Categories
Uncategorized

Eurosatory 2018: IWI (Israel Weapon Industries) apresenta sua nova Pistola Masada 9×19 mm

IWI (Indústria de Armas de Israel) –uma líder na produção de armas de pequeno porte comprovadas em combate para agências de imposição da lei, governos e exércitos pelo mundo –  apresentará, pela primeira vez durante a Eurosatory 2018,  a sua nova linha de armas MASADA 9X19mm para o mercado nacional e internacional. 

Fabricada em polímero de alta resistência; acabamento oxidado; possui trilho Picattiny para o acoplamento de acessórios. O design inovador, sem cantos vivos ou teclas externas, evita que o equipamento trave e facilita o pronto emprego. O retém do carregador é ambidestro e a arma oferece indicador de munição na câmara.

O design do punho antiderrapante e do gatilho oferecem melhor ergonomia para a empunhadura. O novo sistema de desmontagem do conjunto do ferrolho e a culatra removível demonstram o nível de inovação incorporado pela IWI no projeto MASSADA

Sobre a IWI

A IWI (Israel Weapon Industries – Indústrias de Armas de Israel), localizada no centro de Israel, é líder mundial em armas de baixo calibre há mais de 80 anos de experiencia. A IWI pertence ao Grupo SK, composto por companhias que desenvolvem e fabricam uma ampla gama de produtos militares para governos, exércitos e organismos de imposição da lei de todo o mundo.

Seus produtos mais conhecidos incluem as famílias de fuzis de assalto TAVOR, X95 (MICRO TAVOR) e fuzis de assalto GALIL ACE, o fuzil de precisão GALIL, o fuzil de ferrolho de precisão DAN .338, a metralhadora leve NEGEV 5.56 e 7.62 mm a legendária submetralhadora UZI  SMG na sua última evolução – UZI PRO, as mencionadas pistolas JERICHO e o lançador de granadas independente IWI 40 mm – todos sendo considerados os armamento preferido de unidades militares e agências de imposição da lei em todo o mundo.

As armas de fogo da empresa são desenvolvidas em estreita cooperação com as Forças de Defesa de Israel (FDI). A IWI e as FDI têm reunido seus esforços para o desenvolvimento destas armas, cuja configuração final é o produto da interação permanente, as provas de campo e as modificações resultantes da experiência e dos requisitos de combate. Todos os sistemas de armamento da IWI conformam com os mais rígidos padrões militares (MIL-STD) e padrões ISO 9001. 

https://youtu.be/wtEMMTlPdIo

Categories
Uncategorized

Eurosatory 2018: Taurus marca presença na feira que é referência no campo da Segurança e Defesa.

A Taurus está presente na Eurosatory 2018. A feira que ocorre entre 11 e 15 de Junho, na França, é um evento de referência no campo da Segurança e Defesa. A companhia conta com espaço exclusivo para a apresentação de seu portfólio de armas e atendimento a clientes no evento.

O destaque é a nova plataforma de pistolas T Series, que conta com 12 modelos nas versões TS e TH. No evento, também é possível conhecer a nova linha de fuzis T4, nos modelos A1 e A2, especialmente desenvolvidos para atender o mercado policial e militar.

Os novos produtos são frutos das mudanças promovidas na companhia pela nova gestão e de seu compromisso com a excelência. Nos últimos anos, a Taurus recebeu mais de R$100 milhões em investimentos e modernizou seu parque fabril, concentrando todas as operações na renovada unidade de São Leopoldo (RS).

Categories
Uncategorized

Exército faz licitação para comprar 2 toneladas de camarão, caviar e espumante…

Leandro Prazeres Do UOL, em Brasília

Em meio às restrições orçamentárias do governo federal, o Comando Militar do Leste, vinculado ao Comando do Exército, realiza uma licitação estimada inicialmente em R$ 6,5 milhões para a compra de mantimentos que incluem uma lista de produtos refinados e bebidas alcoólicas. Entre os produtos licitados estão duas toneladas de camarão, 109 potes de caviar e milhares de garrafas bebidas alcoólicas, como vinhos nacionais e importados, uísque, cachaça e espumante. Questionado pela reportagem, o Exército disse que esses artigos serão destinados ao abastecimento dos restaurantes e bares de dois hotéis da corporação no Rio e serão vendidos aos hóspedes (leia mais abaixo).

