Menu
Seções
Fuzileiros Navais Russos também selecionam novos fuzis de assalto
6 de maio de 2018 Defesa

O modelo de produção final do fuzil AK-15 7.62x39mm. (Vitaly V. Kuzmin / Wikimedia Commons) O modelo de produção final do fuzil AK-15 7.62x39mm. (Vitaly V. Kuzmin / Wikimedia Commons)

Tradução e adaptação: E.M.Pinto 

Enquanto o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA trabalha para adquirir novos fuzis Heckler & Koch M27 para sua infantaria, os soldados russos estão assumindo seu próprio processo de aquisição de fuzis de assalto. O Ministério da Defesa da Rússia confirmou em Janeiro que planeja colocar em campo os fuzis de assalto AK-12 e AK-15 para o serviço, as armas disparam cartuchos de 5,45 × 39 mm e 7,62 × 39 mm, respectivamente.

“Uma decisão foi tomada sobre o AK-12 e o AK-15. Os fuzis foram recomendadas como armamento nas forças terrestres, na força aérea e na infantaria [naval]”, informou a assessoria de imprensa da Kalashnikov em janeiro àagência estatal de notícias russa TASS.

Os militares russos anunciaram por diversas vezes a aquisição dos novos fuzis AK, com retratações logo após os anúncios entusiasmados. Desta vez, porém, a notícia parece ser verídica.

Um fuzil de assalto AK-12 em exposição em um show de armas russo. O rifle foi selecionado pelo Ministério da Defesa da Rússia para ser enviado às forças de infantaria terrestres, aéreas e navais do país neste ano. (Vitaly V. Kuzmin / Wikimedia Commons)

As novas variantes do Kalashnikov foram selecionadas depois de passar por testes durante o ano de 2017, disse Alexei Krivoruchko, CEO do Kalashnikov Group, à TASS. Ele acrescentou que o famoso fabricante de fuzis estava pronto para começar as entregas em série este ano.

“Os novos fuzis Kalashnikov combinam alta confiabilidade comprovada em batalha com ergonomia moderna, maior probabilidade de acertos e recursos para usar efetivamente todos os acessórios modernos, desde pointers, visores noturnos e IR até lançadores de granadas, alças dianteiras, lasers e lanternas, supressores de som e muito mais ”, disse o Grupo Kalashnikov em comunicado à imprensa.

Os fuzis AK-12 e AK-15 compartilham muitas das mesmas peças e montagens, além da munição usada. Versões compactas de ambos os fuzis, projetadas para batalhas próximas, estão disponíveis para as forças de operações especiais russas,

“ou como armas de defesa pessoal para armamentos pesados ​​e equipes de veículos”, diz o comunicado da imprensa.

As especificações das duas armas incluem:

Calibre: 5,45 x 39 (AK-12) ou 7,62 x 39 (AK-15)
Comprimento total: 34-37 polegadas
Comprimento, coronha dobrada: 27 polegadas
Comprimento do cano: 16,33 polegadas
Peso, com magazine vazio: 7,7 lbs
Taxa de fogo: 700 tiros / min
Capacidade de revista: 30 disparos

As novas variantes da AK fazem parte do programa “Ratnik” das forças armadas russas, que está tentando casar equipamentos futuros de combate em um único sistema para a infantaria do país. Outras peças de equipamento que deveriam ser melhoradas incluem armadura corporal modernizada, um sistema de visão térmica e noturna ligada a um capacete, novos equipamentos de comunicação e fones de ouvido especializados.
Embora nem todos os itens do Ratnik estejam prontos, as peças já foram testadas em combate na atual Guerra Civil Síria, de acordo com Dmitry Semizorov, CEO do Instituto Central de Pesquisa de Fabricação de Precisão, uma empresa privada com significativa supervisão do Estado.

“Todos vocês provavelmente sabem que o Ratnik foi usado na Síria e eu quero dizer que o equipamento de combate provou o seu valor durante as operações de combate… Eu quero garantir a você que nenhum dos elementos da proteção do equipamento de combate foi perfurado.”

disse Semizorov em um evento da indústria de defesa em Moscou no ano passado

É interessante notar que antes das sanções do Departamento de Estado dos EUA terem sido introduzidas em julho de 2014 contra uma série de empresas russas, os Estados Unidos representaram 90% das exportações civis de armas de fogo do Grupo Kalashnikov, segundo a Bloomberg.

A contraparte americana da empresa, a Kalashnikov USA, ainda vende armas de uma de suas três dúzias de revendedores nos Estados Unidos. A fim de evitar sanções, a contraparte dos EUA cortou os laços com a pátria russa e só vende armas de sua própria criação, feitas com peças dos EUA, segundo a Bloomberg.

Fonte: Defence News

"1" Comment
  1. Requinte e bom gosto!

Comentários estão fechados
*