitalizar” o An-124 e acrescentar novos motores “, disse Borisov.

O An-124 poderá ser operado até 2050, se a cabine da aeronave for modernizada, o equipamento de rádio-eletrônico a bordo for substituído e o problema com o motor D-18 for resolvido, disse o vice-primeiro-ministro.

O An-124 foi produzido 80% na Rússia, enquanto seus motores foram fabricados na Ucrânia. Em vista disso, foi necessário resolver o problema da substituição de importações dos motores do avião, disse o vice-primeiro-ministro.

O An-124 Ruslan é um avião de transporte turbojato de longo alcance, desenvolvido na era soviética e depois na ucrânia oq ual possui uma capacidade máxima de cargas de 120 toneladas. Desenvolve uma velocidade máxima de 865 km / h e tem um alcance de voo de 4.800 km a plena carga. De acordo com fontes abertas, sa Forças Aeroespacial Russas atualmente operam nove aeronaves An-124 e mais 10 aeronaves Ruslan são usadas na companhia aérea russa Volga-Dnepr.
Ainda hoje a TASS noticiou que o trabalho no desenvolvimento de um avião super-pesado para substituir o avião de carga Antonov An-124 Ruslan foi incluído no programa de armamentos do estado até 2027, disse na segunda-feira o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov.
“O trabalho de P & D no avião está nos planos no final do programa de armamentos do estado”, disse Borisov, respondendo à pergunta correspondente.

Em setembro de 2015, a Antonov State Company da Ucrânia retirou-se da joint venture russa-ucraniana United Aircraft Corporation – Antonov, que criou sérias dificuldades para a companhia aérea Volga-Dnepr com a extensão da vida útil do avião de carga e sua manutenção.

Como foi relatado anteriormente, a empresa Aviastar-SP, sediada em Ulyanovsk, lançou um trabalho preliminar relacionado ao reinício da produção de aviões An-124 Ruslan na Rússia.

Fonte: Tass

Categories
Defesa Traduções-Plano Brasil

The National Interest compara o A-10 "Warthog" ao Su-25 modernizado

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

Desenvolvido na União Soviética, o Su-25 ‘Grach’ possui um grande potencial de modernização, após o qual será capaz de competir com A-10 “Warthog” dos Estados Unidos. Esta é conclusão dos especialistas da revista The National Interest .

Esta é a mais recente versão atualizada do avião de ataque russo Su-25SM3. Na opinião dos especialistas da revista, durante a modernização da Força Aérea Russa, uma aeronave de combate praticamente nova foi obtida através da instalação de novos motores, a substituição de equipamentos de bordo e aviônicos. Os Storm Troopers (Apelido dado aos Su-25) foram capazes de resistir aos jatos de combate e destruir os drones com a ajuda dos mísseis ar-ar R-77 e R-27.

Para aumentar a capacidade de sobrevivência, sistemas foram instalados no Su-25SM “Vitebsk-25”, os quais criam para mísseis inimigos “imagens fantasmas de alvos”. Além disso, os novos sistemas EW dificultarão o ataque de aeronaves de ataque por mísseis guiados por radar. 

Um novo sistema de ataque de alta precisão o SVP-24 “Hefesto”,  permite o uso de munições convencionais como se fossem bombas “inteligentes”. Um novo sistema de navegação, GLONASS, permite a destruição de alvos apesar das condições meteorológicas  com uma precisão de até dez metros.

“Comparado com o A-10C, o russo Su-25SM3 é mais rápido e tem mais uma vantagem -. Seu sistema de orientação está localizado na proa, no entanto, é um pouco limitada a sua capacidade”, – diz um especialista em defesa e segurança nacional Charlie Gao.

No entanto, o americano A-10  ainda mantém a supremacia no uso de eletro-ópticos e de mísseis “dispare e esqueça” de mísseis mas estes têm a desvantagem – os modernos meios de guerra eletrônica aprenderam a lidar eficazmente contra eles. Por sua vez, o equipamento para a mira a laser de munição instalada no Su-25 torna possível apontar claramente o míssil para o alvo em condições de contramedidas eletrônicas. No entanto, neste caso, a aeronave deve continuar a guiar o míssil até que ele atinja.