Os hotéis de trânsito do Exército são frequentados por militares, em missão ou não, seus dependentes (se acompanhados dos militares) e servidores civis das Forças Armadas. Civis não vinculados às Forças Armadas só podem se hospedar nos estabelecimentos com autorização dos militares. A licitação para a compra de itens como uísque, cachaça, camarão e caviar faz parte de um processo que começou em maio deste ano e ainda está em andamento. Ela não indica um gasto já feito, mas sinaliza que o Exército tem interesse na compra desses itens. Ao todo, a licitação prevê a compra de 449 itens.  As quantidades de produtos, considerados “refinados” segundo o próprio edital lançado pelo Exército, chamam a atenção. Há 1.994 kg de camarão de diversos tipos (fresco, sem casca, congelado etc.), 330 kg de salmão em posta, 240 caixas de carpaccio de salmão (embalagens com 300 gramas), além dos 109 potes de caviar. Também foram llicitadas 3.751 garrafas de vinho de diversos tipos, importados e nacionais, 7.200 latas de cerveja, 30 garrafas de uísque, 23 de tequila, 35 de vodca e 360 de espumante.

A quantidade de vinho licitada pelo Comando Militar do Leste neste ano é 20% maior do que a de 2016, quando um edital semelhante foi lançado. Naquele ano, a instituição mandou licitar 3.124 garrafas de vinho. O aumento no volume licitado também se verificou em outros itens como o salmão em posta. Em 2016, o Comando licitou 300 quilos do produto. Neste ano, a quantidade licitada foi 10% maior: 330 quilos. O mesmo aconteceu com o caviar. Em 2016, foram licitados 90 potes de caviar de 100 gramas. Em 2018, esse número aumentou para 109, um crescimento de 21%. Cada pote tem um preço estimado em R$ 136,48. 

Exército diz que itens irão para hotéis, não para quartéis Questionado pela reportagem, o Exército disse que os itens “refinados” e as bebidas alcoólicas licitadas pelo Comando Militar do Leste serão utilizados exclusivamente por dois hotéis de trânsito da corporação, e não nos quartéis, e visam atender ao consumo dos seus hóspedes. “Gêneros como camarão e salmão são destinados exclusivamente pelos hotéis, haja vista que a alimentação da tropa do Comando Militar do Leste é proveniente da Diretoria de Abastecimento (Comando Logístico) e da Unidade Base de Administração da 1ª Região Militar”, disse o Exército por meio de email. A explicação é semelhante à justificativa dada pelo próprio Comando Militar do Leste no termo de referência da licitação, um dos documentos que, junto com o edital, determinam as regras desse processo de compras.

“O Hotran [Hotel de Trânsito] e o CGEA realizam atividades de hospedagem, realização de eventos, reunião de empresas e de instituições públicas e encontros internacionais. Desta forma, suas necessidades quanto às aquisições de gêneros alimentícios são diferenciadas de uma unidade comum do Exército Brasileiro, justificando a possível aquisição de itens mais refinados e de bebidas alcoolicas”, diz um trecho do termo de referência. 

Os hotéis em questão são o Hotran (Hotel de Trânsito do Comando Militar do Leste), que fica ao lado do Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, e CGEA (Centro General Ernani Ayrosa), que fica no distrito de Itaipava, em Petrópolis, uma área conhecida pelo turismo na região serrana do Rio. Uma das justificativas usadas pelo Exército para explicar a demanda é que esse material vai abastecer os bares que atendem as piscinas dos hotéis. “O cardápio, principalmente o de utilização das piscinas, possui grandes variedades [de itens] que demandam a aquisição dos produtos referenciados”, disse o Exército em email enviado à reportagem.

O Exército afirmou ainda que a consumação desses itens é paga integralmente pelos hóspedes. Na prática, o Exército adquire esses itens com recursos públicos e os revende em seus hotéis. “Toda alimentação e bebidas são custeadas pelo próprio hóspede”, disse a instituição. Crise fiscal atinge contas do governo O edital para a compra de caviar, espumante e vinho para o Exército foi lançado em maio, um mês depois de a equipe econômica do governo federal manter a previsão para um déficit nas contas públicas de R$ 139 bilhões para 2019 (https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-brasil/2018/04/12/governomantem-em-r-139-bilhoes-a-meta-de-deficit-primario-para-2019.htm) e dois meses depois de o governo liberar R$ 1,2 bilhão para a intervenção federal (https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/03/27/temer-assina-mpque-destina-r-12-bilhao-para-a-seguranca-publica-no-rio.htm) na segurança pública do Rio de Janeiro.

O Comando Militar do Leste, responsável pela licitação, era comandado até o início deste ano pelo general Braga Netto, nomeado por Temer para liderar a intervenção federal no estado.

Em relação à proximidade da liberação das verbas para a intervenção federal, o Exército negou que o Comando Militar do Leste, que dá suporte à ação, esteja utilizando recursos destinados a essa ação para custear a compra de bebidas alcoólicas e artigos como camarão e caviar. “Em momento algum, recursos da Intervenção Federal estão sendo alocados para essa finalidade. Toda alimentação e bebidas são custeadas pelo próprio hóspede”, respondeu o Exército.

Fonte: UOL Noticias

Categories
Uncategorized

Eurosatory 2018: AM General lança o Humvee NXT360 a nova geração de sua família de veículos blindados

A AM General apresentou publicamente pela primeira na Eurosatory 2018 o seu mais recente veículo blindado o Humvee NXT 360 (NeXT generation 360).

O NXT 360 estreou oficialmente na abertura do Eurosatory 2018,uma das feiras de defesa e segurança mais importantes e conceituadas do mundo que ocorre de 11 a 15 de junho na França . Segundo informações da empresa o veículo possui uma maior capacidade de sobrevivência, mobilidade e   tração em qualquer tipo de terreno e uma maior capacidade de carga útil.

Foto de Denys Kolesnyk cortesia Dylan Malyasov

Foi adicionado ao projeto do veículo uma maior proteção blindada elevando sua capacidade de sobrevivência contra ameaças balísticas e proteção contra explosões , disse Regis Luther, vice-presidente de engenharia da empresa. A AM General também acrescentou bancos do tipo anticrash capazes de resistir a explosões e um aumento na proteção balística do veículo incluindo nas partes transparentes (vidros) para nível de proteção  B7  capaz de suportar impactos de projéteis perfurantes em calibre.30-06 Springfield ou 7,62 x 63 mm AP Anti-minas Nível 2 para 6 kg de explosivos em qualquer das 4 rodas.

Foto de Denys Kolesnyk cortesia Dylan Malyasov

Segundo Luther o NXT 360 foi projetado para melhorar a mobilidade off-road, com maior distâncias graças a combinação de uma suspensão Long Travel, que oferece um aumento de 40% no deslocamento da roda, em comparação com o modelo anterior do humvee a nova combinação de roda / pneu também melhorou a mobilidade, contribuindo para um aumento em todos os ângulos de mobilidade, com distância ao solo inferior a 175 mm.

O chassi reforçado da série M1100 do NXT 360 permite um peso bruto do veículo (GVW) de até 7.100 kg, com uma capacidade de carga correspondente a cerca de 1.600 kg. Os atuais HMMWVs da série M1100 têm um peso bruto de 6,396 kg. O mesmo está equipado com um sistema de freio ABS de controle eletrônico e estabilidade desenvolvidos pela AM General

O novo NXT 360 é impulsionado por um novo motor turbo AM General GEP P400 V8 de 6,5 litros, com 250 cavalos de potência controlado eletronicamente , capacidade multicombustível acoplado a uma transmissão automática padrão HMMWV de seis velocidades . Essas melhorias ajudaram a aumentar a economia de combustível do veículo e aumentar a velocidade máxima, oferecendo uma transição de marcha mais suave e reduzindo o nível de ruído interior. Os testes atuais mostram melhorias na economia de combustível de cerca de 15%, aceleração de 20% e velocidade máxima de cerca de 40 km / h maior que no modelo padrão.

O projeto e os recursos aprimorados do NXT 360 foram baseados no feedback dos clientes internacionais da AM General visando  para atender aos requisitos de clientes que estão em constante utilização dos veículos (entendemos como eles estão sendo empregados pela frota atual de Humvee), disse Nguyen Trinh, diretor de integração de negócios internacionais da empresa.

 

Categories
Uncategorized

Colômbia demostra interesse em adquirir veículos blindados 8×8 para seus fuzileiros

A Marinha Colombiana (Armada), mais especificamente o  Cuerpo de Infantería de Marina, demostrou interesse em adquirir veículos blindados anfíbios 8×8. A declaração foi feita pelo comandante da Marinha colombiana Almirante Ernesto Durán González após sua visita ao Peru. O Almirante Ernesto Durán teve a oportunidade de embarcar em um LAV-II da Infanteria de Marina do Peru que realizou diversas manobras incluindo navegação no mar e desembarque na praia.