“Cada aeronave tem suas vantagens, o A-10 é focado no uso de armas poderosas e mísseis electro-óptico, e o Su-25 -. Para a munição convencional, bombardeio preciso e o uso de mísseis e armas guiadas a laser”, – aponta o especialista.

Fonte: RGRU

Categories
Traduções-Plano Brasil

Borisov ressalta o alevado custo dos carros de combate T -14 "Armata" e reforça o investimento em versões modernizadas do T-90

Tradução e adaptação- E.M.Pinto
Vice-primeiro-ministro Yuri Borisov disse que não há necessidade de equipar as Forças Armadas da Rússia exclusivamente com um grande número de carros de combate “Armata” ou APC “Boomerang”. Segundo ele ambos os veículos compartilharão o espaço como a mais recente versão do T-72 a qual possui elevada  eficiência.

Forças Armadas da Rússia não adquirirão maciçamente os “Armata” por causa de seu alto custo, e diante deste cenário preferiu aumentar o potencial de combate do equipamento militar existente devido à sua modernização, disse ele.

Borisov informou que os “Armata” serão adquiridos em quantidades suficientes para encarar os desafios dos novos tempos, mas que não se pode esperar por “inundação” de veículos.
“Não temos nenhuma necessidade especial para isso (compras em massa de novos equipamentos – Ed.). Esses modelos são muito caros em relação aos existentes… Temos sucesso, tendo um orçamento dez vezes menor do que os países da OTAN, devido a essas soluções eficazes, quando olhamos para o potencial de modernização de modelos antigos, para resolver as tarefas definidas””, disse o vice-primeiro-ministro.
Ele ainda informou que todas as forças armadas que possuem o T-72 são uma demanda esperada para o T-14 de exportação porém relembrou que há grande demanda no mercado, para veíclos como o “Abrams”” Leclerc ‘e’ Leopard “.

Categories
Artigos Exclusivos do Plano Brasil Defesa Sistemas de Armas Tecnologia

Exército indiano recebe novos veículos Ashok Leyland 10x10 Super Stallion

Informações: Ashok Leyland

Texto E.M.Pinto

A empresa indiana produtora de veículos civis e militares Ashok Leyland entregará ao exército Inidiano, 81 veículos de transporte 10×10 de alta mobilidade. O super Stalion Ashok Leyland 10×10 é um veículo é copnstruído sobre o chassis 10×10 que destina-se aos lançadores russos Smerch Multi-Barrel Rocket (MBRL) e que é também utilizado para transportar mísseis estratégicos desenvolvidos pela DRDO indiana.

O veículo possui motorização nacional de 360 hp o motor  “Netuno” o qual o possibilita transportar uma carga útil máxima de 27 ton a uma velocidade máxima de 60 km / h. A encomenda indiana prevê os chassis para os veículos lançadores e os veícuos remuniciadores de campo, os quais serão equipados com guindastes especiais e compartimento de carga dos foguetes.

O veículo é desenvolvido sobre o chassis dbae 8×8 e possui algumas diferenças básicas na transmissão e potencia de motor, be como nas articulações de rodas permitindo maior grau de manobras em espaços apertados.

Clique aqui para saber mais sobre o Super-Stallion-10×10

O pedido inicial lançado pelo Ministério da Defesa Indiano em 2015 e os testes foram concluídos no final de 2017. A Ashok Leyland recebeu um contrato de US $ 14,5 milhões para a aquisição de 81 chassis Super-Stallion 10×10 para equipar dois  regimentos dos sistemas Smerch onde cada regimento é composto por duas baterias de seis lançadores cada.

Segundoa  nota, a Ashok Leyland também recebeu do DRDO um requisito para desenvolvimento de uma plataforma 12×12 derivada do veículo o qual deverá ser utilizada como veículo tracionador de mísseis estratégicos de longo alcance. A nova variante possuirá um motor com maior potência e a capacidade de tracionamento de cargas bem superiores, estimadas na faixa entre 34 e 40 toneladas.