A compra faz parte de um plano de repotencialização das forças anfíbias Colombiana de dotar seus Infantes de Marina com um veículo Blindado de transporte. Caso os veículos venham a ser adquiridos os mesmos serão incorporados ao  Batallón de Movilidad Nº1 (BAMIM Nº1). O Batallón de Movilidad de Intanteria de Marina Nº 1 (BAMIN Nº1) faz parte da Primeira Brigada de Infanteria de Marina (Brigada de Infantería de Marina No.1 ) que esta sediada na cidade de Corozal estado de Sucre. O mesmo tem a missão de prover a mobilidade terrestre da tropa, transporte de cargas e apoio logístico a Armada Colombiana.

A criação de tal unidade faz parte dos esforços da Infanteria de Marina colombiana para a ampliação de sua capacidade de mobilidade.  Segundo informações os veículos blindados devem ser anfíbios característica adotada após a experiência do Almirante Ernesto Durán com os LAV-II peruanos. Recentemente foi divulgado a intenção da Marinha colombiana em adquirir um uma embarcação de desembarque doca para assalto anfíbio. Anteriormente a General Dynamics Land Systems (GDLS) colocou a disposição dos Fuzileiros Navais colombianos ( Infantería de Marina de Colombia) uma oferta para 32 unidades do veículo blindado 8X8 LAV III em sua versão NZLAV mas sem resposta por parte dos Colombianos. Atualmente os Infantes de marina colombianos utilizam o BTR-80 Caribe.

Categories
Uncategorized

Estaleiro Goa Shipyard da India quer parcerias no Brasil e na América Latina

A embarcação é da classe Tamandaré, que representa a evolução natural do exitoso programa de criação da Corveta Classe Barroso. Mas o estaleiro indicado também prevê obras para marinhas de mais países da América Latina.

Durante o evento “Brasil-Índia um diálogo de Indústrias Navais” no dia 2 de maio (quarta-feira), o estaleiro indiano Goa Shipyard Ltd. Na pessoa do seu chairman e managing director almirante Shekhar Mittal apresentará aos membros do Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore(Sinaval) a sua visão para a parceria continuada que se busca entre a indústria da naval indiana e sua congênere brasileira.

Para Mittal existem grandes oportunidades para os dois países atuarem conjuntamente, tanto no mercado brasileiro, como no mercado sul americano e no Indiano. “A relação que o GSL pretende com o Brasil é uma de longo prazo, uma que apenas se inicia com o contrato das corvetas para a Marinha do Brasil.” Diferente de outros estaleiros estrangeiros o Goa Shipyard não deseja operar um estaleiro próprio no país, mas trabalhar lado a lado com os estaleiros nacionais. “A estrada que estamos abrindo aqui entre as indústrias dos dois países, trafega igualmente nas duas direções. Produtos e serviços de alto valor agregado virão da Índia pra o Brasil e também daqui para lá,” disse o almirante Mittal. Ele conclui dizendo: No passado Índia e Brasil eram unidos pela história e pelo mar. No futuro isso continuará sendo assim.”

Estaleiro do Governo da Índia com 60 anos de história, o Goa Shipyard Ltd. (GSL) opera sob o controle administrativo do seu Ministério da Defesa. No Brasil, o GSL está participando do processo de seleção internacional do main contractor que deverá auxiliar a indústria naval brasileira na construção da classe Tamandaré de quatro novas corvetas. Projeto original da Marinha do Brasil, a Corveta Classe Tamandaré representa a evolução natural do exitoso programa de criação da Corveta Classe Barroso.