 

 

 

 

Categories
Negócios e serviços Sistemas de Armas Tecnologia Traduções-Plano Brasil

Fabricante de aviões da Ucrânia se volta para o Oeste e assina acordo com a Americana Boeing

 

Autor:  Matthias Williams; Edição por Alexandra Hudson

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

KIEV (Reuters) – A fabricante de aviões ucraniana Antonov, conhecida por produzir a maior aeronave do mundo, planeja retomar a produção em série de suas aeronaves até o final do ano que vem, graças a um acordo com a gigante do setror aeroespacial americana Boeing que acabará com a dependência de Antonov da Rússia. 

As relações entre a Ucrânia e a Rússia entraram em colapso após a anexação da Criméia em 2014 e a Antonov, que importava mais de 60% dos componentes de seus aviões da Rússia, interrompeu a produção em série dois anos depois. 

A empresa planeja construir oito aviões por ano graças a um acordo com a Aviall, a unidade de equipamentos e serviços da Boeing, com os dois ou três primeiros aviões prontos até o final de 2019, disse à Reuters o presidente da Antonov, Oleksandr Donets. Ele não deu detalhes sobre futuros clientes. 

Os principais mercados de vendas de Antonov foram a Rússia, as antigas repúblicas soviéticas e a África. As empresas vão instalar em conjunto instalações de armazenamento na Ucrânia até novembro, disse ele. 

“O acordo com a Aviall nos deu dois ganhos. Estamos montando um depósito conjunto, localizado no território ucraniano na cidade de Gostomel… Este armazém vai lidar com produtos, materiais, metais, não-metais – com todos os componentes que não podemos obter do nosso ex-parceiro, a Federação Russa… O armazém  a ser financiado pela Aviall pode custar dezenas de milhões de dólares”, acrescentou Donets..

A Antonov foi fundada em 1946 e fabricou cerca de 30 tipos diferentes de aviões, incluindo os dois maiores aviões de carga aérea – o An-124 Ruslan e o An-225 Mriya.

O Mriya, construído em 1988 para o programa de ônibus espaciais soviético, ainda é o maior e mais pesado avião do mundo, capaz de transportar uma carga de até 250 toneladas.

Os líderes da Ucrânia estão empurrando o país em um caminho pró-ocidental, aspirando a se unir à União Européia e à Otan, cortando o comércio e os laços diplomáticos com a Rússia e se afastando da dependência de Moscou em setores como defesa e energia. 

A Ucrânia não importa mais nenhum gás diretamente da Rússia e em julho completou outro marco, pois, pela primeira vez, uma unidade de uma de suas usinas nucleares estava totalmente carregada com combustível da empresa americana Westinghouse, e não da Rússia. A Aviall apoiará o novo programa de manufatura da Antonov para construir os aviões AN-1X8 e terá direitos exclusivos para ajudar a atender os aviões, disse Donets, prevendo que a Aviall comprará peças dos Estados Unidos, Canadá, Israel e Europa. A Antonov também quer que a Aviall adquira equipamentos para a Antonov produzir mais peças domésticas, disse ele.

A concorrente da Boeing, a Airbus, também fez uma recente incursão na Ucrânia, anunciando um acordo em julho para vender 55 helicópteros ao Ministério do Interior para missões de busca e salvamento, serviços públicos e serviços médicos de emergência.

 

Fonte: Reuters

Categories
Defesa Sistemas Navais Traduções-Plano Brasil

Surge o 3ºporta-aviões chinês ?

Autor: Henri K.

Tradução e adaptação- E.M.Pinto

O assunto já havia sido discutido pelo East Pendulum há quase dois anos no artigo intitulado ” O 3ᵉ porta-aviões chinês está em preparação “, publicado em 31 de julho de 2016, onde foram abordados elementos tão diversos quanto possíveis, mas todos convergiamo para a existência de um programa de porta-aviões CATOBAR (Catapult Assisted Take-Off But Arrested Recovery Chinesa, Decolagem Assistida por Catapulta e Recuperação por captura) – Isso vai desde a transformação da plataforma de estudo de compatibilidade eletromagnética em Wuhan até as instalações de projeto e teste de dois tipos diferentes de catapulta, incluindo o bloco experimental construído no estaleiro de Wuhan. Jiangnan Changxin sendo perto de Xangai.