Maior estaleiro exportador de navios do subcontinente indiano, o Goa Shipyard Ltd. exibe mostra um histórico incomparável no cumprimento de prazos e orçamentos, tendo construído mais de 200 navios de superfície para a Indian Navy, Guarda Costeira, clientes privados e governos estrangeiros. Nos últimos anos o GSL construiu e entregou quatro unidades do Naval Offshore Vessel (NOPV), deslocando 2300t, para a Marinha da Índia e outros dois desta classe para a marinha do vizinho Sri Lanka com negociações em andamento em vários outros países. Este modelo foi totalmente projetado pelo seu pessoal técnico. O GSL é reconhecido como um Research & Development Unit pelo Governo da Índia realizando pesquisa e desenvolvimento de uma variedade de plataformas além de integração de sistemas de armas. Duas fragatas de 4000t da classe Teg, equipadas com o sistema de mísseis Brahmos, foram recentemente contratadas para a Marinha da India ao estaleiro GSL. É esperado que o estaleiro de Goa venha a construir 12 navios de contramedidas de minas para a Indian Navy.

O Goa Shipyards Ltd. identificou significativas semelhanças entre o programa de construção naval e de desenvolvimento da indústria de Defesa local da Marinha do Brasil com seu congênere da Marinha Indiana. Ambos buscam assegurar às suas Marinhas o suprimento garantido e soberano de modernos meios navais e de seus sistemas e armas embarcados. Conforme estipulado pela MB o GSL apresenta no seu histórico de construção navios militares alguns com deslocamento superior a 2500t. Com apenas 3.700km2 e uma população de 1,459 milhão de moradores, Goa se constitui hoje no menor dos estados da Índia, exibindo assim o maior Produto Doméstico Bruto per capita entre todos os estados da Índia. Asede do estaleiro Goa fica em Vasco da Gama, cidade batizada em homenagem ao famoso descobridor português.

Brasil e Índia, nações recentemente combinados sob a sigla “BRICS”, compartilham entre si uma longa história com inúmeras raízes em comum. O Brasil inclusive tendo sido descoberto em 1500 por uma esquadra portuguesa destinada à Índia. Por cerca de 450 anos os enclaves de Goa, Damão e Diu foram postos de troca, colônias, eventualmente territórios ultramarinos portugueses sendo em 1961 foram finalmente reanexados à Índia. Adicionalmente ambas as marinhas foram profundamente influenciadas na sua formação pela cultura operacional da Royal Navy britânica.

Por dispor de um completo departamento interno dedicado a pesquisa e desenvolvimento (R&D), o estaleiro Goa vem se destacando no mercado asiático. Ter esta capacidade lhe permite usar seus técnicos para revisar e validar o projeto da nova corveta brasileira, tendo em vista ela ter nascido no Centro de Projeto de Navios (CPN) da Diretoria de Engenharia da Marinha do Brasil (DEN) e posteriormente ter sido refinado por outro estaleiro internacional antes mesmo de se iniciar sua construção. Esta capacidade contribui bastante para reduzir o nível de risco inerente a qualquer novo projeto, como são as Corvetas Classe Tamandaré, reforçando a posição da Índia e especialmente do GSL como o melhor parceiro internacional para o Brasil neste setor no longo prazo. A capacidade de R&D do estaleiro Goa é atestada tanto pelo Governo Indiano, quanto pela sua Marinha e por seu Departamento de Defesa.

Visando aumentar suas perspectivas de sucesso no Brasil, um mercado totalmente novo para empresa, o estaleiro GSL se encontra nas negociações finais com uma empresa multinacional para auxiliá-lo a formular uma proposta comercial que atenda da melhor maneira aos requerimentos atuais e o nível de suporte futuro demandados pela Marinha do Brasil. A parceria montada entre o estaleiro GSL e esta empresa tem a intenção de substancialmente reforçar a confiança da MB no estaleiro indiano, a partir de sua positiva experiência pregressa trabalhando com esta multinacional em vários projetos nos últimos 20 anos representa no Brasil algumas das mais destacadas empresas internacionais de material de defesa, atuando sempre com a máxima transparência e em grande proximidade e sinergia com a Marinha, o Exército e a Força Aérea Brasileira.

Categories
Uncategorized

Eurosatory 2018: Beretta apresenta nova versão do seu rifle ARX200

A Beretta Defense Technologies apresentou o seu mais novo fuzil ARX-200 7.62×51 mm  com um cano de 12 polegadas durante a Eurosatory 2018, que ocorre na cidade de Paris.

Desenvolvido segundo as exigências do Exército Catar,  após o contrato assinado em março passado.

A Beretta Defense Technologies estabeleceu em janeiro de 2018 uma joint venture com a empresa  Barzan Holding para a fabricação de 30 mil fuzis ARX-200 e 10 mil Pistolas M92 para as Forças Armadas do Qatar e outras agências governamentais e de segurança.