Embora o trabalho de infraestrutura necessário para a construção de porta-aviões ainda esteja em andamento em Jiangnan , fotos recentes feitas por observadores de Xangai surpreenderam muitos observadores. E por uma boa razão, o primeiro grande bloco que parece pertencer ao porta-aviões chinês de número 3 que é agora claramente visível na Ilha Changxin.

O grande bloco que seria o porta-aviões chinês de 3ᵉ (Foto: 防务 汉 防务 – 菜 兵)

As primeiras análises indicam que seria um grande bloco de meia-nau, obviamente aquele que contém uma parte do hangar e o compartimento do maquinário.

O bloco em questão está atualmente estacionado na nova área de extensão do estaleiro. É 5,5 km² e inclui duas grandes instalações fechadas de fabricação e montagem, uma com 408 metros × 170 metros e outra com 289 metros × 170 metros, mas outras instalações ainda estão em construção. .

Este grande bloco, se na verdade pertence ao novo porta-aviões chinês, apareceu bem antes da conclusão do trabalho de transformação da doca seca em que o edifício será construído.

Agora entendemos melhor porque várias fontes próximas à marinha chinesa e ao setor naval na China haviam falado no final de maio do “progresso considerável” em torno deste programa, o que implicaria não apenas um, mas dois navios, se acreditarmos em certos rumores.

Durante a visita do CEO CSIC do Grupo Naval Chinês ao Escritório de Design No. 701, responsável pelo projeto de todos os porta-aviões chineses até agora, a imagem de computador de uma frota de três porta-aviões, incluindo um com três catapultas, foi exibido na parte de trás da sala de reunião. Pode-se ver aí uma comunicação institucional muito discreta por parte do industrial chinês sobre o assunto.

De acordo com nossa estimativa, colocando em espera de 3ᵉ porta-aviões chinês pode ter lugar em meados do próximo ano, possivelmente visando uma entrada de serviço para 2022-2023, um período em que o porta-aviões Liaoning poderia começar sua parada técnica e a sua embarcação irmã atualmente em construção no estaleiro em Dalian, deve se tornar totalmente operacional, com o grupo aéreo plenamente embarcado.

Além do momento exato de seu comissionamento, duas outras questões técnicas em torno deste novo porta-aviões chinês permanecem sem resposta hoje – A propulsão convencional como foi planejada? ou a embarcação será eventualmente equipada com propulsão nuclear que é tecnicamente viável para a China hoje?

E que tipo de catapulta, vapor ou eletromagnética, foi selecionada para equipar o navio, sabendo que duas linhas experimentais foram testadas por alguns anos no centro de treinamento das Forças Navais de Xincheng?

Principais marcos STOBAR Type 001
(16 Liaoning)
Dalian
STOBAR Type 002
Dalian
Type CATOBAR 003
Xangai
Projeto geral Concluído em 2007 Começou no início de 2012
Desenho técnico inicial Concluído em março de 2015 (?)
Revisão feita em julho de 2015
Desenho técnico detalhado Concluído em junho de 2008
Assinatura do contrato com o estaleiro De março de 2009
Projeto de processo industrial Concluído no 2º semestre de 2009
Corte das chapas 28 de agosto de 2013 29 de junho de 2017
(ou 1º de outubro de 2017)
Construção de seções Iniciado em janeiro de 2014 Final de 2017
Lançamento na Água 10 de março de 2015 Começo de 2019
Armamemntos Concluído no final de 2009
Flutuando 26 de abril de 2017 Antes de meados de 2020
Testes de Mar Iniciado no 2º semestre de 2010
Julgamento do mar Iniciado em 10 de agosto de 2011 Começou em 13 de maio de 2018
Admissão ao serviço ativo 25 de setembro de 2012 Prév: setembro de 2019 Por volta de 2022

 

Fonte: EastPendulum